Os 10 países mais pobres do mundo

Curiosidades

PUBLICIDADE

Para classificarmos um território (município, estado e/ou país) como pobre, vários fatores devem ser levados em consideração, uma vez que não há um único critério para esse tipo de análise. O primeiro passo para esse estudo é a definição de pobreza, conceito subjetivo de acordo com a sociedade em questão.

Valores como religião, cultura e modo de vida devem ser vistos com atenção e cautela para que tal análise não seja recheada de estereótipos e padrões inalcançáveis por determinadas regiões mundo afora.

Leia também: O que é subdesenvolvimento?

Listas dos 10 países mais pobres do mundo

Preparamos três rankings de acordo com três critérios:

Os dados levantados são de 2018 e foram retirados de fontes oficiais, como o Banco Mundial e o portal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que avalia todos os países que têm seus dados divulgados, além do Relatório de Desenvolvimento Humano, lançado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

  • Menores PIBs do mundo (do menor para o maior)

País

Valor do PIB (US$x1000000)

1º – Tuvalu

46

2º – Nauru

127

3º – Kiribati

189

4º – Ilhas Marshall 

214

5º – Palau

284

6º – Micronésia

371

7º – São Tomé e Príncipe

411

8º – Tonga

504

9º – Dominica 

551

10º – São Vicente e Granadinas

811

 

O maior PIB do mundo é dos Estados Unidos da América: US$ (x1000000) 20.580.223.

Nesse item, vale ressaltar que todos esses países são pequenas ilhas em seus respectivos continentes, o que pode justificar o PIB tão pequeno.

  • Menores rendas per capita (do menor para o maior)

País

Renda per capita (US$)

1º – Somália

100

2º – Burundi

294

3º – Malauí

397

4º – Libéria

440

5º – República Centro-Africana

481

6º – Moçambique

499

7º – Madagascar

527

8º – Serra Leoa

536

9º – Afeganistão

552

10º – República Democrática do Congo

561

 

A maior renda per capita do mundo pertence a Mônaco: US$ 185.835.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Menores IDHs (do menor para o maior)

País

IDH

1º – Níger

0,377

2º – República Centro-Africana

0,381

3º – Chade

0,401

4º – Sudão do Sul

0,413

5º – Burundi

0,423

6º – Mali

0,427

7º – Eritreia 

0,434

8º – Burkina Fasso

0,434

9º – Serra Leoa

0,438

10º – Moçambique 

0,446

 

O maior IDH do mundo é da Noruega: 0,954.

Leia também: Cultura brasileira: da diversidade à desigualdade

O que é pobreza?

De acordo com o Dicionário Aurélio de Língua Portuguesa, pobreza nada mais é do que a característica de quem é pobre. Esse último adjetivo é definido como “o que não tem o que é necessário à vida, sem dinheiro ou meios”. Entretanto, algumas sociedades possuem culturas diferentes, o que acaba interferindo no entendimento desse conceito.

Com isso, a definição de pobreza apresentada pelo dicionário pode não ser válida para todo o mundo, devido às peculiaridades de cada país, que envolvem questões sociais, religiosas,  políticas, entre outras.

A definição de pobreza varia também ao longo dos anos com as mudanças provocadas por políticas econômicas, globalização, acesso à informação e alteração nos parâmetros de análise. Atualmente, de acordo com o Banco Mundial, é considerado pobre aquela pessoa que vive com menos de 1,90 dólar/dia, algo que atinge aproximadamente 760 milhões de indivíduos em todo o planeta, cerca de 10,5% da população mundial.

Para o dicionário, pobreza tem relação com a falta de dinheiro.
Para o dicionário, pobreza tem relação com a falta de dinheiro.

Podemos, como definição aproximada, dizer que a pobreza se caracteriza pela falta de acesso à:

  • água potável;
  • alimentação adequada diariamente;
  • meios sanitários, como saneamento básico e consultas médicas;
  • energia elétrica;
  • outros itens que garantam o mínimo de bem-estar e conforto familiar.

O conceito de pobreza, como dissemos, varia de acordo com os países, mas há unanimidade quando o assunto é políticas públicas voltadas para os mais necessitados. Os governos  usam seus critérios de medição de pobreza para planejar e executar as políticas sociais, e um dos parâmetros levados em conta é o 1,90 dólar/dia.

O critério nomeado de “linha da pobreza” analisa a taxa populacional que vive abaixo dessa faixa, tendo em vista a região, geografia, clima e aspectos sociais. Essa linha pode ser definida de acordo com a evolução econômica de cada país ao longo dos anos, o que traz uma dificuldade em termos de comparação mundial. Como exemplo, podemos citar dois extremos: quem é pobre nos Estados Unidos (país mais rico no mundo em termos de  PIB) pode ter uma vida confortável em Tuvalu, país com o menor PIB do mundo.

As condições de vida nos dois países citados são completamente diferentes, o que mostra que classificar e analisar a pobreza não é algo tão simples quanto se imagina.

Veja também: Desigualdade social – diferença entre as classes sociais quanto a diversos fatores

A pobreza atinge todas as idades.
A pobreza atinge todas as idades.

Critérios de classificação dos países mais pobres do mundo

Para medir a pobreza de uma região, o Banco Mundial adotou o critério de pessoas que vivem com até 1 dólar/dia em 1991. Essas pessoas, segundo os parâmetros dessa instituição, estão abaixo da linha da pobreza.

Com o passar dos anos, esse número de 1 dólar foi aumentando progressivamente, chegando, em 2015, a 1,90 dólar/dia. O objetivo essencial desse número é analisar, em um grau mundial, quantas pessoas vivem na extrema miséria para, depois, fazer comparações nacionais.

Assim, cada país deve verificar em suas populações quem vive abaixo dessa condição financeira e traçar suas políticas públicas, como transferência de renda, incentivo à educação e escolarização, infraestrutura (saneamento básico), etc. Esse parâmetro é seguido ainda hoje, sendo unanimidade entre os países para medir a condição de pobreza de seus habitantes. Entretanto, ele não é o único.

A falta de saneamento básico é um dos fatores de pobreza. Na foto, crianças buscando água em Uganda, África.
A falta de saneamento básico é um dos fatores de pobreza. Na foto, crianças buscando água em Uganda, África.

Há também indicadores econômicos como a análise do PIB ou a renda per capita de um território. Esses indicadores por si só não refletem toda a realidade da população, pois mascaram a distribuição de renda, pois há grandes riquezas concentradas na mão de um pequeno grupo de pessoas, sobretudo em países emergentes e subdesenvolvidos. Dessa forma, ao analisar esses indicadores de maneira isolada, pode-se cometer um equívoco, pois países muito ricos, com um PIB imenso, não necessariamente têm no grupo de seus cidadãos muitas pessoas com acesso a essa riqueza.

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) também pode ser usado para a avaliação da pobreza de um local, pois, dentre os três fatores estudados para a obtenção desse índice, um é a renda familiar. Em geral, países com baixíssimo IDH são aqueles em que a maior parte da população é pobre.

 

Por Átila Matias
Professor de Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MATIAS, Átila. "Os 10 países mais pobres do mundo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/curiosidades/os-10-paises-mais-pobres-do-mundo.htm. Acesso em 28 de outubro de 2020.