Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Primeira Guerra sino-japonesa

A Primeira Guerra sino-japonesa transcorreu entre os anos de 1894 e 1895 e marcou o triunfo do Império Japonês no Extremo Oriente.

Soldados do Império Japonês na linha de frente com seus rifles
Soldados do Império Japonês na linha de frente com seus rifles
Crédito da Imagem: Wikimedia Commons
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A Primeira Guerra sino-japonesa ocorreu entre os anos de 1894 e 1895, no contexto do expansionismo imperialista japonês da segunda metade do século XIX. Essa guerra resultou no início do controle do Japão sobre áreas estratégicas do Extremo Oriente, como a península da Coreia, o que fez com que o Império Japonês se tornasse mais visível ao mundo ocidental, isto é, às potências imperialistas ocidentais da mesma época.

  • Expansão japonesa na Era Meiji

O Japão passou a se tornar propriamente uma potência econômica e militar com tendências imperialistas no advento da Era Meiji, no ano de 1867. A Era Meiji teve início com o imperador Mutsuhito, que pôs fim à Era Edu, que perdurou no Japão por cerca de duzentos anos e caracterizou-se por construir uma sociedade agrária, feudal e baseada em clãs políticos. O clã principal era o Xogunato Takugawa.

Com Mutsuhito, as bases feudais japonesas foram gradualmente sendo demolidas. O Japão conseguiu modernizar-se e inserir-se no capitalismo internacional, sobretudo por meio da compra de tecnologia ocidental: maquinário industrial e armas. Além disso, ocorreram reformas políticas, agrárias e urbanas no território japonês, que tornaram a economia do país mais dinâmica do que na época feudal.

Essa prosperidade vinda com a Era Meiji gerou a necessidade de expansão do Japão no continente asiático. Uma das primeiras conquistas territoriais foi a das ilhas Ryukyu, ao sul, em 1879. Todavia, o interesse maior dos japoneses estava na península coreana. O problema é que a Coreia estava a bastante tempo subordinada à China.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Questão da Península da Coreia

A China possuía relações tradicionais com a Coreia, que a servia na condição de Estado vassalo. Por ser uma península aberta ao Oceano Índico, a Coreia era considerada uma região estratégica, sobretudo no que diz respeito à recepção e ao escoamento de produtos comerciais e matérias-primas. Além disso, a Coreia pagava tributos à China e vinha sob a sua influência cultural, tendo o confucionismo como religião oficial.

Entretanto, em virtude de conflitos como as duas Guerras do Ópio e a Guerra sino-francesa, a China ficou gradualmente enfraquecida na segunda metade do século XIX e, ao contrário dos japoneses, os chineses não se modernizaram. Essa situação de vulnerabilidade chinesa foi a oportunidade que o Império Japonês encontrou para colocar a Coreia em sua zona de influência.

Os setores mais reformistas da Coreia viam na ascensão do Japão moderno uma possibilidade de ganhar mais autonomia e, por consequência, de também modernizar a península. Os setores mais tradicionais buscavam, ao contrário, solidificar as relações com a China, como diz a pesquisadora Dora Martins:

Assim, em 1876, o Japão obrigou a Coreia a estabelecer consigo relações diplomáticas, enfraquecendo os tradicionais laços com a China. A China, por seu turno, procurou neutralizar a influência japonesa, promovendo relações entre a Coreia e os países ocidentais, começando com o Tratado entre Coreia do Norte e os Estados Unidos, em 1882. Foi exatamente esta rivalidade entre Japão e China pelo controle da Coreia que haveria de desencadear um conflito bélico entre as forças destes dois países asiáticos a 1 de agosto de 1894 e que ficou conhecido como a Guerra sino-japonesa de 1894-1895. [1]

  • Explode a guerra

O estopim para o conflito ocorreu no dia 28 de março de 1894 com o assassinato de um revolucionário coreano aliado do Japão, chamado Kim Ok-Kyun. Kyun foi morto em Xangai por agentes de Yuan Shikai, um dos principais generais que serviam à Dinastia Qing, chinesa. Após ter sido morto, o corpo de Kyun ainda foi enviado de volta para a Coreia, onde foi esquartejado e exibido em praça pública.

O Japão encarou o fato como uma afronta direta. O conflito estourou quando a China enviou 2.800 soldados sob a liderança de Shikai para a Península Coreana. O Império Japonês, por sua vez, enviou 8.000 combatentes bem treinados e com armamento moderno. As forças chinesas sucumbiram rapidamente sob o poderio japonês. Os japoneses invadiram Seul e capturaram o Imperador coreano em 8 de junho de 1894. Os conflitos prosseguiram até o ano seguinte tanto por terra quanto por mar.

  • Tratado de Shimonoseki

A guerra só terminou oficialmente em 17 de abril de 1895 com a assinatura do Tratado de Shimonoseki, que tornou a Coreia independente da China. Além disso, o tratado obrigava a China a indenizar o Japão pelos danos da guerra e a permitir que navios japoneses adentrassem seu território por meio de alguns rios, como o Yangtze.

NOTAS

[1] MARTINS, Dora A. E. As Relações sino-nipônicas durante o séc. XX. In: observatoriodachina.org. p. 10.


Por Me. Cláudio Fernandes

Escritor do artigo
Escrito por: Cláudio Fernandes Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FERNANDES, Cláudio. "Primeira Guerra sino-japonesa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/primeira-guerra-sino-japonesa.htm. Acesso em 21 de maio de 2024.

De estudante para estudante