Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Frente fria

As frentes frias são formadas quando uma massa de ar frio avança sobre uma área de ar quente e úmido, provocando chuvas frontais, ventos intensos e queda de temperaturas.

Nuvens de tempestade se formando, uma das consequências da chegada de uma frente fria.
A aproximação de uma frente fria provoca grande instabilidade no tempo atmosférico, com chuvas e queda de temperatura.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Frente fria é o nome dado à superfície formada no contato entre uma massa de ar frio e uma massa de ar quente. Nesse caso em específico, a frente é formada quando a massa mais fria avança sobre uma área em que está instalada uma massa quente, empurrando-a e promovendo alterações significativas no tempo atmosférico.

A chegada de uma frente fria é caracterizada pela formação de nuvens de tempestade, as cumulonimbus, e pela alteração na direção dos ventos. Com a passagem da frente fria, há registros de chuvas frontais, ventos intensos e queda de temperaturas. A instalação da massa de ar frio, que acontece logo após a passagem da frente fria, é marcada pelas baixas temperaturas, pela queda da umidade do ar e pelo aumento da pressão atmosférica.

Leia também: Quais são as massas de ar que influenciam o Brasil?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre frente fria

  • Frente fria é a superfície de contato entre massas de ar de características opostas, formando-se sempre quando a massa de ar frio avança sobre uma área em que está instalada uma massa de ar quente.

  • A chegada de uma frente fria provoca mudanças no tempo atmosférico de uma região.

  • Sua passagem resulta na mudança de direção dos ventos, na queda de temperaturas e da umidade do ar, no aumento da nebulosidade e na ocorrência das chuvas frontais.

  • Nas frentes frias, as nuvens formadas são as cumulonimbus, caracterizadas por provocarem tempestades e chuvas de granizo.

  • Uma frente fria pode durar algumas horas ou alguns dias. Tudo depende da velocidade em que a massa de ar frio se desloca.

  • Enquanto na frente fria a massa de ar frio avança sobre uma massa de ar quente; na frente quente, a massa de ar quente avança sobre uma massa de ar frio.

O que é frente fria?

Frente fria é a superfície de contato formada quando uma massa de ar fria avança sobre uma massa de ar quente. Na meteorologia e na climatologia, uma frente é definida como a superfície que marca a transição ou o encontro entre duas massas de ar com características diferentes, como uma massa de ar quente e uma massa de ar fria, de modo que uma frente é formada quando acontece o avanço de uma massa sobre a outra, haja vista que elas não se unem.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando e como ocorre uma frente fria?

Uma frente fria ocorre sempre que uma massa de ar fria avança sobre uma área em que uma massa de ar quente está instalada. Assim, a passagem de uma frente fria indica a mudança de tempo e a instalação de uma massa de ar frio, com o recuo da massa de ar quente.

Pensando no território brasileiro, é muito comum ouvirmos falar na formação de uma frente fria quando a Massa Polar Atlântica, ou mPa, avança pelo sul do país e segue o seu percurso em direção às demais regiões. A mPa é uma massa de ar fria porque se forma em uma das regiões mais frias do planeta Terra, além de ser úmida por se desenvolver sobre o oceano Atlântico. A chegada da mPa é muito mais comum nos meses de inverno, quando as frentes frias são mais recorrentes. Entretanto, registra-se a formação de frentes frias em outras épocas do ano também.

O ar frio é mais denso do que o ar quente e, por essa razão, as massas de ar frias se deslocam nas camadas mais baixas da atmosfera. No encontro com uma camada de ar quente, a massa fria continua seu trajeto pela parte inferior, mais próxima do solo, enquanto a massa de ar quente sobe. A superfície de contato entre elas é a frente fria.

Características da frente fria

A frente fria é o contato entre uma massa de ar frio e uma massa quente. Ela é a responsável por introduzir mudanças no tempo atmosférico das áreas por onde avança, e pode ser facilmente identificada com base na queda das temperaturas e na intensificação da nebulosidade. Onde a frente está posicionada, acontece a formação de muitas nuvens altas, as cumulonimbus, chamadas também de nuvens de tempestade. Essas nuvens se formam porque o ar quente é empurrado pelo ar frio e, sendo ele menos denso, acontece a sua ascensão e condensação.

Todos os sistemas frontais são marcados pela ocorrência das chuvas frontais, que acontecem sempre que duas massas de ar distintas se encontram. Nas frentes frias, as chuvas frontais são mais intensas e volumosas, havendo a possibilidade de queda de granizo (tipo de precipitação na forma de gelo).

Esse tipo de frente tende a se movimentar de forma muito rápida, e pode abranger uma área muito extensa. Isso significa que a passagem de uma frente fria compreende várias localidades ao mesmo tempo, trazendo consigo instabilidade atmosférica e mau tempo.

Efeitos da frente fria no tempo

A aproximação de uma frente fria causa alterações significativas no tempo atmosférico. É muito importante lembrarmos que o clima local não sofre nenhum impacto, haja vista que o clima de uma área consiste no estado médio da atmosfera durante um período de três décadas. A chegada de uma frente fria promove alterações de curta duração. Podemos dividir os efeitos da frente fria no tempo em três etapas:

  • Aproximação da frente fria: os ventos ficam mais fortes e tendem a mudar de direção. As temperaturas também ficam mais elevadas, e a pressão atmosférica se torna mais baixa. À medida que a frente fria avança, a nebulosidade se intensifica.

  • Durante a frente fria: as temperaturas baixam de forma repentina, e os ventos se tornam mais intensos e frequentes. As grandes nuvens cumulonimbus provocam chuvas intensas, com a possibilidade de queda de granizo e de ocorrência de tempestades.

  • Depois da passagem da frente fria: a nebulosidade diminui à medida que a frente fria se dissipa e a massa de ar fria se instala. Nessa etapa, as nuvens presentes são mais achatadas e possuem menores dimensões. A pressão atmosférica aumenta, e os ventos mudam mais uma vez de direção. As temperaturas se mantêm em queda, e a umidade do ar diminui consideravelmente.

Duração de uma frente fria

A duração de uma frente fria varia de algumas horas até alguns dias, não permanecendo em um mesmo lugar por muito tempo. Esse tipo de frente se desloca muito rapidamente, a velocidades que variam entre 50-65 km/h, fato que interfere diretamente na sua duração.

Diferenças entre frente fria e frente quente

Ilustração mostrando como ocorrem a frente fria e a frente quente, as duas frentes atmosféricas.
As massas de ar quente e fria têm comportamentos distintos durante a formação das frentes, conforme mostra a imagem acima.
  • Frente fria: acontece quando uma massa de ar frio avança sobre uma área onde está instalada uma massa de ar quente. Provoca muita instabilidade no tempo, com mudança na direção dos ventos, queda de temperatura e chuvas frontais oriundas das nuvens cumulonimbus, que podem causar grandes tempestades e queda de granizo. Após a passagem da frente fria, a massa de ar frio se instala. Tem duração de algumas horas a alguns dias.

  • Frente quente: acontece quando uma massa de ar quente avança sobre uma área onde está instalada uma massa de ar frio. Nesse caso, a massa quente, menos densa, empurra lentamente a massa de ar frio ao mesmo tempo em que se desloca sobre ela, como mostra a imagem. A mudança de tempo é menos abrupta na aproximação de uma frente quente, formando nuvens bastante extensas que provocam chuvas frontais. Após a passagem da frente quente, as temperaturas e a umidade do ar aumentam e a pressão atmosférica diminui, havendo pouca nebulosidade e tempo aberto.

Confira nosso podcast: O que é preciso saber sobre os fatores climáticos?

Exercícios resolvidos sobre frente fria

Questão 1

(Unicamp) O esquema abaixo representa a entrada de uma frente fria, uma condição atmosférica muito comum, especialmente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Sobre essa condição, é correto afirmar que:

Ilustração mostrando o funcionamento de uma frente fria em uma questão da Unicamp.

A) É típica de inverno, quando massas frias atravessam essas regiões, provocando inicialmente uma precipitação e, na sequência, queda da temperatura e tempo mais seco.

B) Trata-se da chegada de uma massa quente, que ocorre tanto no verão quanto no inverno, provocando intensas chuvas, sendo comuns a ocorrência de tempestades e o aumento significativo na temperatura.

C) O contato entre as massas de ar indica fortes chuvas, de tipo orográficas, que permanecem estacionadas num mesmo ponto durante vários dias.

D) As precipitações de tipo convectivas ocorrem especialmente nos meses de verão, sendo comum a ocorrência de chuvas de granizo no final da tarde.

Resolução:

Alternativa A

A condição mostrada é típica de inverno, quando as massas de ar frio avançam sobre o território e dão origem às frentes frias, caracterizadas pela instabilidade no tempo e pela queda de temperatura e de umidade.

Questão 2

(Uema) Considere as informações dos textos I e II sobre frente fria, para responder à questão.

TEXTO I

Seja no inverno ou no verão, as previsões do tempo frequentemente anunciam a chegada ou a aproximação de uma “frente fria”, preparando-nos para enfrentar alguns dias com temperaturas mais baixas e, de vez em quando, acompanhados de chuva. (...) Segundo especialista, a frente fria é uma zona de transição entre uma massa de ar quente e outra de ar frio, que, geralmente, se forma em regiões de grande contraste térmico. Quando a massa de ar se desloca, leva as condições de temperatura, de pressão e de umidade com as características de sua área de origem. Essas frentes alteram as condições climáticas dos lugares alcançados por elas em sua trajetória.

TEXTO II: Frente fria

Ilustração mostrando o funcionamento de uma frente fria em uma questão da Uema.

Eliza Kobayashi. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/2271/o-que-e-uma-frente-fria

http://www.asalivre-es.com/curso-parapente/meteo/

Pode-se afirmar que a frente fria é uma consequência do(a):

A) choque entre uma massa de ar frio e uma massa de ar quente, em que a primeira avança, fazendo a segunda recuar.

B) encontro de duas massas de ar frio, em que a de menor altitude avança sobre a de maior altitude, proporcionando um equilíbrio entre elas.

C) incidência de uma massa de ar seca e uma massa de ar frio, em que a primeira se sobrepõe à segunda, invertendo o recuo da segunda.

D) convergência de uma massa de ar úmida e uma massa de ar semiúmida frio, na qual a primeira aumenta a pressão e a segunda, a temperatura.

E) divergência de uma massa de ar frio e uma massa de ar quente, em que a segunda faz a primeira recuar a partir da variação da umidade.

Resolução:

Alternativa A

A frente fria se forma quando uma massa de ar frio avança sobre uma massa de ar quente, provocando chuvas frontais e mudanças na temperatura e na umidade do ar.

Fontes

ANDRADE, Kelen Martins. Climatologia e comportamento dos sistemas frontais sobre a América do Sul. Mestrado em Meteorologia, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, 2005. Disponível em: http://mtc-m16b.sid.inpe.br/col/sid.inpe.br/jeferson/2005/06.15.17.12/doc/publicacao.pdf.

IAG/ACA. Frentes e frontogêneses. Meteorologia Aplicada a Sistemas de Tempo Regionais (MASTER) – Departamento de Ciências Atmosféricas (ACA), IAG/USP, [s.d.]. Disponível em: http://master.iag.usp.br/pr/ensino/sinotica/aula09/.

INMET. Glossário. Instituto Nacional de Meteorologia, [s.d.]. Disponível em: https://portal.inmet.gov.br/glossario/glossario.

LESCO, Patrice. What Are the Characteristics of a Cold Front? Sciencing, 2019. Disponível em: https://sciencing.com/characteristics-cold-front-8483837.html.

LUCCI, Elian Alabi. Território e sociedade no mundo globalizado, 1: ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2016. 289 p.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Frente fria"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/frente-fria.htm. Acesso em 23 de julho de 2024.

De estudante para estudante