Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

União Africana

A União Africana é uma organização internacional formada por todos os 55 territórios africanos e que visa à união e ao desenvolvimento socioeconômico dos países do continente.

Bandeira da União Africana.
Bandeira da União Africana.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A União Africana é uma organização internacional formada por todos os 54 países e territórios do continente africano. Sucessora da Organização da Unidade Africana (OUA), criada em 1963, a União Africana foi lançada em 2002 com o objetivo de promover a paz, a cooperação e a união entre os países da África, além de trabalhar para o desenvolvimento social, econômico e político do continente africano. Recentemente, a União Africana tem atuado ativamente na mediação de conflitos, visando à pacificação e ao equilíbrio político na África, além de ter sido aprovada como membro permanente do G20.

Leia também: União Europeia — um bloco político e econômico do continente europeu constituído por 27 nações

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a União Africana

  • A União Africana é uma organização continental lançada em 2002 e formada por todos os países e territórios da África.

  • Todos os 54 países do continente africano são membros da União Africana. Junto deles está o território da República Árabe Saaraui Democrática.

  • Tem como objetivo a consolidação da paz e da união entre os países africanos, mediando e evitando conflitos. Além disso, atua de forma a promover o desenvolvimento social, político e econômico no continente.

  • A economia da União Africana é baseada na exploração de recursos naturais, como minérios e petróleo, e nas atividades terciárias. A maior economia nacional do bloco é a Nigéria.

  • É marcada por uma enorme diversidade cultural em função dos milhares de grupos étnicos que caracterizam a população do continente africano.

  • A União Africana compreende todo o continente, com área de 30 milhões de km² e ampla diversidade paisagística, o que se deve ao clima variado, à vegetação formada por florestas, savanas e desertos e ao relevo caracterizado por planaltos e planícies costeiras.

  • Quase 1,4 bilhão de pessoas vive nos países da União Africana.

  • A União Africana substituiu a Organização da Unidade Africana (OUA), que foi criada em 1963. A transformação foi solicitada pelos chefes de Estado africanos em 9 de setembro de 1999 através da Resolução de Sirte.

  • A entrada da União Africana no G20 foi aprovada em 9 de setembro de 2023.

O que é a União Africana?

Sede da União Africana, em Addis Ababa, capital da Etiópia.
A sede da União Africana fica em Addis Ababa, capital da Etiópia. [1]

A União Africana (UA) é uma organização continental, de caráter intergovernamental, formada por todos os países e territórios da África. Esse organismo foi inaugurado oficialmente em julho de 2002, substituindo a Organização da Unidade Africana (OUA). A sede da União Africana está localizada na cidade de Addis Ababa, capital da Etiópia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Países participantes da União Africana

A União Africana é formada por todos os 54 países do continente africano e também pela República Árabe Saaraui Democrática, um território localizado no noroeste da África e que reivindica a sua soberania e pleno reconhecimento pela comunidade internacional. Assim sendo, fazem parte da União Africana os seguintes países:

África do Sul

Gana

Quênia

Angola

Guiné

República Centro-Africana

Argélia

Guiné-Bissau

República Democrática do Congo

Benim

Guiné Equatorial

República do Congo

Botsuana

Djibouti (ou Jibuti)

Ruanda

Burkina Faso

Lesoto

São Tomé e Príncipe

Burundi

Libéria

Senegal

Cabo Verde

Líbia

Serra Leoa

Camarões

Madagascar

Seychelles (ou Ilhas Seychelles)

Chade

Malaui

Somália

Comores

Mali

Sudão

Costa do Marfim

Marrocos

Sudão do Sul

Egito

Maurício (ou Ilhas Maurício)

Tanzânia

Eritreia

Mauritânia

Togo

Essuatíni

Moçambique

Tunísia

Etiópia

Namíbia

Uganda

Gabão

Níger

Zâmbia

Gâmbia

Nigéria

Zimbábue

Objetivos da União Africana

A União Africana surgiu com o objetivo principal de promover a união e a solidariedade entre os países do continente. Reforçando a atuação da sua antecessora, a Organização da Unidade Africana (OUA), a União Africana visa, nesse sentido, mediar os conflitos que acontecem entre os países da África e evitar que novos problemas diplomáticos ocorram entre as nações do continente.

Para além da resolução de conflitos, a União Africana tem por finalidade a promoção da integração e cooperação econômicas e do desenvolvimento social, político e econômico entre os países africanos a partir de diversas frentes de trabalho, como:

  • educação, ciência e tecnologia;

  • cultura e esportes;

  • saúde e nutrição;

  • desenvolvimento agrário;

  • desenvolvimento industrial e do comércio;

  • infraestrutura e energia;

  • democracia e direitos humanos.

Economia da União Africana

A economia da União Africana, que é a economia de todos os países do continente, pode ser classificada como uma das menores do mundo, além de ser marcada pela elevada desigualdade socioeconômica. Parte considerável dos países africanos apresenta baixo índice de desenvolvimento e baixa renda nacional, sendo classificados como países emergentes ou como países subdesenvolvidos. Atualmente, a África detém PIB de 3 trilhões de dólares,

Compare, na tabela a seguir, o Produto Interno Bruto (PIB) das cinco maiores e das cinco menores economias nacionais do continente africano:

Maiores economias da África

Menores economias da África

País

PIB

País

PIB

Nigéria

US$ 504 bilhões

São Tomé e Príncipe

US$ 0,5 bilhão

Egito

US$ 469 bilhões

Comores

US$ 1,2 bilhão

África do Sul

US$ 419 bilhões

Guiné-Bissau

US$ 1,6 bilhão

Argélia

US$ 206 bilhões

Seychelles

US$ 2 bilhões

Etiópia

US$ 149 bilhões

Cabo Verde

US$ 2 bilhões

As atividades primárias e terciárias constituem a base da economia da União Africana, com destaque para a mineração e a extração e comercialização de combustíveis fósseis, como petróleo e gás natural. A Nigéria, por exemplo, que é a maior economia da organização, é também membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e um dos principais produtores petrolíferos do mundo. Além da exploração de recursos naturais, a agricultura, a pecuária e o turismo, especialmente em países como Egito, Marrocos e África do Sul, são fundamentais para a geração de receitas em nível nacional.

Cultura da União Africana

A União Africana apresenta uma vasta riqueza cultural em função da enorme diversidade expressa pela população dos países africanos. Estima-se que existam mais de 3 mil grupos étnicos em toda a África, enquanto o total de línguas faladas supera as 2 mil. Cada povo e cada grupo étnico apresenta um sistema de crenças e tradições próprios, que podem ser observados a partir de manifestações culturais diversas, como nas danças típicas, nas festas, na religião, na música, na gastronomia e até mesmo nas vestimentas.

O Norte do continente difere um pouco da África Subsaariana pela predominância do árabe como idioma e, ainda, do islamismo como a religião praticada pela maior parte da população, sendo os países dessa região, conhecida como Magrebe, parte do chamado mundo árabe. Entretanto, esses aspectos não se restringem somente ao Norte africano, sendo possível identificar povos árabes e seguidores do islã em diversos países meridionais.

Geografia da União Africana

A União Africana é formada por todos os países do continente africano. A África é o terceiro continente em área do mundo, com aproximadamente 30 milhões de quilômetros quadrados, e fica situada majoritariamente no Hemisfério Leste do planeta Terra, dividindo-se ainda entre os hemisférios Norte e Sul. Conforme vimos anteriormente, 54 países formam o continente África em conjunto com o território não reconhecido da República Árabe Saaraui Democrática.

Região de ocorrência da savana, no Quênia, um dos países participantes da União Africana.
A paisagem natural da União Africana é um mosaico formado por savanas, florestas e desertos.

Em função da sua posição geográfica, os países da União Africana experimentam climas muito diversos, desde o equatorial quente e úmido ao clima desértico. Por influência do clima, então, a cobertura vegetal desse continente é heterogênea, sendo caracterizada por florestas tropicais, savanas e desertos, com destaque para o Deserto do Saara. Além disso, os países africanos têm relevo formado por planaltos, em sua maioria, e algumas áreas de planícies.

Demografia da União Africana

A União Africana detém uma população de 1.373.486.000 habitantes, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU). Esse montante equivale a aproximadamente 17% de toda a população do planeta Terra. A África é, com isso, o segundo continente mais populoso do mundo. Embora tenha uma população muito grande, o continente africano é marcado pela densidade populacional relativamente baixa, que é de 46,3 hab./km². Nota-se, ainda, que as maiores concentrações populacionais do continente estão localizadas na África Subsaariana, ou seja, ao sul do Deserto do Saara.

Vista da capital do Sudão do Sul, que dispõe da maior taxa de crescimento populacional da União Africana.
Vista da capital do Sudão do Sul às margens do rio Nilo. O país dispõe da maior taxa de crescimento populacional da União Africana.

Um aspecto importante sobre a demografia da União Africana é o fato de que os países que integram o bloco possuem uma elevada taxa de crescimento. A população das nações africanas tem aumentado de tamanho em um ritmo mais acelerado do que a média mundial, tendendo a ficar acima de 2% ao ano. Isso acontece principalmente em países que estão na segunda fase da transição demográfica, caracterizada pela explosão demográfica. São exemplos de países com alto crescimento populacional:

  • Sudão do Sul (4,78%);

  • Níger (3,66%);

  • Burundi (3,59%);

  • Guiné Equatorial (3,36%);

  • Angola (3,34%).

Transformação de Organização da Unidade Africana (OUA) para União Africana (UA)

A Organização da Unidade Africana (OUA) se tornou a União Africana (UA) a partir da Resolução de Sirte, que data de 9 de setembro de 1999. A transformação teve como objetivo ampliar o escopo de atuação da união, de ampliar o foco de trabalho e, principalmente, reforçar o sentimento de união e de cooperação entre os países do continente africano.

Com isso, as nações africanas não precisariam se apoiar em agentes externos para a manutenção do equilíbrio socioeconômico e político do continente, reforçando a luta da União Africana contra a colonização e o apartheid, como ressalta a própria organização.

História da União Africana

Antes do estabelecimento da União Africana, os países do continente se uniram e formaram a Organização da Unidade Africana (OUA). Estabelecida em 1963, a OUA reunia inicialmente 32 nações independentes da África, e foi considerada a primeira organização pós-colonial criada no continente. A OUA foi criada tendo como base a corrente teórica e ideológica do pan-africanismo, que defende a união de todos os povos africanos, em toda a sua diversidade étnica e cultural, contra as influências do colonialismo, que foi responsável por reestruturar todo continente a partir da visão estrangeira da África.

Conferência de 50 anos da Organização da Unidade Africana, antecedente da União Africana realizada na Etiópia, em 2013.
Conferência de 50 anos da Organização da Unidade Africana, realizada em Addis Ababa, na Etiópia, em 2013. [2]

A cooperação interna e internacional já estavam previstas nos objetivos da OUA, assim como a luta pela união e pela identidade dos povos africanos, além da manutenção de sua cultura própria. Em 9 de setembro de 1999, os chefes de Estado e líderes dos territórios africanos publicaram a Resolução de Sirte, que determinava a criação da União Africana e ampliava o escopo de atuação dessa organização. Agora, a União Africana trabalharia em diversas frentes para a mediação de conflitos no continente africano e, ainda, para o desenvolvimento socioeconômico, político e territorial dos países locais.

A União Africana foi fundada oficialmente em 2001, e lançada 9 de julho de 2002 na cidade de Durban, na África do Sul. Para que essa organização internacional possa redirecionar seu foco e orientar o trabalho em direção a uma África mais integrada e com maiores índices de desenvolvimento social e econômico, foi implementada a agenda de propostas e ações conhecida como Agenda 2063, que visa à completa transformação das nações africanas.

Questões atuais da União Africana

As questões atuais enfrentadas pela União Africana envolvem os conflitos que estão em curso no continente. Uma das formas de atuação da União Africana é a mediação das disputas étnicas e territoriais que acontecem na África, visando à pacificação do continente. Dentre as operações lideradas pela União Africana, destacam-se aquelas que ocorrem, ainda hoje, na Somália, na República Centro-Africana e na Etiópia, que são apenas alguns dos focos de conflito no continente.

No campo econômico, a União Africana intermediou, em 2018, a criação da Área de Livre Comércio Continental Africana (AfCFTA, na sigla em inglês). Além disso, durante a 19ª Cúpula do G20 que aconteceu na Índia em 2023, foi aprovada a entrada da União Africana no grupo como um membro permanente, exatamente na data em que se completaram 24 anos da Resolução de Sirte.

Veja também: União aduaneira — um tipo de bloco econômico de livre comércio e de livre circulação de pessoas, mercadorias e bens

Exercícios resolvidos sobre a União Africana

Questão 1

A Organização da União Africana (OUA) foi a pioneira em unir países da África em uma única organização visando promover a união e a cooperação em escala continental. Pouco mais de três décadas após a sua criação, os líderes dessas nações propuseram a criação da União Africana, que foi oficialmente lançada em 2002. Além daqueles anteriormente citados, a União Africana atua, também, com objetivo de:

A) implementar uma política de protecionismo econômico nos países africanos.

B) mediar conflitos visando à pacificação do continente.

C) desacelerar a escala de desenvolvimento social e político no continente.

D) ampliar a participação dos países africanos em organismos como a Opep e a OCDE.

e) implementar uma moeda única no continente africano.

Resolução:

Alternativa B.

A mediação de conflitos já era realizada antes da União Africana, que intensificou esse tipo de trabalho visando à pacificação do continente para alavancar as políticas de desenvolvimento socioeconômico que estão sendo gradualmente implementadas.

Questão 2

(Uece) Há muito tempo o continente africano tem sido palco de conflitos violentos. Em Angola, o confronto envolveu organizações armadas que disputavam o poder desde a independência daquele país. Na República Democrática do Congo, as disputas envolveram o Estado e grupos armados; na Serra Leoa, a guerra civil durou de 1991 a 2002. Intermediários interessados na guerra, em alguns casos, a estimulam fornecendo armas e soldados; em outros casos, apoiam governos ou a guerrilha de oposição.

Os produtos disputados pelo Estado e por grupos armados nesses três países africanos são:

A) diamante e petróleo.

B) defensivos agrícolas e gás natural.

C) metais e produtos farmacêuticos.

D) alimentos industrializados e tecidos.

Resolução:

Alternativa A.

Os conflitos, especialmente nos países mencionados pelo enunciado, estão no escopo de atuação da União Africana. No caso em questão, os recursos minerais como o diamante e petróleo estão em disputa.

Créditos de imagem

[1] Hailu Wudineh TSEGAYE / Shutterstock

[2] U.S. Department of State / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

African Union. Disponível em: https://au.int/.

ALLEN, Nate. African-Led Peace Operations: A Crucial Tool for Peace and Security. Africa Center for Strategic Studies, 09 ago. 2023. Disponível em: https://africacenter.org/spotlight/african-led-peace-operations-a-crucial-tool-for-peace-and-security/.

SCHREIBER, Mariana. Por que entrada da União Africana no G20 é histórica? BBC News Brasil, 09 set. 2023. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/articles/c6p60mv6je2o.

UNData. Disponível em: https://data.un.org/en/index.html.  

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "União Africana"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/uniao-africana.htm. Acesso em 17 de abril de 2024.

De estudante para estudante