Topo
pesquisar

Obesidade

Saúde e Bem-estar

PUBLICIDADE

Obesidade é uma doença crônica grave que merece muita atenção, principalmente, por estar relacionada ao desenvolvimento de outros problemas graves de saúde. Atualmente, de acordo com o relatório anual Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), publicado em 2019, 338 milhões de crianças em idade escolar e adolescentes estão com sobrepeso e 672 milhões de adultos são obesos.

A seguir falaremos mais sobre essa condição que atualmente é considerada, pela Organização Mundial da Saúde, uma epidemia mundial.

Leia mais: Importância da atividade física e consequências do sedentarismo

O que é obesidade?

A obesidade é uma doença crônica grave que apresenta como principal característica o acúmulo exagerado de gordura corporal, responsável por comprometer a saúde do indivíduo. Esse acúmulo pode ser resultado, por exemplo, de um consumo excessivo de calorias e/ou falta de exercícios físicos.

Entretanto, apesar do estilo de vida ser um fator importante, considera-se a obesidade como uma doença de etiologia multifatorial, ou seja, ela é não causada por apenas um fator. Desse modo, podemos dizer que a obesidade é complexa e envolve fatores biológicos, históricos, socieconômicos, psicossociais e culturais.

Apesar de a obesidade estar relacionada com aumento de peso, é fundamental entendermos que o aumento de peso nem sempre significa um excesso de gordura corporal. Alguns atletas, por exemplo, apresentam um peso elevado, pois sua massa muscular é desenvolvida.

 

O excesso de gordura corporal é, de maneira geral, um problema grave. Entretanto, há riscos maiores dependendo do local em que há esse acúmulo. Um maior risco está associado ao excesso de gordura abdominal, sendo essa situação conhecida como obesidade andróide. Nesse caso, há um maior acúmulo de tecido adiposo visceral, o que favorece o desenvolvimento de distúrbios metabólicos. Quando a gordura apresenta uma distribuição mais periférica no corpo, dizemos que se trata de uma obesidade ginecóide, condição pouco menos preocupante.

A obesidade é considerada uma epidemia mundial.
A obesidade é considerada uma epidemia mundial.

Leia também: Perigos do sobrepeso na infância

Riscos da obesidade

A obesidade pode desencadear uma série de complicações importantes na saúde dos indivíduos. Veja algumas delas:

  • A obesidade está relacionada com aumento de problemas que afetam o sistema cardiovascular, tais como acidente vascular cerebral e infarto agudo do miocárdio, e com quadros de hipertensão.

  • A obesidade está relacionada ao desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2.

  • A obesidade está relacionada com o desenvolvimento de osteoartrite, um problema de saúde caracterizado pelo desgaste da cartilagem articular e por problemas ósseos.

  • Alguns tipos de câncer, como de reto, próstata e mama, apresentam relação com a obesidade.

  • Indivíduos obesos apresentam com mais frequência apneia do sono, um problema de saúde que causa paradas repetidas e temporárias da respiração durante o sono.

  • A obesidade é considerada fator de risco para o desenvolvimento de refluxo esofagofaríngeo e hernia de hiato (quando porção do estômago desliza-se para o tórax através do hiato do diafragma).

  • A obesidade está relacionada ao desenvolvimento de cálculo biliar.

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 80 mil mortes ocorridas no país poderiam ser evitadas se os pacientes não fossem obesos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como a obesidade pode ser determinada?

A obesidade pode ser determinada por uma série de métodos diferentes, sendo o mais popular o Índice de Massa Corporal (IMC). Para calculá-lo, divide-se o peso de uma pessoa em quilogramas pelo quadrado da sua altura em metros. São considerados indivíduos obesos aqueles que apresentam um IMC igual ou maior a 30 kg/m2. Índices entre 25 kg/m2 e 30 kg/m2 indicam casos de sobrepeso.

Calcular o IMC ainda é uma das formas mais práticas de avaliar a obesidade.
Calcular o IMC ainda é uma das formas mais práticas de avaliar a obesidade.

Vale salientar que, apesar de ser amplamente utilizado, o IMC possui algumas limitações, por não estar totalmente correlacionado à quantidade de gordura corporal. Isso acontece, pois esse índice não diferencia o que é massa magra de massa gorda, além disso, não dá informações a respeito da distribuição da gordura.

Como mencionado, é importante verificar a presença de gordura visceral, que é um fator de risco para várias doenças. Sendo assim, o IMC deve ser utilizado com cautela, e é fundamental que outros métodos sejam considerados para determinar a gordura corporal.

Acesse também: Limitações do IMC – em mulheres, idosos e homens, e na gravidez

Tratamento da obesidade

A obesidade será tratada de maneira individual, pois é fundamental avaliar os fatores que estão promovendo o quadro de aumento de peso. Entre os tratamentos para a obesidade estão a reeducação alimentar e a realização de atividades físicas.

Em alguns casos, medicamentos serão administrados e cirurgias poderão ser recomendadas. É importante salientar que tratar a obesidade pode garantir a melhora e até a resolução definitiva de problemas de saúde a ela associados.

Leia também: Açúcar na alimentação – consumo, tipos de açúcar e consequências

Dicas para evitar-se o ganho de peso

Como vimos ao longo do texto, a obesidade está diretamente relacionada com nossos hábitos de vida, sendo, portanto, fundamental mudar a forma como nos comportamos para evitar o ganho de peso. Diante disso, veja a seguir algumas dicas que podem ajudar a evitar esse ganho:

  • Realize de cinco a seis refeições diárias e não pule refeições.

  • Tenha horários fixos para comer e evite aquela “beliscada” entre as refeições.

  • Prefira sempre alimentos saudáveis, sempre inserindo em suas refeições verduras, legumes e frutas.

  • Evite alimentos ricos em gorduras e açúcares, bem como alimentos industrializados.

  • Não faça dietas restritivas, pois podem levar a quados de compulsão alimentar.

  • Beba muita água. A recomendação é que se ingira, pelo menos, dois litros de água diariamente. Vale destacar que essa recomendação pode variar de acordo com a idade, condição de saúde, existência da prática atividades físicas e temperatura do local.

  • Pratique atividades físicas. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, é recomendado que se pratique 150 minutos semanais de atividades físicas leves ou moderadas ou, pelo menos, 75 minutos de exercícios de grande intensidade.

O dia 11 de outubro é o Dia Mundial da Obesidade e o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade. Essa data é importante para conscientizarmo-nos a respeito da adoção de hábitos de vida saudáveis.

 

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Obesidade"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/obesidade.htm. Acesso em 06 de dezembro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola