Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Estrangeirismo

Estrangeirismo é o uso de termos ou expressões estrangeiras que se configura como um vício de linguagem se usado excessivamente.

Jovem estudando ao fundo de uma imagem que possui foco em várias bandeiras de países.
O estrangeirismo é decorrente da influência de uma língua sobre outra.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Estrangeirismo é um fenômeno linguístico caraterizado pela apropriação de uma palavra ou expressão estrangeira. Mas se tal apropriação for desnecessária ou excessiva, esse fenômeno se torna um vício de linguagem. No português brasileiro, são bastante comuns os anglicismos, como e-mail, por exemplo.

Leia também: Quais são os processos de formação de palavras?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre estrangeirismo

  • O estrangeirismo está relacionado à utilização de palavras ou expressões estrangeiras.

  • No português brasileiro, a maior parte dos estrangeirismos é de origem inglesa.

  • O estrangeirismo ocorre quando duas ou mais línguas entram em contato.

  • O neologismo é um fenômeno caracterizado pela criação de uma nova palavra, que pode ocorrer por meio de elementos da própria língua (“ficar”) ou mesmo da transformação de uma palavra estrangeira (“linkar”).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é estrangeirismo?

O estrangeirismo se refere ao uso de palavras ou expressões estrangeiras na comunicação. Ele só se justifica quando não há uma palavra equivalente na língua do enunciador.

Assim, o uso desnecessário ou excessivo de estrangeirismos se configura em um vício de linguagem.

Exemplos de estrangeirismo

Estrangeirismo

Tradução aproximada

Origem

Apartheid

segregação racial

inglês

Bacon

toucinho

inglês

E-mail

correio eletrônico

inglês

Fast-food

comida rápida

inglês

Feedback

resposta

inglês

Frisson

impacto

francês

Gauche

acanhado

francês

Gentleman

cavalheiro

inglês

Hall

saguão

inglês

Internet

rede mundial de computadores

inglês

Lady

dama

inglês

Laptop

microcomputador portátil

inglês

Mise-en-scène

encenação

francês

Notebook

microcomputador portátil

inglês

Office-boy

contínuo

inglês

Outdoor

cartaz

inglês

Pedigree

linhagem

inglês

Personal trainer

treinador pessoal

inglês

Show

espetáculo

inglês

Videogame

videojogo

inglês

Estrangeirismo na língua portuguesa

Os estrangeirismos não são privilégio da língua portuguesa. Todas as línguas sofrem influências de línguas estrangeiras e, portanto, também assistem a esse fenômeno. O que vai diferenciar os estrangeirismos de um país para o outro é a sua origem. Nesse ponto, estamos diante de uma questão política, econômica e cultural.

No século XIX e até o início do século XX, os estrangeirismos mais comuns na língua portuguesa do Brasil eram os galicismos ou francesismos. A partir de meados do século XX até os dias atuais, se tornou abundante o uso de estrangeirismos de origem inglesa, os anglicismos.

Isso se deve, obviamente, à influência cultural, política e econômica que os Estados Unidos exercem no Brasil durante todo esse tempo. Daí a preocupação de certos estudiosos da língua com o uso excessivo de estrangeirismos, já que, simbolicamente, eles ameaçam a língua e, portanto, a cultura nacional.

Origem do estrangeirismo

Ilustração das mãos de várias pessoas levantadas e pintadas com as estampas das bandeiras de vários países.
O estrangeirismo é resultado do contato entre os idiomas.

O estrangeirismo é um fenômeno linguístico que tem origem no contato entre duas ou mais línguas. Ele é determinado também por um contexto sociopolítico, já que os estrangeirismos usados, normalmente, são originários de país que exerce alguma influência cultural sobre outro. Desse modo, os estrangeirismos léxicos são palavras de origem estrangeira escritas e pronunciadas como tal (bacon, por exemplo).

Alguns deles, no entanto, são assimilados pela língua (aportuguesados, no contexto brasileiro) e, apesar da origem histórica, deixam de ser, na prática, identificados como tal, como é o caso da palavra “detalhe”, do francês détail. Afinal, a língua portuguesa é originária do latim, além de ter sofrido influência do grego. E o português falado no Brasil também possui palavras de origem indígena e africana.

Veja também: Palavras cognatas — palavras que possuem uma mesma raiz e uma mesma origem etimológica

Vantagens e desvantagens do estrangeirismo

O estrangeirismo como vício de linguagem não apresenta vantagem, já que apenas é usado para incorporar à língua que o recebe uma palavra estranha e não necessária, uma vez que já existe um termo equivalente nessa língua. Dependendo da “popularidade” desse estrangeirismo, ele pode acabar substituindo o termo nacional.

Quando não existe um termo equivalente na língua receptora, o estrangeirismo é vantajoso. Afinal, permite aos usuários dessa língua expressarem novas ideias. Por exemplo, a palavra “futebol” é de origem inglesa (football). Apesar de o Brasil ser considerado “o país do futebol”, foi da Inglaterra que importamos esse esporte.

Diferenças entre estrangeirismo e neologismo

Neologismo é uma nova palavra, criada para atender às necessidades de comunicação dos usuários de uma língua. Ele pode ser formado a partir de termo, prefixo ou sufixo já existentes no idioma. Assim, um vocábulo já existente pode, inclusive, adquirir um novo significado. É o caso do neologismo “laranja”, isto é, pessoa cujo nome é usado para encobrir crime de outrem.

Ele também pode ser originário da adaptação de uma palavra estrangeira. Um exemplo é o neologismo “linkar” ou “lincar”, derivado do vocábulo link, um substantivo inglês que, acrescido do sufixo -ar, se transforma em um verbo em português.

Já o estrangeirismo não é uma nova palavra, pois ele é inserido na língua receptora com grafia e significado originais. Ambos os fenômenos enriquecem a língua, já que permitem que seus usuários possam se comunicar de forma eficiente.

 

Por Warley Souza
Professor de Literatura

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Estrangeirismo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/estrangeirismos.htm. Acesso em 23 de abril de 2024.

De estudante para estudante