Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Derivação imprópria

A derivação imprópria ocorre quando uma palavra derivada se origina de outra mantendo a mesma forma, mas apresentando significado diferente, compreendido pelo contexto.

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A derivação imprópria é um processo de formação de palavras. Entre esses processos, temos a derivação, de forma geral, que ocorre quando o radical de uma palavra é mantido enquanto o restante de sua forma é alterado, gerando uma nova palavra. Já a derivação imprópria, especificamente, é um dos possíveis processos de formação de novos vocábulos, sendo eles novos substantivos, adjetivos, entre outras classes diferentes da palavra original.

Leia também: O que são vogais e consoantes de ligação?

Tópicos deste artigo

O que é derivação imprópria?

A derivação imprópria é um dos possíveis processos de derivação de palavras, ou seja, quando uma palavra gera outra a partir de seu radical. Na derivação imprópria, a palavra derivada mantém a forma da palavra da qual se originou; porém, o significado é diferente, assim como a classe gramatical, indicando se tratar de um vocábulo novo. Em outras palavras, não há alteração na estrutura da palavra, não ocorre acréscimo de afixos e nem subtração de nenhuma parte da palavra.

Exemplos de derivação imprópria

Há diversos exemplos de derivação imprópria na língua portuguesa. É comum que gerem substantivos derivados, mas isso não é regra, como veremos a seguir.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Substantivo derivado de adjetivo

Alguns substantivos são derivados a partir de palavras que funcionavam originalmente como adjetivos. Exemplos: capital, natural, circular.

A palavra “veneziana” é originalmente um adjetivo (referindo-se a quem ou o que tem origem em Veneza, na Itália), mas também gerou o substantivo que tem a mesma forma com um significado específico:

  • Essa máscara é veneziana. (adjetivo)
  • Que linda veneziana! (substantivo)
  • Substantivo derivado de verbo

Qualquer verbo pode facilmente originar um substantivo em certos contextos, quando se acrescenta um artigo antes da palavra. Exemplos: jantar, prazer, afazer.

  • Vamos jantar amanhã? (verbo)
  • O jantar está na mesa! (substantivo)
  • Adjetivo derivado de substantivo

Também é muito comum que adjetivos derivem de palavras que funcionavam originalmente como substantivo. Exemplos: modelo, burro, gato.

A palavra “gato” é um exemplo de vocábulo com múltiplos significados, já que o sentido original (substantivo primitivo indicando o animal) gerou outro substantivo (substantivo derivado, que significa uma instalação clandestina) e, ainda, um adjetivo derivado, indicando que alguém é muito belo.

  • Que lindo o seu gato! (substantivo primitivo)
  • Ele fez um gato, mas isso é ilegal. (substantivo derivado)
  • Ele é muito gato! (adjetivo)
  • Adjetivo derivado de verbo

Alguns adjetivos são formados a partir de certas formas verbais.

  • Essa história era sabida por todos. (verbo)
  • Ela é muito sabida, a mais inteligente do nosso grupo. (adjetivo)

  • Conjunção derivada de verbo

É o caso da conjunção “quer... quer...”.

  • Ele quer ir embora, ela quer ficar. (verbo)
  • Quer concorde, quer discorde, era a melhor coisa a se fazer. (conjunção)

Veja também: Conjunções aditivas – palavras que ligam termos ou orações trazendo sentido de adição

A derivação imprópria é um dos processos de formação de palavras da língua portuguesa.
A derivação imprópria é um dos processos de formação de palavras da língua portuguesa.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (UFMG) Em que alternativa a palavra destacada resulta de derivação imprópria?

A) Às sete horas da manhã começou o trabalho principal: a votação.

B) Pereirinha estava mesmo com a razão. Sigilo... Voto secreto ... Bobagens, bobagens!

C) Sem radical reforma da lei eleitoral, as eleições continuariam sendo uma farsa!

D) Não chegaram a trocar um isto de prosa, e se entenderam.

E) Dr. Osmírio andaria desorientado, senão bufando de raiva.

Resolução

Alternativa D. A palavra “isto” é originalmente um pronome, mas foi empregada como substantivo, partindo de uma derivação imprópria.

Questão 2 - Leia os enunciados a seguir, observe as palavras destacadas e faça a classificação correta, indicando quando se tratar de derivação imprópria.

A) Ela não apreciou aquele jantar.

B) Saímos para jantar anteontem.

C) O cavalo era preto e tranquilo.

D) O preto do seu olhar hipnotizava a todos.

E) Aquele burro era muito teimoso.

F) Seu amigo não é burro, pare de chamá-lo assim.

Resolução

A) Substantivo – derivação imprópria.

B) Verbo.

C) Adjetivo.

D) Substantivo – derivação imprópria.

E) Substantivo.

F) Adjetivo – derivação imprópria.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Derivação imprópria"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/derivacao-impropria.htm. Acesso em 05 de julho de 2022.

De estudante para estudante


Qual a diferença entre os “porquês”?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual a diferença entre frase e oração?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Videoaulas


PUBLICIDADE

Estude agora


Cem anos de solidão | Análise Literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Cem anos de solidão”, um dos romances mais...

A condição pós-moderna de Jean-François Lyotard

Jean-François Lyotard é um dos pensadores que se dedicam a entender a complexa condição pós-moderna. Entender a...