Resenha

Redação

PUBLICIDADE

A resenha é um gênero textual capaz de transportar os sentidos do texto para uma compreensão que é exposta e reproduzida com base nas percepções que o leitor teve da obra. A resenha é um gênero que está inserido em diferentes âmbitos da sociedade, especialmente no campo acadêmico.

Leia mais: Crônica narrativa – gênero marcado por ações breves com tempo e espaço determinados

O que é resenha?

Resenha é um gênero textual que tem o objetivo de fazer levantamentos críticos ou comentários a respeito de um livro, filme, peça teatral etc. Como se trata de um texto que aborda outro texto, são necessários alguns procedimentos a fim de que as vozes dos autores (da resenha e da obra resenhada) não se misturem.

Veja um exemplo|1|:

“O livro de Álvaro Marchesi é instigador em vários sentidos, a começar pelo título. Trata-se de uma obra que retoma os problemas de aprendizagem em suas múltiplas perspectivas, mostrando que é possível estabelecer políticas efetivas para enfrentar o problema do fracasso escolar. [...]

É sempre instigador pensarmos que, apesar de haver enorme quantidade de pesquisas sobre o tema do fracasso escolar, tão pouco tenha mudado nas últimas décadas. Álvaro Marchesi ajuda-nos a entender a razão desse fato. [...]”

Note que o autor propicia ao leitor da resenha informações básicas sobre a obra resenhada, como seu tipo, suas problematizações e seus objetivos. Note também que o resenhista dá ênfase ao seu discurso em relação ao discurso do autor.

Resenha é um gênero textual que tem o objetivo de fazer levantamentos críticos ou comentários a respeito de um livro, filme, peça teatral etc.
Resenha é um gênero textual que tem o objetivo de fazer levantamentos críticos ou comentários a respeito de um livro, filme, peça teatral etc.

Tipos de resenha

  • Resenha descritiva: o autor apenas relaciona informações sobre a obra resenhada. Nessa tipologia, não há espaço para suas opiniões a respeito da obra.

  • Resenha crítica: também faz levantamentos sobre a obra, mas com posicionamento em relação a ela. Nessa tipologia, há espaço para a construção argumentativa em relação ao tema tratado, permitindo, inclusive, que o autor estabeleça, com base nele, uma tese. Dessa forma, a resenha crítica permite que ocorra confronto de ideias entre o autor da obra e o autor da resenha.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características da resenha

O texto precisa apresentar detalhadamente as principais informações da obra resenhada, veja:

  • Resenha de livros: precisa-se apresentar autor, título da obra, editora, enfim, informações que localizem o leitor quanto à bibliografia que foi objeto de resenha.

  • Filme: após apresentar o nome e o diretor da obra cinematográfica, faça levantamentos do tema abordado sem narrar os acontecimentos. Lembre-se: você pode ou não inserir um posicionamento crítico em seu texto, partindo do pressuposto da resenha descritiva ou resenha crítica.

    São incontáveis os instrumentos passíveis de serem resenhados. Pode-se fazer resenha de livros, filmes, documentários, obras de arte, aulas, artigos acadêmicos. No entanto, a estrutura de apresentação da obra, seja ela qual for, não mudará, pois parte-se do princípio de um gênero textual que obedece a um padrão relativamente estável: trata-se da referência que o leitor terá da obra resenhada. É preciso descrever a estrutura da obra assim como o foco do seu conteúdo. Afinal, o leitor deve ter ciência do assunto principal da obra resenhada.

    Após o segundo parágrafo, é preciso confrontar as informações com os argumentos e pontos de vista de diferentes autores quando se trata da resenha crítica. Ainda, é preciso argumentar criticamente os pontos cruciais da obra (sejam negativos, sejam positivos).

Veja também: Ata – gênero responsável por documentar deliberações e discussões

Como se faz uma resenha?

A composição de uma resenha exige a obediência às seguintes estruturas:

  • O parágrafo de introdução deve ser breve e contextualizar o autor, o assunto da obra lida, seus objetivos e relevância para um leitor que manifeste interesse pelo assunto.

  • A resenha de uma obra pode manifestar crítica ou não. Sem crítica, apresenta apenas um levantamento a respeito das ideias contidas na obra. Com crítica, além de apresentar as ideias, também faz a exposição de opiniões, ou seja, indica pontos positivos ou negativos, revelando ideologias no discurso. Essas construções ideológicas manifestam-se por meio de citações entre aspas (citações formais).

A resenha apresenta algumas características fundamentais que não podem ser deixadas de lado.
A resenha apresenta algumas características fundamentais que não podem ser deixadas de lado.
  • O resenhista, ao redigir o texto, precisa responder algumas questões, assumindo um posicionamento e argumentando-o. Dessa forma, ele pode promover algumas reflexões a respeito da obra, tais como:

- O que falta ao livro/filme/obra resenhada para aprofundar o assunto?

- A obra resenhada é útil para algum trabalho acadêmico ou de outra natureza?

- A leitura é agradável?

- Para quem esta obra é dirigida?

  • Observe se a linguagem utilizada na obra é clara e acessível e outros tantos aspectos que o resenhista pode julgar importantes. Geralmente, o resenhista é alguém que conhece o assunto, por meio de outras leituras, e pressupõe o mesmo do interlocutor. Em função disso, ao comentar o texto, ele cita outros autores que são referências para o tema tratado.

Acesse também: Elementos da comunicação – aspectos presentes no fluxo comunicativo

Diferença entre resumo e resenha

É comum haver confusões entre esses dois gêneros, no entanto, é importante destacar que o resumo integra a resenha.

No resumo, retira-se de um texto matriz apenas as informações mais importantes. Nele não deve constar posicionamento crítico do autor e relação a outras obras.

Na resenha, trata-se de um levantamento de informações em relação a uma obra. Esses levantamentos são articulados e relacionados, conforme exposto. Para saber mais informações dessa diferenciação, leia: Diferenças entre resenha crítica e resumo.

Nota

|1| Leitura, interpretação e produção textual./ Maria Divanira de Lima Arcoverde, Rossana Delmar de Lima Arcoverde. – Campina Grande; Natal: UEPB/UFRN, 2007. Página 7.

 

Por Marcelo Sartel
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SARTEL, Marcelo. "Resenha"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/a-resenhauma-forma-recriacao-textual.htm. Acesso em 31 de outubro de 2020.

Assista às nossas videoaulas