Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Pressão arterial

A pressão arterial diz respeito à pressão que o sangue faz na parede das artérias. Aumentos permanentes nos valores de pressão arterial podem provocar complicações.

Monitor de pressão arterial colocado no braço de um paciente.
A pressão arterial é registrada por dois números, o primeiro se refere à pressão sistólica, o segundo, à pressão diastólica.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A pressão arterial é a pressão que o sangue exerce sobre as paredes das artérias. A pressão sistólica trata-se da pressão observada quando o coração se contrai durante a sístole ventricular. Já a pressão diastólica é aquela observada no momento da diástole.

A pressão arterial é registrada por dois números, os quais são separados por uma barra (120/80 mmHg). O primeiro número diz respeito à pressão sistólica, enquanto o segundo se refere à pressão diastólica. Valores permanentemente elevados de pressão arterial podem indicar um caso de hipertensão. A hipertensão arterial é um problema grave de saúde que pode até mesmo levar o indivíduo à morte.

Leia também: Como saber qual o peso ideal do corpo?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre pressão arterial

  • A pressão arterial é a pressão que o sangue exerce sobre as paredes das artérias.

  • Considera-se como pressão arterial normal aquela que apresenta valor inferior a 85 mmHg de pressão diastólica e inferior a 130 mmHg de pressão sistólica.

  • Quando os valores estão permanentemente elevados acima dos limites de normalidade, dizemos que há um caso de hipertensão arterial.

  • A hipertensão está relacionada com a ocorrência de problemas como acidente vascular cerebral, infarto e insuficiência renal.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é pressão arterial?

A pressão arterial pode ser definida como a pressão que o sangue exerce sobre as paredes das artérias. De acordo com o Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia, aceita-se como normal para indivíduos adultos (com mais de 18 anos de idade) cifras inferiores a 85 mmHg de pressão diastólica e inferiores a 130 mmHg de pressão sistólica.

A pressão arterial é registrada por dois números, separados por uma barra. O primeiro número corresponde à pressão sistólica, enquanto o segundo se refere à pressão diastólica. Os valores são dados em milímetros de mercúrio. Um exemplo de representação é: 120/80 mmHg.

  • Pressão sistólica

A pressão sistólica é aquela observada quando o coração se contrai durante a sístole ventricular. Nesse momento, o sangue entra nas artérias rapidamente e os vasos se expandem. Se o lado interno do pulso for pressionando, é possível sentir a pulsação, que se trata da oscilação rítmica das paredes arteriais que ocorre durante cada batimento do coração.

  • Pressão diastólica

A pressão diastólica é aquela observada no momento da diástole (relaxamento ventricular). Durante esse momento, as paredes arteriais se contraem de maneira repentina, ocorrendo uma menor pressão, apesar de ainda significativa.

Saiba mais: Diferença entre pressão alta e pressão baixa

Medição da pressão arterial

A pressão arterial é um dado importante sobre a saúde de um indivíduo, sendo recomendada a sua medição em todas as avaliações clínicas. Para realizar essas medições, a utilização de um esfigmomanômetro de coluna de mercúrio é o ideal.

A pressão arterial é medida em uma artéria do braço, sendo o esfigmomanômetro posicionado adequadamente na mesma altura do coração. A braçadeira é inflada até que a artéria seja fechada e o fluxo sanguíneo interrompido. De maneira gradual, o manguito é esvaziado.

No momento em que a pressão exercida pelo manguito se iguala à da artéria, o sangue pulsa e promove ruídos que podem ser ouvidos por meio de um estetoscópio. Nesse momento se tem a medida da pressão sistólica. O manguito é então esvaziado até que o fluxo de sangue retorne ao normal e os ruídos sumam. Nesse momento, é medida a pressão diastólica.

Médico averiguando a pressão arterial do paciente com o esfigmomanômetro e o estetoscópio.
Medir a pressão arterial é muito importante, pois a hipertensão não tratada pode levar a complicações graves, como o AVC.

O que é hipertensão arterial?

Como salientado, admite-se como apresentando pressão arterial normal aqueles indivíduos adultos que possuem valores inferiores a 85 mmHg de pressão diastólica e inferiores a 130 mmHg de pressão sistólica.

Aumentos permanentes nesses valores podem indicar problemas de saúde, sendo, de acordo com a 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial, a hipertensão arterial uma condição clínica multifatorial caracterizada por elevação sustentada dos níveis pressóricos ≥ 140 e/ou 90 mmHg.

A tabela abaixo indica a classificação diagnóstica da hipertensão arterial, segundo dados do Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia:

PAD (mmHg)

PAS (mmHg)

Classificação

< 85

< 130

Normal

85-89

130-139

Normal limítrofe

90-99

140-159

Hipertensão leve (estágio 1)

100-109

160-179

Hipertensão moderada (estágio 2)

> 110

> 180

Hipertensão grave (estágio 3)

< 90

> 140

Hipertensão sistólica isolada

O aumento dos valores de pressão arterial está relacionado com o aumento no risco de ocorrências de problemas como:

  • infarto;

  • aneurisma arterial;

  • insuficiência renal e cardíaca;

  • acidente vascular cerebral.

Assim sendo, o diagnóstico e devido tratamento da hipertensão arterial é fundamental para evitar complicações graves. Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil, 388 pessoas morrem por dia por hipertensão.

Vale salientar que hábitos de vida pouco saudáveis podem estar relacionados com o desenvolvimento de hipertensão, como alimentação inadequada e sedentarismo. Entretanto, não podemos desconsiderar fatores genéticos, uma vez que, de acordo com o Ministério da Saúde, o problema é herdado dos pais em 90% dos casos. Outros fatores de risco que merecem destaque são o consumo de bebidas alcoólicas, obesidade, estresse e uso de cigarros.

É importante salientar que a hipertensão, em geral, só provoca sintomas quando está muito elevada. Dentre esses sintomas, destaca-se dor de cabeça, dor no peito, fraqueza, zumbido no ouvido e visão embaçada.

A hipertensão é um problema que não possui cura, porém pode e deve ser controlada. Medicamentos são oferecidos para a população gratuitamente pelo SUS, entretanto, deve-se apresentar uma receita médica dentro do prazo de validade, que são de 120 dias, para adquiri-los.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Pressão arterial"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/pressao-arterial.htm. Acesso em 21 de junho de 2024.

De estudante para estudante