Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Varíola dos macacos

Varíola dos macacos é uma doença viral que provoca alguns sintomas, como febre e aumento dos gânglios linfáticos. Trata-se de uma doença menos letal que a varíola humana.

Pessoa com luvas segurando um tubo de amostra de sangue para teste de vírus da varíola dos macacos.
A varíola dos macacos é uma doença viral. Foi observada pela primeira vez em seres humanos em 1970.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A varíola dos macacos é uma doença viral similar à varíola humana (erradicada no mundo, em 1980, por meio de uma campanha mundial de vacinação), entretanto, mais branda e menos letal. Essa doença foi identificada no ano de 1958, após surto com macacos que estavam mantidos em laboratório para pesquisa. Em humanos, a doença foi observada pela primeira vez em 1970.

É adquirida inicialmente por meio do contato com algum animal doente, e a transmissão entre seres humanos, considerada rara, acontece pelo contato com a pessoa infectada ou por meio de material contaminado, como toalhas e roupas de cama. Os sintomas da varíola dos macacos incluem febre, dores musculares, dor de cabeça, exaustão, aumento dos gânglios linfáticos e lesões na pele.

Confira nosso podcast: 5 vacinas que marcaram a história

Tópicos deste artigo

O que é a varíola dos macacos?

A varíola dos macacos (monkeypox, em inglês) é uma doença rara identificada pela primeira vez em macacos no ano de 1958, quando dois surtos de uma doença semelhante à varíola ocorreram em macacos mantidos em laboratório para pesquisa. Esse é o motivo pelo qual a doença recebe seu nome.

Em seres humanos, a doença foi observada pela primeira vez no ano de 1970, na República Democrática do Congo, e, desde então, casos foram relatados também em outros países da África Central e Ocidental.

A varíola dos macacos é causada por um vírus pertencente ao gênero Orthopoxvirus, da família Poxviridae. Seu vírus apresenta duas cepas, a cepa da África Ocidental e a da Bacia do Congo (África Central), sendo esta última mais virulenta. Ainda não se sabe qual é o reservatório natural desse vírus, entretanto, sabe-se que roedores africanos bem como primatas não humanos são capazes de tê-lo e de transmiti-lo para pessoas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Transmissão da varíola dos macacos

Uma pessoa pode contrair a varíola dos macacos ao ter contato com um animal ou objeto contaminado pelo vírus ou com uma pessoa doente. A transmissão de animais para seres humanos pode ocorrer, por exemplo, em consequência de uma mordida, um arranhão ou mesmo do preparo, manuseio e ingestão de carne de caça contaminada.

A transmissão de um ser humano para outro é mais difícil de ocorrer e, geralmente, envolve gotículas respiratórias, sendo, nesse caso, necessário o contato pessoal prolongado. Outras formas de transmissão envolvem o contato direito com fluídos corporais ou com material proveniente de lesões, além de contato indireto com material da lesão por meio, por exemplo, de roupas de cama e toalhas.

No surto de 2022, observou-se que alguns pacientes apresentam em comum o fato de serem homens que fazem sexo com outros homens. Devido a essa característica, investiga-se se a doença pode ser transmitida também via contato sexual.

Casos de varíola dos macacos no mundo

A varíola dos macacos foi identificada pela primeira vez em humanos no ano de 1970, na República do Congo. Posteriormente, outros casos foram identificados em outros países da África Central e Ocidental, como Camarões, Costa do Marfim, Nigéria e Serra Leoa. Apesar disso, a maioria dos casos foi observada no Congo.

Casos fora da África já foram também relatados, como nos Estados Unidos e Reino Unido. Esses casos estavam relacionados com viagens internacionais ou contato com animais advindos da África. O primeiro surto fora da África ocorreu no ano de 2003, nos Estados Unidos, e causou a infecção de mais de 70 pessoas. Na ocasião, o vírus chegou até os EUA por meio de animais contaminados.

Recentemente, no ano de 2022, novos casos da varíola dos macacos foram observados em regiões fora da África, entretanto, a preocupação está no fato de que a maioria dos contaminados não esteve em viagem para o continente, o que pode demonstrar alguma mudança na forma de transmissão. Além disso, nenhum surto havia sido registrado de maneira simultânea em vários países até então.

Saiba mais: Ebola — uma doença viral observada primeiramente em dois países da África

Sinais e sintomas da varíola dos macacos

A varíola dos macacos apresenta sintomas semelhantes ao da varíola humana, entretanto, geralmente, são mais leves. Dentre eles podemos citar febre, dor muscular, dor de cabeça e exaustão. Uma característica importante é o aumento dos gânglios linfáticos, a qual permite que os médicos diferenciem a varíola dos macacos da catapora ou da varíola humana.

Após um a três dias do início da febre, surgem as lesões na pele. Inicialmente essas lesões aparecem no rosto, espalhando-se, posteriormente, para o restante do corpo. Elas podem acometer também os órgãos genitais. Em geral, a doença dura de duas a quatro semanas.

A varíola dos macacos pode matar?

A varíola dos macacos é uma doença que pode levar o indivíduo à morte. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), na África, a varíola dos macacos causa a morte de uma a cada 10 pessoas. A mortalidade é maior em crianças e adultos jovens, bem como em pessoas imunocomprometidas.

Varíola humana e sua erradicação

A varíola é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus do gênero Orthopoxvirus da família Poxviridae. É uma doença grave que matava cerca de 400 mil pessoas por ano, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ainda de acordo com a Fundação, se somarmos o número de mortos de todas as guerras já travadas no mundo, não chegaríamos ao número de vítimas da varíola.

Homem com varíola.
A varíola humana foi erradicada em 1980, porém, antes disso, provocou a morte de milhares de pessoas. [1]

A varíola era transmitida de uma pessoa para outra por meio de contato com objetos contaminados e pelas vias respiratórias. A pessoa doente desenvolvia uma série de erupções pelo corpo, as quais evoluíam para bolhas com pus. A taxa de letalidade da doença era próxima a 30%.

Essa doença tão mortal, atualmente, não ocorre mais no planeta, sendo considerada oficialmente erradicada em maio de 1980. No entanto, a erradicação só foi possível por meio de um esforço mundial que aliou medidas de contenção da doença e vacinação. Vale salientar que a vacina usada para erradicar a varíola oferece certa proteção contra a varíola dos macacos.

Crédito de imagem

[1] Wikimedia Commons (reprodução)

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Varíola dos macacos"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/variola-dos-macacos.htm. Acesso em 04 de julho de 2022.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE

Estude agora


Como fazer a inscrição no Enem 2021

Vai fazer o Enem 2021 neste ano e quer tirar todas as suas dúvidas sobre a forma de se inscrever no exame mais...

Área da esfera

Nesta videoaula, vamos realizar a demonstração para o cálculo da área de uma esfera e resolveremos um...