Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Liga das Nações (Sociedade das Nações)

A Liga das Nações (Sociedade das Nações) foi a primeira organização intergovernamental do mundo. Ela teve fim em 1946, quando a sua substituta, a ONU, já existia.

Bandeira onde se lê “League of nations, Société des nations”.
A Liga das Nações (Sociedade das Nações) foi a primeira organização intergovernamental do mundo. Entrou em atividade em 1920 e teve fim em 1946.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Liga das Nações (Sociedade das Nações) foi a primeira organização intergovernamental criada no mundo. Surgida em 1919, a Liga entrou oficialmente em atividade no ano de 1920 com o principal objetivo de manter a paz e a segurança entre os seus países-membros. Essa organização foi criada em um contexto pós-Primeira Guerra Mundial como uma alternativa para impedir que novos conflitos de tamanha magnitude acontecessem. Sabemos, entretanto, que a Liga não foi bem-sucedida nesse aspecto.

Diz-se que a Liga das Nações fracassou em decorrência da ausência de uma estrutura forte como a da ONU, sua substituta, e pela não associação dos Estados Unidos e remoção da União Soviética do bloco. O Brasil foi um dos membros fundadores da Liga das Nações, mas pediu para se retirar em 1926. A Liga teve fim, oficialmente, em 18 de abril de 1946.

Leia também: Otan — uma organização política e militar que fornece segurança nesses dois aspectos para os países-membros

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Liga das Nações

  • A Liga das Nações (Sociedade das Nações) foi a primeira organização intergovernamental criada no mundo.

  • Foi criada em 1919, e iniciou suas atividades em 10 de janeiro de 1920.

  • Foi composta por 63 membros, dentre os quais esteve o Brasil entre 1920 e 1926.

  • Surgiu em um contexto pós-Primeira Guerra Mundial com o objetivo principal de manter a paz entre as nações e impedir novos conflitos dessa magnitude.

  • Três órgãos principais formavam a estrutura da Liga das Nações: Assembleia, Conselho e Secretariado.

  • Era diferente da ONU porque não abrigava as maiores potências geopolíticas do período, tampouco todos os territórios existentes no mundo.

  • A ocorrência de novas invasões territoriais e conflitos diretos, além da ascensão do fascismo e do nazismo na Europa, decretaram o fracasso da Liga das Nações.

  • A Liga das Nações encerrou suas atividades oficialmente em 18 de abril de 1946, quando a sua substituta, a ONU, já existia.

O que foi a Liga das Nações?

Conhecida também como Sociedade das Nações, a Liga das Nações foi a primeira organização intergovernamental a reunir uma série de países e territórios visando à cooperação internacional para promover a paz e a segurança nos países-membros. As atividades da Liga das Nações se estenderam do período que foi de 1920 a 1946, e a entidade é muitas vezes referida como a predecessora da Organização das Nações Unidas (ONU).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Origem da Liga das Nações

A Liga das Nações surgiu logo após o fim da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Os crimes cometidos durante as batalhas da guerra, a quantidade de mortes e de destruição que esse conflito causou despertou a sensação de urgência na criação de um mecanismo internacional que evitasse a repetição de um evento semelhante.

A primeira reunião formal que aconteceu no pós-guerra foi utilizada como meio para se discutir diversos assuntos, entre os quais estava a criação da Liga das Nações. Essa reunião foi a Conferência de Paz de Paris, que aconteceu na capital francesa entre 18 de janeiro de 1919 e 20 de janeiro de 1920. Durante a conferência, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1856-1924), foi um dos principais entusiastas da formação de uma entidade internacional para a garantia da paz entre as nações.

A defesa de Woodrow Wilson foi feita durante seu discurso conhecido como “14 Pontos para a Paz”. Não obstante a necessidade demonstrada pelo presidente norte-americano, seu país acabou não ingressando na Liga das Nações por questões relacionadas com a manutenção da soberania nacional. Antes da efetivação da Sociedade das Nações, vários comitês de reunião foram formados durante a Conferência de Paz de Paris para a discussão aprofundada a respeito do tema.

Membros da comissão da Société des nations, criada na Conferência de Paz de Paris, na França, em 1919.
Membros da comissão da Liga das Nações, criada na Conferência de Paz de Paris, na França, em 1919.

O Pacto da Liga das Nações oficializou a criação dessa organização em 28 de junho de 1919. O documento foi integrado ao Tratado de Versalhes, que decretou a paz entre os países que estiveram envolvidos no conflito. A Liga das Nações iniciou oficialmente suas atividades em 10 de janeiro de 1920.

Objetivos da Liga das Nações

A Liga das Nações tinha como objetivos a cooperação internacional entre os seus países-membros e a manutenção da segurança de cada um deles. Além disso, a Liga das Nações visava à paz entre os territórios participantes, atuando na mediação de eventuais conflitos e impasses diplomáticos na tentativa de evitar novas guerras.

Países-membros da Liga das Nações

A Liga das Nações teve 63 países-membros. No entanto, é importante ressaltar que muitos deles entraram na organização depois da sua fundação, e outros se retiraram ou foram removidos da Liga com o passar do tempo.

Os membros fundadores da Liga das Nações, que são aqueles cuja adesão aconteceu quando a organização iniciou oficialmente suas atividades, estão descritos abaixo. Aqueles que solicitaram saída posterior ou que foram retirados têm a data em que isso aconteceu ao lado do nome.

Membros fundadores da Liga das Nações

Argentina

Grécia

Pérsia (atual Irã)

Austrália

Guatemala (1936)

Peru (1939)

Bélgica

Haiti (1942)

Polônia

Bolívia

Honduras (1936)

Portugal

Brasil (1926)

Índia

Romênia (1940)

Canadá

Itália (1937)

Sião (atual Tailândia)

Chile

Japão (1933)

Espanha (1939)

China

Libéria

Suécia

Colômbia

Países Baixos

Suíça

Cuba

Nova Zelândia

África do Sul

Checoslováquia

Nicarágua (1936)

União Soviética (retirada em 1939)

Dinamarca

Noruega

Reino Unido

El Salvador (1937)

Panamá

Uruguai

França

Paraguai (1935)

Iugoslávia

Os países que ingressaram depois e aqueles que foram retirados ou pediram para deixar a Liga das Nações estão descritos abaixo. Ao lado está a data de entrada e, se for o caso, de saída dos membros que foram desligados por alguma das duas razões anteriormente descritas.

Países que ingressaram depois, foram retirados ou pediram para deixar a Liga das Nações

Afeganistão (1934)

Equador (1934)

Hungria (1922-1939)

Albânia (1920-1939)

Egito (1937)

Iraque (1932)

Áustria (1920-1938)

Estônia (1921)

Irlanda (1923)

Bulgária (dez. 1920)

Etiópia (1923)

Letônia (1921)

Costa Rica (dez. 1920)

Finlândia (dez. 1920)

Lituânia (1921)

República Dominicana (1934)

Alemanha (1926-1933)

Luxemburgo (dez. 1920)

México (1931)

Turquia (1932)

Venezuela (1934)

Estrutura da Liga das Nações

Conselho da Société des nations, em 1936.
Conselho da Liga das Nações, em 1936.

A estrutura da Liga das Nações era composta por três órgãos principais, cada qual formado por suas próprias subdivisões e hierarquia interna. Em linhas gerais, portanto, a Liga das Nações funcionava através das seguintes subdivisões:

  • Assembleia: principal órgão representativo da Liga das Nações, formado pelos delegados de cada um dos países-membros da organização. A participação e o poder de voto no âmbito da Assembleia era equitativo.

  • Conselho: além de atuar em conjunto com a Assembleia, o Conselho tinha funções à parte, como a elaboração de estratégias para territórios que estavam sob o mandato dos países-membros e, ainda, para a redução do desarmamento. Era formado por membros permanentes e não permanentes.

  • Secretariado: responsável pelas questões burocráticas e pelo trabalho cotidiano na sede da Liga das Nações, que ficava em Genebra (Suíça).

Diferenças entre a Liga das Nações e a ONU

A principal diferença entre a ONU e a Liga das Nações reside no fato de que a Organização das Nações Unidas (ONU) é formada por praticamente todos os países e territórios do mundo, sendo que a atual organização intergovernamental objetiva alcançar a paz e o desenvolvimento entre seus membros. Até mesmo Estados não unanimemente reconhecidos pela comunidade internacional, como a Palestina, compõem o quadro de membros da ONU. Essa ampla participação de países inclui, é claro, as maiores potências do mundo moderno, como os Estados Unidos e a China.

Conforme vimos no quadro de membros da Liga das Nações, os estadunidenses não aderiram à organização. Para além disso, a União Soviética, que disputava o poder geopolítico com os Estados Unidos naquele período, foi retirada da Sociedade das Nações ao final da década de 1930. Assim sendo, as duas maiores potências geopolíticas e militares do período estavam fora da Liga das Nações, ao contrário do que acontece hoje na ONU.

Soldados da Força de Manutenção da Paz das Nações Unidas.
Os soldados das missões de paz da ONU são conhecidos como Capacetes Azuis ou Boinas Azuis. [2]

Outro ponto importante a ser destacado é o fato de que a ONU conta com uma força militar para a implementação das missões de paz nos países que apresentam conflitos armados ou que necessitam de respaldo para cessar ou mediar as disputas. Essa força militar é chamada de Força de Manutenção da Paz das Nações Unidas e é formada por soldados de seus países-membros. A Liga das Nações não tinha um órgão do tipo para lidar diretamente com os problemas diplomáticos e territoriais que os países da época enfrentavam.

Brasil na Liga das Nações

O Brasil foi um dos países que estiveram presentes na Conferência de Paz de Paris, tornando-se, assim, um dos membros fundadores da Liga das Nações no ano de 1919. Tão logo passou a fazer parte dessa organização, o Brasil conseguiu um assento temporário no Conselho, o que significou um ganho de importância no cenário geopolítico internacional. O objetivo, depois disso, era a conquista de uma vaga permanente nesse órgão da Sociedade das Nações. Por divergências internas, entretanto, o Brasil comunicou o seu desligamento da organização em 1926.

Fracasso da Liga das Nações

A Liga das Nações foi estabelecida com o principal objetivo de se evitar a ocorrência de um conflito tão ou mais grave do que foi a Primeira Guerra Mundial. Sabemos, entretanto, que a organização não foi bem-sucedida nesse propósito. Credita-se o fracasso da Sociedade das Nações não somente ao fato de que novas guerras não foram evitadas, mas também por não ter em seu quadro de membros as principais potências do mundo à época: Estados Unidos, que não ingressou, e União Soviética, que foi removida em 1939.

Diversos fatores são atribuídos para o fracasso da Liga das Nações, não só a ausência das duas potências mundiais do período. São eles:

  • as invasões territoriais promovidas nas regiões da Manchúria (Leste Asiático) e de Abissínia (atual Etiópia), respectivamente pelo Japão e pela Itália, que não foram impedidas pela Liga;

  • a ascensão dos regimes fascista e nazista na Itália e na Alemanha, respectivamente;

  • a ocorrência de novos conflitos territoriais, como a Guerra Civil Espanhola;

  • o advento de uma Segunda Guerra Mundial (1939-1945);

  • a expulsão da União Soviética da Sociedade das Nações.

Consequências do fim da Liga das Nações

Quando a Liga das Nações chegou oficialmente ao fim, em 18 de abril de 1946, a Organização das Nações Unidas (ONU), considerada a sua substituta, já estava em atividade há aproximadamente seis meses. Assim sendo, o fim da Liga das Nações apenas determinou o término de um período histórico e geopolítico do mundo, dando início a um novo ordenamento internacional marcado pela Guerra Fria (1947-1981) e pelas disputas no campo político-ideológico e pela corrida espacial.

Os conflitos armados entre povos ou entre territórios continuaram a existir com o fim da Liga das Nações, embora a ONU tenha maneiras diferentes de controlar e de lidar com esse tipo de ocorrência.

Veja também: OCDE — a organização formada por países-membros que se dedicam a promover o desenvolvimento econômico e o bem-estar social

Exercícios resolvidos sobre a Liga das Nações

Questão 1

(PUC)

Na passagem para o século XX o mundo já era praticamente tal como o conhecemos. O otimismo, a expansão das conquistas europeias, e a confiança no progresso pareciam ter atingido o seu ponto mais alto. E então, num repente inesperado, veio o mergulho no vácuo, o espasmo caótico e destrutivo, o horror engolfou a história: a irrupção da Grande Guerra descortinou um cenário que ninguém previra.(...) Essa escalada destrutiva inédita só seria superada por seu desdobramento histórico, a Segunda Guerra Mundial, cujo clímax foram os bombardeios aéreos de varredura e a bomba atômica. Após a guerra, houve uma retomada do desenvolvimento científico e tecnológico, mas já era patente para todos que ele transcorria à sombra da Guerra Fria, da corrida armamentista, dos conflitos localizados nas periferias do mundo desenvolvido, dos golpes e das ditaduras militares no chamado Terceiro Mundo. Quaisquer que fossem os avanços, o que prevalecia era a sensação de um apocalipse iminente.

(SEVCENKO, Nicolau. A Corrida para o século XXI. No loop da montanha russa. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 15-16)

A Liga das Nações, criada após a Primeira Guerra, foi a concretização de um dos 14 pontos de Woodrow Wilson que, para:

A) minimizar o crescente desequilíbrio entre a produção e o consumo provocado pela guerra, se propunha a estabelecer princípios de convivência internacional e a regulamentar a autodeterminação de povos subdesenvolvidos.

B) promover a cooperação entre as nações e atingir a paz e a segurança internacional, se propunha a arbitrar os conflitos e a fazer respeitar as fronteiras e a independência política de cada país-membro.

C) preservar a paz mundial, se propunha a ampliar a liberdade comercial e marítima entre as nações, a manter a defesa dos direitos humanos e a promover a melhoria da qualidade de vida em todo o planeta.

D) incentivar as discussões que tornassem duradoura a paz, se propunha a criar um novo organismo internacional de caráter pacífico, encarregado de zelar pelos direitos humanos e pela segurança mundial.

E) reconstruir as principais economias capitalistas internacionais, se propunha a oferecer sustentação econômica, política e militar aos países ocidentais de modo a criar forças de contenção ao comunismo.

Resolução:

Alternativa C.

A manutenção da paz e da segurança entre os seus membros fundadores era o principal objetivo da Liga das Nações e o motivo pelo qual a organização foi criada.

Questão 2

(EsPCEx) Pouco depois da 1ª Guerra Mundial, em 28 de abril de 1919, os membros da Conferência de Paz de Versalhes aprovaram a criação da Liga das Nações, atendendo a uma proposta do presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson. Aponte, nas alternativas abaixo, o país que não participou da Liga das Nações, com o respectivo motivo.

A) Estados Unidos, porque teve sua participação vetada pelo Senado Americano.

B) Inglaterra, porque, sendo uma ilha, não viu necessidade de participar da Liga.

C) França, porque era inimiga da Alemanha e queria sua destruição, e não um acordo.

D) Itália, que não teve direito de participar porque inicialmente integrou a Tríplice Aliança.

E) Brasil, porque, sendo um país sul-americano, estava muito longe da guerra.

Resolução:

Alternativa A.

O Senado dos Estados Unidos votou pelo não ingresso do país na Liga das Nações com a justificativa de proteger a sua soberania territorial.

Créditos de imagem

[1] Martin Grandjean / Liga das Nações / Wikimedia Commons (reprodução)

[2] Christina Desitriviantie / Shutterstock

Fontes

RAMME, Oliver. 1946: Fim da Liga das Nações. DW, c2023. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/1946-fim-da-liga-das-na%C3%A7%C3%B5es/a-306975.

REDAÇÃO. League of Nations. Britannica Encyclopaedia, [s.d.]. Disponível em: https://www.britannica.com/topic/League-of-Nations.

UNITED NATIONS. The League of Nations. United Nations, [s.d.]. Disponível em: https://www.ungeneva.org/en/about/league-of-nations/.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Liga das Nações (Sociedade das Nações)"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/liga-das-nacoes-sociedade-das-nacoes.htm. Acesso em 16 de abril de 2024.

De estudante para estudante