Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Marchinhas de Carnaval

As marchinhas de Carnaval tiveram seu auge entre as décadas de 1920 e 1960, mas ainda são um elemento característico dessa festa no Brasil.

Pessoas sorrindo, jogando confetes e segurando guarda-chuvas coloridos no Carnaval, festa que deu origem às marchinhas.
As marchinhas fazem parte da história do Carnaval brasileiro.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Marchinhas de Carnaval são músicas predominantes no Carnaval brasileiro. Suas letras são simples, com malícia e com rimas fáceis de memorizar. As marchinhas surgiram no Brasil em meados do século XX e, apesar de não serem tão populares quanto no passado, podem ser consideradas patrimônios do Carnaval nacional.

Leia também: Samba de roda — uma mistura de poesia, música e dança

Tópicos deste artigo

Origem das marchinhas de Carnaval

As marchinhas estão intrinsecamente ligadas ao Carnaval, que chegou ao Brasil ainda no período colonial. Porém, foi ao longo do século XX que essa festa se tornou próximo do que conhecemos hoje.

No contexto do final do século XIX, as marchinhas carnavalescas surgiram no Rio de Janeiro. Foi nesse período, no ano de 1899, que a pianista e compositora brasileira Chiquinha Gonzaga compôs a primeira marchinha, Ó Abre Alas.

A origem do nome “marchinha” remonta à marcha dos soldados, já que a batida é similar às fanfarras militares. Apesar de seu surgimento ainda no século XIX, foi no século XX, entre os anos de 1920 e 1960, que as marchinhas atingiram o seu auge.

Em um primeiro momento, as marchinhas brasileiras possuíam uma forte influência das portuguesas, ambas com melodias simples e compasso binário. Na época, Vassourinha (1912) e A Baratinha (1917) fizeram grande sucesso no Brasil.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características das marchinhas de Carnaval

Ao longo dos anos, as marchinhas ganharam um ritmo mais acelerado, com melodias simples e letras com malícia. As características das marchinhas as tornam facilmente identificadas pelo público. Alguns desses elementos são:

  • letras pequenas e simples;

  • fácil memorização;

  • humor;

  • duplo sentido;

  • ironia;

  • crítica social.

Veja também: Como era o Carnaval na Idade Média?

O auge das marchinhas de Carnaval

Carmen Miranda, cantora que interpretava marchinhas de Carnaval, vestida com colares e turbante durante apresentação.
Carmen Miranda regravou o clássico Mamãe Eu Quero, em 1941. [1]

Ao longo do século XX, entre 1920 e 1960, as marchinhas de Carnaval viveram a era de ouro do Carnaval brasileiro. Na época, grandes nomes interpretaram marchinhas, como Dalva de Oliveira, Carmen Miranda, Sílvio Caldas e Mário Reis.

O sucesso era tanto que na década de 1950, muitos artistas do Brasil se arriscaram a escrever marchinhas. Foi o caso de Chico Buarque e Caetano Veloso, por exemplo. Buarque escreveu a música A Banda, de 1966, para o Carnaval da época. Já Caetano escreveu algumas marchinhas e também flertou com o frevo.

Declínio das marchinhas de Carnaval

As marchinhas começam a perder a "hegemonia” do Carnaval à medida que o samba e o samba-enredo ficaram cada vez mais populares, principalmente no Rio de Janeiro. Porém, ao longo dos anos, outros gêneros passaram a ocupar o protagonismo nas músicas de Carnaval, como axé, funk e brega.

Apesar de não serem mais o gênero mais tocado nos carnavais ao redor do Brasil, as marchinhas ainda ocupam um lugar importante no imaginário popular brasileiro no que diz respeito ao Carnaval.

Saiba mais: Escolas de samba — um dos principais atrativos do Carnaval brasieiro

Quais as marchinhas de Carnaval mais famosas?

Além de Ó Abre Alas, ao longo dos anos diversas marchinhas marcaram a cultura popular brasileira, como:

  • Allah-lá-ô (Haroldo Lobo e Nássara, 1940);

  • Mamãe Eu Quero (Jararaca e Vicente Paiva, 1936);

  • Me Dá um Dinheiro Aí (Ivan Ferreira, Homero Ferreira e Glauco Ferreira, 1959);

  • Cachaça (Mirabeau Pinheiro, Lúcio de Castro e Heber Lobato, 1953).

Confira abaixo as letras das marchinhas de Carnaval mais famosas do Brasil.

Ó Abre Alas

Ô abre alas que eu quero passar
Peço licença pra poder desabafar
A jardineira abandonou o meu jardim
Só porque a rosa resolveu gostar de mim
A jardineira abandonou o meu jardim
Só porque a rosa resolveu gostar de mim

Ô abre alas que eu quero passar
Peço licença pra poder desabafar
A jardineira abandonou o meu jardim
Só porque a rosa resolveu gostar de mim
A jardineira abandonou o meu jardim
Só porque a rosa resolveu gostar de mim

Eu não quero a rosa
Porque não há rosa que não tenha espinhos
Prefiro a jardineira carinhosa
A flor cheirosa
E os seus carinhos

(Chiquinha Gonzaga, 1899)

Allah-lá-ô

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor, ô ô ô ô ô ô
Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara

Viemos do Egito
E muitas vezes
Nós tivemos que rezar
Allah! allah! allah, meu bom allah!
Mande água pra ioiô
Mande água pra iaiá
Allah! meu bom allah

Mamãe Eu Quero

Mamãe eu quero, mamãe eu quero
Mamãe eu quero mamar
Dá a chupeta, dá a chupeta
Dá a chupeta pro bebê não chorar

Dorme filhinho do meu coração
Pega a mamadeira e vem entrar pro meu cordão
Eu tenho uma irmã que se chama Ana
De piscar o olho já ficou sem a pestana

Olho as pequenas mas daquele jeito
Tenho muita pena não ser criança de peito
Eu tenho uma irmã que é fenomenal
Ela é da bossa e o marido é um boçal

Me Dá um Dinheiro Aí

Ei, você aí!
Me dá um dinheiro aí!
Me dá um dinheiro aí!

Não vai dar?
Não vai dar não?
Você vai ver a grande confusão
Que eu vou fazer bebendo até cair
Me dá me dá me dá, ô!
Me dá um dinheiro aí!

Cachaça

Você pensa que cachaça é água
Cachaça não é água não
Cachaça vem do alambique
E água vem do ribeirão

Pode me faltar tudo na vida
Arroz feijão e pão
Pode me faltar manteiga
E tudo mais não faz falta não
Pode me faltar o amor
Há, há, há, há!
Isto até acho graça
Só não quero que me falte
A danada da cachaça

Créditos da imagem

[1] Commons

 

Por Miguel Souza
Jornalista

Escritor do artigo
Escrito por: Miguel Souza Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Miguel. "Marchinhas de Carnaval"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/carnaval/marchinhas-de-carnaval.htm. Acesso em 24 de junho de 2024.

De estudante para estudante


Artigos Relacionados


Bateria das escolas de samba

Clique aqui e saiba o que é a bateria das escolas de samba. Conheça sua história, suas características e sua função. Descubra como ela é avaliada.
Carnaval

Carnaval

Saiba mais sobre o feriado de Carnaval: o que é, quando e por que surgiu o feriado. Veja ainda como é o Carnaval no Brasil e alguns locais para comemorar essa festa.
Carnaval

Carnaval no Brasil

Clique aqui para saber como é o Carnaval no Brasil. Veja quando é celebrada a festa e quais as características do Carnaval em cada região do país.
Carnaval

Comemoração do Carnaval

Saiba mais sobre as origens do Carnaval e que relações essa data tem com a liturgia cristã.
Datas Comemorativas - 2024

Escolas de samba

Clique para saber mais sobre as escolas de samba. Entenda o contexto de surgimento das escolas de samba e dos desfiles que marcam o Carnaval brasileiro.
Carnaval

Fantasias de Carnaval

Acesse o texto para conhecer mais sobre a origem das fantasias de Carnaval. Entenda quando seu uso foi inserido no Carnaval brasileiro e o que ele significa.
Carnaval

História do Carnaval

Clique para saber mais sobre o Carnaval. Entenda as origens dessa importante festa popular. Veja como era comemorada na Idade Média e como chegou ao Brasil.
Carnaval

Samba

Clique no link para saber mais sobre o samba. Entenda do que se trata esse gênero da nossa cultura, e confira um pouco de sua origem.
Cultura

Samba de roda

Clique aqui, saiba qual é a origem do samba de roda, conheça suas principais características e entenda como se difere do samba carioca.
Cultura

Samba-enredo

Acesse o texto e entenda o que é samba-enredo, quando e como surgiu e quais as suas características. Veja a evolução desse famoso elemento do Carnaval.
Carnaval