Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Xintoísmo

Xintoísmo é uma religião de origem japonesa. Os deuses xintoístas são os kami, que representam ancestrais e elementos da natureza. Os torii são grandes símbolos do xintoísmo.

Torii, símbolo do xintoísmo, à beira de um lago.
O xintoísmo enfatiza a conexão com a natureza.
Crédito da Imagem: Shutterstock
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O xintoísmo é uma religião japonesa que se baseia na adoração de divindades chamadas kami, representando elementos naturais, ancestrais e fenômenos. Seus princípios enfatizam a crença nos kami, a busca pela pureza espiritual e o respeito pela natureza e pelos antepassados. As práticas xintoístas incluem rituais de purificação, orações e oferendas em templos, onde os fiéis demonstram reverência aos kami e à harmonia com a natureza.

Leia também: Hinduísmo — tudo sobre uma das religiões mais antigas do mundo

Tópicos deste artigo

Resumo sobre xintoísmo

  • Xintoísmo é uma religião japonesa centrada na adoração de divindades conhecidas como kami, que representam elementos naturais, ancestrais e fenômenos.

  • Os princípios do xintoísmo incluem a crença nos kami, a busca pela pureza espiritual e o respeito pela natureza e pelos antepassados.

  • As práticas do xintoísmo envolvem rituais de purificação, orações e oferendas em templos, celebrando a harmonia com os kami e a natureza.

  • Os kami são as divindades do xintoísmo, representando elementos naturais, espíritos ancestrais e objetos sagrados, sendo adorados em templos e santuários.

  • Os torii são portais vermelhos que marcam a entrada de templos xintoístas, onde os fiéis realizam rituais de purificação e orações em reverência aos kami.

  • Existem diferentes tipos de xintoísmo, variando de acordo com a região e as tradições locais, alguns enfocando certos kami ou aspectos da natureza.

  • O xintoísmo tem suas raízes na religião indígena do Japão, evoluindo ao longo dos séculos e influenciando a cultura e a história do país.

  • Enquanto o xintoísmo adora os kami e enfatiza a conexão com a natureza, o budismo segue os ensinamentos de Buda e centra-se na iluminação espiritual.

  • O xintoísmo tem presença no Brasil, especialmente em áreas com grandes comunidades de descendentes de imigrantes japoneses.

O que é o xintoísmo?

O xintoísmo é uma religião indígena do Japão que se concentra na veneração de divindades conhecidas como kami, bem como em rituais e práticas para manter uma relação harmoniosa com esses seres espirituais e com a natureza. O termo "xintoísmo" é uma transliteração do japonês "Shinto", que significa "o caminho dos deuses".

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Princípios do xintoísmo

Os princípios fundamentais do xintoísmo incluem a crença na existência dos kami, que podem ser espíritos de fenômenos naturais, ancestrais, divindades ou até mesmo objetos inanimados. O xintoísmo enfatiza a importância da pureza, harmonia e respeito pela natureza e pelos antepassados. Os seguidores buscam manter uma relação equilibrada com os kami por meio de rituais e práticas específicas.

Veja também: Por que o xamanismo não é considerado uma religião?

Práticas do xintoísmo

As práticas do xintoísmo envolvem rituais de purificação, orações e oferendas em templos xintoístas, bem como celebrações sazonais e eventos especiais. Os rituais de purificação muitas vezes incluem a lavagem das mãos e da boca antes de entrar em um espaço sagrado, simbolizando a limpeza espiritual.

Pessoa lavando as mãos na entrada de um templo do xintoísmo.
O ato de lavar as mãos faz parte dos rituais de purificação do xintoísmo.

As orações são feitas em frente aos altares dos templos, muitas vezes acompanhadas de gestos específicos, como se curvar ou fazer uma reverência.

Deuses do xintoísmo

Gravuras representando Amaterasu, uma deusa do xintoísmo.
Gravuras do século XIX representando Amaterasu, a deusa do sol.

Os deuses do xintoísmo, ou kami, são numerosos e variados. Eles podem incluir deidades associadas a elementos naturais, como o sol, a lua, montanhas e rios, assim como espíritos de antepassados e heróis mitológicos. Alguns kami são venerados em todo o país, enquanto outros são adorados localmente em santuários específicos. Cada santuário xintoísta pode ter seu próprio conjunto de kami principais.

Alguns dos principais deuses xintoístas são:

  • Amaterasu: considerada a deusa do sol, Amaterasu é uma das divindades mais importantes do xintoísmo. Ela é venerada como a antepassada divina da família imperial japonesa. Acredita-se que o imperador é um descendente direto de Amaterasu.

  • Susanoo: é o irmão de Amaterasu e é conhecido como o deus das tempestades e dos oceanos. Ele é frequentemente retratado como um personagem turbulento, mas também é visto como um protetor contra o mal.

  • Tsukuyomi: é o deus da lua e irmão de Amaterasu e Susanoo. Ele é associado à noite e ao tempo lunar. A lenda mais conhecida sobre Tsukuyomi é a que envolve a separação dele de Amaterasu após ele ter cometido um ato desonroso.

  • Inari: é a deusa do arroz, da agricultura e da fertilidade. Ela é uma das divindades mais populares do xintoísmo e muitas vezes é retratada como uma figura feminina segurando espigas de arroz. Inari também é associada à prosperidade e ao sucesso nos negócios.

  • Raijin e Fujin: Raijin é o deus do trovão, enquanto Fujin é o deus do vento. Ambos são frequentemente retratados juntos, pois seus poderes estão intimamente relacionados. Raijin é representado com tambores que ele usa para criar trovões, enquanto Fujin é retratado segurando sacos de vento.

  • Hachiman: é o deus da guerra e a divindade protetora dos guerreiros samurais. Ele é frequentemente venerado em santuários xintoístas dedicados à guerra e à paz.

Torii e os templos do xintoísmo

Um dos símbolos mais reconhecíveis do xintoísmo é o torii, um portal tradicionalmente feito de madeira ou pedra que marca a entrada de um espaço sagrado. Os torii são frequentemente pintados em vermelho vibrante e podem ser vistos em toda parte, desde pequenos santuários locais até grandes complexos de templos.

Torii na entrada do Santuário Meiji, templo xintoísta localizado em Tóquio, no Japão.
Torii na entrada do Santuário Meiji, templo xintoísta localizado em Tóquio, no Japão.

Os templos xintoístas, ou jinja, são construídos em locais considerados sagrados e muitas vezes são cercados por belos jardins japoneses.

Tipos de xintoísmo

Existem diferentes tipos de xintoísmo, que variam de acordo com a região, tradição e práticas específicas. Alguns santuários xintoístas podem ter foco em certos kami ou aspectos da natureza, enquanto outros podem ser mais gerais em sua adoração. Além disso, o xintoísmo pode ser combinado com outras crenças e práticas religiosas, como o budismo, em certas tradições sincréticas.

Origem e história do xintoísmo

O xintoísmo tem suas raízes na antiga religião indígena do Japão, que remonta a milhares de anos. A história do xintoísmo está entrelaçada com a história do próprio Japão, desde os tempos pré-históricos até os dias atuais. Ao longo dos séculos, o xintoísmo passou por mudanças e influências, adaptando-se a diferentes períodos e contextos culturais.

Diferenças entre xintoísmo e budismo

Embora compartilhem alguns elementos e tenham coexistido no Japão por séculos, o xintoísmo e o budismo são duas religiões distintas. Enquanto o xintoísmo se concentra na adoração dos kami e na conexão com a natureza, o budismo é uma religião de origem indiana que se baseia nos ensinamentos de Buda.

No entanto, ao longo da história do Japão, as duas religiões influenciaram-se mutuamente, resultando em tradições sincréticas que combinam elementos de ambas.

Xintoísmo no Brasil

Embora seja uma religião tradicionalmente japonesa, o xintoísmo também está presente em algumas comunidades brasileiras, especialmente aquelas com uma grande população de descendentes de imigrantes japoneses. No Brasil, os santuários xintoístas podem ser encontrados em áreas com forte influência da cultura japonesa, como São Paulo e Paraná.

Saiba mais: Como se escolhe um Dalai Lama?

Curiosidades sobre o xintoísmo

  • No xintoísmo, os espelhos são considerados objetos sagrados e são frequentemente usados em rituais e cerimônias.

  • Alguns dos festivais mais importantes do xintoísmo incluem o Hatsumode (primeira visita ao templo no Ano Novo) e o Tanabata Matsuri (festival das estrelas).

  • O xintoísmo não tem um texto sagrado centralizado como outras religiões, mas sim uma coleção de mitos, rituais e tradições transmitidos oralmente e por escrito ao longo dos séculos.

Exercícios resolvidos sobre xintoísmo

1. O xintoísmo é uma das religiões mais antigas e tradicionais do Japão, caracterizada pela adoração de divindades conhecidas como kami. Essas divindades representam não apenas elementos naturais, mas também ancestrais e fenômenos. Um dos símbolos mais reconhecíveis do xintoísmo é o torii, um portal vermelho que marca a entrada de espaços sagrados. Considerando essa contextualização, qual o principal propósito do torii no contexto do xintoísmo?

A) Representar a adoração de Buda.

B) Simbolizar a entrada para o mundo dos espíritos.

C) Marcar a separação entre o sagrado e o profano.

D) Indicar o início de uma nova estação do ano.

E) Sinalizar a direção para o templo mais próximo.

Resposta correta: C) O torii, com sua cor vermelha vibrante e sua posição marcante na entrada de espaços sagrados, tem como principal propósito marcar a separação entre o mundo secular e o sagrado no contexto do xintoísmo. Ele simboliza o limiar entre o mundo humano e o reino dos kami, representando um espaço consagrado para a adoração e a reverência.

2. O xintoísmo e o budismo são duas das principais religiões do Japão, cada uma com suas próprias crenças e práticas distintas. Enquanto o xintoísmo se concentra na adoração de divindades conhecidas como kami e na harmonia com a natureza, o budismo segue os ensinamentos de Buda e busca a iluminação espiritual. Com base nessa contextualização, qual das seguintes afirmações melhor descreve uma diferença fundamental entre o xintoísmo e o budismo?

A) O xintoísmo venera Buda como uma das divindades principais.

B) O budismo não enfatiza a relação com a natureza.

C) O xintoísmo não tem práticas ritualísticas.

D) O budismo adota o uso de torii em seus templos.

E) O xintoísmo e o budismo não têm diferenças significativas em suas crenças centrais.

Resposta correta: B) Embora o xintoísmo e o budismo tenham influenciado um ao outro ao longo da história do Japão, eles ainda têm diferenças fundamentais em suas crenças e práticas. Enquanto o xintoísmo se concentra na adoração de kami e na conexão com a natureza, o budismo segue os ensinamentos de Buda e busca a iluminação espiritual através do caminho do Dharma.

Fontes

ALEXANDER, Bruno. O Livro das Religiões. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2016

SHOJI, Rafael. O que é xintoísmo. Lafonte: 2021 

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Xintoísmo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/xintoismo.htm. Acesso em 26 de maio de 2024.

De estudante para estudante