Whatsapp

Varíola

Doenças e patologias

PUBLICIDADE

A varíola é uma doença descrita desde a Antiguidade e que foi completamente erradicada do planeta pela vacinação. A Organização Mundial da Saúde declarou a erradicação da doença em 8 de maio de 1980, durante a 33ª Assembleia Mundial da Saúde. Antes da vacina, a varíola era responsável por um grande número de mortes. De acordo com a Agência Fiocruz de Notícias, “a doença, capaz de matar cerca de 30% dos infectados, dizimou boa parte da população do Rio de Janeiro no início do século 20”.

Leia também: Importância da vacinação – muito além da prevenção individual

O que é a varíola?

A varíola é uma doença infecto-contagiosa causada por um vírus e que se destaca como uma das doenças que mais causou mortes na história da humanidade. Ela teria surgido na Índia, existindo descrições na Ásia e África antes mesmo da era cristã. No Brasil, a doença foi descrita pela primeira vez em 1563, na Bahia.

A varíola é provocada por um vírus transmitido, principalmente, por gotículas eliminadas pelo doente.
A varíola é provocada por um vírus transmitido, principalmente, por gotículas eliminadas pelo doente.

A varíola é classificada em dois tipos: varíola major e varíola minor. A varíola major é o tipo mais letal da doença, apresentando uma letalidade de cerca de 30%. A varíola minor, por sua vez, é um tipo mais brando, com uma letalidade inferior a 1%.

Agente causador da varíola

A varíola é uma doença causada pelo vírus Orthopoxvirus variolae, da família Poxviridae e do gênero Orthopoxvírus. O vírus é de DNA e pode permanecer viável por vários meses no meio ambiente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Transmissão da varíola

A transmissão da varíola ocorre, na maioria das vezes, por inalação de gotículas contendo o vírus, as quais são eliminadas pelo doente ao falar, tossir ou espirrar. Apesar de menos comum, a varíola pode ser contraída ao manusear-se roupas, lençóis ou outros objetos contaminados pelo doente, por exemplo.

Sintomas da varíola

O período de incubação médio da varíola é de 12 dias. Após isso, os sintomas surgem de maneira abrupta, sendo marcados pelo surgimento de febre alta, dores de cabeça, dores no corpo, abatimento e calafrios. Esses sintomas têm uma duração de cerca de quatro dias, e, após esse período, a doença progride para a forma mais grave, com redução da febre e surgimento de erupções na pele.

A varíola provoca lesões na pele e pode levar à morte.
A varíola provoca lesões na pele e pode levar à morte.

As lesões iniciam-se como máculas (lesão sem relevo), depois tornam-se pápulas (elevação sólida), e, posteriormente, tornam-se vesículas contendo líquido e cercadas por um halo eritematoso regular. As vesículas evoluem para pústulas (pequenas bolhas cheias de pus). Durante essa fase da doença, o risco de cegueira é grande, pois as lesões provocam coceira, e, ao coçar e tocar os olhos, o doente pode desencadear inflamação no órgão.

As lesões evoluem, posteriormente, para crostas e a febre regride. As crostas caem cerca de 10 dias após sua formação. Ao cairem, elas podem deixar cicatrizes permanentes na pele. As mortes em decorrência da varíola ocorriam, geralmente, devido a uma resposta inflamatória massiva que provocava choque e desencadeava a falência múltipla dos órgãos.

Veja também: Sepse – resposta inflamatória sistêmica

Diagnóstico da varíola

O diagnóstico da varíola é basicamente clínico. O exame laboratorial para diagnosticar-se a doença é feito, por exemplo, por meio do cultivo do vírus do sangue ou de lesões na pele.

Tratamento da varíola

Quando a doença ainda ocorria no planeta, nenhum tratamento era efetivo. O tratamento indicado tentava amenizar a coceira e a dor causada pelas lesões, era, portanto, exclusivamente sintomático e não curativo. A taxa de sobrevivência estava diretamente ligada ao tipo de varíola adquirida. A letalidade podia chegar a 30%.

Breve história da vacina contra varíola

A vacina contra a varíola foi a responsável por erradicar a doença do planeta, pondo fim em anos de mortes e sequelas irreversíveis. A vacina contra a varíola foi criada por Edward Jenner, um médico da Inglaterra.

Ele observou, em 1789, que pessoas que ordenhavam vacas não contraíam a varíola após adquirirem a varíola bovina. Em 1796, ele extraiu o pus presente em uma lesão de uma pessoa que tinha contraído a varíola bovina e inoculou-o em um menino saudável, o qual adquiriu a doença de forma branda.

Passado algum tempo, Jenner inoculou, no mesmo menino, o material retirado de uma pústula de uma pessoa com varíola humana. O menino não contraiu a doença, o que significou que ele estava imune a ela. Jenner, então, fez a experiência com outras pessoas, inclusive com o seu próprio filho. Os resultados do experimento foram publicados em 1798.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Varíola"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/variola.htm. Acesso em 07 de março de 2021.

Artigos Relacionados
Conheça as principais características dos vírus, organismos que se destacam por não apresentarem célula nem metabolismo.
Breves informações sobre três doenças virais: sarampo, síndrome respiratória aguda grave e varíola.
Você já ouviu falar a respeito da Organização Mundial de Saúde? Saiba mais sobre essa agência que cuida da saúde global.
Clique aqui e descubra como se prevenir de doenças virais. Vamos dar dicas simples que podem ajudar bastante na prevenção de patologias causadas por vírus. Além disso, falaremos a respeito de algumas viroses, os principais sintomas das doenças causadas por vírus e como é feito o tratamento da maior parte dessas doenças.
Acesse o texto para saber detalhes da trajetória de Oswaldo Cruz, um dos grandes sanitaristas do Brasil. Veja quais foram suas contribuições para o país.
Conheça a importância da vacinação e entenda melhor como o organismo consegue prevenir-se de doenças pela utilização de vacinas.
Saiba como se deu a chegada da primeira vacina em Goiás durante a campanha de vacinação contra a varíola. Boa leitura!
Você conhece a história da vacina? Clique aqui e saiba mais sobre essa importante revolução na medicina. Neste texto falaremos quando a primeira vacina foi criada, quem foi responsável por essa criação e como foi o processo para o desenvolvimento da vacina. Esclareceremos também os componentes desse importante método preventivo.
Você sabe o que é antígeno, anticorpo e vacinação? Clique aqui e descubra o que significa cada um desses termos e a relação existente entre eles.