Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Sedentarização

Sedentarização foi um processo que ocorreu na história das sociedades humanas, caracterizado pelo abandono do estilo de vida nômade para a permanência em um local específico.

Reconstrução de habitações de uma aldeia neolítica em texto sobre sedentarização.
Reconstrução de habitações de uma aldeia neolítica, um resultado do processo de sedentarização. [1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Sedentarização é o processo pelo qual as sociedades humanas abandonam o nomadismo em favor da permanência em um local específico por longos períodos de tempo. Impulsionada pela descoberta e domesticação de plantas e animais, a sedentarização permite o desenvolvimento da agricultura e da pecuária, bem como avanços tecnológicos, como a construção de estruturas permanentes e técnicas de armazenamento de alimentos.

Caracteriza-se pela permanência em um local definido, com a construção de habitações permanentes, especialização do trabalho e formação de laços sociais mais complexos.

Leia também: Período Neolítico — fase de maior transformação entre os hominídeos durante a Pré-História

Tópicos deste artigo

Resumo sobre sedentarização

  • Sedentarização é o processo no qual sociedades humanas deixam de ser nômades para se fixar em um local específico por longos períodos de tempo.
  • É caracterizada pela permanência em um território definido.
  • Teve início com o surgimento de comunidades agrícolas em áreas férteis, como o Crescente Fértil e o vale do rio Nilo, e evoluindo para o estabelecimento de civilizações complexas com cidades e impérios.
  • Foi impulsionada pela descoberta e domesticação de plantas e animais, que possibilitou o desenvolvimento da agricultura e da pecuária.
  • Uma das principais mudanças causadas pela sedentarização foi a transição de uma economia de subsistência baseada na caça, coleta e pesca para uma economia agrícola.
  • Uma implicação social da sedentarização foi o crescimento populacional, que resultou na formação de hierarquias sociais e desigualdades.
  • A sedentarização tornou a sociedade mais propensa a doenças epidêmicas e provocou impactos ambientais negativos.
  • Sedentarização e nomadismo são conceitos que se diferem: o primeiro envolve a permanência em um local específico; o segundo, o deslocamento sazonal em busca de recursos naturais.

O que é sedentarização?

A sedentarização é um processo pelo qual as sociedades humanas passam, abandonando o nomadismo em favor da permanência em um local específico por longos períodos de tempo. Esse conceito está intrinsecamente ligado à transição de um estilo de vida nômade, no qual as comunidades se deslocam em busca de recursos sazonais, para uma forma de vida mais estável e permanente, caracterizada pela fixação em determinado território.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Causas da sedentarização

Diversos fatores contribuem para a sedentarização das comunidades humanas ao longo da história. Um dos principais motivos é a descoberta e domesticação de plantas e animais, o que permitiu o desenvolvimento da agricultura e da pecuária. A prática da agricultura possibilitou o cultivo de alimentos de forma regular e previsível, reduzindo a necessidade de movimentação constante em busca de recursos alimentares.

Além disso, a sedentarização também está relacionada com o surgimento de assentamentos urbanos, com a formação de vilas e cidades como centros de comércio, política e cultura.

Outros fatores que contribuíram para a sedentarização incluem avanços tecnológicos, como a domesticação de animais de carga para transporte de mercadorias e a construção de estruturas permanentes, como casas e armazéns. O desenvolvimento de técnicas de armazenamento de alimentos também foi crucial, pois permitiu que as comunidades acumulassem excedentes durante períodos de abundância para consumo posterior.

Veja também: Evolução das cidades — da Antiguidade aos dias atuais

Características da sedentarização

A sedentarização é caracterizada pela estabilidade e permanência das comunidades em um local específico. Isso implica a construção de habitações permanentes, como casas e edifícios, e a criação de estruturas de suporte à vida em sociedade, como escolas, mercados e sistemas de governo. Além disso, a sedentarização está associada ao desenvolvimento de atividades especializadas e à divisão do trabalho, uma vez que as comunidades podem se dedicar a diferentes ocupações além da simples busca por alimentos.

Outra característica importante da sedentarização é a formação de laços sociais mais duradouros e complexos. À medida que as pessoas passam mais tempo juntas em um mesmo local, desenvolvem-se relações interpessoais mais profundas e sistemas de parentesco mais elaborados. Isso contribui para o surgimento de culturas distintas e identidades coletivas mais fortes.

Como foi o processo de sedentarização dos seres humanos?

O processo de sedentarização dos seres humanos foi gradual e ocorreu ao longo de milhares de anos, em diferentes regiões do mundo. Uma das primeiras formas de sedentarização foi o estabelecimento de comunidades agrícolas, que surgiram em áreas férteis como o Crescente Fértil, no Oriente Médio, e o vale do rio Nilo, no Egito, por volta de 10.000 a.C. Nessas regiões, as populações começaram a cultivar plantas como trigo, cevada e arroz, e a domesticar animais como ovelhas, cabras e gado bovino.

Regiões no globo terrestre onde ocorreu sedentarização
No globo, o vermelho marca os locais onde ocorreu sedentarização no Período Neolítico.[2]

Com o tempo, essas comunidades agrícolas cresceram e se desenvolveram em civilizações complexas, como as sumérias, egípcias e mesopotâmicas. O surgimento de cidades e impérios levou a uma maior sedentarização da população, com a construção de infraestruturas urbanas e a especialização do trabalho.

Em paralelo, outras regiões do mundo também passaram pelo processo de sedentarização, adaptando-se às condições ambientais locais e desenvolvendo suas próprias formas de organização social e econômica.

Mudanças causadas pelo processo de sedentarização dos seres humanos

A sedentarização dos seres humanos causou uma série de mudanças significativas em suas vidas e sociedades. Uma das transformações mais marcantes foi a transição de uma economia de subsistência baseada na caça, coleta e pesca para uma economia agrícola, na qual as comunidades passaram a depender principalmente da agricultura para obter alimentos.

Gravura egípcia mostrando dois efeitos da sedentarização: cultivo de plantas e domesticação de animais.
Gravura egípcia mostrando dois efeitos da sedentarização: cultivo de plantas e domesticação de animais.

Essa mudança teve importantes implicações sociais, como o surgimento de hierarquias e desigualdades de classe, uma vez que o controle sobre os recursos agrícolas se tornou uma fonte de poder. Além disso, a sedentarização levou ao aumento da densidade populacional em certas áreas, o que por sua vez gerou novos desafios relacionados à gestão de recursos naturais, saneamento básico e saúde pública.

Outra consequência da sedentarização foi o desenvolvimento de tecnologias e técnicas agrícolas mais avançadas, como a irrigação, a rotação de culturas e o arado. Isso permitiu que as comunidades aumentassem sua produtividade e criassem excedentes alimentares, que por sua vez possibilitaram o crescimento de populações urbanas e o surgimento de civilizações complexas.

Saiba mais: Idade dos Metais — fatos que marcaram a última fase da Pré-História

Consequências da sedentarização dos seres humanos

Apesar dos benefícios econômicos e sociais associados à sedentarização, também houve consequências negativas para as sociedades humanas. Uma delas foi a maior propensão a doenças infecciosas e epidemias, devido à concentração de pessoas em áreas urbanas densamente povoadas e à falta de saneamento básico adequado.

Além disso, a sedentarização contribuiu para o aumento da desigualdade social, uma vez que certos grupos detinham o controle sobre os recursos agrícolas e exerciam poder sobre os demais membros da comunidade. Isso resultou em conflitos territoriais e guerras por recursos, que foram uma característica recorrente das sociedades agrícolas e urbanas ao longo da história.

Outra consequência da sedentarização foi a maior pressão sobre o meio ambiente, devido à intensificação da agricultura e à expansão das áreas urbanas. O desmatamento, a erosão do solo e a poluição ambiental tornaram-se problemas cada vez mais graves, afetando não apenas as comunidades humanas, mas também a fauna e a flora nativas.

Diferenças entre sedentarização e nomadismo

A sedentarização e o nomadismo representam duas formas distintas de organização social e econômica, cada uma com suas próprias características e desafios. Enquanto a sedentarização envolve a permanência em um local específico por longos períodos de tempo, o nomadismo é caracterizado pelo deslocamento sazonal em busca de recursos naturais, como água, pastagens e alimentos.

Uma das principais diferenças entre sedentarização e nomadismo é a relação com o meio ambiente. Enquanto as sociedades sedentárias tendem a modificar o ambiente para se adaptar às suas necessidades, construindo infraestruturas permanentes e alterando a paisagem natural, as comunidades nômades dependem da natureza em seu estado natural e têm um impacto menor sobre o meio ambiente.

Ruínas de um assentamento neolítico feito de pedras.
Ruínas de um assentamento neolítico feito de pedras.[3]

Além disso, a sedentarização está associada a uma maior complexidade social e econômica, com o surgimento de hierarquias sociais, divisão do trabalho e especialização de funções. Por outro lado, o nomadismo tende a ser mais igualitário, com uma distribuição mais equitativa de recursos e responsabilidades entre os membros da comunidade.

Em termos de mobilidade e flexibilidade, o nomadismo oferece vantagens significativas, permitindo que as comunidades se adaptem rapidamente a mudanças ambientais e climáticas. No entanto, a sedentarização proporciona estabilidade e segurança a longo prazo, possibilitando o desenvolvimento de atividades econômicas mais complexas e o crescimento das comunidades urbanas.

Créditos das imagens

[1] Wikimedia Commons

[2] Pedro P. Palazzo/ Wikimedia Commons

[3] Wikimedia Commons

Fontes

GOSDE, Chris. Pré-História. São Paulo: L&PM, 2012

CHILDE, Gordon. A Evolução Cultural do Homem. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981.

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Sedentarização"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/sedentarizacao.htm. Acesso em 22 de maio de 2024.

De estudante para estudante


Artigos Relacionados


As construções Nuragues e Dolmens no Período Neolítico

A importância das construções Nuragues e Dolmens para o homem neolítico.
História Geral

Divisão da história

Clique aqui, saiba o que é divisão da história e conheça os períodos da história geral e da história do Brasil.
História

Egito Antigo

Clique no link e aprenda sobre a história do Egito Antigo. Saiba mais sobre essa importante civilização, como sua sociedade, seu governo, sua economia etc.
História Geral

Evolução da agricultura e suas técnicas

Entenda os principais aspectos da evolução da agricultura ao longo da história e seus impactos sobre a produção do espaço geográfico.
Geografia

Evolução das cidades

Veja as principais características das cidades desde seu surgimento, acompanhando a ascensão e declínio delas como centros de atividades e vivência social durante a História.
História

Idade Antiga

Saiba mais sobre a Idade Antiga e adquira conhecimentos mais detalhados sobre cada momento dessa fase da história.
História Geral

Idade dos Metais

Veja como a descoberta dos metais transformou a vida dos hominídeos. Conheça os metais usados e seu uso nos combates durante a Idade dos Metais.
História Geral

Mesopotâmia

Vejam quais povos dominaram a Mesopotâmia. Acompanhe em nosso texto como os rios foram importantes para o desenvolvimento dos povos dessa região.
História Geral

Nomadismo

Você sabe o que é nomadismo? Clique no texto, descubra as características dos povos nômades e entenda a diferença entre nomadismo e sedentarização.
História Geral