Germinação

Biologia

PUBLICIDADE

Uma das etapas mais difíceis e importantes para a vida de uma planta se refere exatamente ao período em que há a quebra da dormência da semente e esta inicia seu desenvolvimento. Seria algo semelhante para nós ao período gestacional, uma vez que se necessita de cuidados e condições especiais. Assim, plantas como angiospermas e gimnospermas, desenvolveram evolutivamente um complexo sistema que as permitem ter um grande potencial de sucesso no processo germinativo de suas sementes.

Para que haja a formação das sementes, várias estruturas e, às vezes, até mesmo animais têm que estar presentes contribuindo de alguma forma e permitindo a formação dessa estrutura. A semente é fundamental para a continuidade de uma espécie, mesmo que esta planta consiga se reproduzir de forma assexuada, uma vez que a mistura gênica formada durante a reprodução sexuada é essencial para o processo de adaptação e, consequentemente, de evolução desta espécie.

As angiospermas são as plantas que apresentam adaptações mais evidentes. Para isso, desenvolveram flores como estruturas para promover a polinização utilizando (graças às suas propriedades físicas, como a cor das pétalas, e químicas, como a fragrância e as substâncias nutritivas) mecanismos que permitem a relação com animais diversos, promovendo sua fertilização.

Dentro de cada flor fêmea ou hermafrodita, existem os óvulos que, após serem fecundados, originarão as sementes.

Entretanto, é necessário que estas sementes não germinem próximo à planta que a formou, caso contrário haverá entre esta e a nova planta que germinará, uma competição que será prejudicial para ambas. Desta forma, através de outra estrutura (o fruto) as plantas angiospermas permitem que a dispersão das sementes seja feita. Este processo conta novamente com a participação de animais que, ao se alimentarem de seus frutos, engolem as sementes, e ao se deslocarem para outros lugares, as liberam através de suas fezes, permitindo que estas germinem em áreas distantes.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


 

Pensou que era simples, não é?

Quando neste novo lugar, por exemplo, as sementes necessitam de condições propícias para quebrar seu estágio de repouso e iniciar sua germinação. A maioria das plantas necessita basicamente de água para iniciar este processo, entretanto, além da água existem outros fatores que influenciam no início da germinação, como a quantidade de luz e oxigênio e a temperatura local.

Com a absorção de água, processo fisiológico conhecido como embebição, a semente passa a realizar sua atividade metabólica, o que permitirá seu desenvolvimento. A primeira etapa após a embebição é a ruptura da casca que a protege, permitindo a passagem do oxigênio, necessário para a respiração do embrião.

A primeira estrutura a despontar da semente é a radícula (raiz primária), que permitirá a fixação da planta e iniciará a absorção dos nutrientes presentes no solo. Posteriormente, surgem o caulículo e as folhas embrionárias. Com a raiz primária absorvendo nutrientes do solo e as folhas realizando fotossíntese, a nova planta encontra as primeiras condições que permitirão a continuação deste processo.

Fabrício Alves Ferreira
Graduado em Biologia
Equipe Brasil Escola
 

 

Botânica - Biologia - Brasil Escola

As estratégias das plantas para promover a fecundação
As estratégias das plantas para promover a fecundação

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FERREIRA, Fabricio Alves. "Germinação"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/germinacao.htm. Acesso em 27 de outubro de 2020.