Topo
pesquisar

Formol

Química

O formol é uma mistura homogênea composta por água e pelo menor aldeído existente, o metanal. Ele já foi muito utilizado para preservação de animais mortos.
PUBLICIDADE

O formol (formalina) é uma solução formada pela mistura de água e metanal. Como o metanal é o componente principal dessa mistura, é permitido associar o nome formol ao termo metanal. Assim, sempre que nos referirmos ao formol, também estamos fazendo referência ao metanal.

→ Características químicas do formol

O formol, ou metanal, apresenta uma substância orgânica com um átomo de carbono ligado a um oxigênio e a dois hidrogênios, como podemos observar em sua estrutura abaixo:

Metanal

Fórmula estrutural do metanal

Na estrutura do metanal, temos um grupo carbonila (carbono que realiza uma dupla ligação com o oxigênio), logo, ele pertence à função aldeído. Como possui só um carbono, trata-se do menor aldeído existente.

O metanal apresenta alta inflamabilidade (queima com facilidade), além de ser capaz de reagir quimicamente com as mais diversas substâncias. Veja alguns exemplos de substâncias que reagem com o formol:

  • Albumina (proteína encontrada, por exemplo, na clara do ovo);
  • Caseína (proteína encontrada no leite);
  • Óxidos (substâncias inorgânicas binárias cujo elemento mais eletronegativo é o oxigênio, desde que apresente NOX -2, como o CO2);
  • Nitrometano (substância orgânica formada pela associação do grupo nitro (NO2) com um radical metil (CH3));
  • Carbonato de manganês (MnCO3 - sal inorgânico utilizado na produção de cerâmicas);
  • Peróxidos (substâncias inorgânicas binárias cujo elemento mais eletronegativo é o oxigênio, desde que apresente NOX -1, como o H2O2);

     

→ Características físicas do formol

  • Em temperatura ambiente, ele é um líquido claro;
  • Massa molar igual a 30 g/mol;
  • Seu ponto de fusão é de -92oC;
  • Seu ponto de ebulição é de 96oC;
  • Sua taxa de evaporação é similar à da água;
  • A solubilidade em água é infinita;
  • É solúvel em solventes orgânicos, como o etanol, propanona e éter;
  • Suas moléculas apresentam geometria trigonal plana;
  • Sua densidade é de 1,1 g/cm3;
  • Seu pH (concentração de íons H+) varia de 3 a 4 (é uma substância ácida).

 

→ Produção do formol

O formol pode ser obtido a partir de alguns processos químicos, mas o método mais utilizado é a oxidação catalítica do metanol.

Metanol

Fórmula estrutural do metanol

No processo de oxidação do metanol, utiliza-se como catalisador um óxido metálico ou a prata. Além do catalisador, o metanol é submetido a uma mistura gasosa (composta por hidrogênio, monóxido de carbono e dióxido de carbono), sendo convertido em metanal.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Formação do metanal

Formação do metanal

 

→ Utilizações do formol

  • Produção de alguns cosméticos;
  • Utilizado como desinfetante;
  • Utilizado para embalsamar peças de cadáveres;
  • Participa da produção de seda artificial;
  • Produção de celulose;
  • Produção de tintas;
  • Produção de corantes;
  • Produção de vidros e espelhos;
  • Produção de explosivos;
  • Produção de germicidas e fungicidas agrícolas;
  • Produção de borracha sintética e no tratamento da borracha natural. 

 

→ Legislação em relação ao uso do formol

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é um órgão do Governo Federal que regulamenta o uso e a venda de substâncias que estão relacionadas de forma direta ou indireta com a saúde humana. Assim, o uso ou não do formol é regulamentado por ela.

Desde o ano de 2001, a Anvisa libera apenas a concentração de 0,2% de formol em produtos cosméticos, nos quais atua como conservante. Apenas nos endurecedores de esmalte que essa concentração é de 5%.

Em 2008, a Anvisa proibiu, por meio de uma resolução (Resolução da Diretoria Colegiada no35), o uso do formol na produção de qualquer produto saneante, ou seja, aqueles utilizados para a limpeza (detergentes, desinfetante etc). Em 2009, uma nova resolução da ANVISA proibiu a venda do formol em todo e qualquer estabelecimento (farmácias, supermercados, armazém etc).

Infelizmente alguns profissionais continuam utilizando o formol para realizar o alisamento capilar em clientes, desobedecendo às normas estabelecidas pela Anvisa, assim como alguns fabricantes de produtos saneantes. Vale ressaltar que essa prática está sujeita à punição legal.

 

→ Prejuízos que o formol pode provocar no ser humano

Desde 2004, a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IACR) classifica o formol como uma substância carcinogênica para o ser humano, ou seja, capaz de provocar algum tipo de câncer. Além de ser causador do câncer, o formol pode ainda provocar os seguintes males:

 

Em contato com a pele, provoca:

  • Irritação
  • Vermelhidão
  • Dor
  • Queimaduras

 

Em contato com os olhos, provoca:

  • Irritação
  • Vermelhidão
  • Dor
  • Lacrimação
  • Visão embaçada
  • Cegueira (quando em grande quantidade)

 

Quando ingerido, provoca:

  • Queimação
  • Lesões no trato gastrointestinal
  • Dores abdominais
  • Náuseas

 

Quando seus vapores são inalados, provocam:

  • Dor de garganta
  • Irritação do nariz
  • Tosse
  • Diminuição da frequência respiratória
  • Aumento da sensibilização do trato respiratório
  • Ferimentos graves nas vias respiratórias
  • Edema pulmonar
  • Pneumonia
  • Bronquite

 

Outros:

  • Morte por intoxicação
  • Aumento do fígado
  • Queda do cabelo
  • Alergias


Por Me. Diogo Lopes Dias

Embrião animal no formol
Embrião animal no formol

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DIAS, Diogo Lopes. "Formol"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/formol.htm. Acesso em 18 de setembro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola