Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Bandeirantismo

Bandeirantismo foi uma série de expedições empreendidas e financiadas por paulistas com o objetivo de encontrar metais preciosos no interior do Brasil.

Estátua do bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, em São Paulo.
Estátua do bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, responsável pela expedição que chegou à região onde hoje é Goiás.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O bandeirantismo foi um conjunto de expedições que saíram de São Paulo em direção ao interior do Brasil, no século XVIII, em busca de metais preciosos e de mão de obra indígena para ser escravizada e utilizada em terras paulistas. Existiram três tipos de bandeirantismo: de aprisionamento, de prospecção e o sertanismo de contrato. Os bandeirantes foram os primeiros a descobrirem as minas de ouro nas regiões de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, dando início ao povoamento do sertão brasileiro. Essas expedições colaboraram para reprimir os quilombos, em especial o maior deles, o de Palmares.

Confira nosso podcast: Quem foi Zumbi dos Palmares?

Tópicos deste artigo

Videoaula sobre bandeiras

O que foi o bandeirantismo?

O bandeirantismo foi um conjunto de expedições particulares ocorridas no Brasil no século XVIII. Saindo da província de São Paulo, os bandeirantes investiram seu dinheiro nessas expedições pelo interior brasileiro em busca de metais preciosos e indígenas para trabalharem escravizados em suas terras. Foi nesse período que foram descobertas as primeiras minas de ouro na região de Minas Gerais, promovendo uma grande corrida por metais preciosos naquele local.

As expedições bandeirantes percorreram longos quilômetros pelo território brasileiro, indo de norte a sul, explorando economicamente as terras por onde passavam e aprisionando indígenas para o trabalho escravizado.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Contexto histórico do bandeirantismo

A União Ibérica, a junção dos reinos de Portugal com Espanha, ocorrida no século XVII, teve efeito direto na administração colonial brasileira. Ocorreu a suspensão do Tratado de Tordesilhas, que dividia os domínios dos dois reinos ibéricos na América do Sul, o que motivou vários colonos a investirem em expedições pelo interior do Brasil em busca de metais preciosos e outras riquezas a serem exploradas. Como a produção açucareira se concentrou na região Nordeste, as outras localidades tiveram que investir em outras produções para a sua sobrevivência.

Mapa indicando a expansão bandeirante no Brasil.

Com a crise do açúcar em meados do século XVII, principalmente após a expulsão dos holandeses de Pernambuco, a Coroa portuguesa buscou outros meios para manter a exploração do Brasil. Para isso, Portugal investiu nas entradas, ou seja, em expedições oficiais pelo interior para encontrar novas riquezas. Essas expedições partiam do litoral.

Em São Paulo, os colonos também investiram em expedições para encontrar no sertão brasileiro metais preciosos e indígenas para serem escravizados. Vale lembrar que a mão de obra negra escravizada estava restrita aos engenhos de cana-de-açúcar do Nordeste. Como a província paulista necessitava de força para o trabalho agrícola em sua terra, a mão de obra indígena se adequaria a sua realidade.

O contexto histórico do bandeirantismo é marcado por várias mudanças no Brasil Colônia. O eixo econômico foi deslocado do Nordeste para o centrosul brasileiro. Isso fez com que a Coroa portuguesa mudasse a capital colonial de Salvador para o Rio de Janeiro, facilitando o controle e a cobrança de impostos das regiões mineradoras mais próximas da cidade carioca. As expedições bandeirantes colaboraram para o povoamento do interior

Veja também: Jesuítas e bandeirantes — os interesses distintos em relação aos indígenas

Tipos de bandeirantismo

As expedições que saíram de São Paulo em direção ao sertão brasileiro se dividiram em:

  • Bandeiras de apresamento: caracterizou-se pelo aprisionamento dos indígenas para trabalharem como escravos na província de São Paulo.

  • Bandeiras de prospecção: procuravam produtos, como as drogas do sertão, para serem comercializados. Quando o bandeirante não encontrava nenhum indício de metais preciosos na região explorada, buscava-se produtos que poderiam render algum lucro.

  • Sertanismo de contrato: expedições para combater os indígenas que entravam em confronto com os colonos. Além disso, esse tipo de bandeira era caracterizado pela destruição de quilombos, para os quais os negros que fugiam do cativeiro iam em busca de refúgio.

Principais bandeirantes

  • Bartolomeu Bueno da Silva: pioneiro na expedição para o interior de Goiás. Ele ficou conhecido entre os indígenas como Anhanguera, ou seja, “Diabo Velho”, por ter colocado em uma bacia aguardente e ateado fogo nela como ameaça para as águas dos rios caso os indígenas não indicassem onde estavam as minas de ouro. O Anhanguera fundou a cidade de Vila Boa, atual Cidade de Goiás, capital goiana até 1933.

  • Domingos Jorge Velho: responsável pela destruição do Quilombo dos Palmares, o maior do Brasil Colônia, e por matar Zumbi, líder do quilombo.

  • Antônio Raposo Tavares: suas expedições saíram de São Paulo e percorreram grande parte do território brasileiro. Ele expandiu as fronteiras do Brasil dentro dos limites traçados pelos espanhóis. Suas expedições foram marcadas por conflitos entre tribos indígenas e missões jesuíticas.

Crédito de imagem

[1] Vinicius van Coolwijk / Shutterstock

 

Por Carlos César Higa
Professor de História

Escritor do artigo
Escrito por: Carlos César Higa Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

HIGA, Carlos César. "Bandeirantismo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiab/bandeirantismo.htm. Acesso em 17 de abril de 2024.

De estudante para estudante


Lista de exercícios


Exercício 1

(Fuvest-SP) Qual destas definições expressa melhor o que foram as Bandeiras?

a) Expedições financiadas pela Coroa que se propunham exclusivamente a descobrir metais e pedras preciosas.

b) Movimento de fundo catequético, liderados pelos jesuítas para a formação de uma nação indígena cristã.

c) Expedições particulares que apresavam os índios e procuravam metais e pedras preciosas.

d) Empresas organizadas com o objetivo de conquistar as áreas litorâneas e ribeirinhas.

e) Incursões de portugueses para atrair tribos indígenas para serem catequizadas pelos jesuítas.

Exercício 2

(UFU-MG) A atividade bandeirante marcou a atuação dos habitantes da Capitania de São Vicente entre os séculos XVI e XVIII.

A esse respeito, assinale a alternativa correta.

a) Buscando capturar o índio para utilizá-lo como mão de obra, ou para descobrir minas de metais e pedras preciosas, o chamado bandeirismo apresador e o prospector foram importantes para a ampliação dos limites geográficos do Brasil colonial.

b) As bandeiras eram empresas organizadas e mantidas pela Metrópole, com o objetivo de conquistar e povoar o interior da colônia, assim como garantir, efetivamente, a posse e o domínio do território.

c) As chamadas bandeiras apresadoras tinham uma organização interna militarizada e eram compostas exclusivamente por homens brancos, chefiados por uma autoridade militar da Coroa.

d) O que explicou o impulso do bandeirismo do século XVII foi a assinatura do tratado de fronteiras com a Espanha, que redefiniu a linha de Tordesilhas e abriu as regiões de Mato Grosso até o Rio Grande do Sul, possibilitando a conquista e a exploração portuguesa.

e) Derivado da bandeira de apresamento, o sertanismo de contrato era uma empresa particular, organizada com o objetivo de pesquisar indícios de riquezas minerais, especialmente nas regiões de Mato Grosso e Minas Gerais.