10 coisas que você precisa saber sobre colesterol alto na infância

Saúde na escola

PUBLICIDADE

Muitas dúvidas existem quando o assunto é colesterol, principalmente quando se encontra alto em crianças. Diante disso, separamos aspectos importantes que todos devem saber sobre esse problema, como seu tratamento e prevenção. Também aqui importa esclarecer compreensões equivocadas sobre o tema, como é o caso da nossa dica número 1. Acompanhe, a seguir, 10 coisas que você precisa saber sobre colesterol alto na infância:

  1. O colesterol, nem sempre, é um vilão

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o colesterol é fundamental para o funcionamento do nosso corpo. Ele é um tipo de gordura encontrado na estrutura das células e ajuda na formação de hormônios, da vitamina D e até mesmo dos ácidos biliares, fundamental na digestão de gorduras.

Leia mais: Colesterol – função, transporte e valores normais

  1. A relação entre LDL e HDL está ligada a problemas cardiovasculares

A LDL (low-density lipoprotein) é uma lipoproteína que transporta o colesterol do fígado e intestino até os locais onde ele é necessário. A HDL (high-density lipoprotein), por sua vez, é uma lipoproteína que capta o colesterol excedente nos tecidos e leva-o em direção ao fígado, para que ele possa ser excretado. A fim de aprofundar-se mais nessas definições, leia nosso texto: LDL e HDL.

Quando em excesso, o LDL pode depositar-se na parede dos vasos e desencadear a formação da placa aterosclerótica. Altos valores de LDL no sangue e baixos valores de HDL relacionam-se ao desenvolvimento da doença aterosclerótica, um problema vinculado a infartos e acidentes vasculares cerebrais.

Saiba mais: Aterosclerose – como ocorre, fatores de risco e sintomas

  1. Crianças podem apresentar colesterol alto

Crianças e adolescentes podem apresentar níveis elevados de colesterol, portanto, é sempre bom estar atento a esses índices neles. O depósito de colesterol na parede das artérias pode começar ainda na infância, desencadeando problemas graves na vida adulta, como infartos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  1. Crianças devem dosar o colesterol

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, consensos nacionais e internacionais sugerem que a primeira dosagem de colesterol seja feita com idade entre nove e 11 anos. As crianças com idade inferior que apresentam problemas como obesidade e doença cardíaca devem também ter sua dosagem realizada.

  1. Hábitos de vida pouco saudáveis contribuem para o aumento do colesterol

Sedentarismo e alimentação inadequada podem desencadear aumento nos níveis de colesterol.
Sedentarismo e alimentação inadequada podem desencadear aumento nos níveis de colesterol.

Entre os fatores que mais contribuem para o aumento dos níveis de colesterol na infância estão o sedentarismo e a alimentação inadequada. É claro que problemas de saúde e até fatores genéticos podem desencadear esse quadro, entretanto, hábitos de vida saudáveis são essenciais para evitá-lo.

Leia também: Açúcar na alimentação - consequências do consumo exagerado

  1. Certos alimentos devem ser evitados para prevenir o aumento dos níveis de colesterol

Alguns alimentos contribuem para o aumento dos níveis de colesterol. Dentre eles podemos citar os alimentos ricos em gordura, tais como batata frita, hambúrgueres, pizzas e alimentos ultraprocessados. Alimentos ricos em açúcares e carboidratos devem ser evitados, por exemplo: bolos, chocolates e sorvetes. Incluir verduras, legumes e frutas na alimentação é essencial.

Veja mais: Alimentação infantil – dicas de alimentos que devem sem evitados nos primeiros anos

  1. Atividade física ajuda a manter os níveis de colesterol adequados

Como mencionado, o sedentarismo é um fator que contribui para o aumento dos níveis de colesterol. Sendo assim, passar muito tempo em frente à TV e ao videogame prejudica a saúde da criança. O recomendado para prevenir os altos índices de colesterol, e também outras doenças, é estimular a criança a ter uma vida menos sedentária, praticando esportes e brincadeiras ao ar livre.

  1. O colesterol alto nem sempre gera sintomas

Comumente, o aumento dos níveis de colesterol não causa sintomas. É por isso que avaliações periódicas são importantes.

  1. É possível tratar o colesterol alto

Uma alimentação saudável é essencial pra garantir-se níveis de colesterol adequados.
Uma alimentação saudável é essencial pra garantir-se níveis de colesterol adequados.

O tratamento do colesterol alto é feito, principalmente, com mudança no estilo de vida, diminuindo o sedentarismo e cuidando da alimentação. Caso alguma doença esteja relacionada com o quadro, também deverá ser tratada. Vale destacar que o tratamento para evitar o colesterol alto deverá ser mantido por toda a vida e, em alguns casos, medicamentos podem ser recomendados.

  1. Realizar exames periódicos é fundamental para descobrir doenças de maneira precoce

Quando fazemos consultas e exames de rotina, descobrimos doenças de maneira precoce e podemos evitar complicações. Sendo assim, é importante levar a criança ao médico periodicamente para que a sua saúde seja analisada como um todo. O pediatra e o endocrinologista são os médicos que podem avaliar os níveis de colesterol da criança e, desse modo, garantir-lhe uma vida mais saudável.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "10 coisas que você precisa saber sobre colesterol alto na infância"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude-na-escola/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-colesterol-alto-na-infancia.htm. Acesso em 12 de julho de 2020.