Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Ovo de Páscoa

Páscoa

PUBLICIDADE

O ovo de Páscoa é um dos grandes símbolos da Páscoa e é bastante comum que as pessoas presenteiem umas às outras com esse item. Na Antiguidade, o ovo era visto como símbolo de fertilidade em diferentes culturas, e muitos decoravam ovos e os usavam como presentes. Os primeiros ovos de chocolate surgiram na França, no século XVIII.

Acesse também: Por que não pode comer carne na Sexta-Feira Santa?

Simbologia do ovo

Ao longo da história, o ovo foi enxergado como um dos mais tradicionais símbolos associados com a fertilidade e com o ciclo e a renovação da vida. Com isso, os ovos de galinha, por exemplo, tornaram-se um item para presentear. Essa associação do ovo com a fertilidade esteve presente nos mais variados povos da Antiguidade.

Em algumas culturas da Antiguidade, o ovo era encarado como um símbolo que representava fertilidade.
Em algumas culturas da Antiguidade, o ovo era encarado como um símbolo que representava fertilidade.

Na Pérsia, por exemplo, era comum que a mesa do jantar fosse decorada com ovos coloridos durante o Noruz, festival que celebrava a passagem de ano na cultura persa. Essa celebração estava ligada com o zoroastrismo, religião popular na Pérsia. Os ovos coloridos que decoravam a mesa de jantar eram consumidos no fim da noite.

Havia também uma forte simbologia dos ovos na cultura chinesa. A mitologia chinesa afirmava que a formação do Universo se deu por meio do nascimento de Pan Ku. Esse deus teria sido formado dentro de um ovo e, ao libertar-se, as partes do ovo teriam formado o Universo. Os romanos, por sua vez, acreditavam que o Universo tinha forma oval.

Na Ucrânia, antes da chegada do cristianismo, os ovos eram considerados uma fonte de vida e entendidos como símbolo do renascimento da vida depois dos rigorosos invernos que atingiam a região. Além disso, os ovos tinham uma associação muito forte com Dazhboh, deus do Sol na mitologia eslava.

Na Europa pagã, ainda existem estudiosos que fazem uma relação dos ovos com Ostara, deus presente na mitologia germânica. O culto a Ostara tinha uma grande relação com a primavera, período em que a vida renasce após um longo inverno. Para celebrar a ocasião, existia uma brincadeira em que crianças procuravam ovos decorados em suas casas.

O grande fator que une alguns dos eventos citados é o equinócio da primavera. Essas celebrações aconteciam próximo a esse momento, que marca o início dessa estação. Como sabemos, o equinócio da primavera no Hemisfério Norte ocorre mais ou menos na mesma época em que a celebração da Páscoa.

Acesse também: Como é a celebração da Páscoa na cultura judaica?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Simbologia cristã do ovo da Páscoa

A relação do ovo com a Páscoa possui certa relação com o cristianismo, uma vez que existem lendas que promovem essa relação do ovo e do coelho com a ressurreição de Jesus. Essas lendas podem nos ajudar a entender um pouco dessa relação do ovo com a Páscoa, embora não seja possível confirmar a veracidade de muitas delas.

Os ortodoxos gregos, por exemplo, narram uma história que envolve Maria Madalena, o imperador romano e uma cesta de ovos. Nessa lenda, Maria Madalena teria ido a Roma contar ao imperador sobre a ressurreição de Cristo. Entretanto, ela teria sido zombada pelo imperador, que falou que a ressurreição de Cristo era tão verdadeira quanto a cor vermelha dos ovos que ela segurava.

Imediatamente os ovos que ela levavam na cesta se tornaram vermelhos, e Maria Madalena teria aproveitado a ocasião para pregar para o imperador romano. Isso fez do ovo um importante símbolo do cristianismo ortodoxo, e sua cor vermelha também simbolizava o sangue de Cristo.

Há também histórias que relacionam o ovo com a tumba de Jesus, pois, o ovo, assim como a tumba, aparenta não possuir vida em seu interior; no entanto, uma vida nasce do ovo, assim como Jesus renasceu de sua tumba.

Decoração de ovos

Os ovos de Fabergé se tornaram uma tradição bastante luxuosa entre os reis russos da dinastia Romanov. [1]
Os ovos de Fabergé se tornaram uma tradição bastante luxuosa entre os reis russos da dinastia Romanov. [1]

A decoração e a associação do ovo com a Páscoa são questões difíceis de serem definidas. Os historiadores não sabem precisar o momento histórico real em que as coisas aconteceram, mas determinados dados podem nos ajudar a ter um panorama melhor sobre essa e outras questões que envolvem a Páscoa.

Primeiramente, foi mencionado neste texto que os persas, por exemplo, decoravam ovos e os colocavam na mesa de jantar durante o Noruz. Já na Ucrânia pré-cristã, o culto a Dazhboh, realizado com o término do inverno, contava com ovos que eram cobertos de cera de abelha e, em seguida, eram decorados.

Entre os povos germânicos, a brincadeira que celebrava a chegada da primavera se realizava com ovos decorados. Outros povos da Antiguidade, como os egípcios, também decoravam ovos e a prática se consolidou na Europa. Em uma região da Inglaterra chamada Lancashite, havia o costume, conhecido como Pace-Egging, de decorar ovos e usá-los como presentes.

Os ortodoxos, como mencionado, em locais como a Grécia, tinham o costume de tingir ovos de vermelho para associá-los com o sangue de Jesus. A prática de decorar ovos foi se espalhando pela Europa a partir da Idade Média. A pintura a mão logo deu espaço para outras formas de decoração, e ovos de porcelana começaram a ser produzidos e enfeitados, por exemplo.

O caso mais simbólico são os ovos de Fabergé, produzidos por Peter Carl Fabergé, um joalheiro russo que produziu ovos luxuosos que contavam com decoração de pedras preciosas. Esses ovos foram produzidos como uma encomenda dos reis russos que pertenciam à dinastia Romanov.

Acesse também: Qual é a origem da figura do Papai Noel?

Chocolate e o ovo de Páscoa

No século XVIII, confeiteiros franceses decidiram fabricar ovos de chocolate e decorar o seu interior com bombons. O costume fez sucesso e se consolidou durante o período da Páscoa, mas nem todos tinham acesso a essa mercadoria, pois, na época, o chocolate e o ovo de Páscoa eram artigos muito caros.

Somente no século XVIII, o ovo de Páscoa começou a ser produzido de chocolate.
Somente no século XVIII, o ovo de Páscoa começou a ser produzido de chocolate.

Com o tempo, o preço do ovo de Páscoa foi se tornando mais acessível e esse item se transformou em um dos artigos mais populares da Páscoa. Atualmente, o comércio do ovo de Páscoa aquece o mercado todos os anos, gerando empregos e movimentando milhões de reais no Brasil e em outros países.

Créditos da imagem:

[1] PhotosMik e Shutterstock


Por Daniel Neves
Professor de História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Ovo de Páscoa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/pascoa/ovo-de-pascoa.htm. Acesso em 01 de agosto de 2021.

Artigos Relacionados
Compreenda como atua o chocolate no organismo e seus benefícios e malefícios.
Acesse este texto e conheça um pouco da história do coelho da Páscoa. Entenda como ele se consolidou enquanto símbolo dessa importante celebração cristã.
Saiba mais sobre o significado e o processo de instituição do Dia da Páscoa!
Conheça as principais características da história da Páscoa e entenda por que essa é uma data de suma importância para o cristianismo.
De onde veio essa cobiçada iguaria do período pascoal?
Saiba mais sobre os ovos de Páscoa da família Romanov e dos costumes da aristocracia russa do século XIX.
Clique no link e saiba mais sobre a Páscoa Cristã, celebração importante do cristianismo que relembra a crucificação, morte e ressurreição de Jesus Cristo.
Acesse e saiba sobre a Páscoa judaica, comemoração milenar que relembra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito. Entenda como os judeus comemoram essa data.
Nesse período as prateleiras dos supermercados ficam recheadas.
Clique no link para saber mais detalhes sobre a Quaresma, uma tradição do cristianismo. Entenda o que representa e quando surgiu.