Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Planetas anões

Física

PUBLICIDADE

Planetas anões são muito parecidos com os planetas normais. A gravidade dos planetas anões é suficientemente forte para que eles sejam esféricos, diferentemente dos asteroides, além disso, orbitam em torno do Sol ao longo de uma trajetória repleta de corpos, como rochas e asteroides.

Veja também: Sistema Solar: origem, planetas e curiosidades

Características dos planetas anões

As principais características dos planetas anões são as seguintes:

  • Orbitam alguma estrela, como o Sol.

  • São quase esféricos.

  • São acompanhados de muitos outros corpos, como cometas, asteroides ou mesmo outros planetas anões.

Diferenças entre planetas e planetas anões

As diferenças entre os planetas regulares e planetas anões são basicamente os seus tamanhos e, consequentemente, suas massas. Planetas anões não possuem gravidade suficientemente forte para atrair o material espacial que os rodeia, por isso, orbitam o Sol levando consigo uma grande quantidade de asteroides e poeira espacial.

Planetas anões mais próximos da Terra

De acordo com a União Astronômica Internacional, a maior autoridade em nomeação e classificação de objetos celestes, no Sistema Solar, existem cinco planetas anões, são eles:

  • Plutão

  • Eris

  • Ceres

  • Makemake

  • Haumea

Além desses, muitos corpos do Sistema Solar são cogitados a entrar para a categoria de planetas anões, entretanto, carece-se de observações mais detalhadas. Os astrônomos estimam que possa existir entre centenas e milhares de planetas no Sistema Solar. Vamos aprender um pouco mais sobre os planetas anões conhecidos?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Plutão

Plutão foi descoberto em 1930, e até 2006 era considerado o nono planeta do Sistema Solar, quando foi reclassificado como um planeta anão. Plutão é o maior planeta anão conhecido, apresenta cinco luas, sendo que a maior delas, Charon, tem a metade do seu tamanho.

A órbita de Plutão não é circular como a dos planetas que orbitam o Sol, por esse motivo, em certas ocasiões, ele fica mais próximo do Sol que Netuno, seu vizinho. Plutão leva cerca de 250 anos para completar uma revolução em torno do Sol. Para saber mais sobre o tema deste tópico, leia: Plutão.

  • Eris

Quando descoberto, Eris foi considerado o 10º planeta do Sistema Solar, uma vez que as medidas feitas na época sugeriam que seu diâmetro fosse maior que o de Plutão. Entretanto, medidas mais modernas mostraram o contrário.

Apesar de ser menor que Plutão, Eris é 25% mais massivo e leva um período de 557 anos para dar uma volta completa em torno do Sol.

Eris foi assim batizado em homenagem à deusa grega da discórdia, uma vez que sua descoberta causou um grande número de controvérsias dentro da comunidade astronômica, levando-a a alterar os critérios usados para classificar planetas anões e planetas regulares.

Veja também: História da astronomia – linha do tempo e principais acontecimentos

  • Ceres

Ceres fica localizado no cinturão de asteroides entre as órbitas de Marte e Júpiter. É também o planeta anão mais próximo do Sol, além disso, contém cerca de um terço da massa de todo o cinturão de asteroides, e, ainda, tem formato esférico e leva cerca de 4,6 anos para completar uma volta em torno do Sol.

Ceres tem uma superfície congelada, cheia de crateras, e, aparentemente, apresenta um núcleo rochoso. Os astrônomos acreditam que, no manto de Ceres, possa existir água no estado líquido, graças ao calor proveniente do atrito entre camadas internas de gelo, que são arrastadas pela enorme gravidade de Júpiter.

  • Makemake

Makemake foi o último dos planetas anões a ser descoberto, dois meses após a descoberta de Eris. Makemake é um objeto transnetuaniano localizado no cinturão de Kuiper (objetos menores localizados além de Netuno). Com dois terços da massa de Plutão e apresentando uma órbita bastante excêntrica, Makemake foi classificado como um planeta anão no ano de 2008. Os astrônomos acreditam que sua coloração seja avermelhada, assim como a de Plutão.

  • Haumea

Haumea foi descoberto em 2003 e foi classificado como planeta anão em 2008. Haumea é achatado, tendo o formato de um elipsoide. O motivo do formato acredita-se ser atribuído à sua altíssima velocidade de rotação, uma vez que Haumae completa uma volta em torno de seu eixo a cada quatro horas.

Curiosidades sobre planetas anões

  • Plutão é tão remoto que a luz do Sol leva cerca de cinco horas para alcançá-lo.

  • Makemake foi batizado em homenagem ao deus Rapanui da fertilidade.

  • Além dos cinco planetas anões reconhecidos, cientistas discutem a classificação de corpos como Sedna e Quaoar.

  • Ceres é o menor dos planetas anões e, por isso, é tanto classificado como planeta anão quanto como asteroide.

  • A superfície de Plutão é tão fria que nela é possível encontrar gases como o metano e monóxido de carbono no estado sólido.

     

Por Rafael Helerbrock
Professor de Física

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

HELERBROCK, Rafael. "Planetas anões"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/fisica/planetas-anoes.htm. Acesso em 23 de julho de 2021.

Artigos Relacionados
A região próxima à superfície da Terra.
Você sabe o que é a aceleração da gravidade? Acesse o texto e aprenda a definição, quanto ela vale e como calculá-la.
Conheça um pouco mais sobre a história da Astronomia. Confira quem foram os grandes nomes dessa grande área do conhecimento e suas descobertas.
Saiba mais sobre as características do Sistema Solar. Descubra como ele foi formado e as principais características dos oito planetas que o compõem.
Que tal aprender mais sobre o Sol? O Sol é uma estrela de sequência principal que produz energia com base na fusão dos átomos de hidrogênio, convertendo-os em hélio.
Você sabe o que é uma unidade astronômica? É uma medida de comprimento que usa como referência a distância média da Terra ao Sol. Uma unidade astronômica é equivalente a aproximadamente 499 segundos-luz, ou seja, à distância percorrida pela luz no vácuo em 499 segundos, ou ainda, a cerca de 150 milhões de quilômetros.