Topo
pesquisar
Texto-A+A

O que é elipse?

O que é Português?

A elipse é uma figura de linguagem que consiste na omissão de algum termo que pode ser compreendido pelo contexto.
PUBLICIDADE

 Veja a música de Chico Buarque:

Cotidiano
Chico Buarque

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã

Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar
E essas coisas que diz toda mulher
Diz que está me esperando pro jantar
E me beija com a boca de café

Todo dia eu só penso em poder parar
Meio dia eu só penso em dizer não
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão

Seis da tarde como era de se esperar
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão

Toda noite ela diz pra eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pra eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã.

Notamos que o autor utiliza-se da omissão do sujeito em muitos versos de sua composição:

- Me sacode às seis horas da manhã
- Me sorri um sorriso pontual
- E me beija com a boca de hortelã

- Diz que está me esperando pro jantar
- E me beija com a boca de café

- Depois penso na vida pra levar
- E me calo com a boca de feijão

- Ela pega e me espera no portão
- Diz que está muito louca pra beijar
- E me beija com a boca de paixão

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

- E me aperta pra eu quase sufocar
- E me morde com a boca de pavor

No entanto, podemos inferir pelo contexto da letra que os sujeitos ocultos são representados pelas pessoas “Ela” e “Eu”, não é mesmo? Esse recurso estilístico é uma figura de linguagem que se realiza a nível sintático (figura de sintaxe) conhecida como elipse, cuja definição é a seguinte:

Elipse: é uma figura de linguagem que consiste na omissão de algum termo que pode ser compreendido pelo contexto.

Pode ocorrer elipse:

a) do sujeito:

Exemplo:

Os olhos são as janelas para o mundo. Testemunham tudo que acontece ao redor.

O que testemunha tudo o que acontece ao redor? - Os olhos (sujeito elíptico).

b) do verbo:

Exemplo:

Há dois anos, comprei um carro e, agora, uma casa.
Perceba a omissão do verbo comprei antes do seu complemento “uma casa”.

c) da conjunção integrante que:

Exemplo:

Ele propôs casássemos.

d) da preposição “de” que inicia orações objetivas diretas e orações completivas nominais:

Exemplo:

Tenho certeza que você será aprovado.

e) da preposição que introduz determinados adjuntos:

Exemplo:

A garota, cabelos negros, era bela e meiga.

OBSERVAÇÃO: Zeugma é um tipo de elipse que consiste em omitir em dois ou mais enunciados um termo expresso em um deles.

Exemplo:

Torço para o Palmeiras; minha mãe, para o Corinthians; meu pai, para o Flamengo.


Por Mariana Rigonatto
Graduada em Letras

  

No exemplo acima, é possível deduzir pelo contexto qual é o sujeito do verbo “beijar” (o pai). Essa figura de linguagem é conhecida como elipse
No exemplo acima, é possível deduzir pelo contexto qual é o sujeito do verbo “beijar” (o pai). Essa figura de linguagem é conhecida como elipse

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

RIGONATTO, Mariana. "O que é elipse? "; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/portugues/o-que-e-elipse.htm. Acesso em 19 de outubro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola