Topo
pesquisar

Pelé

Biografia

Pelé é considerado o melhor jogador de futebol de todos os tempos, é o maior artilheiro do mundo, com 1281 gols, e foi o jogador mais jovem a vencer uma Copa do Mundo.
PUBLICIDADE

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, é um ex-esportista brasileiro, considerado o maior jogador da história do futebol, personalidade mundial do esporte e popularmente chamado de Rei do Futebol. Nasceu na cidade de Três Corações, em Minas Gerais, no dia 23 de outubro de 1940. É filho de João Ramos do Nascimento (também ex-jogador de futebol, conhecido como Dondinho) e Celeste Arantes do Nascimento.

Aos quatro anos de idade, Edson e sua família mudaram-se para Bauru, em São Paulo. Nessa época, ele era chamado de Dico pela família e de Edson pelos amigos. Influenciado pelo pai, Dico sempre foi fã de futebol e logo começou a fazer parte dos times de garotos que jogavam nas ruas de Bauru. Ele gostava de atuar no gol, inspirado no goleiro José Lino da Conceição Faustino, o Bilé, amigo de time de seu pai, o Vasco de São Lourenço (Minas Gerais).

Como Edson não conseguia pronunciar o nome Bilé corretamente, durante os jogos com os amigos, ele falava algo semelhante com Seguuura, Pilééé!”, quando fazia suas defesas. O fato fez com que os amigos passassem a chamá-lo de Pelé. Ele não gostou disso, e foi aí que o apelido pegou entre os amigos.

Além dos jogos de futebol, durante a infância, o garoto ajudava a família como podia. O pai lesionou-se e não continuou a jogar futebol, o que deixou a família em dificuldades. Para contribuir com a renda familiar, Pelé trabalhou como engraxate em Bauru.

Veja também: Curiosidades da história do futebol

Carreira

Destaque dos jogos nas ruas de Bauru, Pelé passou por algumas equipes amadoras durante sua infância, e, aos 11 anos, o jogador Waldemar de Brito descobriu-o e convidou-o para a equipe que estava formando: o Clube Atlético de Bauru. Passados poucos anos, Waldemar percebeu o enorme talento de Pelé e decidiu levá-lo para um time maior, o Santos Futebol Clube.

Santos Futebol Clube

Com 16 anos, Pelé chegou ao Santos como promessa. [2]
Com 16 anos, Pelé chegou ao Santos como promessa. 2

Em 1956, Pelé chegou ao Santos como promessa de Waldemar de Brito, que, de acordo com informações do site oficial do Santos, afirmou ao clube: “Esse menino vai ser o melhor jogador de futebol do mundo!”. Passado um mês de sua chegada ao clube, o jovem fez sua primeira partida na equipe profissional. O jogo foi contra o Corinthians de Santo André, e o Santos venceu por 7 a 1. Pelé entrou no segundo tempo de partida e marcou o sexto gol.

Pelé começou a ser reconhecido nacionalmente ainda com 16 anos de idade. Em 1957, o garoto já era titular do Santos e foi artilheiro do Campeonato Paulista, o mais jovem até hoje, marcando 36 gols. O Rei do Futebol atuou durante quase toda sua carreira no Santos, entre 1956 a 1974. No período, ele levou o clube a conquistar dez títulos estaduais e seis campeonatos nacionais (Taça Brasil e Torneio Robertão), além de duas Copas Libertadores e dois Mundiais de Clubes, em 1962 e 1963.

Na Libertadores, na época ainda conhecida como Copa Campeões da América, o Santos, com uma das melhores equipes de todos os tempos, conhecida como Balé Branco e liderada por Pelé, atraiu a atenção internacional para o torneio. Em 1962, a equipe venceu o então bicampeão Peñarol, do Uruguai, na final e foi o primeiro time brasileiro a garantir o título na competição. Já em 1963, Pelé contou com o apoio de Coutinho para vencer o torneio de novo, mas, dessa vez, em cima do Boca Juniors, da Argentina.

Também no Santos, em 1969, Pelé marcou seu milésimo gol. O feito ocorreu em uma partida contra o Vasco, no Maracanã, e foi realizado em uma cobrança de pênalti.

Carregando...

Pelé despediu-se do Santos no dia 2 de outubro de 1964. No estádio da Vila Belmiro, a equipe santista enfrentou a Ponte Preta. Nesse dia, Pelé ajoelhou-se no gramado, com os braços abertos e a bola à sua frente para despedir-se do clube pedindo perdão, já que seria transferido para o New York Cosmos depois de anos de insistência da equipe dos Estados Unidos para contratá-lo. Pelo Santos, Pelé fez 1116 jogos e marcou 1.091 gols.

Saiba mais: Copa América: história, participantes e curiosidades

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Seleção Brasileira

Passados dez meses da contratação de Pelé pelo Santos, o garoto foi convocado pela Seleção Brasileira pela primeira vez para disputar a Copa Roca (atual Superclássico das Américas). A competição era um torneio amistoso entre a Seleção Brasileira e a Seleção Argentina.

As duas partidas foram realizadas no Brasil. A primeira marcou a estreia de Pelé com a camisa do Brasil e foi realizada no Maracanã. A Argentina venceu por 2 a 1, e o gol brasileiro foi marcado por Pelé. Na partida de volta, no Estádio do Pacaembu, o Brasil venceu por 2 a 0, com um gol de Pelé e outro de Mazzola. Foi o primeiro título de Pelé pela Seleção Brasileira.

Pelé em seus primeiros anos de carreira atuando pela CBD. [3]
Pelé em seus primeiros anos de carreira atuando pela CBD. 3

Pelé é, até hoje, o jogador mais novo a vencer uma Copa do Mundo de Futebol. Com apenas 17 anos e 8 meses, Pelé foi campeão do mundo em 1958, na Suécia. O então garoto fez seis gols em sua primeira Copa do Mundo e foi o artilheiro do Brasil. Nessa edição, Pelé foi chamado pelos franceses de Rei do Futebol.

O primeiro gol de Pelé em uma Copa do Mundo foi contra o País de Gales, nas quartas de final do Mundial de 1958. O feito concede a Pelé o recorde de jogador mais novo a fazer um gol em uma Copa do Mundo.

Na Copa da Suécia, os dirigentes brasileiros esqueceram de enviar a numeração dos jogadores para a FIFA, e a entidade precisou defini-la. Pelé era reserva e recebeu a camisa 10, número que ficou eternizado em suas costas. Por causa de Pelé, os jogadores mais habilidosos passaram a usar a camisa 10.

Era de Ouro

O Mundial de 1958 na Suécia iniciou a chamada Era de Ouro da Seleção Brasileira. De 1958 a 1970, foram três títulos em quatro Copas. Em 1962, no Mundial do Chile, Pelé fez um gol antológico no primeiro jogo, contra o México, mas sofreu uma contusão no segundo jogo e ficou fora do restante do torneio. Sorte do Brasil que tinha também outras estrelas, como Nílton Santos, Didi, Zagallo, Vavá e Garrincha, que garantiram o bicampeonato.

Em 1970, em plena Ditadura Militar, a Copa do México serviu para amenizar o clima hostil que vivia o país. Além de Pelé, a seleção de 1970 tinha outros grandes nomes do futebol, como Jairzinho, Rivelino, Carlos Alberto, Clodoaldo, Tostão, Gérson e Félix. Muitos consideram essa seleção a melhor de todos os tempos.

Seleção do Brasil na Copa do México, em 1970. Em pé: Carlos Alberto, Brito, Piazza, Félix, Clodoaldo e Everaldo. Ajoelhados: Jairzinho, Gérson, Tostão, Pelé e Rivelino.4
Seleção do Brasil na Copa do México, em 1970.
Em pé: Carlos Alberto, Brito, Piazza, Félix, Clodoaldo e Everaldo.
Ajoelhados: Jairzinho, Gérson, Tostão, Pelé e Rivelino.4

Pelé fez quatro gols na Copa do México, incluindo o primeiro da final contra a Itália. O Brasil venceu por 4x1 e conquistou o tricampeonato. Naquela Copa o artilheiro foi Jairzinho, com sete gols.

Atuando pela Seleção, Pelé tornou-se também o único jogador da história a ser tricampeão mundial (1958, 1962 e 1970). Ele marcou 95 gols com a camisa do Brasil e ainda é o maior artilheiro da seleção masculina. Pelé fez seu último jogo pela Seleção Brasileira em julho 1971, no Maracanã, em um amistoso contra a Iugoslávia.

New York Cosmos

Após 18 anos atuando pelo Santos e pela Seleção Brasileira, Pelé assinou contrato com a equipe do New York Cosmos, dos Estados Unidos, para jogar a temporada de 1975. Durante anos, Pelé recusou a proposta de grandes times mundiais alegando que não queria jogar por outra equipe que não fosse o Santos. A chegada do jogador ao país norte-americano era tida como uma influência para despertar o interesse da população do país pelo futebol.

Anos depois, em publicação feita em suas redes sociais, Pelé contou como foi convencido a aceitar o convite do Cosmos. “O treinador do Cosmos, Clive Toye, disse para mim. 'Você pode ir para Espanha ou Itália e ganhar um título, mas você pode vir para o Cosmos e ganhar um país.' Que grande experiência foi essa.” — relatou o Rei do Futebol.

O início nos Estados Unidos foi complicado para Pelé, já que a equipe ainda era um pouco fraca e o país não tinha a tradição do futebol. Em 1976, os jogadores Beckenbauer, alemão, e Chinaglia, italiano, chegaram para reforçar o Cosmos, ajudando Pelé a ser eleito o Jogador mais valioso (ou Most Valuable Player - MVP) da Liga. Já em 1977, Carlos Alberto Torres também chegou à equipe. Juntos, Pelé e Torres foram campeões do Campeonato da North American Soccer League (NASL).

No Cosmos, entre jogos oficiais e amistosos, Pelé fez 106 partidas e marcou 64 gols. A ida de Pelé para a equipe também fez a média de público aumentar. O número que era de 3.578 pessoas por jogo em 1974, passou para 10.450 (1975), 18.227 (1976) e 34.142 (1977). Com isso, o time que jogava no Downing Stadium acabou mudando, em 1976, para o Yankee Stadium e, na outra temporada, para o Giants — estádios de beisebol e de futebol americano, respectivamente.

A passagem de Pelé surtiu o efeito que os norte-americanos buscavam. A Seleção dos EUA voltou à Copa do Mundo em 1990, quebrando um jejum de 40 anos, e o país recebeu o Mundial em 1994.

Veja também: Como a bola faz a curva?

Aposentadoria

Pelé despediu-se dos gramados em 1977 em um jogo do Cosmos contra o Santos, nos Estados Unidos. A partida contou com a presença de artistas, políticos e personalidades mundiais. O Rei disputou o primeiro tempo da partida com a camisa do Cosmos e o segundo tempo com a camisa do Santos. De acordo com o Guinness Book (Livro dos Recordes), Pelé marcou em sua carreira 1281 gols, sendo o maior artilheiro da história do futebol.

Vida pessoal

O filho de Dondinho e Dona Celeste teve um irmão, Jair Arantes do Nascimento, mais conhecido como Zoca. O irmão é o braço direito de Pelé ajudando o Rei a cuidar dos negócios e da carreira. Na vida pessoal, Pelé relacionou-se com algumas famosas e foi casado três vezes. O primeiro casamento durou de 1966 a 1978, com Rosemari de Reis Cholbicon, e rendeu três filhos: Kelly Cristina, Jennifer e Edson.

O filho Edson, conhecido como Edinho, seguiu a carreira do pai e tornou-se goleiro do Santos na década de 1990. Depois da aposentadoria, envolveu-se com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, o que lhe rendeu condenação de 12 anos de prisão.

Em 1991, Pelé descobriu que tinha outra filha, Sandra Regina, fruto de um relacionamento com a empregada doméstica Anísia Machado em 1964. Sandra precisou entrar na Justiça para ser reconhecida por Pelé, o que aconteceu apenas em 1996. Após exames de DNA e várias brigas judiciais, Sandra Regina recebeu o sobrenome Arantes do Nascimento.

Sandra morreu em 2006, vítima de um câncer na mama. Os dois filhos de Sandra, Octávio e Gabriel, de 15 e 13 anos na época, ganharam na Justiça o direito de receber uma pensão do avô. O valor era de sete salários mínimos para cada neto.

O segundo casamento de Pelé, em 1994, foi com a cantora gospel Assíria Lemos Seixas e durou até 2008. Do matrimônio eles tiveram os gêmeos Celeste e Joshua. Atualmente, Pelé é casado com Marcia Cibele Aoki, a qual ele conheceu em 2008 durante um evento em Nova Iorque e com quem oficializou a relação em 2016. Os dois não tiveram filhos juntos.

Pelé e a atual mulher, Marcia Aoki.5
Pelé e a atual mulher, Marcia Aoki.5

Fora dos casamentos, Pelé teve um relacionamento com a jornalista Lenita Kurtz, com quem teve a filha Flávia Kurtz. Já entre 1981 e 1986, o ex-jogador manteve um relacionamento com a apresentadora Xuxa Meneghel. Três anos depois, ele relacionou-se também com a ex-Miss Brasil Flávia Cavalcanti.

Leia também: A biografia deste outro grande nome do esporte nacional

Curiosidades

Formação

Pelé é formado em Educação Física pela Universidade Metropolitana de Santos (UNMES). Ele ingressou na universidade em 1970, quando já era considerado o melhor jogador do mundo. O curso foi o primeiro da área com licenciatura no Brasil.

Serviço militar

Já reconhecido mundialmente, campeão do mundo com a Seleção Brasileira de 1958, Pelé dividiu seu tempo entre o futebol e o serviço militar. Aos 18 anos, alistou-se e serviu o Exército Brasileiro no 6º Grupo de Artilharia de Costa Motorizado, em Praia Grande/SP, e passou a ser chamado de Soldado 201 Nascimento.

Durante o período, Pelé foi o camisa 10 da Seleção das Forças Armadas e chegou a enfrentar a Seleção Brasileira Olímpica, que se preparava para as Olimpíadas de Roma, em 1960. A partida em que Pelé atuou aconteceu no Estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro, e a equipe do Exército venceu por 2 a 1, mas Pelé não marcou gol nesse dia.

Pelé servindo ao Exército Militar, em 1958.6
Pelé servindo ao Exército Militar, em 1958.6

Guerra de Biafra

Um choque entre dois grupos étnicos da Nigéria (Ibo e Hausa) causou um dos eventos mais dramáticos da África: a Guerra de Biafra, com mais de 2 milhões de mortos. Essa guerra civil teve início em 1967 e durou até 1970.

No meio desse período, em 1969, a equipe do Santos, com Pelé, foi para a África realizar uma turnê com jogos amistosos. A convite do governo local, o Santos foi para a Nigéria realizar um amistoso com o Benin City. Para que a equipe pudesse chegar ao Estádio Ogbe com segurança, o governo nigeriano decretou um cessar-fogo.

Nessa partida, a equipe de Pelé venceu por 2 a 1. Com a volta da equipe santista para o Brasil, a guerra continuou. Na turnê, o Santos realizou nove jogos, teve cinco vitórias, três empates e uma derrota. Foram marcados 19 gols, e Pelé foi o artilheiro com oito gols feitos.

Vida política

Após aposentar-se, no primeiro governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Pelé foi nomeado Ministro do Esporte. Ele ficou de 1995 e 1998, quando criou a Lei Pelé, que revolucionou a prática desportiva no país.

A Lei Pelé tinha a finalidade de oferecer mais transparência e trazer mais profissionalismo ao esporte nacional. Com isso, houve o fim do passe nos clubes de futebol do Brasil e a transformação dos clubes em empresas. A lei também criou verbas para o esporte olímpico e paraolímpico e determinou a independência dos Tribunais de Justiça Desportiva.

Saiba mais: Democracia Corinthiana, um movimento político do futebol brasileiro

Pelé x Maradona

Brasil e Argentina protagonizam uma das maiores rivalidades do futebol mundial. Essa oposição reflete-se também na discussão de quem é o maior jogador de futebol de todos os tempos: Pelé ou Diego Maradona? Apesar de os dois não terem jogado na mesma época — Maradona atuou entre 1976 e 1997 —, a discussão persiste entre torcedores dos dois países.

Pelé e Maradona juntos em programa de TV, em 2005.7
Pelé e Maradona juntos em programa de TV, em 2005.7

No entanto, essa a “briga” existe somente entre os torcedores. Pelé e Maradona encontraram-se pela primeira vez em 1979, quando Pelé havia se aposentado e já era considerado o Rei do Futebol, enquanto o argentino estava no início da carreira. Anos depois, eles voltaram a encontrar-se em eventos e mantêm até hoje uma relação amistosa.

Números, títulos e conquistas

- Mais Jovem Artilheiro do Campeonato Paulista (1957)

- Mais Jovem Campeão Mundial (1958)

- Mais Jovem Bicampeão Mundial (1962)

- Maior Artilheiro da Seleção Brasileira Masculina (95 gols)

- Maior Artilheiro do Futebol Profissional (1281 gols)

Campeonato Paulista

1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973

Torneio Rio-São Paulo

1959, 1963, 1964 e 1966

Campeonato Brasileiro (Taça Brasil e Taça de Prata)

1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968

Campeonato Norte-americano

1977

Libertadores

1962 e 1963

Mundial Interclubes

1962 e 1963

Copa do Mundo

1958, 1962 e 1970

Veja também: Composição química da taça da Copa do Mundo

Homenagens e prêmios

Bola de Ouro

1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1964 e 1970 (prêmios concedidos em 2015, após uma revisão da revista France Football)

Atleta do Século

Concedido pelo Comitê Olímpico Internacional (1999)

Concedido pela Agência Reuters, da Inglaterra (1999)

Concedido pela DuPont, da França (1996)

Concedido pelo jornal francês L'Equipe (1981)

Maior Futebolista do Século

Concedido pela Unicef, na Áustria (1999)

Título de Sir-Cavaleiro Honorário do Império Britânico

Concedido pela Rainha Elizabeth II (1997)

Estádio Rei Pelé

Maceió/AL (1970)

Medalha dos Direitos Humanos

Concedida pela organização judaica B'nai B'rith (1995)

Embaixador para a Educação, Ciência e Cultura

Concedido pela Unesco, em Paris (1994)

Membro do Hall da Fama

Concedido pela cidade de Oneonta, em New York (1993)

Embaixador da Boa Vontade

Concedido pela Unesco (1993)

Embaixador da Organização para Ecologia e Meio Ambiente

Concedido pela ONU (1992)

Ordem Nacional do Mérito

Concedida pelo Governo brasileiro (1991)


*Créditos das imagens:

1Crédito: Reprodução/FIFA TV

2Crédito: Reprodução/Santos TV

3Crédito: Reprodução/CBF TV

4Crédito: Domínio Público / Wikimedia Commons

5Crédito: Ovidiu Hrubaru / Shutterstock.com

6Crédito: Arquivo Pessoal/Divulgada no GE

7Crédito: Divulgação Noche del Diez


Por Giullya Franco
Jornalista

Pelé foi o jogador mais jovem da história a vencer uma Copa do Mundo, com 17 anos.¹
Pelé foi o jogador mais jovem da história a vencer uma Copa do Mundo, com 17 anos.¹

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FRANCO, Giullya. "Pelé"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/pele.htm. Acesso em 21 de outubro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola