Retículo endoplasmático

Biologia

PUBLICIDADE

O retículo endoplasmático é uma organela citoplasmática presente em células eucariontes. É um complexo sistema de membranas formado por túbulos e cisternas interligadas. O retículo endoplasmático pode ser rugoso ou liso, sendo essa classificação relacionada com a presença ou ausência de ribossomos aderidos à membrana da organela. Vale salientar, no entanto, que ambas as regiões estão conectadas, sendo suas membranas contínuas. Dentre as funções exercidas por essa organela, podemos citar a síntese e o transporte de macromoléculas.

Leia também: Diferenças entre células procariontes e eucariontes

Retículo endoplasmático

O retículo endoplasmático é um sistema de membranas que percorre o citoplasma das células eucariontes e está em continuidade com o envoltório nuclear. Essa organela membranosa é constituída por túbulos e cisternas (sacos achatados) interligados. A membrana do retículo endoplasmático, em alguns locais, apresenta uma série de ribossomos aderidos, e, em outros, essas estruturas estão ausentes. Devido a essa característica, é possível distinguir duas regiões: o retículo endoplasmático rugoso e o liso.

O retículo endoplasmático apresenta duas regiões: o retículo endoplasmático liso e o rugoso.
O retículo endoplasmático apresenta duas regiões: o retículo endoplasmático liso e o rugoso.
  • Retículo endoplasmático rugoso, granular ou granuloso

Caracteriza-se por apresentar ribossomos (na forma de polirribossomos) aderidos à superfície externa da sua membrana. Normalmente, apresenta-se como uma série de sacos achatados, também chamados de cisternas. A membrana do retículo endoplasmático rugoso é contínua com a membrana externa do envoltório nuclear.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os ribossomos presentes na membrana do retículo endoplasmático rugoso sintetizam proteínas que são lançadas no interior da organela, a qual tem o papel de garantir que elas fiquem separadas das proteínas produzidas no citoplasma e sejam posteriormente enviadas para outras partes das células ou ainda para fora delas.

Grande parte dessas proteínas é transportada para o complexo golgiense, no qual sofrem algumas modificações e são empacotadas em vesículas que são levadas para locais específicos. Células especializadas na secreção de proteínas, como as células do pâncreas e plasmócitos, apresentam um retículo endoplasmático rugoso bem desenvolvido.

Além da segregação de proteínas, o retículo endoplasmático rugoso participa de processos como produção de fosfolipídios, síntese de proteínas de membrana, glicosilação (adição de açúcares às proteínas) inicial das glicoproteínas e montagem de moléculas proteicas formadas por várias cadeias polipeptídicas.

Leia também: Secreção celular e complexo golgiense

  • Retículo endoplasmático liso ou agranular

Apresenta membrana sem ribossomos aderidos e, geralmente, membrana disposta em um formato tubular. O retículo endoplasmático liso está em continuidade com o retículo endoplasmático rugoso.

O retículo endoplasmático liso está relacionado com diferentes processos, a depender da célula na qual se encontra. Em células produtoras de hormônios esteroides, como as células das glândulas suprarrenais, o retículo endoplasmático liso apresenta papel essencial na síntese desses hormônios. Além de esteroides, o retículo endoplasmático liso relaciona-se com a síntese de outros tipos de lipídios, como os fosfolipídios, utilizados em todas as membranas celulares.

O retículo endoplasmático liso é bem desenvolvido também em células do fígado, uma vez que apresentam importante papel na inativação (desintoxicação) de substâncias nocivas e tóxicas ao organismo. Algumas substâncias, como o álcool, promovem a proliferação do retículo endoplasmático liso nesse órgão, garantindo, desse modo, maior desintoxicação. Isso explica, por exemplo, por que, com o tempo, as pessoas que fazem uso dessa substância necessitam de doses cada vez mais altas para conseguir determinado efeito.

O retículo endoplasmático liso participa também do metabolismo de carboidratos, sendo fundamental na formação de glicose por meio da hidrólise do glicogênio. Além disso, outra função atribuída a essa organela é a capacidade de armazenar íons de cálcio, sendo esse papel importante no processo de regulação da contração muscular. Vale destacar que, nos músculos, o retículo endoplasmático recebe a denominação de retículo sarcoplasmático.

Substâncias produzidas no retículo endoplasmático podem ser modificadas e enviadas para outros destinos com o auxílio do complexo golgiense.
Substâncias produzidas no retículo endoplasmático podem ser modificadas e enviadas para outros destinos com o auxílio do complexo golgiense.

Funções do retículo endoplasmático

O quadro a seguir apresenta as diferentes funções realizadas pelo retículo endoplasmático, separando-as de acordo com a porção do retículo que as desempenha:

Funções do retículo endoplasmático

Retículo endoplasmático rugoso

Retículo endoplasmático liso

  • Síntese de proteínas

  • Glicosilação de proteínas

  • Montagem de moléculas proteicas

  • Síntese de fosfolipídios

  • Síntese de lipídios

  • Metabolismo de carboidratos

  • Armazenamento de íons de cálcio

  • Inativação de substâncias tóxicas


 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Vanessa

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Retículo endoplasmático"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/reticulo-endoplasmatico.htm. Acesso em 15 de janeiro de 2021.

Lista de Exercícios
Questão 1

(UFC-CE) A síntese de lipídeos ocorre no:

a) complexo de Golgi;

b) mitocôndrias;

c) citoesqueleto;

d) retículo endoplasmático rugoso;

e) retículo endoplasmático liso.

Questão 2

(Cesgranrio-RJ) Uma célula jovem cresce à custa de proteínas por ela sintetizadas. Essas proteínas são sintetizadas:

a) no retículo endoplasmático liso;

b) na superfície externa do retículo endoplasmático rugoso;

c) no interior do retículo endoplasmático rugoso;

d) no aparelho de Golgi;

e) nos ribossomos livres no citoplasma.

Mais Questões
Artigos Relacionados
Saiba mais sobre o complexo golgiense, uma organela celular que apresenta uma série de funções importantes para a célula eucarionte.
Aprenda mais sobre o citoplasma clicando aqui! Neste texto falaremos sobre o que é citoplasma, a sua função e os movimentos citoplasmáticos.
Entenda a relação entre a secreção celular e o complexo golgiense e conheça como uma substância é liberada por uma célula.
Conheça mais sobre a célula animal, isto é, seus componentes e as estruturas que a diferenciam da célula vegetal.
Conheça a classificação dos ésteres em lipídios, também conhecidos por lípides, lipídeos e lípidos, que constituem os óleos e gorduras de origem animal e vegetal.
Saiba mais sobre os lipídios, importantes compostos que apresentam diversas funções, tais como reserva energética, isolante térmico e proteção.