Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Câncer infantil

Câncer infantil acomete crianças e adolescentes e corresponde a um grupo de doenças que apresentam em comum a multiplicação desordenada de células.

Se descoberto precocemente e o tratamento adequado for disponibilizado, o câncer infantil apresenta altos índices de cura.
Se descoberto precocemente e o tratamento adequado for disponibilizado, o câncer infantil apresenta altos índices de cura.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Câncer infantil é um câncer que acomete crianças e adolescentes. Assim como os cânceres que acometem os adultos, o câncer infantil ocorre devido à multiplicação desordenada de células. Costuma se desenvolver de maneira rápida, sendo fundamental estar atento a sintomas como perda de peso inexplicada, dor óssea, sangramentos, dores de cabeça frequentes, surgimento de caroços, alterações oculares e mudanças de comportamento.

O diagnóstico é confirmado por meio de exames específicos, tais como exames de imagens e biópsias. Após o diagnóstico, o tratamento deve ser iniciado rapidamente e inclui terapias como radioterapia, quimioterapia e cirurgia. O câncer infantil apresenta alto índice de cura, podendo atingir 80%.

Leia também: Tumor é câncer?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre câncer infantil

  • É um câncer que acomete crianças e adolescentes.

  • Não está relacionado com fatores de risco ambientais e estilo de vida.

  • A maioria dos cânceres infantis responde bem aos tratamentos atuais.

  • Em torno de 80% das crianças e adolescentes com câncer infantil podem ser curados se receberem tratamento adequado.

  • A leucemia se destaca como o câncer infantil mais frequente.

  • Vários sintomas podem estar relacionados com câncer infantil, sendo fundamental estar atento a algumas alterações, como dores de cabeça, alterações motoras, mudanças de comportamento, alterações nos olhos, aumento do volume abdominal, dor óssea, sangramentos e hematomas.

  • O diagnóstico só pode ser confirmado com base na realização de exames.

  • Quimioterapia, cirurgia e radioterapia são tratamentos que podem ser realizados em pacientes com câncer infantil.

  • O paciente com câncer infantil deve ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar.

O que é o câncer infantil?

Antes de compreendermos melhor o que é um câncer infantil, devemos ter em mente a definição de câncer. O termo câncer é utilizado para se referir a um grupo de doenças que apresentam em comum a multiplicação desordenada de células, que leva à formação de tumores, que podem invadir tecidos próximos ou outras áreas do corpo. Essa migração das células cancerosas de uma região para outra é conhecida como metástase.

O câncer infantil afeta crianças e adolescentes e representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos de idade em nosso país. Apesar disso, devido à natureza predominantemente embrionária, tumores em crianças e adolescentes são formados por células indiferenciadas, o que faz com que, geralmente, tenham melhor resposta aos tratamentos atuais.

A necessidade do diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento. De acordo com o Inca, em torno de 80% das crianças e adolescentes acometidos da doença podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados, e a maioria terá uma boa qualidade de vida após o tratamento adequado.

É importante destacar que no câncer infantil, diferentemente do adulto, os fatores de risco relacionados com o estilo de vida não aumentam o risco de uma criança desenvolver câncer.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sintomas do câncer infantil

O câncer infantil pode ser um desafio quando se fala em diagnóstico precoce. Isso ocorre, pois, muitas vezes, seus sintomas são muito parecidos com os das infecções que comumente ocorrem em crianças, e muitos responsáveis acabam não procurando um especialista para tratar o problema. A presença de hematomas, por exemplo, pode ser associada a tombos e esbarrões, entretanto, também trata-se de um sintoma que pode ocorrer em alguns casos de leucemia.

De acordo com o folheto “Câncer da criança: sinais de alerta”, elaborado por instituições internacionais de controle do câncer e editado no Brasil pelo Inca, são considerados sinais de alerta:

  • palidez, hematomas ou sangramento, dor óssea;

  • caroços ou inchaços, especialmente se indolores e sem febre ou outros sinais de infecção;

  • perda de peso inexplicada ou febre, tosse persistente ou falta de ar, sudorese noturna.

  • alterações oculares — pupila branca, estrabismo de início recente, perda visual, hematomas ou inchaço ao redor dos olhos;

  • inchaço abdominal;

  • dor de cabeça, especialmente se incomum, persistente ou grave, vômitos (em especial pela manhã ou com piora ao longo dos dias);

  • dor em membros ou dor óssea, inchaço sem trauma ou sinais de infecção;

  • fadiga, letargia ou mudanças no comportamento, como isolamento;

  • tontura, perda de equilíbrio ou coordenação.

Como dito, os sinais e sintomas são semelhantes a doenças sem maior gravidade e, na maioria das vezes, realmente não representam perigo. Entretanto, é importante estar atento e procurar um especialista quando os sintomas citados surgirem.

Tipos mais comuns de cânceres infantis

Quando falamos de câncer infantil, os três tipos mais frequentes são as leucemias, os cânceres que afetam o sistema nervoso central e os linfomas:

  • Leucemias: a leucemia infantil se destaca como o principal tipo de câncer infantil. Na leucemia, uma célula sanguínea sofre mutação e se torna cancerosa, a qual apresenta como características a multiplicação rápida e a menor mortalidade que as células normais. Com o tempo, as células sanguíneas normais da medula óssea vão sendo substituídas por células cancerosas.

    As leucemias podem ser divididas em dois grandes grupos: mieloide e linfoide. As leucemias linfoides afetam as células linfoides, as quais formam os linfócitos. Já as mieloides afetam as células mieloides, que originam hemácias, monócitos, granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos) e plaquetas. As leucemias ainda podem ser classificadas em crônicas ou agudas.

    As crônicas se agravam gradualmente, enquanto as agudas se agravam rapidamente. Os tipos mais comuns em crianças são a leucemia linfoide aguda e a leucemia mieloide aguda. As leucemias podem provocar sintomas como perda de peso, dor nos ossos, sangramentos, hematomas, fraqueza, cansaço, sonolência e infecções recorrentes.

  • Cânceres do sistema nervoso central: afetam o sistema nervoso central e se destacam como o segundo tipo de câncer mais comum em crianças. Os tumores formados no sistema nervoso podem provocar dores de cabeça, vômitos, tontura, dificuldade para caminhar e visão turva.

  • Linfomas: são um tipo de câncer que se origina nas células do sistema linfático. Os linfomas afetam, principalmente, os linfonodos. Podem provocar sintomas como aumento do tamanho dos linfonodos da região das axilas, pescoço ou virilha, fraqueza, perda de peso e sudorese.

Outros tipos de câncer que acometem crianças são o neuroblastoma, que afeta células do sistema nervoso periférico; o tumor de Wilms, que acomete os rins; o retinoblastoma, que afeta a retina; o tumor germinativo, que afeta células que dão origem aos testículos e ovários; e os tumores ósseos.

Diagnóstico do câncer infantil

Mulher pegando nas mãos de criança com câncer deitada na cama
Durante todo o tratamento contra o câncer, é fundamental que a criança conte com o apoio de sua família e de seus amigos.

O médico, diante de sintomas sugestivos, deverá investigar mais a fundo o quadro do paciente. Para um diagnóstico correto, exames devem ser feitos, tais como exames de imagem e biópsias.

Tratamento do câncer infantil

O tratamento do câncer infantil, assim como outros tipos de cânceres, é feito de maneira individual, e a modalidade a ser escolhida dependerá de fatores como o tipo de câncer apresentado pelo paciente e a condição em que ele se encontra.

As três modalidades principais de tratamento são a quimioterapia, a cirurgia e a radioterapia. A quimioterapia utiliza medicamentos com a finalidade de combater o câncer. Na cirurgia, o tumor é retirado por meio de uma intervenção cirúrgica. A radioterapia, por sua vez, utiliza radiações ionizantes a fim de impedir a multiplicação ou destruir as células cancerosas.

Para garantir maior sucesso no tratamento e melhoria no bem-estar geral do paciente, é importante que a criança ou adolescente receba atenção de uma equipe multidisciplinar. Profissionais como psicólogos, por exemplo, são essenciais no tratamento de qualquer tipo de câncer desenvolvido pelo indivíduo. A notícia de que uma criança ou adolescente está com câncer nem sempre é fácil de lidar, sendo fundamental ajuda tanto para o paciente como para sua família.

Leia também: Neoplasia — multiplicação anormal de células de um tecido que pode ocasionar consequências graves ao organismo

Prevenção do câncer infantil

Até o momento, não há formas de se prevenir o câncer infantil. Um dos principais motivos está no fato de que não existem evidências de que a doença possa ser desencadeada por exposição a algum fator ambiental. Assim sendo, o foco deve ser sempre um diagnóstico precoce.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Câncer infantil"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/cancer-infantil.htm. Acesso em 25 de junho de 2022.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


Genocídio

Grandes genocídios marcaram a história da humanidade. Veja como grandes populações foram assassinadas coletivamente...

Mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si

Os casos mais comuns de mistura de soluções de solutos diferentes que reagem entre si ocorrem quando juntamos...