Whatsapp

O que é um acelerador de partículas?

O que é?

PUBLICIDADE

Acelerador de partículas é uma máquina capaz de acelerar prótons, elétrons ou átomos carregados, confinando-os em feixes estreitos, com velocidades próximas da velocidade da luz, por meio da aplicação de intensos campos elétricos e magnéticos. Os aceleradores de partículas são usados para investigação científica e, também, para a produção de radiação síncroton.

Veja também: Radiação ionizante – o que é, quais os riscos, para que serve

Como funciona um acelerador de partículas?

Os aceleradores de partículas usam campos elétricos para aumentar a velocidade de partículas como prótons e elétrons por meio de uma grande diferença de potencial. A trajetória dessas partículas é controlada por um intenso campo magnético externo, responsável por focalizar o feixe de partículas, deixando-o cada vez mais estreito.

A energia cinética das partículas que se movem dentro dos aceleradores é medida em uma unidade pouco convencional, o elétron-volt (eV). Essa unidade equivale à quanta energia é armazenada em elétron quando submetido a um potencial elétrico de 1 V. Um elétron-volt equivale a acerca de 1,6.10-19 J, e, nos aceleradores de partículas modernos, é possível atingir colisões entre partículas cuja energia é próxima de 7 TeV (7.1012 eV). Para que tamanha quantidade de energia seja atingida, prótons e elétrons são acelerados a mais de 99% da velocidade da luz.

Na imagem, um dos experimentos desenvolvidos no maior acelerador de partículas do mundo, o LHC.
Na imagem, um dos experimentos desenvolvidos no maior acelerador de partículas do mundo, o LHC.

Os mais simples aceleradores de partículas são o gerador de Van der Graaf e o tubo de raios catódicos (usado nas televisões CRT, também conhecidas como TVs de tubo), ambos aceleradores lineares e eletrostáticos. Lineares por que fazem com que as cargas elétricas ganhem velocidade ao longo de uma trajetória retilínea, e eletrostáticos por operarem com campos elétricos constantes, ou seja, que não variam com o tempo.

Os aceleradores de partículas modernos apresentam aceleradores lineares e circulares. Um exemplo dos aceleradores modernos é o LHC (Large Hadron Collider). No LHC, os prótons são injetados em um acelerador linear, em seguida, esse feixe de prótons é direcionado a uma sequência de anéis. Nesses anéis o feixe de prótons é cada vez mais colimado por campos magnéticos e acelerado por campos elétricos dinâmicos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para que serve um acelerador de partículas?

Os aceleradores de partículas têm muitas utilidades, a mais comum delas é aquela em que se busca “visualizar” subpartículas extremamente energéticas, como os quarks e os bósons de Higgs. Essas partículas só podem ser observadas por instantes muito breves, quando dois átomos que se movem em velocidades muito próximas da velocidade da luz colidem-se frontalmente.

Alguns aceleradores de partículas investigam colisões altamente energéticas entre partículas.
Alguns aceleradores de partículas investigam colisões altamente energéticas entre partículas.

Os aceleradores de partículas também servem para produzir radiação síncroton. A radiação síncroton é o nome que se dá às ondas eletromagnéticas emitidas pelas partículas que se movem no anel circular de um acelerador de partículas. A radiação é emitida por partículas aceleradas, desse modo, alguns aceleradores de partículas conseguem produzir diferentes “linhas de luz” — raios x, raios gama e quaisquer frequências desejadas. Essas radiações são utilizadas para os mais diversos fins: análise estrutural de materiais, tratamentos oncológicos, exames de imagem etc.

Veja também: Conheça as subpartículas que dão origem aos prótons e nêutrons

Onde ficam os aceleradores de partículas?

A maior parte dos aceleradores de partículas está nas universidades e centros de pesquisa espalhados pelo mundo. Atualmente existem cerca de 30 mil aceleradores de partículas em operação.

Aceleradores de partículas no Brasil

O Brasil possui grandes aceleradores de partículas no Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), entre eles se destaca o Sirius, uma das mais modernas fontes de luz síncroton de 4ª geração do Brasil e do mundo. O novo acelerador de partículas está sendo implementado e atenderá diversos propósitos, como pesquisas acadêmicas relacionadas à energia, ao meio ambiente, à defesa, às indústrias, à saúde etc.

O acelerador Sirius será capaz de produzir linhas de luz bilhões de vezes mais intensas que as produzidas pelo UVX, inaugurado em 1997 e encerrado em 2019. Dessa maneira, novas pesquisas poderão ser realizadas, impulsionando o desenvolvimento da ciência nacional.

 

Por Rafael Helerbrock
Professor de Física

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

HELERBROCK, Rafael. "O que é um acelerador de partículas?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/fisica/o-que-e-um-acelerador-particulas.htm. Acesso em 16 de abril de 2021.

Artigos Relacionados
Você sabe o que é campo elétrico? É uma grandeza física vetorial definida como o módulo da força elétrica por unidade de carga. Cargas elétricas pontuais de sinal positivo apresentam campos elétricos radiais que apontam para fora, enquanto as de sinal negativo têm o seu campo elétrico apontando para dentro delas.
Você sabe o que é radiação ionizante? Acesse o texto e descubra o que é, como funciona, suas principais aplicações e tipos.
Você sabe o que são ondas eletromagnéticas? Confira quais são as características desse tipo de onda e descubra sua presença em nosso dia a dia.
Você sabe o que é campo elétrico? O campo elétrico é vetorial, isto é, em cada ponto do espaço ele apresenta um módulo, uma direção e um sentido específicos. O campo elétrico é responsável pelo surgimento das forças de atração e repulsão entre cargas elétricas. Suas unidades são o Volts por metro ou Newtons por coulomb.
Você sabe qual é a velocidade da luz? No vácuo, a luz pode propagar-se com velocidade de 299.792.458 metros por segundo. Até hoje, não se conhece nada capaz de se mover mais rapidamente que ela. A velocidade da luz não depende de sua fonte emissora, nem dos seus observadores, mas, exclusivamente, do meio no qual se propaga.
Você já ouviu falar do projeto Sirius? Sirius será uma fonte de 4ª geração capaz de produzir radiação eletromagnética de amplo espectro e de grande utilidade para a pesquisa científica nas mais diversas áreas do conhecimento. Clique para saber mais sobre o projeto!
Compreenda o fascinante mundo da física de partículas elementares.
Os detectores de ionização foram os primeiros aparelhos elétricos desenvolvidos para a detecção de radiação.
O aumento da velocidade de uma partícula
Entenda como esse dispositivo se torna uma arma contra o câncer.
Seria possível a criação de uma bomba de antimatéria?