Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Bernardo Guimarães

Literatura

PUBLICIDADE

Bernardo Guimarães nasceu em 15 de agosto de 1825, em Ouro Preto, Minas Gerais. Estudou na Faculdade de Direito de São Paulo, onde conheceu poetas como Álvares de Azevedo (1831-1852) e experimentou a vida boêmia romântica. De volta a Minas Gerais, trabalhou como juiz e professor.

Seu grande sucesso literário foi o romance A escrava Isaura, publicado, pela primeira vez, em 1875. Dessa forma, tornou-se um dos principais autores de romances regionalistas do romantismo brasileiro, caracterizados pelo exagero sentimental e valorização das paisagens e costumes do interior do Brasil.

Leia também: José de Alencar – o grande romancista do romantismo brasileiro

Biografia de Bernardo Guimarães

Bernardo Guimarães foi um dos principais autores de romances regionalistas do romantismo brasileiro.
Bernardo Guimarães foi um dos principais autores de romances regionalistas do romantismo brasileiro.

Bernardo Guimarães nasceu em 15 de agosto de 1825, em Ouro Preto, Minas Gerais. Seu pai, João Joaquim da Silva Guimarães, escrevia para periódicos do estado, além de ser autor de versos árcades. Ele e sua família se mudaram para Uberaba quando Bernardo tinha quatro anos de idade.

Mais tarde, o jovem escritor Bernardo Guimarães foi morar na cidade de Campo Belo, onde iniciou o curso de humanidades. Com 16 anos, voltou a viver em Ouro Preto. Então, no ano de 1842, participou da Revolução Liberal, possivelmente do lado dos legalistas. Cinco anos depois, em 1847, iniciou seus estudos na Faculdade de Direito de São Paulo.

Nessa cidade, com os escritores Álvares de Azevedo e Aureliano Lessa (1828-1861), além de outros estudantes, em 1849, fundou a famosa Sociedade Epicureia, em cujas reuniões os participantes misturavam orgia e poesia, inspirados no poeta inglês Lord Byron (1788-1824). Sua vida boêmia se encerrou em 1852, quando se formou em Direito.

Nesse mesmo ano, publicou seu primeiro livro de poesias — Cantos da solidão — e ocupou o cargo de juiz municipal e de órfãos na cidade de Catalão, no estado de Goiás, até 1854. Passou então a escrever para periódicos do Rio de Janeiro, para onde se mudou, em 1859, e trabalhou no jornal A Atualidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em 1861, reassumiu seu cargo de juiz em Catalão, até 1864, quando voltou a viver novamente na cidade do Rio de Janeiro. Dois anos depois, retornou a Ouro Preto, onde passou a trabalhar no Liceu Mineiro. Casou-se, em 1867, com Teresa Maria Gomes de Lima, e, logo depois, perdeu o cargo de professor.

Seis anos depois, eles se mudaram para a cidade de Conselheiro Lafaiete (na época, Queluz), em Minas Gerais, onde o escritor ocupou o cargo de professor de latim e francês. Dessa vez, também não teve sucesso, e logo perdeu o emprego. Então, em 1875, publicou seu romance mais famoso — A escrava Isaura — e passou a se dedicar exclusivamente à literatura, até sua morte, em 10 de março de 1884, em Ouro Preto.

  • Academia Brasileira de Letras

Bernardo Guimarães foi escolhido pelo poeta parnasiano Raimundo Correia (1859-1911) para ser o patrono da cadeira número 5 da Academia Brasileira de Letras, instituição fundada em 20 de julho de 1897 e presidida pelo escritor realista Machado de Assis (1839-1908).

Leia também: Olavo Bilac – importante poeta parnasiano brasileiro

Características da obra de Bernardo Guimarães

Bernardo Guimarães foi um dos principais autores de romances regionalistas do romantismo brasileiro. Suas obras, portanto, apresentam as seguintes características:

  • Amor idealizado

  • Mulher idealizada

  • Nacionalismo

  • Exagero sentimental

  • Subjetivismo

  • Teocentrismo

  • Heróis nacionais como homens do campo

  • Descrição de paisagens e personagens típicos do Brasil

  • Apresentação dos costumes da sociedade rural e patriarcal brasileira

Obras de Bernardo Guimarães

  • Cantos da solidão (1852)

  • Inspirações da tarde (1858)

  • A voz do pajé (1860)

  • Poesias diversas (1865)

  • O ermitão de Muquém (1869)

  • Lendas e romances (1871)

  • O garimpeiro (1872)

  • Histórias e tradições da província de Minas Gerais (1872)

  • O seminarista (1872)

  • O índio Afonso (1872)

  • A escrava Isaura (1875)

  • Novas poesias (1876)

  • Maurício ou Os paulistas em São João del-Rei (1877)

  • A ilha maldita ou A filha das ondas (1879)

  • O pão de ouro (1879)

  • Folhas de outono (1883)

  • Rosaura, a enjeitada (1883)

  • O bandido do Rio das Mortes (1904)

A escrava Isaura

Capa do livro “A escrava Isaura”, de Bernardo Guimarães, publicado pela editora FTD.[1]
Capa do livro “A escrava Isaura”, de Bernardo Guimarães, publicado pela editora FTD.[1]

A escrava Isaura, romance mais famoso de Bernardo Guimarães, conta a história de Isaura, uma escravizada branca, mas que possui uma pinta preta no rosto, sinal de sua origem. Filha de um homem branco, o feitor Miguel, e de Juliana, uma mulher negra e escravizada, Isaura nasceu sob a mesma condição da mãe.

A dona da fazenda (casada com o comendador Almeida e mãe de Leôncio) cria Isaura na casa grande, como se fosse uma filha. Desse modo, a protagonista tem a educação reservada a uma moça rica e branca da época. Contudo, após a morte dos pais, Leôncio se torna o proprietário de Isaura.

Leôncio, um dos vilões mais perversos da literatura brasileira, deseja sexualmente Isaura, mas, apesar de ser agora o seu dono, quer que ela se dê a ele por vontade própria. Entretanto, Isaura é uma heroína idealizada, recatada e virgem. Assim, com Miguel, ela foge para o Recife.

Ali, ela vive como se fosse livre, pois ninguém sabe de sua origem, e conhece Álvaro, um jovem rico e abolicionista. No entanto, Leôncio consegue capturar Isaura. Então, Álvaro, o herói da história, vai fazer de tudo para que sua amada seja libertada e para que, enfim, eles tenham o tão esperado final feliz.

Acesse também: Iracema – famoso romance indianista de José de Alencar

Curiosidades sobre Bernardo Guimarães

  • Bernardo Guimarães era tio-avô do escritor Alphonsus de Guimaraens (1870-1921).

  • Em 1881, Dom Pedro II (1825-1891) visitou Minas Gerais e manifestou o desejo de conhecer o autor de A escrava Isaura. Assim, Bernardo Guimarães foi recebido entusiasticamente pelo monarca.

  • Uma das filhas do autor, Constança (1871-1888), foi a famosa noiva de Alphonsus de Guimaraens e morreu com apenas 17 anos de idade, o que marcou a vida e a poesia desse poeta simbolista.

  • Bernardo Guimarães também escreveu poesias satírico-pornográficas, como “O elixir do pajé” e “A origem do mênstruo”.

  • Teresa Guimarães, viúva do autor, foi responsável pela edição e publicação póstuma da obra O bandido do Rio das Mortes.

  • Em 1976, estreou, na Rede Globo, a telenovela Escrava Isaura, uma adaptação do romance de Bernardo Guimarães. Ela foi exibida, com enorme sucesso, em dezenas de países.

Crédito da imagem

[1] Editora FTD (reprodução)

 

Por Warley Souza
Professor de Literatura

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Bernardo Guimarães"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/bernardo-guimaraes.htm. Acesso em 07 de dezembro de 2021.

Artigos Relacionados
Clique aqui e saiba quem foi Casimiro de Abreu. Leia um pouco sua trajetória de vida, conheça suas características literárias. Veja quais são suas obras.
Saiba mais sobre o poeta abolicionista que escreveu "O navio negreiro".
Conheça o escritor romântico Fagundes Varela. Saiba quais são as características de suas obras. Além disso, veja uma análise de seu poema “Cântico do calvário”.
Saiba quem foi o escritor romântico Franklin Távora. Veja quais são as principais características de suas obras. Além disso, conheça o seu romance mais famoso.
Saiba quem é o escritor Gonçalves Dias e entenda as características de suas principais obras. Veja também uma análise do seu poema nacionalista Canção do exílio.
O Clique aqui e conheça a vida e a obra de Joaquim Manoel Macedo!
Conheça mais sobre a vida do escritor José de Alencar, um dos mais importantes autores da literatura brasileira. Saiba quais temáticas ele abordou em sua obra.
O autor de Memórias de um Sargento de Milícias!
Saiba quem foi Maria Firmina dos Reis. Entenda o contexto histórico em que ela viveu. Conheça as características literárias de sua obra.
Martins Pena ofereceu uma identidade para o teatro brasileiro. Confira!