Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Insuficiência cardíaca

A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração não consegue bombear o sangue de forma eficaz. Estima-se que 26 milhões de pessoas no mundo lidem com essa condição.

Homem com a mão no peito com sintoma de insuficiência cardíaca.
A insuficiência cardíaca é uma doença do sistema cardiovascular.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A insuficiência cardíaca congestiva, ou apenas insuficiência cardíaca, é uma condição na qual o coração não consegue bombear sangue de forma eficaz, levando ao acúmulo de fluidos nos pulmões e outras partes do corpo. Suas causas incluem cardiomiopatia, pressão arterial elevada e problemas cardíacos congênitos. Fatores como tabagismo e consumo de álcool também podem contribuir. Os sintomas abrangem fadiga, falta de ar, inchaço nas pernas e tornozelos, além de tosse persistente.

O diagnóstico envolve exames como ecocardiograma e exames de sangue. O tratamento inclui mudanças no estilo de vida, controle de doenças subjacentes, medicamentos para melhorar a função cardíaca e, em casos graves, intervenções cirúrgicas, como transplante de coração. O acompanhamento adequado pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes e minimizar complicações.

Leia também: Quais são os sintomas de um infarto?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre insuficiência cardíaca

  • A insuficiência cardíaca é uma condição que ocorre quando o coração não consegue bombear sangue de forma eficaz.

  • Suas causas incluem doença arterial coronariana, cardiomiopatia, pressão arterial elevada, diabetes e fatores de estilo de vida como tabagismo e consumo de álcool.

  • Os sintomas incluem dor no peito, fadiga, falta de ar, presença de edemas e tosse persistente.

  • A insuficiência cardíaca é dividida em quatro estágios, os quais requerem diferentes cuidados.

  • O diagnóstico utiliza exames de sangue e de imagem para avaliar a função cardíaca e identificar possíveis causas subjacentes.

  • O tratamento abrange mudanças no estilo de vida, controle de doenças associadas, medicamentos para melhorar a função cardíaca e, em situações graves, procedimentos cirúrgicos como transplante cardíaco.

O que é insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca congestiva, também conhecida apenas como insuficiência cardíaca, é uma condição crônica na qual o coração não consegue bombear sangue de maneira eficiente para atender às demandas do corpo. Nesse cenário, o coração permanece ativo, porém enfrenta dificuldades em gerenciar e adequar-se à quantidade necessária de sangue, resultando no acúmulo desse fluido em outras partes do corpo.

Essa condição continua a ser prevalente em âmbito global, acarretando elevadas taxas de morbidade e mortalidade. Estimativas indicam que cerca de 26 milhões de pessoas são afetadas em todo o mundo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como um coração saudável funciona?

O coração, um órgão muscular oco, apresenta um tamanho próximo ao de um punho e um peso médio de cerca de 300g. Integra o sistema cardiovascular e desempenha um papel fundamental no organismo: bombear a quantidade adequada de sangue para todos os cantos do corpo. Sua estrutura engloba quatro câmaras distintas, sendo dois compartimentos superiores conhecidos como átrios e dois inferiores conhecidos como ventrículos.

O átrio direito é responsável por receber sangue pobre em oxigênio proveniente do restante do corpo e impulsioná-lo através do ventrículo direito até os pulmões, onde ocorre a oxigenação. O sangue enriquecido com oxigênio retorna dos pulmões para o átrio esquerdo e, posteriormente, é direcionado para o ventrículo esquerdo, responsável por bombeá-lo para todas as partes do organismo.

Para garantir o ritmo adequado, é importante que essas quatro câmaras batam de forma coordenada. Um coração saudável detém a capacidade de bombeamento que atende as necessidades básicas da circulação sanguínea, assegurando assim um adequado fluxo do sangue pelo corpo. Saiba mais sobre o funcionamento do coração clicando aqui.

Sistema cardiovascular, parte comprometida pela insuficiência cardíaca.
Um coração saudável bombeia sangue para todo o organismo.

Causas da insuficiência cardíaca

As causas da insuficiência cardíaca são diversas, incluindo:

  • doença arterial coronariana (obstrução das artérias coronárias, vasos responsáveis por irrigar o músculo do coração);

  • ataque cardíaco (morte das células de uma região do músculo do coração);

  • doença cardíaca congênita (problemas cardíacos presentes desde o nascimento);

  • cardiomiopatia (conjunto de doenças que atingem o músculo cardíaco, podendo ser genéticas ou virais);

  • diabetes;

  • arritmia (batimento cardíaco irregular, muito rápido ou muito lento);

  • doença renal;

  • hipertensão (pressão arterial elevada);

  • consumo excessivo de álcool e tabaco.

Veja também: Quais são as principais causas de morte no mundo?

Como o organismo busca compensar a diminuição do fluxo sanguíneo?

No estágio inicial da doença, o coração procura superar a dificuldade de bombear o sangue pelo corpo mediante uma expansão mais significativa, alongando-se para contrair com maior vigor e atender à demanda de bombeamento sanguíneo do corpo. Com o passar do tempo, esse esforço resulta no aumento das dimensões do coração.

Coração normal e coração aumentado devido à insuficiência cardíca.
Um dos resultados da tentativa do coração compensar a dificuldade em bombear o sangue é o aumento da sua dimensão.

Uma outra estratégia geralmente adotada é o aumento da massa muscular cardíaca, o que aumenta a força de bombeamento do coração. Nesse contexto, o crescimento da massa muscular está associado ao aumento das células contráteis do órgão. Outro mecanismo envolve o aumento da frequência cardíaca.

O corpo como um todo também se engaja. Os vasos sanguíneos se contraem para preservar a pressão arterial elevada, como uma tentativa de compensar a redução da potência cardíaca. Os rins, por sua vez, passam a reter maior quantidade de sal e água, ao invés de excretá-los na urina.

Isso resulta em um aumento do volume sanguíneo, que contribui para a manutenção da pressão arterial e, assim, para o coração a bombear com mais eficácia. Entretanto, ao longo do tempo, esse excesso de volume pode sobrecarregar o coração, agravando a insuficiência cardíaca.

Quais são os sintomas de insuficiência cardíaca?

Os sintomas da insuficiência cardíaca variam de leves a graves, podendo ser intermitentes. Os principais sintomas da insuficiência cardíaca são:

  • Falta de ar, sendo esse o sintoma mais comum da doença, principalmente durante atividades físicas e ao dormir.

  • Dor no peito.

  • Palpitações devido ao aumento da frequência cardíaca para compensar o bombeamento.

  • Fadiga durante atividade física, um sintoma que piora com o tempo, sendo difícil até mesmo desenvolver atividades básicas como tomar banho.

  • Inchaço no abdômen, tornozelos e pernas e ganho de peso devido ao acúmulo de líquido nos tecidos (edema), o que leva a aumento de peso.

  • Dor no abdômen devido ao acúmulo de líquido na região, principalmente no fígado e no sistema digestório.

  • Perda de apetite e náuseas, uma vez que a doença afeta o funcionamento adequado do sistema digestório.

  • Tosse seca e persistente devido ao acúmulo de líquido no pulmão.

Os sintomas da insuficiência cardíaca podem atingir diferentes regiões do corpo.
Os sintomas da insuficiência cardíaca podem atingir diferentes regiões do corpo.

Em geral, essa condição tende a piorar com o tempo, tornando os sintomas iniciais mais intensos e levando a outras complicações, como:

  • batimento cardíaco irregular;

  • parada cardíaca súbita;

  • hipertensão pulmonar;

  • lesão nos rins;

  • desnutrição;

  • problemas nas válvulas cardíacas;

  • lesão no fígado.

Quais são os estágios da insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca é uma enfermidade que se agrava progressivamente. Conforme sua evolução ocorre, o coração reduz ainda mais sua eficácia em impulsionar o fluxo sanguíneo pelo corpo. Esse mal é caracterizado por quatro estágios distintos:

  • Estágio A: configura-se como um estágio pré-insuficiência cardíaca, indicando que o indivíduo apresenta um elevado risco de desenvolver a doença. Tal risco deriva de antecedentes familiares positivos para a condição e da presença de condições médicas como hipertensão, diabetes, cardiomiopatia, doença arterial coronariana, febre reumática, entre outras. Além disso, fatores como histórico de consumo de álcool e utilização de certos medicamentos, como os usados no tratamento de câncer, também são considerados na categorização dos pacientes nesse estágio.

  • Estágio B: esse estágio também é enquadrado como um estágio pré-insuficiência cardíaca. Nesse cenário, o ventrículo esquerdo não funciona adequadamente e/ou manifesta anormalidades estruturais. No entanto, sintomas da doença ainda não são evidentes.

  • Estágio C: caracteriza-se como a fase sintomática da insuficiência cardíaca. Indivíduos nesse estágio recebem diagnóstico confirmatório para a doença e manifestam sintomas relacionados à condição.

  • Estágio D: engloba os pacientes que se encontram em um estágio avançado da insuficiência cardíaca, apresentando sintomas severos que não respondem ou melhoram com tratamentos convencionais.

Diagnóstico de insuficiência cardíaca

O diagnóstico da insuficiência cardíaca envolve a integração do exame clínico com a avaliação dos sintomas, estilo de vida e histórico familiar do paciente, além de exames de imagem e análises sanguíneas. Entre os exames utilizados estão o eletrocardiograma, a tomografia computadorizada cardíaca, o ecocardiograma, a ressonância magnética cardíaca, o raio X do tórax e a cintilografia de aquisição múltipla.

Essa abordagem abrangente auxilia na identificação da presença da doença, bem como na determinação do estágio e da causa subjacente que enfraqueceu ou tornou rígido o músculo cardíaco.

Tratamento da insuficiência cardíaca

O tratamento necessário dependerá tanto do estágio da insuficiência cardíaca como das causas que levaram a essa condição. O objetivo principal do tratamento consiste em impedir a progressão do paciente para estágios mais avançados da doença, uma vez que a regressão de estágios não é possível.

Nas fases iniciais, o protocolo terapêutico geralmente consiste em uma combinação de alterações no estilo de vida e administração de medicamentos. É recomendado adotar práticas saudáveis, incluindo a prática de exercícios físicos moderados e supervisionados, a adesão a um programa de tratamento cardiovascular e a redução da ingestão de sódio, álcool e tabaco. Distintas classes de medicamentos estão à disposição, variando de acordo com as necessidades individuais do paciente, como vasodilatadores e betabloqueadores.

À medida que a doença progride para estágios mais avançados e o tratamento convencional se mostra insuficiente, pode ser considerada a opção do transplante cardíaco. Essa intervenção envolve a substituição do coração disfuncional por um coração saudável proveniente de um doador.

Operação em um coração com insuficiência cardíaca.
O transplante de coração pode ser recomendado em estágios avançados da insuficiência cardíaca.

Tipos de insuficiência cardíaca

A insuficiência cardíaca pode ocorrer no ventrículo esquerdo ou no ventrículo direito:

  • Insuficiência cardíaca ventricular esquerda: ocorre quando o lado esquerdo precisa trabalhar com mais esforço para bombear a mesma quantidade de sangue. Ela é dividida em insuficiência sistólica e diastólica. Na insuficiência sistólica, o ventrículo esquerdo perde sua capacidade de contrair normalmente e não tem força para empurrar sangue suficiente para o restante do corpo. Já na insuficiência diastólica, o ventrículo esquerdo perde sua capacidade de relaxamento das câmaras cardíacas e não consegue se encher adequadamente de sangue durante o período de repouso entre cada batimento. Em ambos os casos, há uma diminuição na porcentagem de sangue que o coração bombeia. Um coração normal bombeia 55 a 60% do sangue contido nele. Na insuficiência sistólica e diastólica há uma redução para 40% e 50%, respectivamente.

Tipos de insuficiência cardíaca.
A insuficiência cardíaca ventricular esquerda pode ser sistólica ou diastólica.
  • Insuficiência cardíaca ventricular direita: normalmente ocorre como resultado da falha do lado esquerdo. Quando o ventrículo esquerdo falha e não consegue bombear sangue suficiente para fora, a pressão do fluido aumenta e retorna pelos pulmões, danificando o lado direito do coração. Quando o lado direito perde sua capacidade de bombeio, o sangue se acumula nas veias do corpo.

A insuficiência cardíaca tem cura?

A insuficiência cardíaca é uma condição crônica, exigindo tratamento ao longo de toda a vida. Contudo, com os cuidados apropriados, na maioria dos casos, é possível desfrutar de uma vida com poucas restrições. O prognóstico, que avalia a evolução de uma condição médica, depende de vários fatores, incluindo a gravidade dos sintomas, a funcionalidade do músculo cardíaco, a resposta ao tratamento e a aderência ao plano de reabilitação cardiovascular.

Saiba mais: Quais órgãos podem ser doados?

Fatores de risco para insuficiência cardíaca

Os fatores de risco associados à insuficiência cardíaca compreendem:

  • uso de tabaco, álcool e outras drogas;

  • estilo de vida sedentário;

  • consumo de alimentos ricos em sal e gordura;

  • histórico de ataque cardíaco;

  • histórico familiar de insuficiência cardíaca;

  • hipertensão arterial;

  • presença de doença arterial coronariana;

  • idade acima de 65 anos.

Prevenção da insuficiência cardíaca

Embora haja fatores de risco que não são possíveis alterar, como idade e predisposição genética, é possível adotar modificações no estilo de vida que reduzam a probabilidade de desenvolver insuficiência cardíaca. Algumas medidas incluem:

  • incorporar a prática regular de Exercícios físicos;

  • reduzir ou evitar o consumo de álcool, tabaco e outras substâncias nocivas;

  • evitar o consumo excessivo de sal, gordura e alimentos ultraprocessados;

  • gerenciar o estresse;

  • cuidar de outras condições médicas que possam contribuir para o desenvolvimento da insuficiência cardíaca.

Fontes

AMERICAN HEART ASSOCIATION. Types of Heart Failure. In: American Heart Association. Disponível em: https://www.heart.org/en/health-topics/heart-failure/what-is-heart-failure/types-of-heart-failure.

ARRIGO, M. et al. Acute heart failure. Nat Rev Dis Primers. 2020. 6: 16.

CLEVELAND CLINIC. Understanding Heart Failure. In: Cleveland Clinic. Disponível em: https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/17069-heart-failure-understanding-heart-failure.

EQUIPE PORTAL DRAUZIO VARELLA. Insuficiência cardíaca congestiva: sintomas, causas e tratamentos disponíveis. In: Site Drauzio Varella. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/cardiovascular/insuficiencia-cardiaca-congestiva-sintomas-causas-e-tratamentos-disponiveis/.

INAMDAR, A.A. & INAMDAR, A.C. Heart Failure: Diagnosis, Management and Utilization. J Clin Med. 2016. 5(7):62.

JUNQUEIRA, L.C.U. & CARNEIRO, J. Histologia Básica. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. 558 p.

KEMP, C.D. & CONTE, J.V. The pathophysiology of heart failure. Cardiovasc Pathol. 2012. 21(5): 365-71.

KING, M. et al. Diagnosis and evaluation of heart failure. Am Fam Physician. 2012. 85(12): 1161-8.

MALIK, A. et al. Congestive Heart Failure. In: StatPearls. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing. 2022. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK430873/.

SERVIÇOS E INFORMAÇÕES DO BRASIL. Tratamento de insuficiência cardíaca. In: gov.br. Disponível em:https://www.gov.br/pt-br/servicos-estaduais/tratamento-de-insuficiencia-cardiaca-1#:~:text=A%20insufici.

SWEDBERG, K. Heart failure subtypes: Pathophysiology and definitions. Diabetes Research and Clinical Practice. 2021. 75: 108815.

Escritor do artigo
Escrito por: Heloísa Fernandes Flores Bacharela, licenciada e mestre em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é doutoranda em Entomologia e cursa uma especialização em Gestão Escolar na mesma instituição. Desenvolve pesquisas com análise de conteúdo de livro didático e evolução de insetos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FLORES, Heloísa Fernandes. "Insuficiência cardíaca"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/insuficiencia-cardiaca.htm. Acesso em 13 de junho de 2024.

De estudante para estudante