Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Madagascar

Madagascar é um país insular do continente africano, e nele vivem mais de 28 milhões de pessoas. Possui economia subdesenvolvida baseada nos setores primário e terciário.

Bandeira de Madagascar.
Bandeira de Madagascar.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Madagascar, ou República do Madagascar, é um país insular localizado na região sudeste do continente africano. A ilha é banhada pelo oceano Índico, e está separada do restante da África pelo canal de Moçambique. O território de Madagascar apresenta clima que varia entre o árido e o tropical, com relevo formado predominantemente por planaltos e planícies. Embora sua vegetação nativa seja a floresta, a maior parte das terras do país está ocupada por áreas agrícolas e pastoris.

Com mais de 28 milhões de habitantes, Madagascar é um país cuja maioria da população vive no campo. Sua economia é classificada como subdesenvolvida, sendo marcada pela profunda desigualdade de distribuição de renda e por uma grande parcela da população vivendo abaixo da linha da pobreza. Atualmente os setores primário e secundário constituem a base da economia de Madagascar.

Leia também: Quais países fazem parte da África?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Madagascar

  • Madagascar, ou República do Madagascar, é um país insular do sudeste da África.

  • Sua capital é a cidade de Antananarivo.

  • É banhado pelo oceano Índico, e se separa do restante do continente pelo canal de Moçambique.

  • Apresenta clima temperado no interior, tropical no litoral e árido no sudoeste, com relevo formado por planaltos, em sua maioria, e planícies.

  • As florestas são a cobertura vegetal nativa de Madagascar.

  • Tem uma população de 28.427.000 habitantes. Desses, aproximadamente 41% vive nas cidades, sendo Madagascar um país essencialmente rural.

  • É um país subdesenvolvido com economia baseada nos setores primário e terciário. A maior parcela da população vive abaixo da linha da pobreza.

  • Madagascar não é urbanizado, e apresenta uma rede de infraestrutura deficitária, que não atende a toda a população.

  • A história local é marcada pela forte resistência da população ao colonialismo europeu.

  • Foi colônia francesa entre 1883 e 1960, além de ter uma história política recente bastante conturbada.

Dados gerais de Madagascar

  • Nome oficial: República do Madagascar

  • Gentílico: madagascarense

  • Extensão territorial: 587.041 km²

  • Localização: África Oriental

  • Capital: Antananarivo

  • Clima: tropical, temperado e árido

  • Governo: república semipresidencialista

  • Divisão administrativa: seis províncias

  • Idioma: malgaxe

  • Religiões:

    • igreja de Jesus Cristo em Madagascar: 34%;

    • católica romana: 32,3%;

    • outras religiões cristãs: 8,1%;

    • animismo: 1,7%;

    • islâmica: 1,4%;

    • outras: 0,6%;

    • nenhuma: 21,9%.

  • População: 28.427.000 habitantes (ONU, 2022)

  • Densidade demográfica: 48,9 hab./km²

  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,501

  • Moeda: Ariary malgaxe (MGA)

  • Produto Interno Bruto (PIB): US$ 16 bilhões (FMI, 2023)

  • PIB per capita: US$ 539,64

  • Gini: 0,462

  • Fuso horário: GMT+3

  • Relações exteriores:

    • ONU;

    • OMC;

    • FMI;

    • Banco Mundial;

    • União Africana.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Geografia de Madagascar

Madagascar é um país insular do continente africano, localizado na região da África Oriental e com capital na cidade de Antananarivo. O território de 587.041 km² de Madagascar é banhado pelo oceano Índico, separando-se da África Continental pelo canal de Moçambique, a oeste.

  • Clima de Madagascar

O território de Madagascar apresenta três ocorrências climáticas distintas: tropical ao longo da costa e temperado no interior, com algumas regiões áridas no sudoeste do país.

Além da maritimidade, os ventos alísios de sudeste e as monções de noroeste são os sistemas que governam o clima de Madagascar. O leste do país recebe mais chuvas do que o interior, e o sudoeste consiste em uma região de sombra de chuvas, o que explica a sua aridez. A média de temperaturas em Madagascar varia entre 10 ºC e 20 ºC, enquanto o volume anual de chuvas chega a 3800 milímetros nas áreas mais úmidas.

  • Relevo de Madagascar

O relevo de Madagascar é composto por planícies, que predominam na região oeste do país, por planícies costeiras e por um amplo planalto central, que se estende para o sul do território. Madagascar apresenta altitude média de 615 metros, sendo a montanha de Maromokotro seu ponto culminante, 2876 metros acima do nível do mar.

  • Vegetação de Madagascar

Famosa avenida dos baobás, no Madagascar.
Famosa avenida dos baobás, no Madagascar.

A vegetação nativa de Madagascar é composta por florestas: ombrófilas densas (tropicais) no leste e decíduas (temperadas) no oeste, com algumas áreas de campos e savanas. No entanto, a cobertura florestal do território de Madagascar diminuiu significativamente e é, hoje, de 21,5%. Cabe destacar a presença da árvore conhecida como baobá na flora madagascarense, sendo ela um símbolo do país.

  • Hidrografia de Madagascar

A rede de drenagem de Madagascar é formada por rios curtos a oeste e longos cursos d’água a leste. Entre os principais rios de Madagascar, estão o Mangoky, mais longo deles, com 563 quilômetros; o Betsiboka; e o Onilahy. Grandes lagos de origem vulcânica também compõem a rede hidrográfica do país, como o lago Itasy.

Mapa de Madagascar

Mapa de Madagascar.

Demografia de Madagascar

A população de Madagascar é de 28.427.000 habitantes, sendo assim o 15º país mais populoso do continente africano. A maioria dos habitantes de Madagascar vive na porção oriental da ilha, concentrando-se especialmente nas proximidades da capital do país, Antananarivo. Essa é a cidade mais populosa de Madagascar, onde vivem mais de 3 milhões de pessoas. Apesar disso, a população urbana representa somente 40,6% do total de moradores de Madagascar, que pode ser caracterizado como um país essencialmente rural.

Vista da cidade de Antananarivo, capital de Madagascar.[1]
Vista da cidade de Antananarivo, capital de Madagascar.[1]

Madagascar apresenta um ritmo de crescimento populacional bastante acelerado de 2,2% ao ano — essa taxa é maior do que a mundial e é comparável a de outros países da África. O crescimento da população de Madagascar se deve à elevada taxa de natalidade, mais de quatro vezes maior do que a taxa de mortalidade, além do saldo migratório nulo. Isso resulta em uma população bastante jovem, com idade mediana de 20 anos. A expectativa de vida em Madagascar é, hoje, de 68,4 anos.

Economia de Madagascar

A economia de Madagascar pode ser classificada como subdesenvolvida. O país fica na 29ª colocação entre as economias nacionais africanas, com um PIB de 16 bilhões de dólares, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI). Considerando sua renda per capita, de aproximadamente 540 dólares, Madagascar está entre as nações mais pobres do continente.

O país é marcado pela enorme desigualdade socioeconômica, refletida num índice de Gini de 0,462. Estima-se que quase 71% da população de Madagascar viva abaixo da linha da pobreza, isto é, com um valor em dinheiro inferior ao que é necessário para garantir o básico.

Os setores primário e terciário são os dois principais segmentos da economia de Madagascar, que possui uma indústria incipiente. Na indústria, destacam-se as atividades de processamento de produtos primários e de montagem de automóveis, além dos setores de papel e celulose e petroquímico. A agricultura de Madagascar se sobressai na produção de cana-de-açúcar, mandioca, arroz e frutas tropicais.

Madagascar apresenta muitos recursos naturais fundamentais para a economia do país, especialmente para a exportação, como ouro, níquel e pedras preciosas, a exemplo da safira. O país comercializa também baunilha e vestuário.

Área de garimpo de ouro e pedras preciosas na cidade de Ilakaka, no Madagascar.
Área de garimpo de ouro e pedras preciosas na cidade de Ilakaka, no Madagascar.

Infraestrutura de Madagascar

Como vimos, Madagascar não é um país urbanizado, embora tenha se identificado um processo de crescimento recente das cidades. A infraestrutura presente nas regiões urbanizadas ainda é deficitária, isto é, não atende a toda a população. No entanto, as redes de serviço nessas áreas são mais abrangentes do que no meio rural. Uma parcela de 85% da população das cidades tem acesso à água tratada, enquanto no campo essa cifra cai para 56%. Redes de saneamento adequadas atendem a metade dos moradores das cidades e somente 22% dos moradores do meio rural.

A eletricidade é outro serviço que não abrange toda a população de Madagascar. Somente 39% dos moradores do país têm acesso à energia elétrica, com a maioria vivendo nas áreas urbanas. O país é um dos que menos consomem energia no mundo, tendo também uma baixa produção. A matriz energética de Madagascar é composta principalmente por fontes não renováveis e pelas hidrelétricas. Nos transportes, todos os modais são utilizados no país, com destaque para a malha rodoviária, que soma mais de 31 mil quilômetros.

Leia também: Os 10 países mais pobres do mundo

Governo de Madagascar

O sistema de governo vigente em Madagascar é o semipresidencialismo. O presidente da república desempenha a função de chefe de Estado, e é eleito por meio do voto popular, ocupando o cargo por cinco anos, com direito à reeleição. O chefe de governo é o primeiro-ministro, indicado pelo presidente da república e nomeado pela Assembleia Nacional, órgão do Poder Legislativo.

O Legislativo de Moçambique é bicameral, formado pelo Senado (Antenimieran-Doholona), com 18 assentos, e pela Assembleia Nacional (Antenimierampirenena), com 151 assentos. As eleições para o Senado são indiretas, enquanto os membros da Assembleia são escolhidos por meio do voto popular.

Etimologia de Madagascar

A palavra Madagascar foi grafada inicialmente como Madageiscar pelo explorador veneziano Marco Polo (1254-1324) no século XIII. Em seus escritos, o navegador confundiu o nome da ilha com o do porto de Mogadíscio (Mogadishu, que significa “sagrado”), que fica na Somália, país situado na região do Chifre da África, a mais de 2300 km de Madagascar.

História de Madagascar

A ocupação da ilha de Madagascar começou, há mais de dois mil anos, com a chegada de pessoas oriundas de outras partes do continente africano e também da Ásia, mais precisamente da Indonésia. A partir do ano 800 da Era Comum, os primeiros mercadores árabes se instalaram naquela região, o que imputou maior dinamismo àquela localidade e, principalmente, ampliou as trocas diretas que aconteciam entre a ilha e o continente.

Os europeus chegaram ao sudeste da costa africana muito tempo mais tarde, tendo aportado na ilha de Madagascar no ano de 1500. Quando avistou a ilha nesse mesmo ano, o navegador português Diogo Dias deu-lhe o nome de ilha São Lourenço. Com o passar dos anos, outras expedições europeias passaram por Madagascar e tentaram estabelecer seu domínio sobre a ilha, como foi o caso dos ingleses, dos holandeses e dos franceses. No entanto, a população de Madagascar resistiu e impediu a invasão ao seu território.

A ação de piratas durante o século XVII serviu como porta de entrada ao domínio europeu em Madagascar, restringindo-se à zona costeira. No período subsequente, os franceses tentaram instalar pontos de defesa no litoral madagascarense, mas não obtiveram sucesso. Foi somente no final do século XIX que a França conseguiu impor seu domínio sobre Madagascar. À época já haviam sido estabelecidos alguns reinos por parte da população nativa, os quais se concentravam especialmente no oeste do território.

Madagascar foi uma colônia francesa até 26 de junho de 1960, quando reconquistou a sua independência. Durante os anos 1970, o país entrou em um período ditatorial, que se estendeu por duas décadas e ocasionou uma profunda crise econômica interna. Eleições para os poderes Executivo e Legislativo foram realizadas entre 1992 e 1993, e, durante o pleito seguinte, de 1997, Didier Ratsiraka, líder ditatorial da década de 1970, retornou ao poder e permaneceu como presidente até 2001.

As eleições presidenciais de 2001 foram bastante conturbadas e quase ocasionaram um conflito interno no país, terminando com a intervenção da Alta Corte nacional na declaração da vitória do então opositor de Ratsiraka, Marc Ravalomanana, que foi reeleito em 2006, mas renunciou três anos depois e entregou o poder aos militares do país. Foi quando se instalou um período de instabilidade política no país que resultou na atuação de entidades como a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral e a ONU para a realização de novas eleições em Madagascar.

Cultura de Madagascar

Romazava, prato típico de Madagascar.
Romazava, prato típico de Madagascar.

Madagascar é um país multiétnico, formado por diversos povos, como os malgaxes, os betsimisaraka e demais etnias oriundas de outras localidades do sudeste da África e do continente asiático, como Malásia e Indonésia. O malgaxe e o francês são as duas principais línguas faladas no território de Madagascar, embora se identifique a presença de outros idiomas, como o inglês. A igreja ortodoxa de Madagascar é muito importante para os seus habitantes, da mesma forma que celebrações cristãs são realizadas em diversas partes do país.

A língua malgaxe é bastante utilizada na literatura pelos escritores e poetas de Madagascar. Em se tratando dos costumes locais, no meio rural do país é muito comum se observar a utilização de roupas tradicionais tanto pelos homens quanto pelas mulheres, o que é menos presente nas cidades. Nos esportes, destacam-se a arte marcial conhecida como moringue, o rugby e o futebol. A riqueza gastronômica de Madagascar é derivada da multietnicidade do país. O prato nacional do país é o romazava, um guisado acompanhado de folhas verdes e outros vegetais.

Curiosidades sobre Madagascar

  • Madagascar é a quarta maior ilha do mundo.

  • A flora e a fauna de Madagascar apresentam diversas espécies endêmicas, encontradas somente naquele país. Por exemplo, mais de 70 espécies de lêmures existem só em Madagascar.

  • Existem cerca de 10.000 espécies endêmicas de plantas em Madagascar.

  • O país abriga mais de metade da população de camaleões do mundo.

  • Em função da grande biodiversidade que abriga, Madagascar integra o grupo de 17 países classificados como megadiversos. O Brasil também faz parte dessa lista.

Créditos da imagem

[1] Nok Lek Travel Lifestyle / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Madagascar"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/madagascar.htm. Acesso em 16 de junho de 2024.

De estudante para estudante