Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Ciganos

Os ciganos são uma comunidade étnica originária da Índia. São conhecidos pela sua musicalidade e seu estilo de vida nômade. Também são chamados de romani.

Mulher cigana em uma caravana.
Os ciganos são conhecidos pelo seu estilo de vida itinerante.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Os ciganos são uma comunidade étnica diversa, conhecida por sua cultura vibrante e história nômade. A etimologia do termo “ciganos” é controversa, possivelmente derivando da palavra “egípcios”, refletindo uma crença equivocada sobre suas origens. Sua cultura é marcada por música, dança, artesanato e tradições orais transmitidas de geração a geração, promovendo laços familiares e comunitários fortes.

Tradicionalmente organizados em torno de valores familiares e hierarquia comunitária, os ciganos enfrentam desafios como discriminação, exclusão social e acesso desigual à educação e oportunidades econômicas. Com presença significativa em países como Romênia, Turquia e Bulgária, os ciganos lutam pela preservação de sua cultura e identidade étnica em meio a adversidades históricas e contemporâneas.

Leia também: Hebreus — povo de origem semita também conhecido como judeus

Tópicos deste artigo

Resumo sobre ciganos

  • Os ciganos são uma comunidade étnica diversa que tem origem na Índia medieval.
  • O termo “ciganos” tem uma série de origens controversas, uma delas reflete a crença errônea de que os ciganos eram originários do Egito.
  • Os ciganos têm uma cultura vibrante, marcada por música, dança, artesanato e tradições orais, e laços familiares e comunitários fortes. São historicamente nômades.
  • A sociedade cigana é organizada em torno de valores familiares e hierarquia comunitária.
  • Muitos ciganos seguem várias religiões, outros mantêm crenças espirituais e práticas religiosas específicas dentro de suas comunidades.
  • A economia cigana inclui trabalho sazonal, artesanato, comércio itinerante e empreendedorismo.
  • Os países com o maior número de ciganos são: Romênia, Turquia, Bulgária, Hungria e Eslováquia.
  • No Brasil, existem comunidades ciganas em diferentes regiões. Elas chegaram ao país ainda no período colonial.
  • Os ciganos migraram para a Europa, onde enfrentaram discriminação, perseguição e desafios sociais e econômicos ao longo da história.

Quem são os povos ciganos?

Os povos ciganos, também conhecidos como romani, são um grupo étnico originário do noroeste da Índia que migrou para várias partes do mundo ao longo dos séculos. Eles têm cultura, língua e tradições distintas e um estilo de vida nômade.

O termo “cigano” é frequentemente usado de forma genérica para se referir a diversos grupos étnicos que compartilham uma origem comum, mas há uma variedade de subgrupos dentro da comunidade cigana, cada um com sua própria identidade cultural e linguística.

Os ciganos são conhecidos por sua habilidade musical, especialmente no que diz respeito ao violino e à guitarra, e muitas vezes ganham a vida como músicos ou artesãos. Sua cultura é rica em tradições orais, mitologia e crenças espirituais. É importante reconhecer a diversidade dentro da comunidade cigana e evitar generalizações, pois existem diferenças significativas entre os diferentes grupos étnicos e suas experiências históricas e culturais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Origem e significado do termo “cigano”

A etimologia do termo “cigano” é incerta e controversa. Existem várias teorias sobre a origem da palavra, mas nenhuma é definitiva. Algumas das teorias mais aceitas são:

  • Da palavra “egípcio”: quando os ciganos começaram a chegar à Europa Ocidental, no século XIV, foram erroneamente associados ao Egito. Os primeiros viajantes e observadores europeus pensavam que eles vinham de lá, então passaram a chamá-los de “egípcios” ou “gitanos”, uma corrupção de “egípcios”.
  • Do latim medieval, ciganus: significa “nômade” ou “viajante”. Usada para descrever os ciganos devido ao seu estilo de vida itinerante.
  • Do grego, atsínganos: significa “impuro” ou “intocável”. Poderia ser uma referência às práticas religiosas ou culturais dos ciganos que eram vistas como estranhas ou diferentes pelos povos europeus.
  • Do persa, zigeuner: significa “comedor de carne de porco”. Essa palavra pode ter sido usada pejorativamente pelos persas para descrever os ciganos, que supostamente não seguiam as leis dietéticas islâmicas.

É importante observar que nenhuma dessas teorias é conclusiva, e a verdadeira origem da palavra “cigano” ainda não foi definitivamente estabelecida. Além disso, o termo é muitas vezes considerado pejorativo ou ofensivo por alguns membros da comunidade romani, que preferem ser chamados pelo nome de seu próprio grupo étnico.

Veja também: Árabes e muçulmanos — entenda as diferenças étnicas e religiosas

Como é a vida dos ciganos

→ Cultura dos ciganos

A música cigana é uma parte integral da sua cultura, muitas vezes caracterizada por melodias apaixonadas e ritmos vibrantes. Instrumentos tradicionais como o violino, a guitarra, o acordeão e o tambor são comumente usados nas performances musicais. Além disso, a dança também desempenha um papel significativo na cultura cigana, com estilos como o flamenco espanhol sendo influenciados pelas tradições ciganas.

A transmissão oral de histórias, mitos, lendas e músicas é uma parte fundamental da cultura cigana. Essas narrativas ajudam a preservar a identidade e os valores do povo romani ao longo das gerações.

Os ciganos são conhecidos por suas habilidades artesanais em uma variedade de áreas, incluindo trabalho em metal, tecelagem, cerâmica e fabricação de joias. Muitos produtos artesanais ciganos são altamente valorizados por sua beleza e qualidade. Eles frequentemente usam essas habilidades para criar produtos e vendê-los durante suas viagens.

Embora nem todos os ciganos sejam nômades hoje em dia, a vida itinerante ainda é uma parte importante da identidade cigana para muitos. A viagem de lugar a lugar não apenas fornece oportunidades econômicas como também promove o senso de liberdade e independência. Alguns simplesmente estão seguindo tradições ancestrais.

Tendas ciganas.
Tendas ciganas.

Os laços familiares são altamente valorizados na cultura cigana, com uma forte ênfase na solidariedade e no apoio mútuo entre os membros da comunidade. As decisões importantes geralmente são tomadas em consulta com os membros mais velhos da família.

Ao longo da história, os ciganos enfrentaram discriminação e perseguição, o que levou a um forte senso de identidade cultural e resistência dentro da comunidade. A preservação de suas tradições culturais desempenha um papel crucial na afirmação da identidade cigana.

→ Sociedade cigana

A sociedade cigana é tradicionalmente organizada de acordo com valores familiares e comunitários, com uma estrutura social que enfatiza laços familiares fortes e uma forte coesão comunitária.

A família é o centro da vida social cigana. A estrutura familiar geralmente é extensa e multigeracional, com várias gerações vivendo juntas ou em proximidade física. O respeito pelos pais e idosos é fundamental na cultura cigana, e as decisões importantes geralmente são tomadas em consulta com os membros mais velhos da família.

A sociedade cigana frequentemente opera com uma estrutura hierárquica, em que os anciãos e líderes comunitários têm influência significativa nas decisões e na resolução de conflitos. O respeito pela autoridade é valorizado e esperado.

A tradição desempenha um papel central na vida social dos ciganos, e as práticas culturais e rituais são valorizadas e respeitadas. Isso inclui celebrações religiosas, festivais, músicas, danças e outras expressões culturais que são transmitidas de geração a geração.

Mulheres ciganas em um festival.
Músicas, danças e celebrações são práticas muito respeitadas pela sociedade cigana.[2]

A solidariedade entre os membros da comunidade cigana é uma parte fundamental da vida social. Os ciganos, muitas vezes, se apoiam mutuamente em tempos de necessidade, compartilhando recursos e oferecendo apoio emocional e prático uns aos outros.

→ Religião dos ciganos

A religião entre os ciganos é diversificada e pode variar amplamente entre diferentes grupos e regiões. Existem muitos ciganos que se identificam como cristãos, e sua prática religiosa pode variar de acordo com a denominação cristã predominante na região.

Alguns ciganos seguem o catolicismo, enquanto outros são protestantes ou ortodoxos. Eles podem incorporar elementos de sua cultura e tradições em suas práticas religiosas, como cerimônias de casamento ou funerais.

Em algumas regiões, especialmente na Europa Oriental e na Ásia Central, existem comunidades ciganas que são muçulmanas. Elas seguem os ensinamentos do islã e observam seus rituais religiosos, como as cinco orações diárias, o jejum durante o Ramadã e a peregrinação a Meca.

Algumas comunidades ciganas mantêm suas tradições religiosas hindus, refletindo suas origens na Índia. Elas podem praticar rituais, adorar divindades e seguir costumes e festivais hindus. Outros ciganos têm crenças espirituais que incorporam elementos de várias tradições religiosas, bem como crenças e práticas específicas da cultura cigana. Isso pode incluir crenças em magia, superstição, cura espiritual, leitura de cartas de tarô e outros métodos de adivinhação.

Em algumas comunidades ciganas, há um sincretismo religioso, no qual elementos de diferentes tradições religiosas são combinados ou mesclados para formar uma prática religiosa única. Por exemplo, pode-se combinar elementos do cristianismo com crenças espirituais ciganas.

→ Economia dos ciganos

A economia entre os ciganos é historicamente caracterizada por sua adaptabilidade e pela combinação de diferentes formas de subsistência. Uma parte significativa da economia cigana historicamente envolveu trabalho sazonal, como colheita de frutas, agricultura temporária ou trabalho em feiras e mercados.

Além disso, muitos ciganos são hábeis artesãos, produzindo uma variedade de produtos artesanais, como joias, roupas, tapetes, cestas e ferramentas. A tradição de comércio e a negociação são fortes entre os ciganos. Eles frequentemente se envolvem em negócios itinerantes, vendendo produtos artesanais, roupas, utensílios domésticos e outros bens em feiras, mercados ou diretamente nas comunidades onde viajam.

Devido à marginalização social e econômica enfrentada por muitos ciganos ao longo da história, a economia informal desempenha um papel significativo em suas vidas. Isso pode incluir atividades como coleta de lixo, reciclagem, venda de mercadorias usadas ou outras formas de trabalho informal para sustentar suas famílias.

→ Educação dos povos ciganos

A educação dentro das comunidades ciganas pode variar significativamente dependendo da região, das práticas culturais e das políticas educacionais do país em questão. No entanto, há alguns padrões e desafios comuns que muitas comunidades enfrentam em relação à educação.

Historicamente, muitas comunidades ciganas enfrentaram barreiras no acesso à educação, devido a fatores como pobreza, discriminação, segregação e falta de infraestrutura educacional adequada em áreas onde vivem. Isso pode resultar em altas taxas de analfabetismo e baixos níveis de escolarização.

Algumas comunidades ciganas têm tradições culturais que valorizam a aprendizagem informal e a prática sobre a educação formal. Isso pode significar que algumas famílias priorizam habilidades tradicionais, como artesanato, música ou negócios familiares, em vez de educação formal.

O estigma e a discriminação enfrentados por muitas comunidades ciganas podem criar um ambiente hostil nas escolas, o que desencoraja a participação e o engajamento dos alunos ciganos. Isso pode levar ao abandono escolar precoce e à falta de acesso a oportunidades educacionais.

Qual é a língua falada pelos ciganos?

O idioma romani é uma língua importante na cultura cigana, embora sua forma e dialetos possam variar significativamente entre os diferentes grupos ciganos ao redor do mundo. O romani pertence ao ramo indo-iraniano da família linguística indo-europeia. Além do romani, os ciganos, muitas vezes, falam as línguas dos países onde vivem.

Como vivem os ciganos no Brasil?

Embora seja difícil determinar com precisão quando exatamente os primeiros ciganos chegaram ao país, acredita-se que tenha sido durante o período colonial, principalmente por meio da imigração de ciganos portugueses e espanhóis.

Ao longo dos séculos, os ciganos se estabeleceram em diferentes regiões do Brasil, contribuindo para a diversidade étnica e cultural do país. A história cigana no Brasil é marcada por períodos de aceitação e integração, assim como por períodos de discriminação e marginalização.

Durante o período colonial e imperial, os ciganos enfrentaram estigmatização e foram frequentemente sujeitos a políticas de assimilação forçada, incluindo a proibição de suas práticas culturais e religiosas. No entanto, eles também encontraram maneiras de preservar suas tradições culturais e identidade étnica ao longo dos séculos, mantendo práticas como a música, a dança, o artesanato e crenças espirituais.

Muitos ciganos no Brasil mantêm suas próprias comunidades e continuam a viver de acordo com suas tradições culturais e valores familiares. Atualmente, eles ainda enfrentam desafios, incluindo discriminação, acesso desigual a serviços básicos e estigmatização social.

No entanto, também há esforços em andamento para promover a inclusão e proteção dos direitos dos ciganos, com organizações da sociedade civil e governamentais trabalhando para combater o preconceito e promover a igualdade de oportunidades para os ciganos no Brasil.

5 países com o maior número de ciganos

É importante observar que os dados específicos sobre a população cigana podem variar entre diferentes fontes e podem não estar completamente atualizados. Com base em estudos recentes, os países com os maiores números de ciganos são:

  • Romênia: de 1,5 a 2 milhões de pessoas. Representam uma parte significativa da população da Romênia, com comunidades espalhadas por todo o país.
  • Turquia: de 2 a 5 milhões de pessoas. Os ciganos na Turquia são conhecidos como “roma” ou “romanlar” e representam uma das maiores minorias étnicas do país.
  • Bulgária: de 700.000 a 800.000 pessoas. Os ciganos na Bulgária são uma das maiores minorias étnicas do país e enfrentam desafios significativos em termos de discriminação e acesso igualitário a serviços.
  • Hungria: de 600.000 a 800.000 pessoas. Os ciganos na Hungria, conhecidos como “roma” ou “romák”, constituem uma parte significativa da população do país, e a situação deles tem sido objeto de preocupação em termos de Direitos Humanos e integração.
  • Eslováquia: de 500.000 a 700.000 pessoas. Os ciganos (ou “rom”) na Eslováquia representam uma das maiores minorias étnicas do país e enfrentam desafios socioeconômicos significativos.

Saiba mais: Xenofobia — a aversão contra estrangeiros

História dos ciganos

A história dos ciganos é rica e antiga. Os ciganos têm suas origens na região do noroeste da Índia, onde viviam no período medieval. Acredita-se que tenham deixado a Índia por volta dos séculos IX e X, possivelmente devido a pressões políticas, conflitos internos ou perseguição religiosa.

Representação da chegada de uma caravana de ciganos a Berna, na Suíça, no século XV.
Representação da chegada de uma caravana de ciganos a Berna, na Suíça, no século XV.

Os ciganos viajaram por várias rotas, atravessando Ásia Central, Oriente Médio e Norte da África, antes de chegar à Europa. Entraram na Europa pela primeira vez no século XIV, possivelmente através do Império Bizantino e dos Bálcãs. Os ciganos foram documentados pela primeira vez na Europa Ocidental na década de 1400, quando foram mencionados em crônicas e registros oficiais. Ao longo dos séculos seguintes, espalharam-se por todo o continente europeu.

Ao longo da história europeia, os ciganos foram frequentemente alvo de preconceito, discriminação e perseguição. Rotulados como estrangeiros, vagabundos, feiticeiros e criminosos, foram sujeitos a leis que restringiam sua liberdade de movimento, religião e trabalho.

Apesar das adversidades, os ciganos conseguiram preservar sua cultura, língua, tradições e identidade étnica ao longo dos séculos. Transmitiram essas características de geração a geração, mantendo uma rica tradição em música, dança, arte, artesanato, mitologia e crenças espirituais.

Atualmente, os ciganos estão espalhados por todo o mundo, com comunidades em muitos países da Europa, América do Norte, América do Sul, Ásia e outras regiões. No entanto, continuam a enfrentar desafios sociais, econômicos e políticos, incluindo discriminação, exclusão social, pobreza e falta de acesso a serviços básicos.

A história dos ciganos é uma história de resiliência, adaptabilidade e luta por reconhecimento e igualdade de direitos, destacando a importância de se compreender e respeitar sua cultura e identidade.

Problemas enfrentados pelos povos ciganos

Os ciganos frequentemente enfrentam discriminação e preconceito em várias formas, incluindo acesso desigual à educação, ao emprego, à moradia e a serviços de saúde de qualidade. Estereótipos negativos e percepções equivocadas sobre sua cultura e identidade contribuem para essa discriminação.

Muitas comunidades ciganas enfrentam exclusão social, sendo marginalizadas e isoladas do restante da sociedade. Isso pode resultar em falta de oportunidades de emprego, educação inadequada e acesso limitado a serviços básicos.

A pobreza é um problema significativo entre os povos ciganos, com muitas famílias vivendo em condições precárias de moradia, com acesso limitado a água potável, eletricidade e saneamento básico. A falta de oportunidades econômicas contribui para essa situação.

Acampamento de ciganos na Turquia.
Acampamento de ciganos na Turquia. A pobreza é uma realidade enfrentada por essa comunidade.[3]

Em muitos países, os ciganos enfrentam segregação e desigualdade sistêmica, com políticas que os discriminam e os colocam em desvantagem em comparação ao restante da população. Isso pode incluir políticas habitacionais que os colocam em assentamentos precários ou a segregação em escolas e locais públicos.

Os ciganos também enfrentam altos índices de violência e assédio, tanto por parte de indivíduos quanto de instituições. Isso pode incluir ataques físicos, ameaças verbais, discriminação no sistema judicial e violência policial.

Créditos das imagens

[1]Yavuz Sariyildiz/ Shutterstock

[2]Solar Studio/ Shutterstock

[3]Prometheus72/ Shutterstock

Fontes

NOGUEIRA, Adeilson. Ciganos: a história de um povo. Clube de Autores: 2022

QUEIRÓS, Bartolomeu. Ciganos. Global Editora, 2004

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Ciganos"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/ciganos.htm. Acesso em 15 de abril de 2024.

De estudante para estudante


Artigos Relacionados


Antissemitismo

Acesse para saber mais sobre o antissemitismo, o preconceito contra populações semitas. Veja também o que foi o antissemitismo nazista.
História Geral

Etnia

Clique aqui, saiba o que é etnia e conheça seus tipos. Descubra também qual é a diferença entre raça e etnia.
Sociologia

Hinduísmo

Clique aqui e saiba o que é o hinduísmo. Conheça suas principais características e crenças. Descubra também quais são sua origem e sua história.
Religião

Minorias sociais

Clique aqui para conhecer o que é minoria social, um importante conceito para a sociologia contemporânea que tenta compreender a exclusão de setores sociais.
Sociologia

Nomadismo

Você sabe o que é nomadismo? Clique no texto, descubra as características dos povos nômades e entenda a diferença entre nomadismo e sedentarização.
História Geral

Povos indo-europeus

Fique sabendo que importância tiveram os povos indo-europeus na formação das primeiras civilizações da Europa e de parte da Ásia.
História Geral

Qual é a diferença entre árabes e muçulmanos?

Entenda a diferença entre árabes e muçulmanos e conheça detalhes sobre a distribuição dos respectivos povos pelo mundo.
Geografia

Segregação racial

Entenda um pouco mais sobre segregação racial com base em três exemplos históricos: EUA, África do Sul e Brasil. Saiba quais são as consequências dessa prática.
Sociologia

Xenofobia na Europa

Uma abordagem sobre o problema da xenofobia na Europa, com suas principais causas e características.
Geografia

Índia

Você conhece a Índia? Clique aqui e saiba os principais aspectos geográficos desse país.
Geografia