Topo
pesquisar

Heresia dos valdenses

História Geral

Os valdenses foram um grupo herético que foi excomungado pela Igreja no século XII. Surgiram a partir de um comerciante, que abandonou seu ofício e assumiu voto de pobreza.
PUBLICIDADE

Os valdenses foram uma das muitas heresias medievais que surgiram durante o século XII e converteram inúmeros fiéis. Defensores do voto de pobreza, surgiram a partir das pregações de Pedro Valdo, mercador de Lyon, na França. Negavam o poder do papa e da Igreja Católica com base no versículo de Atos 5:29 (Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.). Foram fortemente perseguidos pela Inquisição, mas conseguiram resistir e hoje possuem pequenas igrejas instaladas na Itália, Argentina, Uruguai e outras partes do mundo.

Surgimento

A seita dos valdenses foi fundada por Pedro Valdo a partir de 1173. Valdo era um comerciante da região de Lyon e, após ter realizado a leitura da bíblia, optou por seguir vida eclesiástica. Pedro Valdo doou todos os seus bens acumulados, passou a vestir roupas simples e assumiu voto de pobreza. Assim, Valdo passou a pregar a palavra de Deus e obteve grande número de seguidores fiéis e dispostos a seguir seu voto de pobreza. Valdo defendeu o direito a todos os fiéis de lerem a bíblia e, assim, traduziu-a para o idioma local – provençal – em 1176.

O grupo de seguidores de Pedro Valdo ficou conhecido como valdenses ou Pobres de Lyon e logo se espalhou pela região, praticando o voto de pobreza e pregando conforme haviam aprendido. Como Valdo e seus seguidores não possuíam autorização eclesiástica para pregar, foram proibidos pelo Arcebispado de Lyon de continuar com as pregações.

Procurando reverter esse quadro, Pedro Valdo foi ao Terceiro Concílio de Latrão, em 1179, na cidade de Roma, para obter a autorização eclesiástica diretamente com o papa Alexandre III. Após explicar a forma como entendia o cristianismo ao papa, Valdo recebeu a resposta de que poderia continuar suas pregações desde que obtivesse a autorização da paróquia local em Lyon, o que acabou não acontecendo.

O arcebispo de Lyon considerou as pregações dos valdenses perigosas por defenderem irredutivelmente a ideia de que deveriam obedecer primeiro a Deus e, depois, aos homens (baseados em Atos 5:29), assim, proibiu-os de continuarem pregando. Os valdenses foram, em seguida, excomungados em 1184 pelo papa Lúcio III por desobediência ao terem continuado suas pregações.

Com a excomunhão, o movimento valdense passou a atuar na clandestinidade com dois grandes focos: a igreja valdense na França, que possuía atitudes mais conciliadoras com a Igreja Católica, e a igreja valdense na Itália, que defendia uma ruptura total com a Igreja Católica e com alguns de seus sacramentos.

Foram enfraquecidos pela dura perseguição imposta pela Inquisição, mas, apesar disso, resistiram e hoje possuem igrejas espalhadas por vários locais do mundo: Itália, Uruguai, Estados Unidos e até no Brasil.

Doutrina valdense

Os valdenses tiveram grande aceitação popular, assim como muitas outras heresias, principalmente por contestarem a opulência e o poder acumulado pela Igreja Católica. À medida que a seita dos valdenses crescia, dois grandes grupos formaram-se na França e Itália.

Os valdenses na Itália, em parte, absorveram um grupo chamado Humilhados da Lombardia e propuseram um rompimento total com a Igreja Católica. Assim, negavam a autoridade do papa e contestavam determinados princípios do catolicismo, como a crença no Purgatório, o culto aos santos, negavam a importância das relíquias sagradas e chamavam a Igreja Católica pejorativamente de “viúva do apocalipse”. Além disso, recomendavam a leitura da bíblia para todos os fiéis, o que os levou a traduzir a bíblia para idiomas locais. Espalharam-se por várias regiões da Europa e, durante as Reformas Protestantes, proclamaram-se como doutrina reformista.

Os valdenses foram encarados como ameaça, principalmente por questionarem as autoridades eclesiásticas e seculares, não se submetendo a elas. Por serem irredutíveis nesse aspecto, foram considerados pela Igreja como subversivos e, assim, excomungados e perseguidos pela Inquisição.

* Créditos da imagem: Dragan Jovanovic e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Heresia dos valdenses"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/historiag/heresia-dos-valdenses.htm>. Acesso em 25 de maio de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA