Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Normas da ABNT

As normas da ABNT são utilizadas para a padronização dos trabalhos científicos. ABNT é a sigla da Associação Brasileira de Normas Técnicas, responsável pelas normas.

Logomarca da ABNT, instituição responsável por normas técnicas.
As normas da ABNT estabelecem padrões para os trabalhos científicos no Brasil. [1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

As normas da ABNT estabelecem a uniformização de trabalhos científicos. ABNT é a sigla da Associação Brasileira de Normas Técnicas. Essa instituição privada e sem fins lucrativos tem a missão de estabelecer as normas para a produção de trabalhos científicos. A NBR 10520, referente à citação em documentos, e a NBR 6023, que padroniza a apresentação de referências, são as principais normas da ABNT.

Leia também: Texto de divulgação científica — características, estrutura e exemplos

Tópicos deste artigo

Resumo sobre as normas da ABNT

  • A Associação Brasileira de Normas Técnicas foi criada em 28 de setembro de 1940.

  • As principais normas da ABNT são a NBR 10520 e a NBR 6023.

  • Tais normas tratam da citação em documentos e da apresentação de referências.

  • Com suas normas, a ABNT promove a uniformização dos trabalhos científicos.

  • Monografias, dissertações, teses e artigos científicos apresentam uma estrutura fixa.

O que é ABNT?

O significado da sigla ABNT é Associação Brasileira de Normas Técnicas. Ela é de caráter privado e sem fins lucrativos. E estabelece as normas brasileiras para a divulgação do conhecimento científico e tecnológico.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais são as principais normas da ABNT?

Com relação aos textos acadêmicos, as principais normas da ABNT se referem às formas de fazer uma citação e apresentar as referências no final do texto. Assim, temos:

  • NBR 10520, de 2002: citação em documentos.

  • NBR 6023, de 2018: apresentação de referências.

Veja também: Coesão textual — como articular os elementos de um texto

Qual é a estrutura de um trabalho acadêmico?

De acordo como o Manual para normalização de publicações técnico-científicas, de autoria de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos, a estrutura principal de uma monografia deve ser:

  • capa;

  • folha de rosto;

  • resumo na língua nacional;

  • resumo em língua estrangeira;

  • sumário;

  • introdução;

  • desenvolvimento;

  • conclusão;

  • referências.

dissertações de mestrado e teses de doutorado devem apresentar a seguinte estrutura principal:

  • capa;

  • folha de rosto;

  • folha de aprovação;

  • resumo na língua nacional;

  • resumo em língua estrangeira;

  • sumário;

  • introdução;

  • desenvolvimento;

  • conclusão;

  • referências.

A estrutura principal de um relatório técnico-científico é:

  • capa;

  • folha de rosto;

  • resumo;

  • listas;

  • sumário;

  • texto;

  • anexos;

  • referências;

  • ficha de identificação.

Os artigos científicos devem seguir esta estrutura principal:

  • cabeçalho: título, subtítulo (se houver) e autoria;

  • resumo na língua utilizada no artigo;

  • palavras-chave na língua utilizada no artigo;

  • introdução;

  • desenvolvimento;

  • conclusão;

  • título e subtítulo (se houver) em língua estrangeira;

  • resumo em língua estrangeira;

  • palavras-chave em língua estrangeira;

  • referências.

Por fim, os projetos de pesquisa apresentam a seguinte estrutura principal:

  • folha de rosto;

  • sumário;

  • introdução: justificativa e objetivos;

  • referencial teórico;

  • metodologia;

  • plano de desenvolvimento: cronograma;

  • recursos para execução do projeto;

  • referências.

No mais, a estrutura desses trabalhos acadêmicos pode apresentar também elementos não obrigatórios, como, por exemplo:

  • errata,

  • dedicatória,

  • agradecimentos,

  • epígrafe,

  • listas,

  • glossário,

  • anexos,

  • índice.

Formatação nas normas da ABNT

Tela de um computador em alusão às normas da ABNT.
As normas promovem a uniformidade no uso de fontes, recuo do texto e ordem de apresentação das informações do texto. [2]

Vamos tratar aqui apenas das duas principais normas referentes a trabalhos científicos, isto é, a NBR 10520, que trata da citação em documentos, e a NBR 6023, relativa à apresentação de referências.

→ Como formatar citações nas normas da ABNT

  • Citação direta curta

As citações diretas curtas (até três linhas) devem ser indicadas por aspas duplas.

Exemplo 1:

Em sua carta a Maria Adelaide Amaral, Caio Fernando Abreu (2002, p. 65) diz: “Minha vida tá em compasso de espera”.

Assim, entre parênteses, colocamos o ano da publicação e a página de onde foi extraída a citação. Outros dados da publicação serão explicitados quando listarmos as referências. Mas quando a indicação da fonte vem após a citação, colocamos o SOBRENOME DO AUTOR — em caixa alta —, o ano da publicação e a página de onde foi extraída a citação.

Exemplo 2:

Veja este trecho da carta enviada a Maria Adelaide Amaral: “Minha vida tá em compasso de espera” (ABREU, 2002, p. 65).

  • Citação direta longa

As citações diretas longas (mais de três linhas) devem aparecer em destaque, com um recuo de 4 cm, sem aspas e com fonte menor.

Exemplo:

Em A força das coisas, Simone de Beauvoir (2009, p. 233) traz relatos de inúmeras viagens:

Cruzamos com duas caravanas: o deserto tornava-se mais imenso, medido no passo balanceado dos camelos; pelo menos o número de homens, animais e bagagens estava de acordo com seu tamanho. Mas de onde vinha, para onde ia aquele homem que surgia de lugar nenhum e que caminhava a passos largos? Nós o seguíamos com os olhos até que fosse de novo absorvido na grande ausência que nos envolvia.

Outra maneira de indicar a publicação citada é:

Em A força das coisas, há relatos de inúmeras viagens, acompanhados das impressões da autora:

Cruzamos com duas caravanas: o deserto tornava-se mais imenso, medido no passo balanceado dos camelos; pelo menos o número de homens, animais e bagagens estava de acordo com seu tamanho. Mas de onde vinha, para onde ia aquele homem que surgia de lugar nenhum e que caminhava a passos largos? Nós o seguíamos com os olhos até que fosse de novo absorvido na grande ausência que nos envolvia (BEAUVOIR, 2009, p. 233).

Se o autor do texto quiser dar ênfase a alguma parte da citação, ele deve indicar assim:

Em sua carta a Maria Adelaide Amaral, Caio Fernando Abreu (2002, p. 65, grifo nosso) diz: “Minha vida tá em compasso de espera”.

Mas se o destaque foi feito pelo autor da citação, é preciso colocar “grifo do autor”.

  • Citação indireta

Já nas citações indiretas (quando o autor do texto parafraseia ideias alheias), não se usam aspas nem recuo. Mas é preciso indicar a fonte (autor e ano da publicação).

Exemplo:

E aquela situação faz lembrar a ocasião em que Simone de Beauvoir (2009) ficou intrigada com o surgimento de um homem no deserto, questionou a sua procedência e o seu destino.

OU

Em relação a essa ausência em meio ao deserto (BEAUVOIR, 2009), é possível afirmar que ela está relacionada ao próprio vazio existencial.

  • Citação de uma citação

Por fim, também é possível fazer citação de uma citação.

Exemplo:

Fiquei intrigada com este trecho do livro de Simone de Beauvoir:

Cruzamos com duas caravanas: o deserto tornava-se mais imenso, medido no passo balanceado dos camelos; pelo menos o número de homens, animais e bagagens estava de acordo com seu tamanho. Mas de onde vinha, para onde ia aquele homem que surgia de lugar nenhum e que caminhava a passos largos? Nós o seguíamos com os olhos até que fosse de novo absorvido na grande ausência que nos envolvia (apud SOUZA, 2023).

Assim, podemos usar as expressões “apud”, “citado por”, “conforme” para indicar que extraímos aquela citação de algum outro documento e não do livro do autor da mesma.

→ Como formatar referências nas normas da ABNT

As referências são colocadas no final do trabalho, em ordem alfabética.

  • Autor individual

Veja estes exemplos:

ABREU, Caio Fernando. Cartas. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

BEAUVOIR, Simone de. A força das coisas. Tradução de Maria Helena Franco Martins. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

Assim, temos as informações na seguinte ordem:

SOBRENOME DO AUTOR (em caixa alta), seguido do nome do autor após a vírgula. O título aparece em itálico, negrito ou sublinhado. Logo em seguida, o nome do tradutor, se houver. A edição só é indicada a partir da segunda (com ponto-final após o número). Então, colocamos a cidade, editora e ano de publicação.

Caso não haja indicação de local de publicação, colocamos, em seu lugar, [s. l.], que significa sine loco e deve estar em itálico. Se não constar o nome da editora na publicação, em seu lugar, devemos indicar, em itálico: [s. n.], que significa sine nomine.

  • Até três autores

Nesse caso, a indicação dos autores é separada por ponto e vírgula.

Exemplo:

NICOLA, José de; INFANTE, Ulisses. Gramática contemporânea da língua portuguesa. 9. ed. São Paulo: Scipione, 1992.

  • Mais de três autores

É permitido indicar apenas o nome do primeiro autor seguido da expressão, em itálico, et al.

Exemplo:

BARTHES, Roland et al. Análise estrutural da narrativa: pesquisas semiológicas. Tradução de Maria Zélia Barbosa Pinto. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

  • Autor desconhecido

A referência é iniciada com o título, de forma que a primeira palavra deve estar em caixa alta.

Exemplo:

LAZARILHO de Tormes. Tradução de Heloísa Costa Milton e Antonio R. Esteves. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2012.

  • Publicação de artigo em periódico

O destaque não é colocado no título, mas no nome do periódico, que é seguido de cidade, volume, número, páginas, mês e ano.

Exemplo:

BYLAARDT, Cid Ottoni. Arte engajada e arte autônoma no pensamento de Theodor Adorno. Pandaemonium, São Paulo, v. 16, n. 22, p. 84-100, dez. 2013.

  • Publicação em meio eletrônico

Após os elementos comuns de referenciação, devemos acrescentar o endereço eletrônico (sem o uso dos sinais < >, como se fazia antes) e a data de acesso:

Exemplo:

BYLAARDT, Cid Ottoni. Arte engajada e arte autônoma no pensamento de Theodor Adorno. Pandaemonium, São Paulo, v. 16, n. 22, p. 84-100, dez. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pg/a/5X5HXkRrM6T7PBCkZjM9rWJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 7 jul. 2023.

  • Capítulo de livro

É preciso indicar o autor e o título do capítulo. Após a expressão “In”, em itálico, colocamos a referência do livro a que pertence o capítulo:

Exemplo:

DUARTE, Rodrigo. Pressupostos teóricos da crítica à indústria cultural. In: DUARTE, Rodrigo. Teoria crítica da indústria cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

O uso de traço (______.) na repetição do nome do autor não é mais usado a partir da atualização da norma 6023, em 2018.

  • Monografia, dissertação e tese

Na referenciação de monografia, dissertação e tese, os elementos essenciais são:

  • autor;

  • título;

  • subtítulo (se houver);

  • ano;

  • tipo de trabalho;

  • tipo de especialização;

  • curso;

  • universidade;

  • cidade;

  • ano.

Esses dados devem ser dispostos desta forma:

SILVA, Victória Bayma da. Estudo observacional e retrospectivo da utilização do ecodoppler associado ao contraste de microbolhas no acompanhamento após a correção endovascular do aneurisma da aorta abdominal (EVAR). 2022. Monografia (Bacharel em Medicina) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2022.

SOUZA, Driciele Glaucimara Custódio Ribeiro de. Entre o cinema e a pintura, o imaginário artístico de Andrei Tarkóvski. 2022. Dissertação (Mestrado em História, Teoria e Crítica de Cinema) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2022.

DRUBSCKY, Camila Andrade. Até que ponto o narcisismo pode ser datado? Uma reflexão à luz das contribuições de Piera Aulagnier. 2008. Tese (Doutorado em Psicologia) – Centro de Teologia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 2008.

  • Eventos acadêmicos

Encontros acadêmicos também geram a produção de textos científicos. Os elementos principais na referenciação de um evento acadêmico são:

  • nome do evento;

  • número do evento (se houver);

  • ano;

  • cidade de realização;

  • título;

  • local;

  • editora;

  • ano de publicação.

Tais elementos são assim organizados:

CONGRESSO NACIONAL DO CONPEDI, 16., 2007, Belo Horizonte. Anais [...]. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2008.

Também é possível referenciar parte do evento:

FERES, Anaximandro Lourenço Azevedo; SANTOS, Anderson Avelino dos. A literatura desafia o Direito. Grande sertão: veredas — uma antecipação do problema sociopolítico de segurança pública no Brasil. In: CONGRESSO NACIONAL DO CONPEDI, 16., 2007, Belo Horizonte. Anais [...]. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2008.

Saiba mais: Intertextualidade — citação, paráfrase, epígrafe e outros tipos

Como surgiu a ABNT?

Na primeira Reunião de Laboratórios de Ensaios de Materiais, em 1937, surgiu a primeira proposta de se criar uma Entidade Nacional de Normalização. Na segunda Reunião de Laboratórios de Ensaios de Materiais, em 1939, a proposta foi consolidada na cidade de São Paulo. Mas a ABNT só foi fundada em 28 de setembro de 1940, durante a terceira Reunião de Laboratórios Nacionais de Ensaios de Materiais, ocorrida no Rio de Janeiro.

Qual a importância das normas da ABNT?

A ABNT, com suas normas, possibilita uma uniformização no processo de transmissão do conhecimento. Assim, pesquisadoras e pesquisadores seguem um modelo único, uma linguagem comum, na formatação de seus trabalhos científicos, o que elimina a subjetividade autoral. Portanto, todos os trabalhos seguem um padrão, compreendido pelos receptores dessas obras.

Créditos das imagens

[1] Wikimedia Commons

[2] Wachiwit/ Shutterstock

Fontes

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. História da normalização brasileira. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520. Rio de Janeiro: ABNT, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023. 2. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Quem somos. Disponível em: https://www.abnt.org.br/institucional/sobre.

FRANÇA, Júnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 10. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2019.

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Normas da ABNT"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/normas-da-abnt.htm. Acesso em 18 de maio de 2024.

De estudante para estudante


Artigos Relacionados


Aspas [“ ”]

Saiba quando utilizar as aspas. Descubra se elas devem ser usadas antes ou depois do ponto-final. Veja, além disso, alguns exemplos do uso desses sinais gráficos.
Gramática

Coesão textual

Saiba o que é a coesão textual e quais são os seus tipos. Entenda a diferença entre coesão e coerência textual. Faça exercícios para fixar o conteúdo.
Redação

Diferenças entre Redação Técnica e Literária

As diferenças entre redação técnica e literária são demarcadas pelas características linguísticas. Conheça-as em apenas um clique!
Redação

Intertextualidade

Você conhece a intertextualidade? Aprenda o seu significado e função para o texto e as diferentes formas de utilizá-la. Acompanhe a análise de exemplos.
Redação

Ponto e vírgula (;)

Saiba quando usar o ponto e vírgula. Entenda a diferença entre ele, a vírgula e os dois-pontos. Veja algumas frases em que se utiliza o ponto e vírgula.
Gramática

Relatório

Entenda como funciona um relatório, suas principais características e composição estrutural e veja um passo a passo para criar o seu.
Redação

Resenha

Conheça o gênero textual resenha e veja qual é a sua estrutura básica, além de conhecer seus diferentes tipos. Saiba qual é a diferença entre resenha e resumo.
Redação

Resumo

Clique aqui e descubra o que é um resumo. Saiba quais são suas principais características. Conheça seus tipos, aprenda como fazer e veja um exemplo.
Redação

Síntese

Aprenda o que é uma síntese. Veja suas características e estrutura, além de descobrir quais as diferenças entre síntese e resumo. Leia um exemplo de síntese.
Redação

Texto de divulgação científica

Descubra o que são os textos de divulgação científica, quais as suas características e estrutura e como escrevê-los. Leia um exemplo do gênero em questão.
Redação