Topo
pesquisar

Fases da Segunda Guerra Mundial

História Geral

Entre as fases da Segunda Guerra Mundial, podemos citar, nos anos iniciais, o avanço do Eixo e, depois, a mobilização dos exércitos Aliados, que resultou no fim da guerra.
A Segunda Guerra dividiu-se entre o triunfo do Eixo e a reação dos Aliados
A Segunda Guerra dividiu-se entre o triunfo do Eixo e a reação dos Aliados
PUBLICIDADE

No dia 1º de setembro de 1939, Adolf Hitler anunciou o início das ações militares voltadas para a invasão da Polônia. Tal feito do Estado Nazista serviu como estopim para que a França e a Inglaterra enviassem um ultimato exigindo que tal ação militar não fosse realizada. Mediante o silêncio de Hitler, franceses e ingleses declararam guerra contra os alemães. Apesar do anúncio, nenhum grande conflito desenvolveu-se imediatamente ao processo de invasão germânico em terras polonesas.

 

Invasão da Polônia pela Alemanha
Soldados alemães durante a invasão da Polônia em 1939.

Avanço do Eixo

O marasmo desse primeiro momento, também conhecido como “guerra de mentira”, foi quebrado quando as forças de Adolf Hitler empregaram diversos ataques-relâmpago (conhecidos como “Blitzkrieg”) contra a Holanda, Noruega, Dinamarca e Bélgica. Por meio da dominação desses territórios, os alemães abriram caminho para que a invasão à França acontecesse. Em junho de 1940, os alemães avançaram sobre a cidade de Paris e assim também dominaram esse importante território europeu.

Ocupação nazista em Paris
Cidadão parisiense desconsolado com a chegada das tropas nazistas à capital francesa.

Reconhecendo o expressivo avanço dos alemães, o governo soviético propôs uma divisão do mundo em zonas de influência partilhadas por nazistas e socialistas. Contudo, a proposta de Moscou foi claramente ignorada quando as forças de Hitler avançaram no Leste Europeu, promovendo a rendição de gregos, romenos, búlgaros, albaneses, iugoslavos e húngaros. Enquanto isso, os italianos apoiavam Hitler no Norte da África, e os japoneses atingiam os Estados Unidos na região de Pearl Harbor.

Um pouco antes, os ingleses resistiram incrivelmente aos ataques alemães que sucederam o processo de invasão da França. Do ponto de vista militar, uma derrota britânica poderia significar o rápido domínio nazista por toda a Europa Ocidental. Contudo, graças aos eficientes equipamentos da Royal Air Force, os ingleses evitaram que esse terrível triunfo nazista ocorresse. A rápida e completa vitória dos alemães tinha sido refreada naquele momento.

Mapa Mental - Segunda Guerra Mundial

Mapa Mental: 2ª Guerra Mundial

*Para baixar o mapa mental em PDF, clique aqui!

Invasão da União Soviética

Em 1942, o triunfo do eixo Roma-Berlim-Tóquio determinou grandes perdas aos países aliados. Animados por tais resultados, os nazistas decidiram invadir o imenso território soviético com o objetivo de expandir sua dominação em terras orientais. No entanto, sem ter o devido preparo com relação ao extremo inverno siberiano, os alemães foram terrivelmente derrotados. Na batalha de Stalingrado, os alemães tiveram uma grande derrota que iniciava a marcha soviética contra a Alemanha.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Alianças para a Segunda Guerra Mundial

Mobilização dos Aliados

A possibilidade de bater as forças do Eixo incentivou uma nova mobilização dos aliados naquela guerra. Em 1943, forças anglo-americanas conseguiram abater os soldados alemães e italianos que conquistaram o norte da África. Um pouco antes, os japoneses sofreram uma grave derrota na Batalha de Midway contra os Estados Unidos. Na segunda metade de 1943, os italianos foram derrotados pelas forças norte-americanas, e o governo de Benito Mussolini chegou ao seu fim.

Em junho de 1944, as tropas anglo-americanas mais uma vez uniram-se para enfrentar os alemães. Desta vez, a missão era retomar a França por meio de um ataque surpresa, realizado pela Normandia. Conhecido como “Dia D”, tal ação militar foi de importância crucial para que os alemães perdessem qualquer possibilidade de reação. A partir daquela vitória, bastava somente pressionar o território alemão com o uso das frentes ocidental e oriental das forças aliadas.

 

Dia D
As tropas aliadas desembarcaram nas praias da Normandia em 6 de junho de 1944, no que ficou conhecido como Dia D.

Fim da Guerra

No dia 7 de maio de 1945, os alemães oficializaram a sua rendição. Nesse instante, bastava apenas negociar com as autoridades japonesas a rendição de suas forças, que lutavam sozinhas no Oceano Pacífico. Contudo, a negativa nipônica fez com que os EUA optassem pelo lançamento de bombas atômicas contra o espaço japonês. De tal forma, a Segunda Guerra Mundial chegava ao seu fim com o trágico episódio nuclear acontecido nas cidades de Hiroshima e Nagasaki.


Por Rainer Sousa
Graduado em História

*Mapa Mental por Daniel Neves
Graduado em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "Fases da Segunda Guerra Mundial"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/fases-segunda-guerra-mundial.htm. Acesso em 19 de junho de 2019.

Assista às nossas videoaulas
Lista de Exercícios
Questão 1

(UEL-PR) Assinale a alternativa que apresenta uma das principais razões alegadas por Harry Truman, presidente dos EUA, para justificar o uso da bomba atômica contras as cidades de Hiroshima e Nagasaki em agosto de 1945.

a) Apesar das vitórias dos EUA no Pacífico, os japoneses apresentaram notável resistência devido ao emprego de camicases, gerando a perspectiva de prolongamento da guerra.

b) A base industrial do Japão não fora destruída pelos bombardeios convencionais, permitindo ao país a continuidade da produção de armamentos em pé de igualdade com os aliados.

c) A despeito das vitórias sobre os alemães na Europa, os exércitos dos EUA e da URSS não tinham condições de promover uma invasão no Japão devido ao seu caráter insular.

d) A resposta negativa do Japão aos EUA e à Inglaterra, que buscavam negociar o fim da guerra e evitar o crescimento da ofensiva nipônica.

e) Para garantir a supremacia dos interesses liberais e capitalistas no pós-guerra, era necessário impedir a conquista do Japão pela URSS, evitando que o Pacífico ficasse sob influência soviética.

Questão 2

(UFT-TO) As formas de resistência podem ser elementares e espontâneas, como a reação dos dinamarqueses que acabavam de tomar seu chope e iam embora do bar assim que entrava um oficial alemão. Entre os exemplos mais elaborados contam-se a recusa dos religiosos e professores noruegueses de se alistarem, ou as manifestações espontâneas de Praga, em 28 de outubro, data da independência, pelos estudantes secundários. Também foi importante a constituição, na Polônia, de uma sociedade paralela, subterrânea, que passa a educar os jovens desde que os alemães suprimiram as características nacionais do país para germanizá-lo.

FERRO, Marc. História da Segunda Guerra Mundial. São Paulo: Ática, 1995. p. 126.

Com base no texto, considere as afirmações a seguir.

I. A resistência, forma de luta contra o domínio alemão durante a Segunda Guerra Mundial, ocorreu tanto no cotidiano dos envolvidos quanto nas organizações civis e militares armadas.

II. A resistência, ação exclusiva da Primeira Guerra Mundial, ocorria tanto no cotidiano dos civis quanto nas ações armadas planejadas.

III. Além da conjugação de forças militares de americanos, ingleses e russos, os focos de resistência civil foram importantes para o enfraquecimento do exército alemão durante a Segunda Guerra Mundial.

IV. Os líderes dos países considerados aliados condenaram as resistências dos civis dinamarqueses, noruegueses e poloneses, ainda que essas manifestações fossem consideradas importantes para a derrocada do nazismo.

V. A resistência espontânea entrou para a história como uma das mais eficazes formas de luta contra o nazismo.

Assinale a alternativa contendo apenas as afirmações CORRETAS em relação ao texto de Marc Ferro:

a) I, I, III e IV.

b) I, IV e V.

c) II, III, IV e V.

d) I, III e V.

e) I, II e V.

Mais Questões
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola