Conjunções aditivas

Gramática

PUBLICIDADE

As conjunções aditivas são palavras que ligam dois termos ou duas orações de mesma função, estabelecendo relação de adição entre elas. Quando as orações podem ser independentes uma da outra, mas estão ligadas pela conjunção, são chamadas de orações coordenadas. As conjunções que ligam essas orações independentes são as conjunções coordenativas. Assim temos as conjunções coordenativas aditivas para expressar relação de soma, adição, entre duas orações (ou mesmo entre dois termos que exerçam a mesma função na sentença).

Principais conjunções aditivas

Como já exposto, as conjunções aditivas trazem uma relação de ideias que se somam e complementam-se, podendo ser tanto no sentido positivo quanto no sentido negativo. Por isso é possível apontar duas conjunções aditivas muito utilizadas: e (para sentido positivo) e nem (para sentido negativo).

Também é possível usar duas ou mais palavras juntas para desempenhar o mesmo papel de conjunção. Elas são chamadas de locuções conjuntivas aditivas. Vamos conhecer alguns exemplos:

  • e
  • nem
  • bem como
  • não só (...) mas [também]
  • não apenas (...) como [também]
  • não somente (...) como [ainda]

Leia também: Uso da vírgula antes da conjunção “mas”

Uso das conjunções aditivas nas orações

Agora que já aprendemos o conceito e quais são as conjunções aditivas, veremos seu uso em algumas orações. Observe que elas ligam uma oração à outra acrescentando significado às ideias de cada enunciado.

  • Vinícius estava para chegar e Henrique já estava pronto.
  • Eu não fui ao teatro nem li a peça.
  • Ela lia muitos livros bem como via muitas séries.
  • Não apenas fizemos o projeto como ainda entregamos tudo antes do prazo.
  • Não só achou o restaurante muito bem localizado mas também gostou muito da comida.

Note que, no último caso, embora se use a conjunção mas, que originalmente significaria oposição, o contexto indica que a relação estabelecida é, na verdade, de adição.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

ATENÇÃO: Não se costuma usar as conjunções e e nem juntas. O ideal é usar apenas nem quando o contexto pedir. Assim, o segundo exemplo fica “Eu não fui ao teatro nem li a peça”, sem acrescentar a conjunção e antes da conjunção nem.

As conjunções aditivas exercem a função de trazer o sentido de acréscimo seja entre orações, seja entre palavras.
As conjunções aditivas exercem a função de trazer o sentido de acréscimo seja entre orações, seja entre palavras.

Veja também: Quais são os sentidos que as conjunções podem ter?

Exercícios resolvidos

Questão 1 (UERJ)

Leia o texto a seguir:

Olho as minhas mãos

Olho as minhas mãos: elas só não são estranhas

Porque são minhas. Mas é tão esquisito distendê-las

Assim, lentamente, como essas anêmonas do fundo do mar...

Fechá-las, de repente,

Os dedos como pétalas carnívoras!

Só apanho, porém, com elas, esse alimento impalpável do tempo,

Que me sustenta, e mata, e que vai secretando o pensamento

Como tecem as teias as aranhas.

A que mundo

Pertenço?

No mundo há pedras, baobás, panteras,

Águas cantarolantes, o vento ventando

E no alto as nuvens improvisando sem cessar.

Mas nada, disso tudo, diz: "existo".

Porque apenas existem...

Enquanto isto,

O tempo engendra a morte, e a morte gera os deuses

E, cheios de esperança e medo,

Oficiamos rituais, inventamos

Palavras mágicas,

Fazemos

Poemas, pobres poemas

Que o vento

Mistura, confunde e dispersa no ar...

Nem na estrela do céu nem na estrela do mar

Foi este o fim da Criação!

Mas, então,

Quem urde eternamente a trama de tão velhos sonhos?

Quem faz — em mim — esta interrogação?

(Mário Quintana)

Além de funcionar como elemento de ligação entre termos de mesmo valor, o conectivo e foi utilizado no texto, algumas vezes, para exprimir o efeito de aceleração contínua.

Esse conectivo foi empregado para produzir tal efeito em:

a) “Que me sustenta, e mata, e que vai secretando o pensamento” (v. 7)

b) “E no alto as nuvens improvisando sem cessar.” (v. 13)

c) “E, cheios de esperança e medo,” (v. 18)

d) “Mistura, confunde e dispersa no ar...” (v. 24)

Respostas

Alternativa a, pois a repetição da conjunção aditiva e gera o efeito de aceleração contínua, especialmente levando-se em conta o contexto em que foi empregada.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Português

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Conjunções aditivas"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/conjuncoes-aditivas.htm. Acesso em 20 de outubro de 2020.