Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Samba

Cultura

PUBLICIDADE

O samba é um gênero musical que surgiu no Rio de Janeiro, no começo do século XX. Tem origem nos batuques e rodas de samba realizados pelos afro-brasileiros em seus momentos de encontro e lazer. O samba popularizou-se na década de 1930, com o rádio e as escolas de samba, e tornou-se um dos ritmos mais tradicionais da cultura brasileira.

Acesse também: O que é patrimônio histórico cultural

O que é o samba?

O samba é um gênero musical típico de nosso país, e sua forma moderna consolidou-se nas comunidades afro-brasileiras instaladas no Rio de Janeiro, no começo do século XX. Surgido como uma dança de roda marcada pelo batuque, o samba transformou-se em um gênero de canção popular, sendo um dos mais populares do Brasil e um dos seus símbolos no exterior.

O tamborim é um dos instrumentos que fazem parte da composição do samba.
O tamborim é um dos instrumentos que fazem parte da composição do samba.

A difusão do samba pelo país foi, em grande parte, resultado da popularização das escolas de samba na década de 1930 e também da reprodução das canções desse gênero musical pelo rádio. Com o passar do tempo, a evolução do samba levou ao surgimento de subgêneros, como samba-enredo, pagode, bossa nova, entre outros.

Um elemento fundamental do samba são os instrumentos de percussão, e, quando surgiu, atabaques e tambores, por exemplo, eram muito utilizados. No samba urbano carioca, atualmente uma das modalidades mais populares do samba, os instrumentos mais utilizados são o pandeiro, o surdo, o tamborim, a cuíca, o ganzá, o cavaquinho, o violão, o agogô, o reco-reco, entre outros.

Reconhece-se o samba como um dos estilos mais importantes da cultura e da identidade do brasileiro, e esse reconhecimento manifesta-se pelo fato de que o samba urbano carioca, assim como seus subgêneros, é considerado patrimônio cultural imaterial do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Atualmente existe uma data comemorativa em homenagem a esse importante gênero musical de nossa cultura. O Dia Nacional do Samba é comemorado no dia 2 de dezembro. A data foi criada por iniciativa de um vereador baiano, chamado Luis Monteiro da Costa, em homenagem ao sambista Ary Barroso.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Origem do samba

O samba surgiu no Rio de Janeiro, no começo do século XX, nos redutos em que residiam as populações afro-brasileiras.
O samba surgiu no Rio de Janeiro, no começo do século XX, nos redutos em que residiam as populações afro-brasileiras.

O samba é um gênero musical com origem na cultura africana presente em nosso país. A primeira ligação sobre as origens do samba está relacionada com rodas de dança realizadas pelos escravos africanos no Brasil. Entre as danças praticadas estão o lundu, o coco, o fandango, entre outras. Essas danças eram puxadas, sobretudo, pelos ritmos dos batuques.

Os historiadores dizem que o samba urbano carioca, a forma mais conhecida de gênero musical, tem relação mais direta com o samba de roda, estilo musical tocado em rodas de dança e rodas de capoeira. Esse estilo surgiu na região do Recôncavo Baiano, na segunda metade do século XIX. O termo samba, nesse contexto, tinha o sentido de “festa”.

As transformações que aconteceram no Brasil no final desse século, incluindo a abolição da escravidão, fizeram com que muitos negros libertos se mudassem para a capital do Brasil, a cidade do Rio de Janeiro. Mudar-se para a capital era uma forma de construir-se uma nova vida, uma vez que, nos seus locais de origem, os ex-escravizados tinham pouco a ganhar.

No Rio de Janeiro, os negros reuniram-se em bairros como Saúde, Estácio e Gamboa. Esses encontros davam-se nos terreiros — locais de práticas religiosas e encontros comunitários, além de lazer e diversão.

Os terreiros eram propriedades das “tias baianas”, mulheres que difundiram práticas do candomblé no Rio de Janeiro e usavam suas propriedades para que os sambas pudessem acontecer. Isso porque, até a década de 1920, as festividades afro-brasileiras eram proibidas, pois eram consideradas “imorais” pelos costumes da época — um indício claro de racismo sobre a cultura afro-brasileira.

Além disso, as celebrações realizadas por essas “tias” eram uma forma de integrar a comunidade e receber aqueles que haviam chegado ao Rio de Janeiro recentemente. Os sambas da época costumavam fazer pequenos jogos de palavras e contavam causos comuns da época assim como denunciavam as condições de vida dos negros no Rio de Janeiro.

O historiador Marcos Alvito menciona o samba “Batuque na cozinha”, canção que aponta as “péssimas condições de habitação, concorrência desleal dos brancos em todas as esferas (inclusive a sexual), preconceito e arbitrariedade por parte da polícia”|1|. Esse tipo de samba então nascia no terreiros das tias baianas, das quais se destacaram Amélia e Ciata.

Um marco na história do samba, segundo muitos historiadores especializados no assunto, foi o lançamento de “Pelo telefone”, criado, em 1917, por Donga, Mauro de Almeida e Sinhô e lançado como um samba carnavalesco. Nesse período, o samba ainda não era aceito como um estilo musical pela sociedade, e a repressão ainda existia sobre os sambistas.

No entanto, o samba e a cultura afro-brasileira já estavam em um processo acelerado de aceitação, e a penetração da cultura afro-brasileira era cada vez mais comum. Marcos Alvito faz menção a um conto de Machado de Assis que fala que, no final do século XIX, os bailes que aconteciam nos salões da classe alta carioca contavam, cada vez mais, com ritmos africanos em seus eventos|2|.

O sucesso do “Pelo telefone” marcou oficialmente a transição do samba de ritmo ligado exclusivamente às rodas de dança para gênero musical. Era o nascimento do samba urbano carioca. O estilo espalhou-se por todo o Rio de Janeiro, e, na década de 1920, o samba já tinha compositores reconhecidos, como Sinhô, chamado na época de “rei do samba”.

Na década de 1920, surgiram as escolas de samba, e essas agremiações começaram a incorporar o samba e adicioná-lo a práticas comuns do Carnaval carioca. Essa junção de samba e Carnaval resultou na criação do samba-enredo, um estilo de samba criado para puxar os desfiles carnavalescos e passar uma determinada mensagem.

Acesse também: O que você sabe sobre o folclore brasileiro?

  • Samba na Era Vargas

As escolas de samba e os desfiles de Carnaval contribuíram para a popularização do samba no Brasil.[1]
As escolas de samba e os desfiles de Carnaval contribuíram para a popularização do samba no Brasil.[1]

Foi durante a Era Vargas que o samba passou de um gênero musical perseguido para um dos estilos musicais mais populares de nosso país. A popularização do samba no cenário cultural carioca fez com que o gênero ganhasse espaço na indústria fonográfica brasileira. Assim, o samba ganhou espaço e divulgação nas rádios.

A ascensão do samba está relacionada com a transformação do Carnaval como a principal festa popular do Brasil e com o papel do rádio como principal meio de comunicação. O samba acabou sendo utilizado por Getúlio Vargas no seu projeto de construção da identidade e nacionalidade do brasileiro na década de 1930.

Assim, o samba tornou-se um dos símbolos da “brasilidade”, e, como aponta a historiadora Lilia Schwarcz, “o samba passou da repressão à exaltação” e a ser enxergado como um traço da cultura brasileira merecedor da exportação|3|. Esse processo, segundo a historiadora, tinha relação com a construção da identidade brasileira, como mencionado, mas passava também por um processo de “desafricanização” dessa expressão cultural|4|. Dessa forma, a exaltação do samba na década de 1930 foi uma tentativa de “embranquecer” esse gênero musical.

O espaço conquistado no rádio pelo samba fez com que músicos profissionais desse estilo se consolidassem na época. Assim, nomes como Noel Rosa, Ataulfo Alves, Dorival Caymmi, entre outros, tornaram-se importantes. Noel Rosa, por exemplo, compôs cerca de 300 canções entre 1930 e 1937|5|.

As historiadoras Lilia Schwarcz e Heloísa Starling ainda abordam a importância de Noel Rosa para o samba no Brasil. Segundo elas:

Noel consumou o processo de modelagem da forma da canção que hoje conhecemos: linguagem própria fundada nas entoações e expressões da fala cotidiana, relação entre melodia e letra, inventividade poética e tratamento musical flexível — ora acelerando na direção da marchinha, ora valorizando o percurso melódico […]|5|.

Veja mais: Cultura brasileira – da diversidade à desigualdade

Grandes nomes do samba

Da década de 1930 em diante, o samba tornou-se um dos gêneros musicais mais populares no Brasil e mais conhecidos no exterior. O ritmo modernizou-se, e novos subgêneros surgiram ao longo do tempo, o que trouxe uma variedade de ritmos considerável para o samba. Muitos sambistas consolidaram-se de lá pra cá, e podemos mencionar alguns nomes:

  • Noel Rosa

  • Cartola

  • Beth Carvalho

  • Bezerra da Silva

  • Carmen Miranda

  • Martinho da Vila

  • Alcione

  • Nelson Cavaquinho

Notas

|1| ALVITO, Marcos. Professor samba. In: Revista de história da Biblioteca Nacional. Ano 9. nº 97. Outubro, 2013. p 82.

|2| Idem, p. 80.

|3| SCHWARCZ, Lilia Moritz. Nem preto nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na sociabilidade brasileira. São Paulo: Claro Enigma, 2012. p. 59.

|4| Idem, p. 58.

|5| SCHWARCZ, Lilia Moritz e STARLING, Heloísa Murgel. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. p. 376.

Crédito da imagem

[1] Bruno Martins Imagens e Shutterstock

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Samba"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/cultura/samba.htm. Acesso em 17 de outubro de 2021.

Artigos Relacionados
Marcação, instrumentos e avaliação do batuque considerado o coração da escola.
Clique aqui para saber um pouco sobre a cultura indígena, um conjunto de práticas e costumes desenvolvidos pelos habitantes nativos do território brasileiro.
Veja aqui as características do candomblé e da umbanda para entender as diferenças entre essas duas religiões.
Entrosamento dos integrantes com o ritmo do samba, adequados ao tempo de desfile.
Acessa e entenda como o Carnaval chegou ao Brasil. Veja as principais manifestações dessa festa ao longo da história de nosso país.
Saiba detalhes sobre a vida e a obra de Tom Jobim, compositor, músico e maestro brasileiro, conhecido por “Garota de Ipanema”, “Águas de Março” e outras canções.
Saiba os detalhes da vida e obra de Vinicius de Moraes, mais conhecido como “poetinha”. Seus principais livros, poemas, discos e parcerias estão listados aqui.