Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Ataque isquêmico transitório (AIT)

O ataque isquêmico transitório (AIT) é uma emergência médica e representa um importante fator de risco para o desencadeamento do AVC isquêmico.

Ilustração da ocorrência de AVC isquêmico no cérebro.
O ataque isquêmico transitório (AIT) é um fator de risco para o desenvolvimento de AVC isquêmico.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O ataque isquêmico transitório (AIT) é um episódio de disfunção neurológica causado por uma isquemia temporária. A isquemia nada mais é do que um fluxo inadequado de sangue para uma parte específica do corpo, sendo, no caso do AIT, um comprometimento do fluxo sanguíneo no sistema nervoso.

O AIT é um problema grave e que merece atenção, pois pode preceder o AVC isquêmico. O AIT e o AVCI diferenciam-se pelo fato de que o AIT se reverte espontaneamente após, geralmente, menos de uma hora, enquanto os sinais de AVCI permanecem por tempo igual ou maior que 24 horas.

Leia também: Infarto — um das principais causas de morte no Brasil

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o ataque isquêmico transitório (AIT)

  • O ataque isquêmico transitório (AIT) é um problema transitório causado por isquemia focal do encéfalo, medula espinhal ou retina na ausência de infarto agudo.

  • Idade acima de 60 anos e problemas como colesterol alto, diabetes e hipertensão são fatores de risco para o AIT.

  • Dormência em um dos lados do corpo, diminuição ou alteração na fala, alteração na visão, vertigem e perda de sensibilidade são sintomas do AIT.

  • Os sintomas do AIT, apesar de serem transitórios, não devem ser ignorados.

  • O AIT é um dos principais fatores de risco para o desencadeamento do acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI).

O que é o ataque isquêmico transitório?

O ataque isquêmico transitório (AIT) é “um episódio transitório de disfunção neurológica causado por isquemia focal do encéfalo, medula espinhal ou retina na ausência de infarto agudo”, de acordo com definição da Diretriz Assistencial — Ataque Isquêmico Transitório do Hospital Israelita Albert Einstein.

No AIT o que se observa é uma isquemia temporária, ou seja, uma artéria é temporariamente entupida por um trombo, fazendo com que o sangue não flua adequadamente naquela região. Esse quadro temporário é conhecido popularmente como um “início de derrame”.

Podemos diferenciar o AIT de um acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI) devido ao fato de que no AIT ocorre uma reversão espontânea do problema, geralmente, em menos de uma hora. No caso do AVCI, verifica-se um quadro clínico com sinais persistentes, os quais duram 24 horas ou mais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Fatores de risco para o ataque isquêmico transitório

Apesar de o AIT poder ocorrer em qualquer pessoa, alguns fatores são considerados de risco, tais como:

  • idade acima de 60 anos,

  • hipertensão arterial,

  • altos níveis de colesterol,

  • diabetes,

  • sobrepeso,

  • obesidade,

  • consumo de álcool,

  • tabagismo,

  • sedentarismo, entre outros.

Leia também: 10 principais causas de morte no mundo

Sintomas do ataque isquêmico transitório

O AIT pode provocar alguns sintomas, tais como:

  • dormência em um dos lados do corpo;

  • diminuição ou alteração na fala;

  • alteração visual;

  • vertigem;

  • perda de sensibilidade.

Homem ao telefone e mulher ao lado desfalecida.
Ao perceber que uma pessoa está apresentando algum dos sintomas acima, procure rapidamente ajuda médica.

Esses sintomas, geralmente, duram menos de uma hora e são muito parecidos com os de um AVC. Entretanto, apesar de transitórios, é fundamental procurar um médico, sendo esse evento considerado uma emergência médica.

Por que devemos ter atenção ao ataque isquêmico transitório?

O AIT é um dos principais fatores de risco para o desencadeamento do acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI). Estima-se que o AIT possa preceder o AVCI em cerca de 9,4% a 26% dos pacientes, sendo o risco aumentado nos primeiros cinco anos após o ataque e muito elevado nos primeiros dias após o evento. O indivíduo apresenta nas primeiras 48 horas após AIT uma chance de mais de 10% de apresentar AVCI.

Devido ao grande risco de desenvolver um AVCI, é muito importante não ignorar o AIT, sendo fundamental um tratamento preventivo imediato desse problema. O diagnóstico correto e rápido pode ser fundamental para evitar complicações e até mesmo a morte do indivíduo.

Diagnóstico do ataque isquêmico transitório

O AIT é diagnosticado por meio da análise dos sintomas apresentados pelo paciente e realização de exames complementares. Dentre os exames que podem ser solicitados pelo médico, destacam-se exames de sangue, eletrocardiograma e tomografia do crânio.

Tratamento do ataque isquêmico transitório

Devido ao alto risco de desencadeamento do AVCI, o AIT deve ser tratado como uma emergência médica. Após uma avaliação profunda do caso, o paciente deverá ficar em observação nas primeiras 24 a 48 horas, a depender do caso. Além disso, recomenda-se a administração de antiplaquetário para redução dos riscos de AVCI e controle dos fatores de risco. O paciente deverá ainda ser orientado sobre os sintomas do acidente vascular cerebral, para que o reconhecimento desse evento seja feito de maneira rápida e a ajuda possa ser procurada imediatamente.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Ataque isquêmico transitório (AIT)"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/ataque-isquemico-transitorio-ait.htm. Acesso em 21 de junho de 2024.

De estudante para estudante