Topo
pesquisar

O soneto

Literatura

O soneto é um poema que possui regras específicas quanto à combinação de versos. Entre aqueles que apresentam formas características, estão o soneto italiano e o inglês.
A combinação dos versos no soneto possui uma forma fixa
A combinação dos versos no soneto possui uma forma fixa
PUBLICIDADE

 Leia o seguinte soneto:

Soneto do amigo
Los Angeles

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo

Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Los Angeles, 1946. (Vinícius de Moraes)

Observamos que esse soneto possui quatorze versos e é composto de duas quadras (estrofes que possuem quatro versos cada) e dois tercetos (duas estrofes com três versos cada).

Além disso, veja que todos os versos são decassílabos (possuem dez sílabas poéticas cada) ou alexandrinos:

 En/fim/, de/pois/ de/ tan/to er/ro/ pas/sa//do
Tan/tas/ re/ta/lia/ções/, tan/to/ pe/ri//go
Eis/ que/ res/sur/ge/ nou/tro o/ ve/lho a/mi//go
Nun/ca/ per/di/do/, sem/pre/ reen/con/tra//do.

É/ bom/ sen/tá/-lo/ no/va/men/te ao/ la//do
Com/ o/lhos/ que/ con/têm/ o o/lhar/ an/ti//go
Sem/pre/ co/mi/go um/ pou/co a/tri/bu/la//do
E/ co/mo/ sem/pre/ sin/gu/lar/ co/mi//go.

Um/ bi/cho i/gual/ a/ mim/, sim/ples/ e hu/ma//no
Sa/ben/do/ se/ mo/ver/ e/ co/mo//ver
E a/ dis/far/çar/ com/ o/ meu/ pró/prio en/ga//no.

O a/mi/go: um/ ser/ que a/ vi/da/ não/ ex/pli//ca
Que/ só/ se/ vai/ ao/ ver/ ou/tro/ nas/cer//
E o es/pe/lho/ de/ mi/nha al/ma/ mul/ti/pli//ca...

Outro aspecto possível de ser notado nesse soneto é a combinação rímica (de rimas) das quadras que, nesse caso, seguem o esquema ABBA-ABAB

Enfim, depois de tanto erro passado A
Tantas retaliações, tanto perigo B

Eis que ressurge noutro o velho amigo B
Nunca perdido, sempre reencontrado. A

É bom sentá-lo novamente ao lado A
Com olhos que contêm o olhar antigo B
Sempre comigo um pouco atribulado A
E como sempre singular comigo. B

Nos tercetos, há a combinação de três rimas:

Um bicho igual a mim, simples e humano C
Sabendo se mover e comover D

E a disfarçar com o meu próprio engano. C

O amigo: um ser que a vida não explica E
Que só se vai ao ver outro nascer D
E o espelho de minha alma multiplica... E

Quando o terceto possui apenas duas rimas, elas combinam-se em CDC-DCD. No entanto, ao apresentar três rimas, elas podem distribuir-se das seguintes maneiras:

1) CCD-EED;
2) CDC-EDE;
3) CDE-CDE.

Esse tipo de soneto é conhecido como soneto italiano por possuir essas características estruturais analisadas até aqui. É importante ressaltar que as formas que compõem o soneto são fixas e estão sempre presentes nesse tipo de poema.

Agora, observe este outro soneto:

Soneto Inglês No. 1

Quando a morte cerrar meus olhos duros
Duros de tantos vãos padecimentos,
Que pensarão teus peitos imaturos
Da minha dor de todos os momentos?

Vejo-te agora alheia, e tão distante:
Mais que distante – isenta. E bem prevejo,
Desde já bem prevejo o exato instante
Em que de outro será não teu desejo,

Que o não terás, porém teu abandono,
Tua nudez! Um dia hei de ir embora

Adormecer no derradeiro sono.
Um dia chorarás... Que importa? Chora.

Então eu sentirei muito mais perto
De mim feliz, teu coração incerto.

(Manuel Bandeira)

Nota-se que esse poema também apresenta quatorze versos, porém é composto de três quadras e um dístico final (estrofe composta de dois versos). Além disso, sua combinação rímica é organizada em abab bcbc cdcd ee. Veja:

Quando a morte cerrar meus olhos duros A
Duros de tantos vãos padecimentos, B
Que pensarão teus peitos imaturos A
Da minha dor de todos os momentos? B

Vejo-te agora alheia, e tão distante: C
Mais que distante – isenta. E bem prevejo, D
Desde já bem prevejo o exato instante C
Em que de outro será não teu desejo, D

Que o não terás, porém teu abandono, E
Tua nudez! Um dia hei de ir embora F
Adormecer no derradeiro sono. E
Um dia chorarás... Que importa? Chora. F

Então eu sentirei muito mais perto G
De mim feliz, teu coração incerto. G

Esse tipo de soneto é conhecido como soneto inglês, ou Shakespeariano, por possuir essas formas fixas. É importante destacar também que é possível uma outra combinação rímica nesse tipo de soneto, que pode ser: abab bcbc cdcd ee.

Diante da análise desses dois sonetos, podemos concluir que há poemas que têm uma forma fixa, ou seja, sua constituição segue regras determinadas quanto à composição de seus versos, rimas ou estrofes.

Por Mariana Rigonatto
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

RIGONATTO, Mariana. "O soneto"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/literatura/o-soneto.htm>. Acesso em 25 de abril de 2018.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA