Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Melancia

A melancia é uma fruta cultivada em mais de 96 países e consumida mundialmente. É apreciada principalmente em fatias, sucos e doces.

Fatias de melancia próximas a uma melancia inteira.
A melancia pertence à família Cucurbitaceae, que também inclui o pepino, a abóbora e o melão.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

 A melancia é uma fruta originária da África e tem sido cultivada há milhares de anos. Apresenta uma polpa avermelhada suculenta e doce, envolta por uma casca verde e lustrosa. Atualmente, existem mais de 1.200 variedades de melancia, diferindo em cores, tamanhos e número de sementes. Seu sabor doce e refrescante é apreciado mundialmente e é ela consumida comumente em fatias frescas, sucos e doces.

Entre os benefícios da melancia destacam-se a hidratação, devido ao alto teor de água, e o fortalecimento do sistema imunológico e cardiovascular, graças à presença de vitamina C e potássio, respectivamente. Quando consumida em quantidades moderadas, há poucos malefícios, como reações alérgicas aos componentes da melancia. Algumas pessoas podem apresentar alterações gastrointestinais passageiras ao ingerir a melancia em grandes quantidades.

Leia também: Jabuticaba — uma fruta originária do Brasil

Tópicos deste artigo

Resumo sobre melancia

  • A melancia é uma planta que pertence à família Cucurbitaceae — o mesmo grupo do pepino, melão e abóbora.
  • Essa planta apresenta um fruto com polpa avermelhada suculenta e doce, envolta por uma casca verde e lustrosa.
  • Há diversas pragas e doenças que atacam as plantações de melancia.
  • A melancia proporciona hidratação e nutrientes importantes para o bem-estar do corpo.
  • O Brasil é o quinto maior produtor de melancia do mundo.
  • A origem da melancia é de mais de 5000 a.C. e é originária da África.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características da melancia

A melancia é uma planta membro da família Cucurbitaceae. O nome científico da espécie comumente consumida é Citrullus lanatus. Pertence à mesma família de inúmeros vegetais que fazem parte de nossa alimentação, tais como o pepino, o melão e a abóbora.

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Magnoliopsida

Ordem: Cucurbitales

Família: Cucurbitaceae

Gênero: Citrullus

Espécie: C. lanatus

Trata-se de uma planta rasteira, com folhas triangulares e alternadas, e flores pequenas e amarelas. É monoica, o que significa que produz flores masculinas e femininas separadas na mesma planta. Quanto ao número de cromossomos, seu cariótipo é 2n = 22.

Flor masculina e flor feminina da melancia separadas na mesma planta.
A melancia é uma planta monoica, ou seja, possui flores masculinas (à direita na imagem) e femininas (à esquerda na imagem) separadas na mesma planta.

Seu fruto pode ser arredondado ou alongado, com diâmetro variando entre 25 e 140 cm. A casca do fruto é verde e lustrosa, apresentando estrias escuras. O interior é composto por uma polpa geralmente vermelha, suculenta e doce, contendo sementes e sem divisão interna. A melancia possui alto teor de água, aproximadamente 92%.

Atualmente, mais de 1.200 variedades de melancia são cultivadas em 96 países ao redor do mundo, exibindo uma grande diversidade de formas, cores e tamanhos. Devido a essa abundância, costumam ser agrupadas de acordo com características específicas, como o formato do fruto, o tamanho e a cor ou padrão da polpa e da casca:

  • Sementes: a presença de inúmeras sementes na polpa é a forma mais tradicional. As sementes podem variar em coloração, sendo encontradas em tons de marrom, verde, branco e, mais comumente, preto. Contudo, a crescente demanda por melancias sem sementes tem impulsionado o desenvolvimento e produção dessa variedade, utilizando técnicas de melhoramento genético.
Melancia sem sementes e com casca escura, uma das variedades de melancia.
A melancia possui variedades sem sementes e com casca escura.
  • Tamanho: além das melancias de tamanho tradicional, atualmente temos também as miniaturas. Geralmente possuem casca mais fina, o que aumenta a proporção de polpa em relação à casca. Essas variedades têm agradado os consumidores da fruta por serem mais fáceis de consumir individualmente e de manusear.
Pessoa segurando uma minimelancia, uma das variedades de melancia.
A versão “mini” da melancia tem conquistado cada vez mais os consumidores dessa fruta.
  • Coloração da polpa e da casca: há melancias com polpa de coloração amarela, verde, branca e laranja, cuja diferenciação ocorre pela ausência ou presença do carotenoide licopeno (pigmento que dá a cor vermelha à polpa). A casca também pode apresentar diferentes colorações e padrões de estrias.
Fatia de uma melancia com a polpa amarela, uma das variedades de melancia, ao lado de uma melancia inteira.
A melancia com a polpa amarela é uma das variedades de melancia.

Pragas e doenças da melancia

A melancia é suscetível a diversas pragas e doenças que podem afetar negativamente seu cultivo e produção. Entre as principais pragas, destacam-se os pulgões, moscas-das-frutas, ácaros e nematoides formadores de galhas. Os pulgões, por exemplo, se alimentam da seiva das plantas, enfraquecendo a melancia e transmitindo doenças virais. Já as moscas-das-frutas depositam seus ovos em frutas maduras, e as larvas resultantes danificam a polpa, abrindo caminho para infecções secundárias.

Ácaros parasitando pé de melancia.
Os ácaros se alimentam das folhas e caule da planta de melancia, prejudicando seu desenvolvimento.

No que diz respeito às doenças, algumas das mais comuns são o míldio, a antracnose e as viroses. O míldio, causado por fungo, provoca manchas amareladas nas folhas, com um mofo esbranquiçado na parte inferior delas. Por sua vez, a antracnose, também causada por um fungo, afeta os frutos, folhas e caules da melancia, causando manchas escuras e prejudicando a qualidade do fruto. É importante destacar que a alta umidade pode favorecer o surgimento de doenças foliares.

Importante: Para prevenir a presença de pragas, é essencial adotar medidas adequadas, tais como a rotação de culturas, a eliminação dos restos culturais após a colheita, a remoção de plantas invasoras na área plantada e nos arredores, bem como o monitoramento frequente das plantas para detecção precoce de pragas e o controle de insetos prejudiciais. Caso seja necessário recorrer ao controle químico, é fundamental garantir que as abelhas, importantes na polinização da melancia e de muitas outras plantas, não sejam prejudicadas.

Como consumir a melancia?

A melancia é uma fruta doce e refrescante, sendo comumente consumida em fatias frescas, seja sozinha ou em saladas de frutas. Além disso, ela pode ser apreciada na forma de suco, seja puro ou combinado com outras frutas.

Copo com suco de melancia próximo a fatias de melancia como representação das várias formas de consumo da melancia.
O consumo da melancia em fatias ou do suco é muito comum no verão.

Em países asiáticos, como a China e o Japão, a melancia é utilizada em diversos produtos de confeitaria, como geleias, balas, sorvetes e biscoitos, que exaltam sua versatilidade.

Guloseima feita com melancia.
A melancia também é utilizada na produção de doces, como balas, geleias, biscoitos e sorvetes.

O consumo da melancia também pode ser feito em sementes nas opções de secas, torradas ou moídas para obter uma farinha nutritiva, que pode ser adicionada a receitas diversas.

Benefícios da melancia para a saúde

A melancia, que é composta principalmente de água, destaca-se como uma excelente fruta para contribuir com a hidratação do corpo, especialmente após atividades físicas e em dias quentes. Além disso, sua rica presença de vitamina C fortalece o sistema imunológico e facilita a absorção de ferro. Outro aspecto relevante é a presença de potássio, que exerce efeitos benéficos na saúde cardiovascular, reduzindo o risco de doenças do coração. A melancia também contém antioxidantes como o licopeno, que auxilia na proteção contra radicais livres e, consequentemente, protege as células do corpo contra danos oxidativos.

Os carboidratos presentes na melancia fornecem energia ao organismo e auxiliam nas atividades diárias. Ademais, a presença de fibras contribui para uma melhor digestão e o bom funcionamento do sistema gastrointestinal. Vale destacar que o baixo teor calórico torna a melancia uma opção saudável para aqueles que buscam controlar o peso.

Consulte as informações nutricionais da melancia:

Informação nutricional*

Quantidade por 100g

Calorias

30 kcal

Água

91,45 g

Carboidratos

7,6 g

Proteínas

0,6 g

Gorduras

0,2 g

Fibras

0,4 g

Vitamina C

8,1 mg

Vitamina A

569 µg

Potássio

112 mg

Magnésio

10 mg

*g = grama; kcal = quilocaloria; mg = miligrama; µg = micrograma

Importante: Os benefícios da melancia são obtidos em conjunto com uma dieta equilibrada.

Veja também: Kiwi — uma fruta de origem asiática que apresenta uma série de compostos benéficos à saúde humana

Quais são os malefícios da melancia?

A melancia, quando consumida em quantidades moderadas, não costuma apresentar riscos à saúde. No entanto, devido à presença de açúcar, pessoas diabéticas devem ingeri-la de acordo com o seu plano de alimentação diário, a fim de evitar possíveis complicações para a saúde. Além disso, embora raro, algumas pessoas podem desenvolver reações alérgicas após o consumo de melancia.

O consumo excessivo de melancia pode levar a sintomas desagradáveis, como náuseas, diarreia, inchaço, má-digestão e gases, devido à presença do licopeno e alta quantidade de fibras. Portanto, é importante consumir a melancia de forma equilibrada, como parte de uma dieta diversificada.

Melancia no Brasil e no mundo

A melancia é uma fruta amplamente consumida em todo o mundo, o que resulta em uma produção anual bastante significativa. Apenas em 2020, a produção mundial superou a marca de 101 milhões de toneladas cultivadas em mais de 3 milhões de hectares. A liderança na produção global de melancia é da China, responsável por cerca de 60% do total produzido em escala mundial. Além da China, outros grandes produtores incluem a Índia, a Turquia, o Brasil e os Estados Unidos.

No contexto brasileiro, o país se destaca como o quinto maior produtor de melancia no mundo. Em 2020, a produção nacional atingiu quase 2,2 milhões de toneladas. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os principais estados produtores de melancia são o Rio Grande do Norte, São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul e Tocantins, respondendo por 57% da produção brasileira nesse período.

Além de grande produtor, o Brasil também se destaca como um importante exportador de melancia. Estima-se que, somente em 2021, o país tenha exportado aproximadamente 120 mil toneladas dessa fruta, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas).

Origem da melancia

As melancias selvagens têm polpa aquosa, mas geralmente apresentam textura dura, cor pálida e sabor insípido ou amargo. Acredita-se as variedades doces que conhecemos tenham surgido de uma série de eventos de seleção genética em uma única população ancestral.

Vestígios arqueológicos, principalmente sementes, datados de 5000 anos atrás, foram encontrados no Nordeste da África, apontando que essa região é o centro de origem das melancias doces para sobremesa. Há evidências de que as melancias foram domesticadas para consumo de água e alimento no Egito há mais de 4000 anos.

A melancia se espalhou por diferentes continentes ao longo da história, impulsionada por rotas comerciais e migrações humanas. Na China, a cultura da melancia foi introduzida por volta do século X; na Europa, por volta do século XIII; e na América, no século XVI. No Brasil, sementes foram trazidas por negros durante o período da escravidão. Atualmente, a melancia é cultivada em grande escala em muitos países e é uma fruta popular.

Curiosidades sobre a melancia

  • De acordo com o Guinness World Records, a melancia mais pesada do mundo foi cultivada por um produtor no Tennessee (Estados Unidos), em 2013, pesando aproximadamente 158,8 kg.
  • A melancia tem capacidade de se desenvolver tanto em regiões tropicais como temperadas, mas é pouco tolerante ao frio.
  • Além do uso culinário, em algumas regiões a melancia é valorizada por suas propriedades medicinais. É conhecida por auxiliar na hidratação e atuar como um diurético natural, auxiliando na eliminação de toxinas.
  • O município de Cacequi, localizado no estado do Rio Grande do Sul, é conhecido como a Capital da Melancia devido à qualidade da melancia ali produzida, resultado das características do solo e clima da região. Apesar disso, Cacequi não detém o título de maior cidade produtora de melancia do estado.
  • Na China e no Japão, a melancia é considerada um presente popular e adequado ao visitar alguém, sendo um gesto de amizade.

Fontes

DIAS, R.C.S. & REZENDE, G.M. Sistema de Produção da Melancia. Sistemas de Produção, n. 6, 2010. Disponível em: https://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Melancia/SistemaProducaoMelancia/socioeconomia.htm.

IBGE. Produção Agrícola Municipal (2020). IBGE, 2021. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9117-producao-agricola-municipal-culturas-temporarias-e-permanentes.html?=&t=sobre.

KLEIN, A.M. et al. A Polinização Agrícola por Insetos no Brasil: Um Guia para Fazendeiros, Agricultores, Extensionistas, Políticos e Conservacionistas. Albert-Ludwigs University Freiburg, Nature Conservation and Landscape Ecology, 2020. 162 p.

PARIS, H. S. Origin and emergence of the sweet dessert watermelon, Citrullus lanatus. Annals of Botany, v. 116, n. 2, 133-148, 2015.

STRAUSS, M. The 5,000-Year Secret History of the Watermelon. National Geographic, 2015. Disponível em: https://www.nationalgeographic.com/history/article/150821-watermelon-fruit-history-agriculture.

USDA. FoodData Central. USDA, 2019. Disponível em: https://fdc.nal.usda.gov/fdc-app.html#/food-details/167765/nutrients.

WATERMELON.ORG. Facts & FAQs. Watermelon.org, c2023. Disponível em: https://www.watermelon.org/watermelon-101/facts-faqs/.

Escritor do artigo
Escrito por: Heloísa Fernandes Flores Bacharela, licenciada e mestre em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é doutoranda em Entomologia e cursa uma especialização em Gestão Escolar na mesma instituição. Desenvolve pesquisas com análise de conteúdo de livro didático e evolução de insetos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FLORES, Heloísa Fernandes. "Melancia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/frutas/melancia.htm. Acesso em 20 de julho de 2024.

De estudante para estudante