Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Herpes

Herpes é uma doença viral que pode provocar o surgimento de lesões e ser transmitida por meio do beijo e contato sexual.

O herpes é uma doença viral que pode acometer a região da boca ou região genital.
O herpes é uma doença viral que pode acometer a região da boca ou região genital.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Herpes é um nome comumente utilizado para as infecções provocadas pelos herpesvírus humano 1 e 2. O chamado herpes labial, como o nome sugere, provoca o surgimento de lesões na boca e é causado, principalmente, pelo herpesvírus humano 1. No caso do herpes genital, as lesões ocorrem nos órgãos genitais e áreas próximas, e ele está, geralmente, associado ao herpesvírus humano 2. 

Não se pode deixar de citar o herpes-zóster, o qual não é causado pelo herpesvírus humano e ocorre a partir de uma reativação do vírus causador da catapora. Em todos os tipos de herpes citados, observa-se o surgimento de bolhas ou úlceras. O tratamento é feito com o uso de antivirais, os quais controlam as crises, porém não eliminam o vírus do corpo.

Leia também: Cinco doenças transmitidas por contato

Tópicos deste artigo

Resumo sobre herpes

  • Herpes é um nome utilizado, geralmente, para se referir a infecções causadas pelos herpesvírus humano 1 e 2.

  • O herpes-zóster, diferentemente do genital e labial, é desencadeado a partir de uma reativação do vírus da catapora.

  • No herpes labial, surgem lesões na região da boca.

  • O herpes genital leva ao surgimento de lesões nos órgãos genitais, como pênis e vagina.

  • O tratamento do herpes é feito com uso de antivirais.

  • O vírus não é eliminado do organismo, podendo ocorrer reativações.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é herpes?

Herpes é o nome dado à infecção provocada pelos herpesvírus humano 1 e 2, dois vírus da família Herpesviridae. Essa família viral engloba oito tipos de vírus, os quais têm o homem como seu único hospedeiro e se destacam por permanecerem no organismo, mesmo após o fim das manifestações clínicas.

O herpesvírus humano 1 (HHV-1) ou vírus herpes simplex tipo 1 (HSV-1) é transmitido, principalmente, por contato oral-oral, causando, geralmente, o chamado herpes labial. Pode ser transmitido também via contato oral-genital, provocando lesões nos órgãos genitais e áreas próximas. Já o herpesvírus humano 2 (HHV-2) ou vírus herpes simplex tipo 2 (HSV-2) é quase exclusivamente transmitido pelo contato genital-genital e é responsável pelo herpes genital.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 3,7 bilhões de pessoas abaixo dos 50 anos (67%) tenham infecção por HSV-1 em todo o mundo. A infecção por HSV-2, no entanto, é menos prevalente. Ainda de acordo com a Organização, estima-se que 491 milhões de pessoas, entre 15 e 49 anos (13%), em todo o mundo, tenham infecção por HSV-2.

  • Herpes labial

Caracteriza-se por provocar lesões na região da boca. É causado, na maioria das vezes, pelo HSV-1, e a grande maioria das infecções é adquirida ainda na infância. Geralmente a infecção é assintomática, e os sintomas, quando surgem, incluem o surgimento de bolhas e feridas abertas dentro ou ao redor da boca. O indivíduo com herpes labial pode sentir ainda coceira, sensação de formigamento e queimação ao redor da boca. Essas sensações são percebidas antes do surgimento das feridas.

  • Herpes genital

Atinge os órgãos genitais e é quase que exclusivamente transmitido por via sexual, sendo, portanto, uma infecção sexualmente transmissível (IST). O herpes genital merece atenção especial por aumentar o risco de adquirir e também de transmitir o HIV.

Sua principal causa é a infecção por HSV-2, porém pode ser também causado pelo HSV-1. Geralmente, o herpes genital é assintomático ou provoca sintomas quase imperceptíveis, sendo comum que os pacientes nem saibam que têm a doença. Quando presentes, os sintomas incluem o surgimento de bolhas e feridas abertas nas regiões genitais, febre, dor no corpo e inchaço nos linfonodos.

  • Herpes-zóster

Quando se fala em herpes, geralmente, refere-se ao herpes labial e genital. Entretanto, existe também outra doença conhecida como herpes-zóster, popularmente chamada de cobreiro. O herpes-zóster, no entanto, não é resultado da infecção pelos herpesvírus humano 1 e 2 e sim de uma reativação do vírus causador da varicela (catapora), o vírus da varicela-zóster (VVZ).

Manifestação de herpes-zóster na pele
O herpes-zóster é causado pela reativação do vírus da catapora.

Após provocar catapora durante a infecção primária, o VVZ torna-se latente no organismo. Situações como queda na imunidade, traumas e câncer, no entanto, podem fazer com que ocorra a reativação da replicação do vírus. É nesse momento que se manifesta o herpes-zóster.

O herpes-zóster provoca dor, que pode permanecer por meses, e leva ao surgimento de vesículas. Essas vesículas, no entanto, não se distribuem por todo o corpo. Elas ocorrem com frequência no tronco, face ou membros e no mesmo lado do corpo, não ultrapassando a linha média.

O tratamento é baseado no uso de analgésicos e antivirais. Pessoas com mais de 50 anos podem vacinar-se contra a doença.

Confira no nosso podcast: Cinco vacinas que mudaram a história

Como se prevenir do herpes?

Como salientado, a transmissão do vírus causador do herpes ocorre pelo contato direto com uma pessoa doente pelas vias oral-oral, oral-genital e genital-genital. Para se prevenir, algumas ações podem ser adotadas, como:

  • evitar o contato com lesões evidentes, não beijando ou mantendo relação sexual com pessoas doentes;

  • usar preservativos em todas as relações sexuais;

  • reduzir o número de parceiros;

  • não compartilhar objetos de uso pessoal.

Como o vírus causador do herpes pode reativar-se e causar novamente o surgimento de lesões, é importante evitar alguns fatores desencadeantes. Dentre esses fatores, podemos citar a fadiga física e mental, o estresse e a exposição à luz solar intensa.

Tratamento do herpes

Os vírus causadores do herpes permanecem no organismo mesmo após o desaparecimento dos sintomas. Isso significa que o herpes pode ser tratado, entretanto, não é possível eliminar o vírus do organismo.

De maneira geral, o tratamento inclui o uso de medicamentos antivirais. Esses medicamentos podem ser recomendados para uso oral ou local, na forma de cremes, por exemplo. É importante que o paciente, durante o tratamento, também tenha alguns cuidados, tais como não furar as vesículas formadas e lavar sempre as mãos após manipulá-las. Não é recomendado também beijar e manter relações sexuais enquanto as lesões estão ativas.

Videoaula sobre cinco doenças transmitidas pelo beijo

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Herpes"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/herpes.htm. Acesso em 01 de julho de 2022.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


Função logarítmica

Nesta aula vamos explicar a definição de logaritmo e como construir uma função logarítmica. Também resolveremos...

Argumento por exemplificação

A exemplificação sempre foi um recurso importante para a explicação de conceitos mais teóricos ou mais difíceis...