Whatsapp

Adrenalina

Química

PUBLICIDADE

A adrenalina é um hormônio liberado pelas glândulas que ficam sobre os rins (glândulas suprarrenais). A presença no organismo se dá através de um sinal liberado em resposta ao grande estresse físico ou mental, situações de forte emoção como, por exemplo: descida em montanha russa, salto de paraquedas, esportes radicais em geral.


                              Estrutura molecular da Adrenalina


A adrenalina atua como um neurotransmissor que tem efeito sobre o sistema nervoso simpático, preparando o organismo para um grande esforço físico. Os sintomas característicos da liberação de adrenalina são: suor, vasoconstrição, aumento dos batimentos cardíacos, dilatação das pupilas e brônquios (aumenta a visão e deixa a respiração ofegante), eleva o nível de açúcar no sangue, entre outros.

A adrenalina pode ocasionar a morte?

O aumento dos batimentos cardíacos faz com que o sangue seja bobeado mais rapidamente, esse efeito só ocorre por que os vasos se contraem ficando mais finos (vasoconstrição), acelerando a circulação sanguínea. O problema é que, se alguma artéria que leva sangue ao coração estiver um pouco entupida, o estreitamento agravará o quadro: o sangue não circula e então ocorre a morte de um conjunto de células por falta de oxigênio, mais conhecido como infarto.

Como se vê, a Adrenalina recebe duas classificações: hormônio e neurotransmissor, mas se tratando das classes orgânicas, ela se caracteriza como Amina (presença de NH2).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Adrenalina

Fique sabendo agora a origem da palavra Adrenalina!

O neurotransmissor foi nomeado como "adrenalina" pelo cientista que conseguiu isolá-lo pela primeira vez, o bioquímico japonês Jokichi Takamine. Ele se inspirou na localização do hormônio no organismo: ad- (prefixo que indica proximidade), renalis (relativo aos rins) e o sufixo -ina, (referente a classe pertencente, às aminas).

Por Líria Alves
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

Veja mais!

O hormônio que influi no ciclo menstrual
 

Química Orgânica - Química - Brasil Escola

A descida em uma montanha russa libera o hormônio da adrenalina
A descida em uma montanha russa libera o hormônio da adrenalina

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Líria Alves de. "Adrenalina"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/adrenalina.htm. Acesso em 20 de abril de 2021.

Artigos Relacionados
Conheça os alcaloides, uma classe de compostos de aminas muito importantes, pois estão presentes no cotidiano, como é o caso da nicotina, cafeína, morfina e cocaína.
Conheça a composição química do alcatrão (um dos principais componentes do cigarro) e veja também os efeitos de sua absorção.
Conheça a constituição química, as aplicações e a história da morfina, um dos medicamentos mais conhecidos no mundo.
Amplie seus conhecimentos sobre a dopamina, um neurotransmissor muito importante para o organismo, pois está relacionado com o humor, prazer e controle motor.
Conheça a estrutura química da nicotina, como ela atua no organismo e principalmente no sistema nervoso central, levando à dependência e à degradação do organismo.
Saiba mais sobre a noradrenalina clicando aqui. Entenda a sua função, seu uso terapêutico e sua relação com a depressão.
Saiba mais sobre as principais glândulas endócrinas e seus hormônios por intermédio deste texto!
Conheça mais a respeito de um dos maiores estimulantes do grupo das xantinas: a cafeína. Veja os alimentos e bebidas que a contém e seus efeitos para o organismo humano.
As anfetaminas (ou bolinhas, nome pelo qual são comercializadas) possuem vários efeitos adversos; veja quais são essas reações no corpo e qual é a sua constituição química.
Veja qual é a composição química da mistura que forma o crack, uma droga que se tornou uma das maiores tragédias da sociedade atual.