Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Enredo

O enredo se refere à trama de uma narrativa e pode ser linear ou não linear.

Visão surreal de uma jovem sentada sobre uma pilha de livros olhando o céu com uma luneta.
O enredo é responsável por prender a atenção do(a) leitor(a) de uma narrativa.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Enredo é como chamamos a trama de uma narrativa. Ele pode ser linear (os fatos são narrados de forma cronológica) ou não linear (a ordem cronológica não é respeitada). De forma geral, o enredo é composto por um acontecimento inicial, um ponto de mudança na narrativa e a resolução dos conflitos da história.

Leia também: Gênero narrativo — o gênero que se refere aos textos que contam uma história

Tópicos deste artigo

Resumo sobre enredo

  • O enredo pode ser linear (sequencial) ou não linear (fragmentado).

  • A estrutura clássica do enredo é: acontecimento inicial, mudança ou “virada” e solução final.

  • Os elementos da narrativa são: narrador, personagem, enredo, tempo, espaço e discurso.

Quais são os tipos de enredo?

O enredo (ou trama) é a sequência de fatos narrados. Assim, um evento gera outro, e isso compõe uma narrativa com princípio, meio e fim. Desse modo, o enredo pode ser, basicamente:

  • sequencial ou linear: a narrativa é contada de forma cronológica.

  • fragmentado ou não linear: a história não respeita uma ordem cronológica.

Para ficar mais claro, vamos imaginar a história de um menino que sonha em conhecer seu ídolo. No enredo linear, a trama tem início com a manifestação do desejo desse garoto, seguida da dificuldade ou ações para realizar o desejo e, por fim, é concluída com a realização desse desejo.

Mas é possível também iniciar o enredo pelo fim e depois contar a trajetória do menino até o momento em que ele consegue o que quer. Nesse caso, não temos um enredo sequencial, mas fragmentado. Portanto, a estruturação do enredo tem a ver com a intenção do narrador, que pode enfatizar o desfecho da obra ou a trajetória do personagem.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como se faz um enredo?

Na construção do enredo, segundo o crítico literário Jonathan Culler, é preciso:

  • a existência de um acontecimento inicial, principal, que desencadeia outros;

  • a ocorrência, em seguida, da “virada”, uma transformação;

  • a resolução, por fim, para a história.

Assim, o que prende o leitor e a leitora de uma narrativa é essa mudança, que gera o conflito da obra. Essa transformação pode estar relacionada a um acontecimento ou a um personagem, por exemplo. Ela deve ser seguida da solução no final da obra, desfecho que dialoga com o início da narrativa. Essa retomada mostra a potência desse desfecho, já que põe em evidência a transformação ocorrida durante a história.

Veja também: Fábula — o tipo de narrativa que transmite diversos valores sociais

Exemplos de enredo

Dom Casmurro, de Machado de Assis

O livro Dom Casmurro, de Machado de Assis, é um exemplo de enredo não linear. Afinal, o narrador do romance começa a história pelo final, quando Bentinho está velho e tem a intenção de “atar as duas pontas da vida, e restaurar na velhice a adolescência”. Desse modo, o narrador-personagem passa a contar fatos de sua adolescência.

A partir daí, temos uma narrativa cronológica: Bentinho e Capitu se apaixonam, precisam vencer um obstáculo ao seu amor (o jovem é obrigado a ir para um seminário e se tornar padre), depois se casam, têm um filho, surge o ciúme de Bentinho e, por fim, a eterna dúvida — Capitu traiu ou não traiu o seu marido? Assim, Machado de Assis inova ao negar uma solução final para o seu enredo.

A hora da estrela, de Clarice Lispector

Inovador também é o livro A hora da estrela, de Clarice Lispector, devido ao seu caráter metalinguístico. Inicialmente, a obra mostra as dúvidas do narrador Rodrigo S. M. na criação de sua protagonista: a nordestina Macabéa. Assim, ele prefere um enredo linear, conforme aponta em:

“Só não inicio pelo fim que justificaria o começo — como a morte parece dizer sobre a vida — porque preciso registrar os fatos antecedentes.”

Então, ele finalmente inicia o relato da vida tão monótona de sua protagonista. Ele mostra o seu trabalho, o lugar onde ela vive, a pobreza em que vive, seu namoro com o ambicioso Olímpico, o fim da relação, o encontro com uma cartomante e o final trágico da personagem, ou seja, a sua hora da estrela.

Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll

Na obra Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll, temos um exemplo de enredo linear. A protagonista, entediada, vê um coelho branco e corre atrás dele. Ela entra em uma toca e cai até o “país das maravilhas”. Ali, ela vive várias aventuras e conhece exóticos personagens. Por fim, Alice acorda e descobre que tudo foi um sonho.

Pela noite, de Caio Fernando Abreu

Na novela Pela noite, de Caio Fernando Abreu, a linearidade do enredo é evidente. Santiago está no apartamento de Pérsio, onde os dois conversam. Mais tarde, eles saem “pela noite”. Primeiro, vão a um restaurante. Depois, para o Deer’s, um bar, mas têm um desentendimento. Do lado de fora, sob a chuva, eles se beijam. Vão para uma danceteria. Depois, se despedem em frente ao edifício de Pérsio. Porém, minutos depois, a campainha toca. Pérsio vai abrir — é Santiago. Então, “provaram um do outro, no colo da manhã”.

Elementos da narrativa

  • Narrador: quem conta a história.

  • Tipos de narrador:

    • personagem: participa da história narrada.

    • onisciente: sabe de tudo, conhece até os pensamentos íntimos dos personagens.

    • observador: está limitado àquilo que pode observar.

  • Personagem: quem realiza a ação narrada.

  • Tipos de personagem:

    • plana: simples e previsível.

    • redonda ou esférica: complexa e imprevisível.

  • Enredo: trama ou história.

  • Tempo: quando ocorre a ação.

  • Tipos de tempo narrativo:

    • cronológico: linear.

    • psicológico: relativo e fragmentado.

  • Espaço: onde ocorre a ação.

  • Tipos de discurso narrativo:

    • direto: apresenta diretamente a fala de um personagem.

    • indireto: o narrador faz referência à fala de um personagem.

    • indireto livre ou semi-indireto: o narrador reproduz o pensamento de um personagem.

→ Videoaula sobre elementos da narrativa

Por Warley Souza
Professor de Literatura 

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Enredo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/construcao-enredo.htm. Acesso em 02 de julho de 2022.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


Viúva Negra: o contexto sociopolítico da criação da personagem

Uma das mais importantes peças dos Vingadores, a Viúva Negra (apresentada primeiramente na pele da personagem Natasha...

Cem anos de solidão | Análise Literária

Assista a nossa videoaula para conhecer um pouco mais da obra “Cem anos de solidão”, um dos romances mais...