Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Procissão do Fogaréu

A Procissão do Fogaréu é uma procissão religiosa realizada no Brasil durante a Semana Santa. O local mais tradicional que realiza essa procissão é a Cidade de Goiás.

Participantes da Procissão do Fogaréu vestidos a caráter e andando pelas ruas da Cidade de Goiás.
A Procissão do Fogaréu é uma prática que é realizada na Cidade de Goiás desde o século XVIII.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A Procissão do Fogaréu é um evento religioso que faz parte da tradição católica e é celebrado durante a Semana Santa. Essa procissão simula os eventos relacionados com a prisão de Jesus Cristo. A edição mais tradicional do Brasil acontece na Cidade de Goiás, primeira capital do estado.

O Fogaréu foi estabelecido no Brasil em 1745, mas os historiadores apontam que ele já poderia estar aqui desde o século XVI. Foi uma herança cultural trazida pelos ibéricos, consolidando-se na cultura popular. Em Goiás, a Procissão do Fogaréu é considerada Patrimônio Cultural Imaterial do estado.

Leia mais: Patrimônio história cultural — conjunto de bens materiais e imateriais que têm valor histórico para as culturas dos povos

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Procissão do Fogaréu

  • A Procissão do Fogaréu é uma procissão religiosa de tradição católica.

  • É celebrada durante a Semana Santa, sendo relacionada com a Páscoa.

  • Relembra a busca e a prisão de Jesus Cristo conforme é descrito na Bíblia.

  • É realizada em várias cidades brasileiras, mas a mais tradicional ocorre na Cidade de Goiás.

  • É considerada Patrimônio Cultural Imaterial do estado de Goiás.

Significado da Procissão do Fogaréu

O Fogaréu é uma procissão religiosa de tradição católica realizada em algumas cidades do Brasil. O local mais tradicional em que ocorre é na Cidade de Goiás, primeira capital desse estado. Essa celebração acontece durante a Semana Santa sendo parte das celebrações da Páscoa.

A Páscoa é a festividade cristã que relembra a crucificação de Jesus Cristo e celebra a sua ressurreição. Sendo assim, a Procissão do Fogaréu é parte da tradição pascoal de realizar eventos que relembrem a crucificação de Jesus. No Fogaréu, encena-se a procura e prisão de Jesus Cristo pelos guardas romanos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Símbolos usados na Procissão do Fogaréu

A Procissão do Fogaréu é caracterizada como uma encenação da procura e prisão de Jesus Cristo pelos guardas romanos. É composta pelos farricocos — personagens que simulam os guardas romanos. Os farricocos usam uma túnica e uma máscara pontiaguda, que teve origem na Idade Média, sendo utilizada pelos cristãos que faziam procissões de penitência.

A roupa era usada pelos fiéis para preservar a sua identidade enquanto faziam a penitência de seus pecados. A simbologia da roupa, portanto, remete aos guardas romanos — responsáveis pela crucificação de Jesus — como os pecadores. Os farricocos andam descalços pelas ruas de Goiás e carregam consigo tochas que iluminam as ruas da cidade durante a procissão.

Além disso, a procissão passa por duas igrejas, cada qual simbolizando um trecho específico da busca por Jesus. Na Igreja Nossa Senhora do Rosário, os farricocos encontram os vestígios da Última Ceia realizada por Jesus com seus discípulos. Já a Igreja São Francisco de Paulo simboliza o Jardim das Oliveiras.

Nesse local, Jesus foi preso, e, para simbolizar a prisão, o único farricoco que usa trajes brancos levanta um estandarte com uma imagem de Jesus. O estandarte simboliza Jesus acorrentado.

Quando ocorre a Procissão do Fogaréu?

O Fogaréu se inicia à meia-noite da Quinta-Feira Santa, portanto, acontece durante a Semana Santa, sendo uma tradição relacionada com a Páscoa. Pouco antes da procissão se iniciar, as ruas da Cidade de Goiás têm suas luzes apagadas. A iluminação da cidade durante o evento vem quase inteiramente das tochas.

Em outras cidades do país, o Fogaréu pode acontecer em outros dias da Semana Santa.

Como ocorre a Procissão do Fogaréu?

A Procissão do Fogaréu na Cidade de Goiás começa, na Igreja da Boa Morte, com os farricocos iniciando a caminhada pela cidade, sendo ritmados pela fanfarra que os acompanha. A procissão segue e para na Igreja Nossa Senhora do Rosário, onde encontra os vestígios da Última Ceia de Jesus e uma curta pregação acontece.

Em seguida, a procissão segue para a Igreja São Francisco de Paulo, onde o estandarte é erguido para simbolizar que Jesus foi preso. Uma nova pregação é realizada, e a procissão segue para a Igreja da Boa Morte, onde é finalizada.

Leia mais: Por que não se pode comer carne na Sexta-Feira Santa?

Origem da Procissão do Fogaréu

Considera-se que o Fogaréu foi iniciado em Goiás no ano de 1745, quando o padre espanhol João Perestrello de Vasconcelos Spínola assumiu como vigário da cidade de Vila Boa (como a Cidade de Goiás se chamava no período colonial). Os historiadores argumentam que ele introduziu uma série de festividades católicas na cidade nesse ano, e o Fogaréu pode ter sido uma delas.

Os primeiros registros da festa acontecendo na Cidade de Goiás remontam à década de 1820. Os historiadores apontam que a prática do Fogaréu pode ter chegado ao Brasil antes mesmo de sua introdução na Cidade de Goiás, sendo realizada aqui nos séculos XVI e XVII.

Isso porque as procissões eram práticas comuns na cultura religiosa da Península Ibérica, sendo trazidas para o Brasil durante a colonização. Eram conduzidas por irmandades religiosas, e, no do Fogaréu, uma irmandade da Bahia pode ter realizado uma edição em 1618.

Procissão do Fogaréu no Brasil

Apesar de ser muito relacionada com o estado de Goiás, outras procissões semelhantes eram realizadas em cidades como o Rio de Janeiro, Recife e Ouro Preto, durante os séculos XVII e XVIII. No caso da Cidade de Goiás, a celebração foi estabelecida no século XVIII, tornando-se muito tradicional nela e sendo realizada durante a Semana Santa.

No começo do século XX, a Procissão do Fogaréu começou a perder força na Cidade de Goiás, fruto de uma tentativa da Igreja Católica de centralizar os esforços para os rituais católicos. Isso fez com que algumas tradições religiosas populares, como o Fogaréu, perdessem força.

Em 1965, foi criada a Organização Vilaboense de Artes e Tradição, com o objetivo de resgatar a tradição perdida. A partir de então, foi recuperada a Procissão do Fogaréu nas ruas da cidade goiana e a festividade tornou-se um evento muito importante da cultura local.

Em 2023, a celebração foi transformada em Patrimônio Cultural Imaterial do estado de Goiás, o que reforça a sua importância para a cultura goiana. Apesar de muito importante em Goiás, a festa também é realizada em outras cidades, como Caxias e Bacabal (MA), Porto Alegre (RS), Ouro Preto (MG), Cruzeiro (SP), entre outras.

Leia mais: Quaresma — tradição cristão que começa com fim do Carnaval e é caracterizada por práticas de penintência

Procissão do Fogaréu em outros países

Por ser originária da Península Ibérica, a Procissão do Fogaréu ainda acontece em alguns locais dessa região. A cidade de Braga, em Portugal, realiza a procissão do Ecce Homo, bastante parecida com o Fogaréu. Na Espanha, esse tipo de procissão é realizado em cidades como Toledo e Sevilla.

Curiosidades sobre a Procissão do Fogaréu

  • A Procissão do Fogaréu realiza um percurso de mais ou menos 1,5 quilômetro de distância.

  • Em 2023, a Cidade de Goiás recebeu cerca de 60 mil pessoas para acompanhar a cerimônia.

  • A Cidade de Goiás, que abriga a mais tradicional Procissão do Fogaréu no Brasil, é Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco.

  • Originalmente, os farricocos eram anônimos e ninguém sabia quem eram as pessoas por trás da vestimenta. Atualmente, o anonimato não é mais um requisito.

Créditos da imagem

[1]Sputnik 360 e Shutterstock

Fontes

CAES, André Luiz. Interpretações acadêmicas sobre a Procissão do Fogaréu na Cidade de Goiás: um olhar sobre alguns bibliografias. Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/revista_geth/article/view/9229/6761#:~:text=O%20entendimento%20que%20chegamos%20%C3%A9,6386%2077%20divers%C3%A3o%2C%20%C3%A9%20lucro.

GOVERNO DE GOIÁS. Lei nº 21.855, de 11 de abril de 2023. Disponível em: https://diariooficial.abc.go.gov.br/portal/edicoes/download/5605#:~:text=LEI%20N%C2%BA%2021.855%2C%20DE%2011,especifica%20como%20patrim%C3%B4nio%20cultural%20goiano.

LIMA, Luana Nunes Martins de. A Procissão do Fogaréu na Cidade de Goiás – identidade, cultura e território: o turismo e as novas tendências. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/18960/11177 

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Procissão do Fogaréu"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/procissao-do-fogareu.htm. Acesso em 26 de maio de 2024.

De estudante para estudante