Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Agreste

O Agreste é uma sub-região do Nordeste brasileiro situada entre a Zona da Mata e o Sertão, dispondo de características físicas tanto da Mata Atlântica quanto da Caatinga.

Paisagem natural do Agreste.
O Agreste é uma faixa de transição entre a Zona da Mata e o Sertão nordestino.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O Agreste é uma das quatro sub-regiões em que se divide a região Nordeste. Ela é constituída por municípios de seis estados brasileiros e corresponde a uma faixa de transição entre a Zona da Mata e o Sertão, respectivamente o litoral e o interior nordestinos.

Essa sub-região apresenta clima predominantemente semiárido, que varia localmente de acordo com fatores como o relevo, caracterizado pelo Planalto da Borborema. Sua vegetação apresenta as características da Caatinga, com algumas áreas de florestas e terrenos úmidos.

A população do Agreste é a segunda maior entre as sub-regiões do Nordeste. A pecuária e a agricultura são duas importantes atividades econômicas desenvolvidas localmente, com destaque ainda para o turismo. Na região estão inseridos importantes centros culturais, comerciais e econômicos do interior do Nordeste, o que confere enorme dinamismo ao Agreste.

Leia também: Quais são as capitais do Brasil?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Agreste

  • O Agreste é uma das quatro sub-regiões do Nordeste brasileiro.

  • É uma faixa de transição entre a Zona da Mata e o Sertão nordestino.

  • Compreende cidades de seis estados do Nordeste, dentre as quais estão importantes centros urbanos regionais como Campina Grande (PB), Caruaru (PE) e Feira de Santana (BA).

  • Sua vegetação apresenta características da Caatinga e da Mata Atlântica. No caso das matas, elas se concentram em áreas de maior umidade, que são as encostas de serras.

  • Possui alguns terrenos úmidos e alagadiços conhecidos como brejos.

  • O clima predominante é o semiárido, com a presença de condições mais amenas de temperatura e umidade nos terrenos de maior altitude.

  • Situa-se sobre um relevo planáltico, caracterizado pela unidade do Planalto da Borborema.

  • Devido ao clima, a maioria dos rios que percorrem o Agreste é intermitente.

  • É a segunda sub-região mais populosa do Nordeste.

  • As principais atividades econômicas desenvolvidas no Agreste são a agricultura e a pecuária (extensiva e leiteira). Destaca-se ainda a presença de cidades que são grandes polos industriais e comerciais do Nordeste.

  • A importância sociocultural, econômica e estratégica do Agreste se impõe nas escalas local e regional.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Qual a localização do Agreste?

O Agreste é uma das quatro sub-regiões em que é dividida a região Nordeste do Brasil. Trata-se de uma estreita faixa de transição que separa a Zona da Mata do Sertão, que pode ser interpretada ainda como uma área que conecta o interior ao litoral nordestino. A área correspondente ao Agreste se estende no sentido norte-sul e compreende municípios desde o litoral norte do Rio Grande do Norte até o sul da Bahia.

  • Quais são as cidades que fazem parte do Agreste?

Vista da cidade de Campina Grande, uma das principais do Agreste.
Campina Grande, na Paraíba, é uma das principais cidades do Agreste.

A sub-região do Agreste é composta por cidades de seis estados da região Nordeste.

Rio Grande do Norte: o Agreste potiguar é formado por um conjunto de 43 municípios, dentre os quais estão Caiçara do Norte, Galinhos e São Bento do Norte, que ficam no litoral do estado.

Paraíba: o Agreste paraibano é formado por 66 municípios. Uma das cidades mais importantes do estado e também da região Nordeste se insere nesse conjunto, que é Campina Grande.

Pernambuco: o Agreste pernambucano é formado por 71 municípios, dentre os quais podemos destacar as cidades de Caruaru, Garanhuns e Santa Cruz do Capibaribe.

Alagoas: o Agreste alagoano é formado por 24 municípios, sendo um deles Arapiraca.

Sergipe: o Agreste sergipano é formado por 18 municípios, dentre os quais estão Lagarto e Itabaiana, duas das cidades mais populosas do estado.

Bahia: o Agreste baiano é geralmente caracterizado como parte do território de identidade que compreende também o litoral norte do estado. Em conjunto, esse território possui 22 municípios, como Alagoinhas, o mais populoso deles. É comum ainda a cidade de Feira de Santana listada como parte do agreste baiano, sendo essa a segunda maior cidade da Bahia e um importante centro econômico regional.

Leia também: Mapa do Brasil — a representação cartográfica do território brasileiro

Mapa do Agreste

No mapa da figura abaixo, o Agreste é a região que aparece na cor rosa, entre a Zona da Mata, que compreende o litoral nordestino (em amarelo), e o Sertão (em laranja).

Mapa com as sub-regiões do Nordeste, incluindo o Agreste.
O Nordeste se divide em quatro sub-regiões: 1) Meio-Norte, 2) Sertão, 3) Agreste, 4) Zona da Mata. [1]

Quais são as características do Agreste?

O Agreste é, como vimos até aqui, uma região transicional entre duas áreas com aspectos fisiográficos bastante distintos, o que inclui clima, vegetação e relevo. Por essa razão, podemos identificar características de ambas no Agreste, que é constituído por paisagens naturais complexas e diversificadas.

  • Vegetação do Agreste

Considera-se o Agreste um ecótono, que nada mais é do que uma área de contato e transição entre dois ou mais ecossistemas diferentes. Situada entre os biomas da Mata Atlântica e da Caatinga, a vegetação que recobre a região do Agreste é formada tanto por florestas, em especial nas regiões onde as chuvas são mais abundantes, quanto pelos campos abertos de arbustos, herbáceas e árvores de pequeno porte, que estão presentes nas áreas mais secas.

Em muitas áreas do Agreste, é possível encontrar terrenos úmidos e alagadiços que contrastam com a paisagem do local. Essas formações recebem o nome de brejo.

Flora do Agreste

 Mandacaru em meio à vegetação do Agreste.
O mandacaru compõe a flora do Agreste nordestino.

A flora do Agreste é semelhante àquela encontrada na Caatinga. É constituída por espécies xerófitas, que são adaptadas aos longos períodos de estiagem, cactáceas, pequenas árvores espinhosas e de caule retorcido, arbustos e herbáceas. Algumas das plantas típicas do Agreste e também presentes na Caatinga são o xique-xique, a acácia e o mandacaru.

Os bosques e florestas encontrados no Agreste são formados por árvores e plantas decíduas, que são aquelas que perdem as suas folhas durante o período de estiagem, isto é, sem chuvas.

  • Fauna do Agreste

Assim como acontece com a flora, a fauna do Agreste é semelhante àquela observada nas regiões adjacentes da Zona da Mata e do Sertão. São encontrados na região mamíferos, roedores, aves, insetos, répteis e outras classes de animais. Veja alguns dos espécimes que vivem no Agreste nordestino:

◦ cachorro-do-mato;

◦ veado-catingueiro;

◦ preá;

◦ porco-espinho;

◦ tamanduá;

◦ gambá;

◦ ararinha-azul;

◦ asa-branca;

◦ tatu-bola.

  • Clima do Agreste

O clima semiárido é predominante no Agreste, caracterizado pelas altas temperaturas e longos períodos de estiagem, com baixa precipitação anual (entre 250 mm e 750 mm) e chuvas concentradas em um curto espaço de tempo.

É importante notar, entretanto, que o clima da região não é homogêneo. As cidades e localidades situadas nos terrenos elevados (ou serras) do Planalto da Borborema experimentam temperaturas mais amenas durante o ano e volumes de chuva relativamente maiores do que nas áreas de clima semiárido.

  • Relevo do Agreste

O Agreste fica em uma região de terrenos formados por serras e vales e cuja principal unidade de relevo é o Planalto da Borborema, em que as altitudes variam de 600 a 800 metros em média.

  • Hidrografia do Agreste

A sub-região do Agreste está inserida em três grandes bacias hidrográficas brasileiras:

◦ Bacia do Atlântico Nordeste Oriental;

◦ Bacia do São Francisco;

◦ Bacia do Atlântico Leste.

Os rios que percorrem os estados e municípios do Agreste são, em sua maioria, rios intermitentes (temporários), ou seja, que possuem água em seus cursos apenas durante o período chuvoso, secando no restante do ano.

Esse regime de cheia e seca se deve ao clima predominantemente semiárido da região. A única exceção é o rio São Francisco, curso d’água perene e principal rio do Nordeste, que corta um pequeno trecho do Agreste antes de chegar à sua foz no estado do Alagoas.

Leia também: Por que no Nordeste há seca?

População do Agreste

O Agreste é a segunda sub-região mais populosa da região Nordeste, ficando atrás apenas da Zona da Mata. Seu povoamento está diretamente atrelado ao processo de interiorização da ocupação do território brasileiro decorrente de atividades econômicas que eram vistas como secundárias ou complementares durante o período do Brasil Colônia, em especial a criação de gado.

Durante um longo intervalo de tempo, existiram ainda intensos fluxos migratórios que partiam do Sertão em direção às sub-regiões do Agreste e da Zona da Mata de pessoas em busca de trabalho durante as longas estiagens condicionadas pelo clima. Em alguns casos, houve a migração definitiva, enquanto a maioria dos registros era de migração temporária, com o retorno dos migrantes para a sua região de origem no período chuvoso. Hoje, é comum o movimento de migração sazonal do Agreste em direção à Zona da Mata para o trabalho em lavouras agrícolas, como da cana-de-açúcar.

Atualmente, o Agreste abriga três cidades que integram a lista dos 20 municípios mais populosos da região Nordeste. Veja quais são elas e sua respectiva população, segundo dados do IBGE:

  • Feira de Santana, na Bahia, com 624.107 habitantes;

  • Campina Grande, na Paraíba, com 413.830;

  • Caruaru, em Pernambuco, com 369.343 habitantes.

Economia do Agreste

Área com agricultura familiar em Caruaru, no Agreste.
A agricultura de pequenas e médias propriedades é uma das principais atividades econômicas do Agreste. [1]

O Agreste apresenta grande diversidade econômica. Como vimos, a sua ocupação foi motivada pela criação de gado bovino. À medida que a população cresceu, instalaram-se pequenas propriedades onde se pratica também a agricultura de subsistência, atividade essa que, junto à pecuária leiteira, está presente hoje em diversos municípios do Agreste.

A produção agrícola não se estabelece somente para o consumo próprio. Pelo contrário, as lavouras e a criação de animais em pequenas e médias propriedades em que se desenvolve a agricultura familiar, principalmente, têm como objetivo também o abastecimento do mercado local e regional, o que inclui outras sub-regiões, como a Zona da Mata. Entre os gêneros produzidos estão o leite, frutas, milho, mandioca, tomate, café e verduras em geral.

O algodão é muitas vezes cultivado em grandes propriedades junto de práticas como da pecuária extensiva. O sisal é outro produto muito comum de ser encontrado nas lavouras do Agreste, sendo uma fibra empregada principalmente no artesanato, importante atividade econômica impulsionada pelo turismo na sub-região em questão.

As grandes cidades que conhecemos anteriormente são ainda importantes centros comerciais e polos industriais da sub-região e do Nordeste, o que torna a economia do Agreste ainda mais dinâmica.

Qual a importância do Agreste?

A importância do Agreste se expressa em escala local e principalmente regional. Trata-se de uma área fundamental para a manutenção do dinamismo espacial e socioeconômico do Nordeste, reunindo também importantes elementos culturais da região.

Além das tradicionais atividades econômicas e comerciais que nela se desenvolvem, a sub-região concentra grandes centros culturais e inúmeros atrativos turísticos, que englobam desde festas tradicionais, como o São João de Campina Grande (PB) e de Caruaru (PE), até as paisagens naturais e históricas, que recebem milhares de visitantes nacionais e internacionais, movimentando a economia regional. Ademais, é através do Agreste que se realizam os diferentes fluxos de pessoas, capitais e mercadorias entre o litoral e o interior nordestinos.

Créditos da imagem

[1] Raphael Lorenzeto de Abreu / Wikimedia Commons

[2] Felipe Brasil / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Agreste"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/agreste.htm. Acesso em 17 de abril de 2024.

De estudante para estudante


Lista de exercícios


Exercício 1

A figura abaixo retrata a região Nordeste do Brasil e sua divisão em sub-regiões:

Considerando seus conhecimentos acerca dessa configuração territorial, marque a alternativa que indica corretamente a sub-região Agreste.

A) 1

B) 2

C) 3

D) 4

Exercício 2

O Agreste é reconhecido como uma área de transição entre regiões bem marcadas por aspectos naturais existentes no Nordeste do Brasil. Considerando o clima encontrado no Agreste, pode-se afirmar que se trata:

A) de um clima de transição que reúne características do clima Equatorial e o Tropical Úmido.

B) de um clima de transição que reúne características do clima Tropical Semiárido e o Tropical Litorâneo.

C) de um clima de transição que reúne características do clima Tropical Semiúmido e o Tropical Semiárido.

D) de um clima de transição que reúne características do clima Tropical de Altitude e o Tropical Semiúmido.

E) de um clima de transição que reúne características do clima Equatorial e o Tropical de Altitude.