Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

O que é pegada ecológica?

A pegada ecológica é um importante indicador ambiental que mensura o impacto dos hábitos de consumo da população no planeta Terra, mais especificamente nos recursos naturais.

Imagem explicando o que é a pegada ecológica.
A capacidade de regeneração do planeta Terra é analisada com base no consumo dos seres humanos, o que resulta na pegada ecológica.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Pegada ecológica é uma metodologia desenvolvida para mensurar os impactos do consumo dos seres humanos sobre o planeta Terra, baseando-se na capacidade de regeneração dos recursos naturais. É calculada pela soma da área utilizada para a produção de bens e serviços com a área demandada para a absorção de gases emitidos durante o processo produtivo, entre os quais está o CO2. Diminuir a pegada ecológica individual e coletiva por meio de novas práticas e da adoção de novos hábitos de consumo é muito importante para a sustentabilidade ambiental.

Leia também: Afinal, o que é Ecologia?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre pegada ecológica

  • Pegada ecológica é uma metodologia desenvolvida para mensurar os impactos do consumo dos seres humanos no planeta Terra.

  • Seu objetivo é mensurar a capacidade do planeta Terra de responder às demandas dos seres humanos por bens e recursos e se recuperar posteriormente.

  • Seu cálculo é feito pela soma da área demandada para a produção dos bens e serviços consumidos pelos seres humanos e da área demandada para a absorção dos gases do efeito estufa resultantes da produção.

  • É expressa em hectare global (gha).

  • Compõem a pegada ecológica: área vegetada capaz de absorver carbono; áreas de plantio e pastagem; produção de pescados e frutos do mar; florestas; e superfície urbanizada.

  • Foi criada, na década de 1990, por Mathis Wackernagel e William Rees.

  • China, Estados Unidos e Índia são os países com as maiores pegadas ambientais do mundo.

  • A pegada ambiental do Brasil é de 2,7 gha, de acordo com a Global Footprint Network. Embora em queda, o país mantém boa biocapacidade quando comparado a outras nações.

  • A pegada ecológica faz parte de uma família de pegadas, composta, também, pelas pegadas hídrica e de carbono.

  • Consumo consciente, pequenas mudanças na vida cotidiana e adoção de processos produtivos sustentáveis são algumas das práticas para a diminuição da pegada ecológica.

Objetivos da pegada ecológica

Representação gráfica da noção de pegada ecológica.
A pegada ecológica é um importante indicador ambiental.

A pegada ecológica é uma metodologia desenvolvida com o objetivo de dimensionar a relação entre a demanda dos seres humanos por recursos naturais e outros bens de consumo e a capacidade da natureza de fornecê-los e se regenerar (biocapacidade). Esse indicador mostra o tamanho da área necessário para a produção de todos os elementos da natureza e demais produtos e serviços que consumimos no dia a dia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como calcular a pegada ecológica?

O cálculo da pegada ecológica é realizado com base em dois elementos principais:

  1. Superfície (ou área) demandada para a produção dos recursos consumidos pelos seres humanos, como madeira, alimentos, fibras, papel, energia, área urbanizada, frutos do mar. Em outras palavras, a pegada ecológica se baseia na área produtiva, razão pela qual inclui apenas aqueles elementos capazes de ser mensurados de tal maneira, o que veremos no tópico a seguir.

  2. Superfície (ou área) necessária para absorver todos os resíduos produzidos pelas atividades consideradas no cálculo do primeiro passo e que são danosos ao meio ambiente. Tais resíduos são os gases do efeito estufa, em especial o gás carbônico (CO2).

Vista superior de uma colheitadeira, uma alusão a um dos principais elementos do cálculo da pegada ecológica.
A área demandada para a produção de alimentos consumidos é um dos principais elementos do cálculo da pegada ecológica.[1]

Uma vez que é calculada pela soma das duas áreas descritas, a medida da pegada ecológica é dada em hectare global (gha). Aliás, é possível calcular a pegada ecológica de um indivíduo, de uma população inteira e até de um país como um todo.

Componentes da pegada ecológica

A pegada ecológica é composta por fatores passíveis de ser quantificados com base na sua área produtiva. Confira quais são eles a seguir:

  • Cultivos agrícolas: áreas destinadas para o plantio de alimentos e matérias-primas para a população.

  • Pastagens: destinadas à criação de gado, que fornece alimentos (carnes, leites e derivados) e matérias-primas para a população.

  • Florestas: áreas de produção da madeira que é consumida pelos seres humanos de diversas maneiras diferentes ao longo de um ano.

  • Superfície urbanizada: onde há construções, em que existem cidades e infraestrutura urbana utilizada cotidianamente pelas pessoas em sua habitação nos transportes, no trabalho, na produção industrial, na geração de eletricidade etc.

  • Pesca: produção de pescados (peixes e frutos do mar) consumidos pelas populações.

  • Carbono: áreas vegetadas que são capazes de promover a absorção dos gases do efeito estufa emitidos para a produção de bens e serviços consumidos diariamente pelos seres humanos. A mensuração é feita a partir do dióxido de carbono.

Origem da pegada ecológica

Pegada ecológica é uma expressão que surgiu durante a década de 1990 e foi desenvolvida pelos pesquisadores canadenses Mathis Wackernagel e William Rees, quando trabalhavam juntos na Universidade da Colúmbia Britânica em Vancouver, no Canadá. Eles lançaram um livro acerca do tema, e criaram essa expressão com o propósito de avaliar as práticas de consumo dos seres humanos com relação aos recursos da natureza.

Pegada ecológica mundial

Por ser calculada com base em informações relativas ao consumo da população, a pegada ecológica mundial varia muito de país para país, em especial quando consideramos as diferenças entre os países desenvolvidos e os países subdesenvolvidos. Na análise em questão, essas diferenças são a demanda por produtos e serviços, o estágio de industrialização e a taxa de urbanização de tais territórios. O tamanho da população também influencia no cálculo.

A fundação Global Footprint Network é a principal fonte de dados sobre a pegada ecológica dos países, fornecendo a biocapacidade em cada um deles e a pegada ecológica registrada no decorrer do tempo. Um ponto em comum identificado foi o aumento registrado nesse indicador para a grande maioria das nações, ao passo que a biocapacidade reduz gradativamente.

Veja os 10 países que têm a maior pegada ecológica do mundo de acordo com a Global Foodprint Network:

  • China;

  • Estados Unidos;

  • Índia;

  • Rússia;

  • Brasil;

  • Japão;

  • Indonésia;

  • Alemanha;

  • Japão;

  • México.

Pegada ecológica no Brasil

Área de desmatamento ilegal na Rodovia Transamazônica (BR-230), uma alusão à pegada ecológica no Brasil.
A biocapacidade brasileira caiu, a partir da segunda metade do século XX, com o aumento de áreas urbanizadas e a abertura de áreas para a agropecuária.

O Brasil figura entre os países com a maior pegada ecológica do mundo. Segundo a Global Footprint Network, o país continua com uma biocapacidade maior do que a demanda produtiva interna, destacando-se no cenário internacional. Atualmente a pegada ecológica do Brasil é de 2,7 gha, enquanto o balanço entre a biocapacidade e a pegada resulta em 5,7 gha.

O período entre 2005 e 2015 foi quando o país registrou a sua maior pegada ecológica, que chegou a 3,1 gha. Ao longo dos anos, houve oscilações importantes nesse indicador, sendo o valor mais baixo o de 2,3 gha, registrado no início da década de 1990.

Cabe reforçar, ainda, que a biocapacidade brasileira por pessoa diminuiu em quase três vezes no intervalo de análise, que vai de 1961 a 2022. Esse período é marcado pelo avanço das áreas agrícolas no interior do país, pelo aumento das áreas urbanizadas e, também, pelo crescimento da industrialização.

Família das pegadas

A família das pegadas é o conjunto de indicadores que mensuram a relação entre o consumo e o equilíbrio ambiental. Existem três tipos de pegada:

  • Pegada ecológica: refere-se à capacidade do planeta Terra de responder às demandas dos seres humanos por bens e recursos e se recuperar posteriormente.

  • Pegada hídrica: refere-se ao volume de água utilizado para a produção dos alimentos e dos demais produtos consumidos pelos seres humanos.

  • Pegada de carbono: refere-se ao volume de gases do efeito estufa, como o próprio dióxido de carbono (CO2), emitido durante as atividades humanas realizadas todos os dias, o que inclui a produção de bens e serviços, mas não se restringe a ela.

Para saber mais detalhes sobre a pegada hídrica, um dos tipos de pegada, clique aqui.

Importância da pegada ecológica

A pegada ecológica é um indicador importante por evidenciar os impactos que o consumo desencadeia no meio ambiente, afetando a capacidade de regeneração dos recursos naturais no médio e longo prazo. Com base nessas informações, é possível para os governos locais, os Estados nacionais e os organismos internacionais traçarem políticas públicas e planos de ação para a manutenção do equilíbrio ambiental.

Por outro lado, conhecer o conceito de pegada ecológica e dimensionar o nosso consumo leva à conscientização sobre a necessidade de mudanças de hábito e da adoção de um padrão de consumo mais sustentável.

Possíveis medidas para reduzir a pegada ecológica

Algumas das possíveis medidas para reduzir a pegada ecológica são as seguintes:

  • Implementação de processos produtivos sustentáveis nos diferentes setores da economia.

  • Alteração dos hábitos para a introdução objetos reutilizáveis e feitos de materiais biodegradáveis ou recicláveis.

  • Adoção do consumo consciente, procurando se informar dos materiais usados para a produção daquele determinado bem, sua origem, além de ponderar acerca da necessidade de aquisição.

  • Uso de energia limpa, além do aumento da eficácia energética dentro de casa.

  • Diminuição no uso de veículos particulares e movidos por combustíveis fósseis, optando pelos transportes coletivos ou meios alternativos de locomoção.

  • Aquisição de bens de consumo duráveis com maior vida útil, prolongando seu tempo de uso.

  • Economizar água e energia elétrica sempre que possível.

  • Realizar a separação do lixo (coleta seletiva) e a reciclagem de materiais.

Créditos de imagem

[1]Saverio blasi / Shutterstock

Fontes

Global Footprint Network. Disponível em: https://www.footprintnetwork.org/.

REDAÇÃO. Entenda o que é pegada ecológica. Ecycle, [s.d.]. Disponível em: https://www.ecycle.com.br/pegada-ecologica/.

SCARPA, Fabiano. Pegada ecológica: qual é a sua? São José dos Campos, SP: INPE, 2012.

WWF. A família das pegadas. Disponível em: https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/pegada_ecologica/a_familia_das_pegadas/.

WWF. Pegada ecológica. Disponível em: https://www.wwf.org.br/nosso_trabalho/pegada_ecologica/.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "O que é pegada ecológica?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/pegada-ecologica.htm. Acesso em 19 de maio de 2024.

De estudante para estudante