Amamentação

Biologia

PUBLICIDADE

A amamentação é o ato de alimentar o bebê com leite materno diretamente no seio da mãe. Esse ato é benéfico tanto para a mãe quanto para o bebê, garantindo, entre outros benefícios, a redução do risco de doenças para a criança. A amamentação deve ser exclusiva pelos primeiros seis meses de vida da criança, e é importante deixar claro que o leite contém tudo que o bebê necessita para essa fase de seu desenvolvimento. Diferentemente do que algumas pessoas afirmam, não existe leite fraco.

Leia também: 1º de agosto - Dia Mundial da Amamentação

O leite materno

O leite materno é produzido nas glândulas mamárias e é um alimento perfeito para o bebê. Ele apresenta uma composição nutricional balanceada que não necessita da complementação de outros alimentos nas fases iniciais de desenvolvimento. Proteínas, carboidratos e lipídios (gorduras) estão presentes no leite materno, bem como anticorpos, substâncias antimicrobianas, anti-inflamatórias e enzimas.

O leite materno é o alimento ideal para o bebê.
O leite materno é o alimento ideal para o bebê.

Nos primeiros dias, logo após o parto, a mulher vai produzir o colostro, que apresenta composição distinta do chamado leite maduro, secretado cerca de duas semanas após o parto. Nesse sentido, o colostro caracteriza-se por ser mais viscoso e por apresentar uma concentração mais elevada de proteínas e uma menor quantidade de gordura.

No colostro destaca-se a grande quantidade de substâncias que atuam na defesa do corpo, tais como anticorpos, sendo considerado a primeira vacina do bebê. Vale salientar que, mesmo secretado em pouca quantidade, ele é suficiente para suprir as necessidades do bebê.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

De maneira gradual, a composição do leite modifica-se, e, por volta do sexto dia após o parto, temos o chamado leite de transição. Nele vemos um aumento da concentração de gordura e uma redução das proteínas.

O leite maduro é o estágio final do desenvolvimento do leite, e nele temos uma combinação perfeita de proteínas, carboidratos, lipídios, sais minerais e vitaminas. A água também está presente, constituindo por 87,5% desse leite. É por esse motivo que o bebê, nos seus primeiros meses de vida, não necessita ingerir água.

É importante deixar claro que os nutrientes presentes no leite também variam no decorrer da mamada. No final dela, temos uma maior concentração de gordura, sendo fundamental, portanto, que ela não seja interrompida. É esse leite rico em gordura que vai garantir que o bebê sinta-se saciado e também ganhe peso.

De acordo com a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, não existe tempo exato para cada mamada, sendo ela finalizada quando o bebê solta o seio de maneira espontânea. Entretanto, é importante que o bebê esvazie uma das mamas para garantir o leite do final da mamada.

Leia também: Vacinas que todas as crianças devem tomar

A importância da amamentação

A amamentação é importante tanto para o bebê quanto para a mãe, apresentando benefícios que vão muito além da simples nutrição. Veja, a seguir, alguns deles:

  • De acordo com o Ministério da Saúde, a amamentação reduz em até 13% a mortalidade por causas evitáveis de crianças com até cinco anos de idade.

  • O aleitamento materno reduz os casos de diarreia, infecções respiratórias, alergias, diabetes, hipertensão, colesterol alto e obesidade.

  • A amamentação promove um melhor desenvolvimento da cavidade bucal do bebê.

  • Estudos demonstram que crianças que foram amamentadas apresentam melhor desenvolvimento cognitivo.

  • Amamentar reduz o risco de câncer de mama nas mulheres.

  • A amamentação acelera a perda de peso pela mãe.

  • Estudos indicam que a amamentação reduz os riscos de fraturas ósseas por osteoporose.

  • O aleitamento materno permite que o útero volte ao tamanho normal mais rapidamente.

  • A amamentação funciona como um importante método contraceptivo nos primeiros seis meses, entretanto, a mulher deve estar amamentando exclusivamente ou predominantemente e não pode ter tido menstruação.

  • A amamentação reforça os laços entre a mãe e a criança.

 Amamentar fornece benefícios para a mãe e também para o bebê.
Amamentar fornece benefícios para a mãe e também para o bebê.

Por quanto tempo devo amamentar?

A amamentação é recomendada até o segundo ano de vida da criança, sendo indicado o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses, ou seja, primeiros meses, apenas o leite deve ser oferecido. Muitas pessoas, no entanto, acreditam que ele não será capaz de garantir todos os nutrientes adequados para o bebê e acabam fornecendo outros alimentos, o que aumenta, por exemplo, o risco do bebê desenvolver diarreia.

Nos primeiros seis meses de vida, não é necessário nem mesmo oferecer água ao bebê, pois ela está presente em quantidade suficiente no leite. A partir dos seis meses de vida, a criança deve ter sua alimentação complementada, porém o leite deve ainda ser oferecido até o segundo ano de vida.

Leia mais: Aleitamento materno exclusivo – recomendado por, no mínimo, seis meses

Como saber se o bebê está mamando de maneira adequada?

Durante todo o texto, destacamos a importância de amamentar-se a criança, entretanto, apesar de parecer uma capacidade inata do indivíduo, esse ato nem sempre é fácil. Muitas mães não sabem como colocar a criança para a amamentar ou se ela está alimentando-se da forma correta. Isso é muito normal, e a mãe pode conseguir orientação na própria maternidade.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia destaca que, para conseguir uma mamada adequada, o pescoço do bebê deve está ereto ou um pouco curvado para trás, sem estar distendido. Além disso, a boca da criança deve estar bem aberta, seu corpo deve estar voltado para o da mãe, e sua barriga deve está encostada no tórax da mãe, com todo o corpo do bebê recebendo sustentação.

Ainda de acordo com a sociedade, o queixo do bebê deve tocar o seio da mãe, seu lábio inferior deve estar virado para fora, e deve-se observar mais aréola acima da boca do que abaixo. A dor ao amamentar-se pode indicar que a pega do bebê está incorreta.

É importante que as mães estejam atentas à criança no momento da amamentação e saibam identificar problemas nas mamadas. Caso suspeite que a mamada não está adequada, é fundamental que a mãe busque ajuda de um profissional.
 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Amamentação"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/amamentacao.htm. Acesso em 13 de agosto de 2020.