Topo
pesquisar

Química dos sabões e detergentes

Química

Quando usamos sabões e detergentes, a parte apolar de suas moléculas liga-se à gordura, enquanto a parte polar liga-se à água, proporcionando a remoção da sujeira.
Os sabonetes, xampus, sabões e detergentes possuem moléculas com estruturas similares, que são capazes de interagir com a água e com a gordura
Os sabonetes, xampus, sabões e detergentes possuem moléculas com estruturas similares, que são capazes de interagir com a água e com a gordura
PUBLICIDADE

A água sozinha não consegue remover a gordura dos materiais. Isso acontece porque a água é polar, conforme mostrado na imagem abaixo, em virtude da diferença de eletronegatividade que existe entre os átomos de hidrogênio e oxigênio de suas moléculas. Por outro lado, a gordura é apolar e, por isso, a água não dissolve as gorduras.

A molécula de água é polar

Além disso, a água possui algo chamado de tensão superficial. Você poderá entender melhor sobre isso no texto Tensão Superficial da Água, mas, basicamente, trata-se de uma espécie de película ou membrana elástica que se forma na superfície da água, que a impede de penetrar em tecidos e outros materiais para remover a sujeira. As moléculas de água atraem-se em todas as direções por meio de ligações de hidrogênio, mas as moléculas da superfície só interagem com moléculas do lado e abaixo, criando uma diferença de forças de coesão, que faz com que as moléculas da superfície contraiam-se e formem essa tensão superficial.

Tensão superficial da água

É aí que entram os sabões e detergentes (do latim detergere = limpar), que são também chamados de agentes tensoativos, pois possuem a capacidade de diminuir a tensão superficial da água e, além disso, interagem tanto com a água quanto com a gordura. Como isso ocorre?

Os sabões e detergentes possuem sais de ácidos graxos, que são longas moléculas formadas por uma parte apolar (que é hidrofóbicahidro = água; fobos = aversão) e uma extremidade polar (hidrófilahidro = água; filos = amigo). Abaixo temos uma estrutura típica de um sabão:

Estrutura típica de um sabão

Geralmente, os detergentes são sais de ácidos sulfônicos de cadeia longa:

Estrutura de um sal de ácido sulfônico de detergente

Assim, a parte apolar dessas moléculas presentes nos sabões e detergentes interage com a gordura, enquanto a extremidade polar interage com a água, agrupando-se na forma de pequenos glóbulos, denominados de micelas, em que as partes hidrofílicas ficam voltadas para a parte de fora da micela em contado com as moléculas de água, e a gordura fica na parte interna, em contato com a parte apolar ou hidrofóbica, processo semelhante ao que mostra a imagem a seguir:

Micela de detergente

Desse modo, as sujeiras gordurosas são aprisionadas no centro das micelas e podem ser removidas. Outro ponto é que os detergentes e os sabões têm a capacidade de diminuírem a tensão superficial da água, porque diminuem as interações entre as suas moléculas, facilitando, assim, que ela penetre em vários materiais para remover a sujeira.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Química dos sabões e detergentes"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/quimica/quimica-dos-saboes-detergentes.htm>. Acesso em 12 de dezembro de 2017.

Questão 1

Um estudante resolve preparar em casa uma mistura proposta pelo seu professor de Química. Em um recipiente, ele adiciona uma certa quantidade de água, algumas colheres de sopa de óleo de soja e algumas gotas de um detergente. Sobre esse procedimento, é correto afirmar que, após a agitação da mistura:

a) ela torna-se bifásica.

b) ela tona-se monofásica, pelo fato de o detergente interagir tanto com o óleo quanto com a água.

c) resulta em uma solução supersaturada.

d) o detergente funciona como um catalisador no procedimento.

e) há reação química entre o detergente e o óleo.

Ver resposta
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA