Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Xamanismo

O xamanismo é o conjunto de práticas rituais ancestrais que tem como objetivo manter contato com o sagrado por meio de dança, música e consumo de enteógenos.

Xamã equatoriano fazendo o consumo de ayahuasca em cerimônia do xamanismo.
O xamanismo é uma prática ritual presente em diversos povos originários.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O xamanismo são práticas rituais ancestrais, pois se originaram no Paleolítico, e tem como objetivo manter o contato com o sagrado. Por meio dessas práticas, tem-se contato com os ancestrais, os espíritos da natureza, os espíritos animais etc. Esses rituais são marcados por danças, músicas e pelo consumo de enteógenos.

Dentro do xamanismo, considera-se que o xamã é a figura que conduz o ritual, sendo quem atua como mensageiro ou intermediário entre mundo terreno e o mundo espiritual. No entanto, existem rituais xamânicos sem a presença de um xamã. Diversos povos praticam rituais xamânicos, entre os quais estão muitos povos indígenas do Brasil.

Leia mais: Mandala — símbolo utilizado pelo hinduísmo, por tribos indígenas da América do Norte e até pela psicologia

Tópicos deste artigo

Resumo sobre xamanismo

  • O xamanismo é o conjunto de rituais ancestrais que são praticados por alguns povos.

  • Essas práticas rituais são usadas para manter contato com o mundo espiritual.

  • Os rituais são marcados pela presença de dança, música e pelo consumo de enteógenos.

  • O xamã é aquele quem conduz os rituais xamânicos, sendo um mensageiro ou intermediário entre o mundo espiritual e o mundo terreno.

  • Diversos povos indígenas do Brasil mantêm rituais xamânicos.

  • A palavra xamanismo é o aportuguesamento de shamanism, que define as referidas práticas ancestrais no idioma inglês.

O que é o xamanismo?

O xamanismo pode ser entendido como um conjunto de práticas religiosas ancestrais presentes em diferentes povos da humanidade. Essas práticas ancestrais permitem o contato com o mundo espiritual. Curandeirismo, adivinhação e alteração no estado de consciência são ações que acontecem durante os rituais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Qual é a religião do xamanismo?

Apesar de ser referido como religião por muitos, os antropólogos não entendem o xamanismo como uma prática religiosa, porque ele não possui as características para ser definido como tal. Isso porque o xamanismo, por exemplo, não possui dogmas nem uma liturgia a ser seguida. Na prática, o xamanismo é composto de práticas rituais muito antigas que procuram manter contato com o mundo espiritual. Nos rituais xamânicos há a presença de músicas e danças diversas.

Sendo assim, o termo xamanismo é usado para referir-se a rituais ancestrais com a presença de transe (alteração da consciência de um ser humano). Esse transe deve acontecer no sentido de manter a pessoa em contato com elementos (bons ou maus, ancestrais etc.) do mundo espiritual.

É importante mencionar que essa definição é resultado de um amplo debate entre os antropólogos e outros pesquisadores das ciências humanas. Outro ponto é esclarecer que não há consenso entre os especialistas a respeito da definição do xamanismo. Nesse sentido, existem inúmeras críticas a esse termo entre muitos dos estudiosos do assunto.

Quem é o xamã?

Dentro do xamanismo, o xamã é a figura central do ritual, uma vez que ele é entendido como quem guia o contato com o mundo espiritual, sendo o receptor das mensagens. Esse contato com o mundo espiritual permite que o xamã transmita mensagens, mas, além disso, ele pode conduzir rituais de cura contra os maus espíritos.

Entre práticas que podem ser realizadas por um xamã, estão:

  • Permitir que o seu espírito dele abandone o corpo para ter contato integral com o mundo espiritual.

  • Iniciar o transe que permita que ele mantenha esse contato com o mundo espiritual.

  • Fazer com que alguém alcance o estágio de transe temporário.

  • Possibilitar o contato com espíritos de animais e ancestrais.

  • Realizar rituais de adivinhação depois de ter contato com o mundo espiritual etc.

Isso significa que o xamã é o guia dos rituais e o único que tem controle do contato com o mundo espiritual. No contexto dos povos indígenas do Brasil, o xamã corresponde à figura do pajé, quem mantém contato com os espíritos e realiza cura e adivinhações.

A existência do xamã nas práticas xamânicas de diversos povos não significa que todos os povos com rituais xamânicos necessitam ou tenham um xamã para conduzir o ritual. Alguns povos indígenas do Brasil, por exemplo, realizam os seus rituais xamânicos sem um xamã, e, nesse caso, a condução do ritual é realizada conjuntamente pelos próprios participantes. Nesses casos, os próprios participantes têm contato direto com o mundo espiritual, trazendo as mensagens que vêm dele e operando os cantos do ritual.

Leia mais: Yanomami — povo indígena que habita a região amazônica e é praticante do xamanismo

O que se toma no xamanismo?

Chacrona (Psychotria viridis), planta usada no xamanismo, em vaso sobre superfície de madeira e ao lado de pedras e galhos.
Chacrona (Psychotria viridis) é uma planta fundamental para a composição da bebida eteógena ayahuasca.

Vimos que a alteração de consciência (transe) para alcançar o mundo espiritual e manter contato com os espíritos desse plano é uma característica essencial do xamanismo. A forma como esse transe é alcançado se dá de maneira diferente em cada cultura. De forma geral, o uso de enteógeno é bastante comuns nos rituais xamânicos. Enteógenos são as substâncias consumidas para alterar a consciência e a percepção de uma pessoa.

Entre as substâncias que podem ser consumidas em rituais xamânicos, estão:

Povos praticantes do xamanismo

Entre os povos praticantes do xamanismo, estão:

  • inuit;

  • maias;

  • mazatecas;

  • huichós;

  • mapuche;

  • aimarás;

  • dogon;

  • nguni;

  • vikings (nórdicos da Era Viking);

  • povos indígenas do Brasil:

    • kaingang;

    • marubo;

    • parakanã.

  • aborígenes australianos;

  • mongóis.

Origem do termo xamanismo

Pilares com fitas coloridas tradicionais do xamanismo dos buriates, povo indígena da Sibéria, na Rússia.
Pilares com fitas coloridas tradicionais do xamanismo dos buriates, povo indígena da Sibéria, na Rússia.

A palavra xamanismo é o aportuguesamento de shamanism, a palavra que define a referidas práticas ancestrais no idioma inglês. Esse termo do inglês, por sua vez, deriva de saman, uma palavra originada de línguas tungúsicas (faladas por povos habitantes da Sibéria e de regiões próximas) e que é traduzida como “saber”.

O termo saman se tornou bastante comum para se referir a povos autóctones da Sibéria, como os evenki e os buriates. Acredita-se que ele se popularizou nesse sentido durante o século XVII. No Ocidente, ele ficou conhecido por meio de antropólogos que usaram a expressão xamanismo para se referir às práticas rituais de povos mongóis e turcos.

Fontes

NETO, João Irineu de França. Xamanismo e pajelança nas práticas ritualísticas indígenas. Disponível em: https://revistasenso.com.br/bem-viver/xamanismo-e-pajelanca-nas-praticas-ritualisticas-indigenas/

ARAÚJO, Carlos Eduardo de. Xamanismo hoje: diálogos com uma sabedoria arcaica. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/bitstream/123456789/47219/1/Xamanismohojedialogos_Araujo_2022.pdf

UNICAP. Xamanismo. Disponível em: https://www1.unicap.br/observatorio2/?page_id=771

CESARINO, Pedro de Niemeyer. Xamanismo. Disponível em: https://pib.socioambiental.org/pt/Xamanismo

FEIJÓ, Adriana. Xamanismo. Disponível em: https://www.personare.com.br/conteudo/xamanismo-o-que-e-m117247

ROCHA, Felipe. O que é xamanismo. Disponível em: https://xamanismoseteraios.com.br/o-que-e-xamanismo/

VIANA, Rodolfo. O que é xamanismo? Disponível em: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-e-xamanismo-2

SILVA, Sérgio Baptista da; Giumbelli, Emerson; Quintero, Pablo. O xamanismo e suas múltiplas manifestações e abordagens. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/q9PwyJwzVMDKbpCKd8xc8rr/?format=pdf&lang=pt

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Xamanismo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/xamanismo.htm. Acesso em 13 de julho de 2024.

De estudante para estudante