Richard Feynman

Biografia

PUBLICIDADE

Richard Feynman (1918-1988) foi um físico teórico norte-americano, nascido na cidade de Nova Iorque e frequentemente lembrado como um dos mais brilhantes e influentes físicos da segunda metade do século XX. Em 1965, Feynman foi laureado com o Prêmio Nobel de Física por suas descobertas no campo da eletrodinâmica quântica.

Formação de Richard Feynman

Richard Feynman formou-se em física, em 1939, no Massachusetts Institute of Technology (MIT). Em seu trabalho de conclusão de curso, ele propôs uma nova maneira de calcular forças intermoleculares. Em 1942, doutorou-se pela Universidade de Princeton.

Sua tese envolvia uma abordagem da mecânica quântica segundo um princípio da física conhecido como o princípio da mínima ação. O método desenvolvido por Feynman permitiu que se calculasse as probabilidades de todos os caminhos possíveis que uma partícula pode percorrer, com base nas interações existentes entre ela e suas vizinhanças.

Na figura, observamos alguns diagramas de Feynman, famosos por facilitar cálculos complexos.
Na figura, observamos alguns diagramas de Feynman, famosos por facilitar cálculos complexos.

Legado científico

O legado de Richard Feynman é extenso. O físico logra diversas realizações que foram cruciais para o desenvolvimento das físicas moderna e contemporânea. A mais importante delas diz respeito às correções, feitas por ele, em 1948, às primeiras formulações teóricas da eletrodinâmica quântica.

A eletrodinâmica quântica veio a ser usada para descrever a interação entre radiação eletromagnética e partículas subatômicas carregadas, tais como prótons e elétrons, e, portanto, tornou-se fundamental para a compreensão de uma vasta gama de fenômenos físicos.

Diagramas de Feynman

Outra grande realização desse físico diz respeito a uma ferramenta por ele criada, conhecida como diagrama de Feynman. Os diagramas de Feynman são artifícios visuais relativamente simples que facilitam enormemente a visualização de equações de extrema complexidade, simplificando muito a resolução de problemas relacionados às interações entre partículas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Richard Feynman e a bomba atômica

Durante a 2ª Guerra Mundial, Feynman tornou-se um dos membros da equipe da Universidade de Princeton que estudava a bomba atômica, em seguida, passou a estudá-la em um laboratório secreto em Los Alamos, no estado do Novo México. Nesse laboratório, Feyman foi escolhido como o mais novo encarregado da divisão teórica do Projeto Manhattan.

Veja também: A relação entre Einstein e a bomba atômica

Feynman e o fenômeno da superfluidez

Por volta de 1950, enquanto professor do Instituto de tecnologia da Califórnia (Caltech), Richard Feynman foi capaz de explicar, por meio da mecânica quântica, a teoria da superfluidez, proposta pelo físico soviético Lev Davidovich Landau (1908-1968). Segundo a teoria de Landau, o hélio líquido tornava-se superfluido quando em temperaturas próximas do zero absoluto (-273,15 ºC).

Decaimentos radioativos

Em 1958, junto ao físico norte-americano Murray Gell-Mann, Feynman desenvolveu uma teoria que explicava decaimentos radioativos relacionados a uma das forças fundamentais da natureza, conhecida como força fraca.

Enquanto trabalhava no acelerador de partículas da Universidade de Stanford, Feynman criou o conceito de parton, uma partícula nuclear hipotética, cuja concepção contribuiu para o entendimento moderno dos quarks.

Veja também: Algumas descobertas da física que surgiram por acidente

Prêmio Nobel de Física de 1965

As aulas ministradas por Feynman no Caltech foram transformadas em uma série de livros que tratam desde tópicos de física básica até eletrodinâmica quântica. Esses livros tornaram-se referência para os estudantes e atingiram o patamar de clássicos da literatura científica.

Em 1965, Feynman recebeu o Prêmio Nobel da Física, juntamente aos físicos Sin-Itiro Tomonaga e Julian Schwinger, de acordo com o site oficial do prêmio:

“O Prêmio Nobel de Física de 1965 foi concedido em conjunto a Sin-Itiro Tomonaga, Julian Schwinger e Richard P. Feynman por seu trabalho fundamental em eletrodinâmica quântica, com profundas conseqüências para a física de partículas elementares.”|1|

Richard Feynman e a Nasa

Richard Feynman tornou-se conhecido pelo grande público em 1986, quando foi convidado a participar de uma comissão que deveria investigar o acidente ocorrido durante o lançamento do ônibus espacial Challenger, que explodiu, causando a morte de sete astronautas.

Richard Feynman demonstrou, em um programa de televisão, que a falha no lançamento poderia ter sido evitada, se a baixíssima temperatura daquela manhã tivesse sido levada em conta pelos engenheiros da Nasa.

Morte

Feynman faleceu em 1988, após uma longa batalha contra o câncer. No entanto, sua popularidade continuou a crescer, em parte, pela publicação de duas coleções autobiográficas, em 1990.

Veja também: Quem foi e o que fez Stephen Hawking, um dos maiores físicos da atualidade

Notas

|1| The Nobel Prize in Physics 1965. NobelPrize.org. Nobel Media AB 2020. Fri. 24 Jan 2020. <https://www.nobelprize.org/prizes/physics/1965/summary/>

 

Por Rafael Helerbrock
Professor de Física

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

HELERBROCK, Rafael. "Richard Feynman"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/richard-phillips.htm. Acesso em 04 de agosto de 2020.