Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Transformação isobárica

Transformação isobárica é a transformação em que a pressão se mantém a mesma em um sistema fechado.

Representação da transformação isobárica, um dos tipos de transformações gasosas.
Na transformação isobárica, a pressão é constante, então, o volume e a temperatura variam.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A transformação isobárica é um processo termodinâmico que consiste na conservação da pressão ainda que seja variado o volume ou a pressão do gás. Ela foi desenvolvida pelo Jacques Charles e evidenciada pelo Joseph Gay-Lussac. Nela, o volume inicial dividido pela temperatura inicial é igual ao volume final dividido pela temperatura final.

Leia também: Gás ideal — o modelo de gás em que as colisões entre as partículas são perfeitamente elásticas

Tópicos deste artigo

Resumo sobre transformação isobárica

  • A nomenclatura isobárica significa “pressão igual”.

  • A transformação isobárica acontece quando o gás apresenta pressão constante estando em um sistema fechado.

  • Na expansão isobárica, temos um crescimento de volume, temperatura e energia interna do gás.

  • Na compressão isobárica, temos um decréscimo de volume, temperatura e energia interna do gás.

  • O trabalho de um gás na transformação isobárica é dado pelo produto entre a pressão e a variação de volume.

  • Na transformação isobária, temos um gráfico para o volume relacionado à tempeatura e outro gráfico para a pressão relacionada ao volume.

  • No gráfico que relaciona o volume à tempeatura, a pressão é representada por uma reta inclinada crescente ou descrescente.

  • No gráfico que relaciona a pressão ao volume, a pressão é representada por uma reta constante.

Videoaula sobre transformação isobárica

O que é transformação isobárica?

A transformação isobárica, também chamada de lei de Charles e Gay-Lussac, é uma transformação termodinâmica em que há preservação da pressão, independentemente da modifição do volume ou da temperatura do gás.

Ela foi formulada pelo cientista Jacques Charles (1746-1823), comprovada experimentalmente pelo físico-químico Joseph Gay-Lussac (1778-1850) e pode ser enunciada como:

Quando a pressão de uma amostra de gás permanece constante, a sua temperatura é diretamente proporcional ao seu volume.|1|

Sua nomenclatura advém do grego, iso, que significa “igual”, e baros, que significa “pressão”, por isso, isobárica significa “pressão igual, constante”.

→ Exemplos de transformação isobárica

A transformação isobárica é encontrada sempre que a pressão for constante, por exemplo, uma bexiga cheia de ar tem seu volume alterado na medida em que varia a temperatura do gás em seu interior, contudo, a sua pressão externa se mantém inalterada, da mesma forma ocorre com os balões de ar quente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como ocorre a transformação isobárica?

A transformação isobárica ocorre quando um gás está sob pressão constante em um sistema fechado, no qual existem trocas de energia com a vizinhança e se modifica o volume e a temperatura desse gás.

Na transformação isobárica, podemos ter a expansão isobárica, em que há ampliação do volume e da temperatura do gás e, consequentemente, o aumento da energia interna e a compressão isobárica, em que se tem a diminuição de volume e da temperatura do gás, portanto, a redução da energia interna.

Fórmulas da transformação isobárica

→ Relação entre pressão, volume e temperatura

\(\frac{p_o\cdot V_o}{T_o}=\frac{p\cdot V}T\)

  • \(p_o\) → pressão inicial, medida em Pascal \([Pa]\).

  • \(v_o\) → volume inicial, medido em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

  • \(T_o\) → temperatura inicial, medida em Kelvin \([K]\).

  • p → pressão final, medida em Pascal \([Pa]\).

  • V → volume final, medido em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

  • T → temperatura final, medida em Kelvin \([K]\).

→ Transformação isobárica

\(\frac{V_o}{T_o}=\frac{ V}T\)

  • \(V_o\) → volume inicial, medido em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

  • \(T_o\) → temperatura inicial, medida em Kelvin \([K]\).

  • V → volume final, medido em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

  • T → temperatura final, medida em Kelvin \([K]\).

Exemplo:

Um gás com volume de 10 l, temperatura de 200 K e pressão de 4 atm sofre uma variação de temperatura, alterando-se para 10 K. Em vista disso, qual volume o gás passa a ocupar?

Resolução:

Calcularemos o volume do gás por meio da fórmula que relaciona a pressão, o volume e a temperatura.

\(\frac{p_o\cdot V_o}{T_o}=\frac{p\cdot V}T\)

Como a pressão é constante, podemos eliminá-la, resultando na fórmula da transformação isobárica:

\(\frac{V_o}{T_o}=\frac{V}T\)

Neste exercício, não há necessidade de converter as unidades de medida:

\(\frac{10}{200}=\frac{V}{10}\)

\(10\cdot10=200\cdot V\)

\(100=200\cdot V\)

\(V=\frac{100}{200}\)

\(V=0,5\ l\)

O volume passou a ser de 0,5 l ou 500 ml.

→ Trabalho de um gás em uma transformação isobárica

\(W=p\cdot ∆V\)

Também pode ser representado por:

\(W=p\cdot(V-V_o)\)

  • W → trabalho do gás, medido em Joule \([J]\).

  • p → pressão, medida em Pascal \(Pa\).

  • \(∆V\) → variação de volume, medida em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

  • \(V_o\) → volume inicial, medido em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

  • V → volume final, medido em metros cúbicos \([m^3]\) ou litros \([l]\).

Exemplo:

Qual o trabalho de um gás que manteve sua pressão de 20.000 Pa quando variou seu volume de \(50\ m^3\) para \(60\ m^3\)?

Resolução:

Calcularemos o trabalho por meio da fórmula do trabalho do gás em uma transformação isobárica:

\(W=p\cdot∆V\)

\(W=p\cdot(V-V_o)\)

\(W=20.000 \cdot(60-50)\)

\(W=20.000 \cdot(10)\)

\(W=200.000 \)

\(W=2 \cdot10^5 \ J \)

O trabalho do gás foi de \(2 \cdot10^5\) Joules.

Importante: Na maioria dos exercícios, é necessário a conversão das unidades de medida da pressão, do volume e da temperatura. Na pressão, basta multiplicarmos o valor dado em atm por \(1,01\cdot10^5 \ Pa\); por exemplo, 5 atm são \(5,05\cdot10^5\ Pa\). Na temperatura, somamos 273 ao valor dado em Celsius, por exemplo, 100 °C  é 373 K. Já no volume, dividimos o valor dado em litros por mil, já que 1 l é 0,001 \(m^3\).

Veja também: Transformação isocórica (isovolumétrica) — quando o gás apresenta volume constante em um sistema fechado

Gráficos da transformação isobárica

Na transformação isobárica, é possível obter dois gráficos, um que relaciona o volume à temperatura e outro que relaciona a pressão ao volume.

→ Gráfico da transformação isobárica V x T

No gráfico do volume pela temperatura, temos a pressão sendo representada por uma reta inclinada. Essa reta será decrescente quando estivermos diminuindo o volume e a temperatura, e será crescente quando estivermos aumentando o volume e a temperatura, como podemos ver no gráfico abaixo:

Gráfico da transformação isobárica do volume pela temperatura.

→ Gráfico da transformação isobárica p x V

No gráfico da pressão pelo volume, temos a pressão como uma reta constante, demonstrando que, independentemente da alteração do volume, na transformação isobária, a pressão se mantém, como podemos ver no gráfico abaixo:

Exercícios resolvidos sobre transformação isobárica

Questão 1

Um gás, em um recipiente A, que apresenta volume de 50 l, temperatura de 270 K e pressão de 2 atm passa por uma transformação isobárica em que seu volume aumenta para 150 l. Em vista disso, para qual valor foi modificada sua temperatura?

A) 270 K

B) 490 K

C) 650 K

D) 730 K

E) 810 K

Resolução:

Alternativa E

Calcularemos a temperatura final do gás por meio da fórmula que relaciona a pressão, a temperatura e o volume:

\(\frac{p_o\cdot V_o}{T_o}=\frac{p\cdot V}T\)

Como o gás passou por uma transformação isobárica, sua pressão se manteve constante, então podemos eliminá-la da fórmula:

\(\frac{V_o}{T_o}=\frac{ V}T\)

\(\frac{50}{270}=\frac{150}T\)

Fazendo uma multiplicação cruzada:

\(50\cdot T=150\cdot270\)

\(50\cdot T=40.500\)

\(T=\frac{40.500}{50}\)

\(T=810\ K\)

Questão 2

(UFRGS) Considere a seguinte transformação que ocorre com uma amostra gasosa de massa “m” apresentando comportamento de gás ideal.

Representação da transformação isobárica que ocorre com uma amostra gasosa de uma questão da UFRGS.

O gráfico que melhor representa essa transformação é:

A) Alternativa A da questão sobre transformação isobárica da UFRGS.

B) Alternativa B da questão sobre transformação isobárica da UFRGS.

C) Alternativa C da questão sobre transformação isobárica da UFRGS.

D) Alternativa D da questão sobre transformação isobárica da UFRGS.

E) lternativa E da questão sobre transformação isobárica da UFRGS.

Resolução:

Alternativa A

Nessa amostra gasosa, durante a transformação, manteve-se o valor da pressão, em razão disso, trata-se de uma transformação isobárica. Para essa transformação, o gráfico pode ser dado pela relação entre o volume e a temperatura, correspondendo a uma reta inclinada, ou ser dado pela relação entre a pressão e o volume, correspondendo a uma reta constante.

Nota

|1| SCHULZ, Daniel. Transformação isobárica. In: Aprendizagem significativa de termodinâmica no ensino médio através do estudo das máquinas térmicas como tema motivador. URFGS, 2009. Disponível aqui.

 

Por Pâmella Raphaella Melo
Professora de Física

Escritor do artigo
Escrito por: Pâmella Raphaella Melo Sou uma autora e professora que preza pela simplificação de conceitos físicos, transportando-os para o cotidiano dos estudantes e entusiastas. Sou formada em Licenciatura Plena em Física pela PUC- GO e atualmente curso Engenharia Ambiental e Sanitária pela UFG.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MELO, Pâmella Raphaella. "Transformação isobárica"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/transformacao-isobarica.htm. Acesso em 03 de março de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas


Lista de exercícios


Exercício 1

Um gás no estado 1 apresenta volume de 14 L, pressão de 5 atm e temperatura de 300 K. Qual será o volume do gás em um estado 2 se a temperatura for dobrada à pressão constante?

  1. 0,14 L.

  2. 7 L.

  3. 28 L.

  4. 32 L.

  1. 2520000 L.

Exercício 2

Em uma pressão constante, um gás é aquecido até que seu volume inicial de 150 L dobre. Se a temperatura inicial do gás era de 20ºC, qual deve ser a temperatura final na escala kelvin?

  1. 40.

  2. 586.

  3. 233.

  4. 313.

  1. 273,025.

Artigos Relacionados


Equação geral dos gases

Conhecendo o volume, temperatura e pressão de um gás.
Química

Gases

O que são gases, quais as propriedades dos gases, compostos moleculares, compressibilidade, volume fixo, energia cinética média, temperatura absoluta de um gás, gás ideal, Gases reais, gás perfeito, variáveis de estado dos gases, volume de um gás, tempera
Química

Lei de Dalton

Conheça o enunciado da lei de Dalton sobre misturas gasosas, veja exemplos e saiba como chegar à fração molar de cada gás na mistura.
Química

Leis de Gay-Lussac e Proust

Leis de Gay-Lussac, lei de Proust, reação química, proporção constante, massas das substâncias, substância pura, análises qualitativas e quantitativas, lei dos gases perfeitos, lei das proporções constantes, lei das proporções definidas, lei volumétrica.
Química

Misturas Gasosas

As duas grandezas principais do estudo das misturas gasosas são a pressão parcial e o volume parcial. Entenda do que se trata cada uma delas e como calculá-las.
Química

Relação entre Lei de Avogadro e gases

Relação entre volume e número de mol de gases.
Química

Teoria cinética dos gases

Como alterar a energia cinética média de um gás?
Química

Transformação isotérmica ou Lei de Boyle

Uma transformação isotérmica ocorre quando um determinado gás com massa e temperatura constantes sofre variação no seu volume e pressão.
Química

Transformações gasosas

Você conhece as transformações gasosas? Confira aqui o que são transformações isotérmicas, isobáricas, isovolumétricas e adiabáticas!
Química

Volume molar de gases

Determinação do volume ocupado por um mol de qualquer gás.
Química