Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Vícios de linguagem

Gramática

Vícios de linguagem são desvios não intencionais das regras gramaticais da língua. Esses vícios podem criar problemas ou causar algum tipo de estranhamento no enunciado.
Os vícios de linguagem são desvios não intencionais da norma-padrão do idioma.
Os vícios de linguagem são desvios não intencionais da norma-padrão do idioma.
PUBLICIDADE

Vícios de linguagem são desvios gramaticais que um falante comete de maneira não intencional. Esses desvios ocorrem por falta de conhecimento ou atenção e costumam causar problemas na comunicação. Eles podem estar relacionados ao significado ou ao som das palavras, mas também podem ser estruturais.

Leia também: Os cinco erros mais cometidos por redatores

Resumo sobre vícios de linguagem

  • Vícios de linguagem são desvios da norma gramatical cometidos de maneira não intencional.

  • Eles por vezes causam problemas na mensagem: falta de clareza ou ruídos na comunicação.

  • Podem estar relacionados: ao significado das palavras; ao som e à estrutura das palavras; à estrutura do enunciado.

  • Não devem ser confundidos com as figuras de linguagem.

  • Entre os principais vícios, temos: solecismo, barbarismo, estrangeirismo, pleonasmo vicioso, ambiguidade, cacofonia e arcaísmo.

Videoaulas sobre vícios de linguagem

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que são vícios de linguagem?

Vícios de linguagem são desvios não intencionais da norma gramatical, ou seja, quando um falante se expressa de maneira não aceita pela norma-padrão de sua língua, o que acaba gerando problemas na comunicação. Esses problemas podem estar relacionados à semântica (ou seja, ao significado das palavras), à fonética (isto é, ao som das palavras) ou à sintaxe (que seria a estrutura do enunciado, a ordem dos elementos que compõem o discurso).

Eles não devem ser confundidos com as figuras de linguagem, que são técnicas estilísticas para gerar efeitos de sentido no discurso. Algumas figuras de linguagem também apresentam desvio da norma gramatical, mas essa característica é adotada de maneira intencional, ao contrário dos vícios de linguagem. Acompanhe a discussão desse tema também em nosso podcast: Vícios de linguagem.

Classificação dos vícios de linguagem

  • Solecismo

O solecismo é o tipo de desvio caracterizado por erros de sintaxe no enunciado, ou seja, maneiras inapropriadas de construir um trecho ou de apresentar os elementos que compõem o enunciado. Muitas vezes, o solecismo se destaca pela falta de concordância, por desvios de regência e de colocação pronominal.

Concordância

“Comprei vários lanche no restaurante.”

em vez de

“Comprei vários lanches no restaurante.”

Regência

“Fui no shopping ontem.”

em vez de

“Fui ao shopping ontem.”

Colocação pronominal

“Eles não confirmaram-me isso.”

em vez de

“Eles não me confirmaram isso.”

  • Barbarismo

O barbarismo ocorre quando uma palavra não é usada de acordo com a norma-padrão. Nesse caso, o desvio pode ser fonético (de som e pronúncia), ortográfico (de escrita) ou semântico (de sentido).

Fonético

  • Alteração de sílaba tônica na pronúncia do vocabulário. Exemplo: “corde” em vez de “recorde”.

  • Alteração na pronúncia de fonemas do vocabulário. Exemplo: “adevogado” em vez de “advogado”.

Ortográfico

“caza”
em vez de
“casa”

“proporam”
em vez de
“propuseram”

Semântico

Confundir o significado de palavras diferentes. Exemplo:

“O acidente era eminente.”

em vez de

“O acidente era iminente.”

  • Videoaula sobre barbarismo e solecismo

  • Estrangeirismo

Estrangeirismo é o uso exagerado de palavras, expressões e construções típicas de idiomas estrangeiros. Apesar de ser natural a apropriação de vocabulários estrangeiros, o uso frequente e exagerado deles é tido como um vício de linguagem, principalmente quando há sinônimos do estrangeirismo no próprio idioma do falante.

“Esse boy se acha tão cool, mas é muito cringe, além de fazer umas makes péssimas!”

  • Pleonasmo vicioso

O pleonasmo vicioso é uma redundância não intencional que ocorre quando se usam expressões que causam a repetição desnecessária de uma mesma ideia. Veja alguns exemplos comuns e que costumam passar despercebidos na oralidade:

“Entrar para dentro”

“Sair para fora”

“Subir para cima”

“Descer para baixo”

“Elo de ligação”

“Ganhar grátis”

  • Videoaula sobre pleonasmo vicioso

  • Ambiguidade

A ambiguidade é o desvio caracterizado pela duplicidade de sentido de um enunciado muitas vezes mal estruturado ou dito e escrito de maneira pouco precisa. Nos casos de ambiguidade como vício de linguagem, essa duplicidade ocorre de modo não intencional e atrapalha a comunicação. Veja um exemplo:

“Ela estava com a amiga quando souberam que havia um incêndio em sua casa.”

Houve um incêndio na casa de quem? Do sujeito “ela”, da “amiga” ou do interlocutor com quem se está falando?

  • Videoaula sobre ambiguidade

  • Cacofonia

A cacofonia está relacionada ao som desagradável ou indesejado gerado pela sequência de duas ou mais palavras. Como vício de linguagem, esse som não é gerado de maneira proposital, o que gera ruído e impacto negativo na comunicação. Veja exemplos:

“A crítica dela foi bem embasada.”

“Uma mão vai na cabeça.”

Há alguns tipos específicos de cacofonia:

  • Eco: uso excessivo de palavras com terminações iguais ou parecidas. Ex.: “No portão, não há oração e nem irmão oferecendo pão.”

  • Hiato: sequência repetitiva de vogais, de modo a causar um som estranho ou desagradável. Ex.: “Eu o ouvi mais cedo.”

  • Colisão: sequência repetitiva de consoantes, de modo a causar um som estranho ou desagradável. Ex.: “É muita maldade mandar o menino se mudar mensalmente.”

  • Videoaula sobre cacofonia

  • Arcaísmo

O arcaísmo consiste no uso de vocábulos e expressões considerados arcaicos, que caíram em desuso na língua. Muitas vezes, o arcaísmo pode nem mesmo ser compreendido no enunciado, como usar “físico” no lugar de “médico” ou mesmo “coita” em vez de “dor”.

Confira também no nosso podcast: 5 dúvidas frequentes de língua portuguesa

Exercícios resolvidos

Questão 1

(Consesp) Assinale a alternativa em que não se verifica pleonasmo (vicioso ou estilístico).

A) É preciso encarar de frente os problemas da vida.

B) Vi com os olhos os preços dos remédios na tabuleta.

C) Chorei aquelas lágrimas terríveis e doloridas.

D) A brisa matinal da manhã soprou calma como nunca.

E) Pus fogo no monte de lenha.

Resolução

Alternativa E. Não há termos redundantes nesse enunciado, ao contrário do que se observa nas demais alternativas: “encarar de frente”; “vi com os olhos”; “chorei lágrimas”; “matinal da manhã”.

Questão 2

(FCC) A frase que não apresenta ambiguidade é:

A) O coordenador informou ao grupo que sua proposta não tinha sido aceita.

B) A briga entre Pedro e Miguel foi séria, por isso lhe disse que era melhor não insistir na viagem.

C) De presente de aniversário, a menina pediu muito ousada fantasia de fada.

D) Ator e diretor se desentenderam, mas, posteriormente, o ator reconheceu suas próprias falhas.

E) Maria assinou o projeto e o orçamento, cujo prazo de entrega estava se esgotando.

Resolução

A alternativa D não apresenta nenhuma ambiguidade.


Por Guilherme Viana
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Vícios de linguagem"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/vicios-linguagem.htm. Acesso em 27 de setembro de 2021.

Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios
Questão 1

(FEI-SP) Identifique a alternativa em que ocorre um pleonasmo vicioso:

a) Ouvi com meus próprios ouvidos.
b) A casa, já não há quem a limpe.
c) Para abrir a embalagem, levante a alavanca para cima.
d) Bondade excessiva, não a tenho.
e) N.D.A.

Questão 2

Diante dos enunciados que seguem, analise-os, apontando qual o vício de linguagem predominante nestes:

a – Peguei o ônibus correndo.
b – Por estar inconsciente, não entendi o que realmente quis dizer. Contudo,  possivelmente conversaremos depois. 
c – Aquele ambiente é bastante aconchegante, que tal fazermos um happy-hour, ou talvez um breakfast?
d – Na geladeira há sanduiches de mortandela, coloque-os na bandeija e sirva aos convidados.
e – Durante o evento, não vi ela nem um instante.
f – Suba lá em cima e pegue as encomendas para mim.

Mais Questões
Artigos Relacionados
Quer saber quais são as diferenças entre neologismo e estrangeirismo? Clique e aprenda com o Brasil Escola!
Interaja mais sobre os recursos expressivos da linguagem literária!
Conheça as diferentes subdivisões, classificações, das figuras de linguagem e exemplos de como utilizá-las.
Linguagem e cultura em movimento: Saiba mais sobre o interessante universo das gírias!
Texto e discurso: Você sabe o que é tautologia? Clique e saiba como melhorar seus textos escritos.
Aprimore seus conhecimentos em relação a este fato!
Saiba quais são os pleonasmos viciosos mais comuns da língua portuguesa e deixe de cometer esses desvios gramaticais!
Acesse para entender o que é preconceito linguístico, sua definição segundo o professor, linguista e filólogo Marcos Bagno, suas causas, suas consequências para a sociedade, sua relação com outros preconceitos (como o regional, o cultural e o social), como combatê-lo, a adequação linguística e como ele se manifesta nas diferentes regiões e classes sociais.
Você já ouviu falar da Silabada? Acesso para entender esse vício de linguagem!
Identifique os tipos de variação linguística. Conheça o porquê de sua existência e saiba qual é a importância desse fenômeno.