Whatsapp

Derivação imprópria

Gramática

PUBLICIDADE

A derivação imprópria é um processo de formação de palavras. Entre esses processos, temos a derivação, de forma geral, que ocorre quando o radical de uma palavra é mantido enquanto o restante de sua forma é alterado, gerando uma nova palavra. Já a derivação imprópria, especificamente, é um dos possíveis processos de formação de novos vocábulos, sendo eles novos substantivos, adjetivos, entre outras classes diferentes da palavra original.

Leia também: O que são vogais e consoantes de ligação?

O que é derivação imprópria?

A derivação imprópria é um dos possíveis processos de derivação de palavras, ou seja, quando uma palavra gera outra a partir de seu radical. Na derivação imprópria, a palavra derivada mantém a forma da palavra da qual se originou; porém, o significado é diferente, assim como a classe gramatical, indicando se tratar de um vocábulo novo. Em outras palavras, não há alteração na estrutura da palavra, não ocorre acréscimo de afixos e nem subtração de nenhuma parte da palavra.

Exemplos de derivação imprópria

Há diversos exemplos de derivação imprópria na língua portuguesa. É comum que gerem substantivos derivados, mas isso não é regra, como veremos a seguir.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Substantivo derivado de adjetivo

Alguns substantivos são derivados a partir de palavras que funcionavam originalmente como adjetivos. Exemplos: capital, natural, circular.

A palavra “veneziana” é originalmente um adjetivo (referindo-se a quem ou o que tem origem em Veneza, na Itália), mas também gerou o substantivo que tem a mesma forma com um significado específico:

  • Essa máscara é veneziana. (adjetivo)
  • Que linda veneziana! (substantivo)
  • Substantivo derivado de verbo

Qualquer verbo pode facilmente originar um substantivo em certos contextos, quando se acrescenta um artigo antes da palavra. Exemplos: jantar, prazer, afazer.

  • Vamos jantar amanhã? (verbo)
  • O jantar está na mesa! (substantivo)
  • Adjetivo derivado de substantivo

Também é muito comum que adjetivos derivem de palavras que funcionavam originalmente como substantivo. Exemplos: modelo, burro, gato.

A palavra “gato” é um exemplo de vocábulo com múltiplos significados, já que o sentido original (substantivo primitivo indicando o animal) gerou outro substantivo (substantivo derivado, que significa uma instalação clandestina) e, ainda, um adjetivo derivado, indicando que alguém é muito belo.

  • Que lindo o seu gato! (substantivo primitivo)
  • Ele fez um gato, mas isso é ilegal. (substantivo derivado)
  • Ele é muito gato! (adjetivo)
  • Adjetivo derivado de verbo

Alguns adjetivos são formados a partir de certas formas verbais.

  • Essa história era sabida por todos. (verbo)
  • Ela é muito sabida, a mais inteligente do nosso grupo. (adjetivo)

  • Conjunção derivada de verbo

É o caso da conjunção “quer... quer...”.

  • Ele quer ir embora, ela quer ficar. (verbo)
  • Quer concorde, quer discorde, era a melhor coisa a se fazer. (conjunção)

Veja também: Conjunções aditivas – palavras que ligam termos ou orações trazendo sentido de adição

A derivação imprópria é um dos processos de formação de palavras da língua portuguesa.
A derivação imprópria é um dos processos de formação de palavras da língua portuguesa.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (UFMG) Em que alternativa a palavra destacada resulta de derivação imprópria?

A) Às sete horas da manhã começou o trabalho principal: a votação.

B) Pereirinha estava mesmo com a razão. Sigilo... Voto secreto ... Bobagens, bobagens!

C) Sem radical reforma da lei eleitoral, as eleições continuariam sendo uma farsa!

D) Não chegaram a trocar um isto de prosa, e se entenderam.

E) Dr. Osmírio andaria desorientado, senão bufando de raiva.

Resolução

Alternativa D. A palavra “isto” é originalmente um pronome, mas foi empregada como substantivo, partindo de uma derivação imprópria.

Questão 2 - Leia os enunciados a seguir, observe as palavras destacadas e faça a classificação correta, indicando quando se tratar de derivação imprópria.

A) Ela não apreciou aquele jantar.

B) Saímos para jantar anteontem.

C) O cavalo era preto e tranquilo.

D) O preto do seu olhar hipnotizava a todos.

E) Aquele burro era muito teimoso.

F) Seu amigo não é burro, pare de chamá-lo assim.

Resolução

A) Substantivo – derivação imprópria.

B) Verbo.

C) Adjetivo.

D) Substantivo – derivação imprópria.

E) Substantivo.

F) Adjetivo – derivação imprópria.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Derivação imprópria"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/derivacao-impropria.htm. Acesso em 13 de maio de 2021.

Artigos Relacionados
Leia sobre a composição, um dos processos de formação de novas palavras, a qual nos auxilia a ampliar nosso vocabulário.
Representa uma das modalidades inerentes ao processo de formação de palavras. Conheça-a.
Descubra o que é derivação parassintética, como novas palavras são formadas nesse tipo de derivação, e por que ela se difere da derivação prefixal e sufixal.
Aprenda mais sobre o processo de derivação sufixal, entendendo como ele ocorre para a formação de novas palavras. Veja exemplos desse tipo de derivação.
Leia este artigo sobre as desinências e amplie seus conhecimentos sobre os processos de formação das palavras da Língua Portuguesa.
Conheça quais são os sufixos nominais que se unem a um radical para formar substantivos ou adjetivos.
Conheça os sufixos verbais, segmentos que se unem ao radical de um substantivo ou um adjetivo para originar um verbo.
Leia este texto sobre vogal temática e amplie seus conhecimentos a respeito da estrutura e da formação de palavras da Língua Portuguesa.